PSICOLOGIA	  2011	   	  	                           Conação                                                     A	  Mente	...
Mente	  Humana	  
Temas	                         Aprendizagem                                                                      Memória  ...
APRENDIZAGEM	  POR	  OBSERVAÇÃO	     E	  IMITAÇÃO	  APRENDIZAGEM	     SOCIAL	             JORGE	  BARBOSA,	  2011	  
A	  FAMOSA	  EXPERIÊNCIA	  DE	  BANDURA	           APRENDIZAGEM	  SOCIAL	  
APRENDIZAGEM	  SOCIAL	  Introdução	  Aprendizagem	  Social	  -­‐	  Modalidade	  de	  Aprendizagem	  que:	  1.  Acontece	  ...
APRENDIZAGEM	  SOCIAL	  •  Introdução	    As	  experiências	  de	  Skinner	  e,	  antes	    dele,	  as	  de	  Thorndike:	 ...
APRENDIZAGEM	  SOCIAL	  •  Introdução	    Uma	  certa	  representação	  da	  organização	  do	  espaço	  parece	  necessár...
APRENDIZAGEM	  SOCIAL	  •  Experiência	  de	  Albert	  Bandura	  Imitação	  de	  Comportamentos	  Agressivos	    1.  Bandu...
APRENDIZAGEM	  SOCIAL	  •  Experiência	  de	  Albert	  Bandura	    Imitação	  de	  Comportamentos	  Agressivos	    A	  his...
APRENDIZAGEM	  SOCIAL	  •  Experiência	  de	  Albert	  Bandura	                    Imitação	  de	  Comportamentos	  Agress...
APRENDIZAGEM	  SOCIAL	  •  Experiência	  de	  Albert	  Bandura	                   Imitação	  de	  Comportamentos	  Agressi...
APRENDIZAGEM	  SOCIAL	  •  Experiência	  de	  Albert	  Bandura	                Imitação	  de	  Comportamentos	  Agressivos...
As	  Formas	  de	  Aprendizagem	  Social	  1.	  Aprendemos	  observando	  os	  outros,	  sem	  que	  essa	  observação	  s...
As	  Formas	  de	  Aprendizagem	  Social	      2.	  Aprendemos	  observando	  os	  outros,	  e	  sendo	          directame...
As	  Formas	  de	  Aprendizagem	  Social	     3.	  Aprendemos	  observando	  as	  consequências	  dos	      comportamentos...
Condições	  para	  a	  Aprendizagem	  Social	                  1.	  Atenção	  –	  Não	  é	  suficiente	  observar	  •  Esco...
Condições	  para	  a	  Aprendizagem	  Social	          2.	  Retenção	  • Para	  imitar	  o	  comportamento	  de	  um	    m...
Condições	  para	  a	  Aprendizagem	  Social	          3.	  Execução	  ou	  Produção	  •  É	  necessário	  converter	  o	 ...
Condições	  para	  a	  Aprendizagem	  Social	           4.	  Mo`vação	  e	  Reforço	  • O	  desempenho	  de	  algo	  que	 ...
Condições	  para	  a	  Aprendizagem	  Social	  A	  aprendizagem	  por	  modelação	  Contém	  um	  importante	  princípio	 ...
Síntese	        Tipo	  de	                                     Procedimento	                     Resultado	               ...
Síntese	       Tipo	  de	                              Procedimento	                Resultado	                            ...
Síntese	         Tipo	  de	                                        Procedimento	                       Resultado	         ...
Aprendizagem	  Complexa	   Aprendizagem	  com	  Recurso	  a	    Símbolos	  e	  Representações	  
Aprendizagem	  Complexa	                                                       Segundo	  a	  perspec`va	                  ...
Aprendizagem	  Complexa	  O	  que	  é	  mentalmente	  representado	  pode	  ser:	  •  Uma	  associação	  entre	  eslmulos	...
Aprendizagem	  Complexa	  Mas,	  em	  muitos	  casos,	  o	  que	  é	  representado	  parece	  mais	  complexo:	  •  Um	  m...
Mapas	  Cogni`vos	  e	  Conceitos	                     Abstractos	  •  Edward	  Tolman	  testou	  a	  aprendizagem	  da	  ...
Mapas	  Cogni`vos	  e	  Conceitos	                        Abstractos	  •  O	  inves`gador	  coloca	  comida	  em	  cada	  ...
Mapas	  Cogni`vos	  e	  Conceitos	                        Abstractos	  •  O	  mais	  curioso	  é	  que	  os	  ratos	  quas...
Mapas	  Cogni`vos	  e	  Conceitos	                            Abstractos	  •  Se	  pensarmos	  nos	  conceitos	  abstracto...
Aprendizagem	  por	  Insight	  
Aprendizagem	  por	  Insight	  •  É	  famoso	  o	  trabalho	  de	  Wolfgang	  Kohler	     (promotor	  da	  Teoria	  da	  F...
Aprendizagem	  por	  Insight	                              !                                                              ...
Aprendizagem	  por	  Insight	  “De	  repente	  pega	  na	  vara	  menor	  outra	  vez,	  vai	  até	  à	  grades	    direct...
Aprendizagem	  por	  Insight	  •  A	  aprendizagem	  por	  Insight	  é	  muito	  diferente	  da	     realizada	  pelos	  r...
Aprendizagem	      A	  aprendizagem	  de	  mapas	  cogni`vos	  e	  de	  conceitos	          abstractos	  e	  a	  aprendiza...
ProcessosMentaisProcessos CognitivosA Percepção Atenção: Os exercícios no “moodle” estarão disponíveis dentro em breve    ...
Mente humana 4
Mente humana 4
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Mente humana 4

2.924 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.924
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
104
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mente humana 4

  1. 1. PSICOLOGIA  2011       Conação A  Mente   Cognição Humana   EmoçãoJorge  Barbosa,  2011  
  2. 2. Mente  Humana  
  3. 3. Temas   Aprendizagem Memória PROCESSOS COGNITIVOS Inteligência PercepçãoPerspectivade Maslow Motivação ou MENTE HUMANA Conduta Emoções Motivada PROCESSOS CONATIVOS PROCESSOS EMOCIONAS SentimentosPerspectivade Freud Afectos
  4. 4. APRENDIZAGEM  POR  OBSERVAÇÃO   E  IMITAÇÃO  APRENDIZAGEM   SOCIAL   JORGE  BARBOSA,  2011  
  5. 5. A  FAMOSA  EXPERIÊNCIA  DE  BANDURA   APRENDIZAGEM  SOCIAL  
  6. 6. APRENDIZAGEM  SOCIAL  Introdução  Aprendizagem  Social  -­‐  Modalidade  de  Aprendizagem  que:  1.  Acontece  quando  o   comportamento  de  um  indivíduo   é  influenciado  ou  condicionado   pelo  comportamento  de  outros   (modelos)  2.  Acontece  em  contexto  social.  
  7. 7. APRENDIZAGEM  SOCIAL  •  Introdução   As  experiências  de  Skinner  e,  antes   dele,  as  de  Thorndike:   1.  Levantam  o  problema  de  se  saber   como  é  que,  por  processos  de   tentaSvas  e  erros,  os  animais   conseguiam  aprender  tarefas   complexas.   2.  Outros  autores,  como  Kohler,   contestam  a  explicação   comportamentalista   (behaviorista).  
  8. 8. APRENDIZAGEM  SOCIAL  •  Introdução   Uma  certa  representação  da  organização  do  espaço  parece  necessária,  para  que  o   animal  seja  capaz  de  não  cometer  sistemaScamente  os  mesmo  erros  num  labirinto,   por  exemplo.   1.  A  nossa  versão  da  aprendizagem   não  pode  basear-­‐se  unicamente   em  descrições  de   comportamentos  e  mudanças  de   comportamentos.   2.  Temos  de  fazer  referência  à   cognição  que  ocorre  na  mente  do   Mapa  CogniSvo  é  um  conceito  que   animal,  para  explicar  muitos   define  a  representação  mental  da   fenómenos  de  aprendizagem   organização  do  espaço.  
  9. 9. APRENDIZAGEM  SOCIAL  •  Experiência  de  Albert  Bandura  Imitação  de  Comportamentos  Agressivos   1.  Bandura  mostrou  a  crianças  com   quatro  anos  um  filme  em  que  um   adulto  esmurrava  e  pontapeava   um  boneco  insuflável.   2.  Eram  66  crianças,  divididas  em   três  grupos  de  22  crianças  cada.  
  10. 10. APRENDIZAGEM  SOCIAL  •  Experiência  de  Albert  Bandura   Imitação  de  Comportamentos  Agressivos   A  história  do  filme  era  simples:   1.  Um  adulto  encaminhava-­‐se  na   direcção  de  um  boneco   insuflável,  e   2.  Ordenava-­‐lhe  que  saísse  da  sua   frente.     Obviamente,  o  boneco  não  se  mexia:   3.  O  adulto  agredia  violentamente  o   boneco.  
  11. 11. APRENDIZAGEM  SOCIAL  •  Experiência  de  Albert  Bandura   Imitação  de  Comportamentos  Agressivos  Sujeitos  da  Experiência  A.  O  grupo  A  de  crianças  assisSa  a  um   final  do  filme  em  que  o  adulto  era   elogiado  por  outro  adulto  –  Modelo   recompensado  B.  O  grupo  B  assisSa  a  um  final  em  que   o  adulto  era  asperamente  censurado   por  outro  adulto  -­‐  Modelo  punido.    C.  O  grupo  C  assisSa  a  um  final  em  que   nada  acontecia  –  Condição  neutra.  
  12. 12. APRENDIZAGEM  SOCIAL  •  Experiência  de  Albert  Bandura   Imitação  de  Comportamentos  Agressivos  Depois  da  exibição  do  filme,  todas  as   crianças  brincaram  com  o  boneco   insuflável  e  outros  brinquedos:  A.  As  crianças  do  grupo  A  mostraram   maior  índice  de  agressividade  do  que   as  outras.  B.  Todas  as  crianças  Snham  aprendido   mentalmente  a  reproduzir  os   comportamentos  agressivos   observados  (sem  reforço).  
  13. 13. APRENDIZAGEM  SOCIAL  •  Experiência  de  Albert  Bandura   Imitação  de  Comportamentos  Agressivos  Conclusões:  1.  As  crianças  parScipantes  na   experiência  aprenderam   comportamentos  agressivos  sem   receberem  qualquer  reforço;  2.  As  crianças  aprenderam  esses   comportamentos,  mesmo  quando  o   modelo  não  era  reforçado  nem   punido.  
  14. 14. As  Formas  de  Aprendizagem  Social  1.  Aprendemos  observando  os  outros,  sem  que  essa  observação  se  traduza  necessariamente  em  imitação.   Aprendemos   Formamos  a   esses   representação   comportamentos   Podemos  imitá-­‐ mental  de   formando  essa   los  ou  não.  comportamentos   representação  que  observamos;   mental;  
  15. 15. As  Formas  de  Aprendizagem  Social   2.  Aprendemos  observando  os  outros,  e  sendo   directamente  reforçados  por  os  imitarmos   adequadamente.   O   Formamos  a   A  imitação  do   comportamento   representação   comportamento   resultante  dessa   mental  de   é  acompanhada   aprendizagem  é  comportamentos   de  reforço   reforçado  que  observamos;   directo.   directamente;  
  16. 16. As  Formas  de  Aprendizagem  Social   3.  Aprendemos  observando  as  consequências  dos   comportamentos  dos  outros  (condicionamento   vicariante  ou  indirecto)   Se  o   Modalidade  de   Se  o  comportamento  do   aprendizagem   comportamento  do  modelo  observado   muito  generalizada   modelo  observado  tem  consequências   entre  os  seres   é  punido  diminui  a  agradáveis  (reforço   humanos   probabilidade  de  posi`vo)  –  imitação   (consequências  em   imitação;   reforçada;   “segunda  mão”).  
  17. 17. Condições  para  a  Aprendizagem  Social   1.  Atenção  –  Não  é  suficiente  observar  •  Escolhemos:     Os  comportamentos  a  imitar;   As  Pessoas  modelo  •  Prestamos  mais  atenção  ao  desempenho  de   umas  pessoas  do  que  ao  de  outras;  •  Em  regra,  prestamos  mais  atenção  a  pessoas   consideradas  atraentes,  competentes,   populares.  
  18. 18. Condições  para  a  Aprendizagem  Social   2.  Retenção  • Para  imitar  o  comportamento  de  um   modelo  temos  de  o  armazenar   ac`vamente  na  memória,  o  que  implica  a   representação  mental:   • das  acções  do  modelo;   • da  prá`ca  dos  elementos,  sequências  ou   etapas  do  comportamento.  
  19. 19. Condições  para  a  Aprendizagem  Social   3.  Execução  ou  Produção  •  É  necessário  converter  o  comportamento   memorizado  (representado)  em  acção,  o  que   exige:   •  Tempo    e  treino;   •  Mo`vo  ou  razão  para  converter  o  que  se   “sabe”  ou  aprendeu  em  comportamento   (“performance”).  (Pode  ocorrer  aprendizagem   sem  alterações  externas  do  comportamento)    
  20. 20. Condições  para  a  Aprendizagem  Social   4.  Mo`vação  e  Reforço  • O  desempenho  de  algo  que  aprendemos  através  da   observação  depende  da  mo`vação  ou  incen`vo  para  o   efectuar:   • O  Reforço  tem  um  papel  importante;   • A  antecipação  ou  previsão  do  reforço  (que  pode  ser  a   aprovação  dos  outros)  aumenta  a  mo`vação  para:   • Reter   • Reproduzir   • Desempenhar  o  comportamento  observado.  
  21. 21. Condições  para  a  Aprendizagem  Social  A  aprendizagem  por  modelação  Contém  um  importante  princípio  presente  no  condicionamento  operante:   Podemos  aprender  por  imitação,   Mas  a  aquisição  do  novo  comportamento   depende  da  aplicação  dos  princípios  do  reforço.  
  22. 22. Síntese   Tipo  de   Procedimento   Resultado   Exemplo   Aprendizagem   De  cada  vez  que   regressa  a  casa,  o   João  tem  de  passar   em  frente  à  casa  de   Um  eslmulo  neutro   O  Eslmulo  neutro   um  vizinho,  onde  um   (uma  campainha,  por   torna-­‐se  um  eslmulo   cão  salta  ao  portão,  a   ex.,  é  emparelhado   condicionado,  isto  é,   ladrar  furioso,  quase   com  um  eslmulo   um  eslmulo  que  por   o  alcançando  no   incondicionado  (p.ex.:   si  só  desencadeia  uma  Condicionamento   passeio.   comida)  que   resposta   Clássico   Passado  algum   naturalmente   condicionada  (uma   tempo,  a  simples   desencadeia  ou   resposta  semelhante   visão  da  casa  do   produz  uma  resposta   à  resposta  produzida   vizinho  provoca   incondicionada   por  um  eslmulo  não   reacções  de  medo   (reflexo  salivar)   condicionado   semelhantes  às  que   provoca    o   aparecimento  súbito   do  cão  a  ladrar.  
  23. 23. Síntese   Tipo  de   Procedimento   Resultado   Exemplo   Aprendizagem   Se  tem  consequências   • Miguel  recebe  um   agradáveis  ou   cromo  de  cada  vez   desejáveis  (obter  algo   que  se  levanta  e  deixa   que  desejamos  ou   o  quarto  arrumado   Em  determinada   evitar  algo   (reforço  posi`vo);   situação,  um   indesejável),  um   • O  Miguel  arruma  e   comportamento  ou   comportamento  é   limpa  o  quarto,  para   resposta  está  na   fortalecido,  isto  é,  Condicionamento   não  ser  impedido  de   origem  de   passa  eventualmente   Operante   consequências   a  ser  mais  frequente;   ver  um  programa   infan`l  na  TV  (reforço   agradáveis  ou  de   Se  tem  consequências   nega`vo).   consequências   desagradáveis,  um   • O  Miguel  vai  ter  de   desagradáveis.   comportamento  é   devolver  um  dos  seus   enfraquecido,  isto  é,   cromos,  por  não  ter   passa  eventualmente   deixado  o  seu  quarto   a  ser  menos   arrumado  (punição).   frequente  
  24. 24. Síntese   Tipo  de   Procedimento   Resultado   Exemplo   Aprendizagem   O  Observador   constrói  a   Use  este  sabão,  este   representação  mental   a"er-­‐shave,  ou  este   da  resposta  ou   perfume,  coma  este   Um  observador  presta   comportamento  do  Aprendizagem  por   atenção  ao   `po  de  alimentos,   modelo.  A  tendência   conduza  este  `po  de   Modelação  ou   comportamento  de   do  observador  para   automóvel  e  será   Aprendizagem   um  modelo  e  às  suas   imitar  o   elegante,  bem  Social  ou  ainda  por   consequências   comportamento  do   sucedido,  popular  e   Observação   (favoráveis  ou   modelo  pode  ser   atraente  como  as   desfavoráveis).   reforçada  ou   pessoas  que,  nos   enfraquecida,  em   anúncios  publicitários,   função  das   fazem  essas  coisas.   consequências  da   acção  observada  
  25. 25. Aprendizagem  Complexa   Aprendizagem  com  Recurso  a   Símbolos  e  Representações  
  26. 26. Aprendizagem  Complexa   Segundo  a  perspec`va   cogni`va,  o  ponto   fundamental  da  •  Na  capacidade  do  organismo   aprendizagem  (e  da   representar  mentalmente  aspectos   inteligência  em  geral)   do  mundo,  e   reside:  •  Operar  sobre  estas  representações,   em  vez  de  sobre  o  mundo   propriamente  dito.  
  27. 27. Aprendizagem  Complexa  O  que  é  mentalmente  representado  pode  ser:  •  Uma  associação  entre  eslmulos  (condicionamento   clássico).  •  Uma  associação  de  consequências  do   comportamento  (condicionamento  operante  e   aprendizagem  social).  
  28. 28. Aprendizagem  Complexa  Mas,  em  muitos  casos,  o  que  é  representado  parece  mais  complexo:  •  Um  mapa  do  nosso  ambiente  ou  um  conceito  abstracto,   (como  a  noção  de  causa).  •  As  operações  mentais  sobre  as  representações  podem   assumir  a  forma  de:   •  Tenta`va  e  erro  mental   •  Uma  estratégia  em  que  a  escolha  dos  primeiros  passos   resulta  simplesmente  do  facto  de  facilitarem  os  passos   seguintes,  mesmo  sem  sabermos  a  solução  final,  etc.  
  29. 29. Mapas  Cogni`vos  e  Conceitos   Abstractos  •  Edward  Tolman  testou  a  aprendizagem  da   orientação  em  labirintos  complexos  com  ratos.   –  Verificou  que  um  rato  que  percorre  um  labirinto   complexo  em  busca  de  alimento     •  Não  está  a  aprender  uma  sequência  de  respostas  de   virar  à  esquerda  e  à  direita   •  Mas  desenvolve  um  Mapa  Cogni`vo  –  uma   representação  mental  da  configuração  do  labirinto.  
  30. 30. Mapas  Cogni`vos  e  Conceitos   Abstractos  •  O  inves`gador  coloca  comida  em  cada  uma   das  extremidades  dos  oito  segmentos  do   labirinto   A  tarefa  do  rato  é  aprender  a  deslocar-­‐se  à   extremidade  de  cada  labirinto  para  obter   comida,  sem  voltar  àqueles  aonde  já  foi.   Verifica-­‐se  que,  depois  de  cerca  de  20   ensaios,  os  ratos  pra`camente  nunca   voltam  a  um  segmento  aonde  já  tenham   ido.   (o  labirinto  é  lavado  com  uma  perfume  que   mascara  os  odores  de  comida.)  
  31. 31. Mapas  Cogni`vos  e  Conceitos   Abstractos  •  O  mais  curioso  é  que  os  ratos  quase  nunca   recorrem  à  estratégia  muito  humana  de   percorrer  os  segmentos  do  labirinto  numa   ordem  determinada.   Pelo  contrário,  os  ratos  visitam  os   segmentos  ao  acaso,  o  que  indica  que  não   aprenderam  uma  sequência  rígida  de   respostas.   O  mais  provável  é  que  tenham  criado  uma   representação,  semelhante  a  um  mapa,  do   labirinto.  
  32. 32. Mapas  Cogni`vos  e  Conceitos   Abstractos  •  Se  pensarmos  nos  conceitos  abstractos  como   sendo  mapas  de  mapas  (representações  de   representações),  então  será  possível  ensinar   conceitos  abstractos  a  animais.   Numa  experiência  lpica,  realizada  com   chimpanzés,  estes  foram  capazes  de   aprender  a  usar  o  símbolo                  (igual),   quando  se  lhes  apresentam  dois  símbolos   de  “maçã”,  ou  dois  símbolos  de  “laranja”,   E  o  símbolo  de                      (diferente)  quando  se   lhes  apresenta  um  símbolo  de  “maçã”  e  de   “laranja”.  
  33. 33. Aprendizagem  por  Insight  
  34. 34. Aprendizagem  por  Insight  •  É  famoso  o  trabalho  de  Wolfgang  Kohler   (promotor  da  Teoria  da  Forma,  Gestalt)  com   chimpanzés  (década  de  1920).  •  Kohler  colocava  um  chimpanzé  numa  área   fechada  e,  fora  do  seu  alcance,  colocava  uma   banana.   –  Para  obter  a  banana,  o  chimpanzé  `nha  de  usar   um  objecto  (uma  vara)  como  ferramenta.  
  35. 35. Aprendizagem  por  Insight   ! "#O  Bastão  que  estava  ao  alcance  do  Sultão  (chimpanzé)  não  `nha  o  comprimento  necessário  para  alcançar  a  banana.  Depois  de  algumas  pausas,  para  analisar  o  espaço  envolvente,  de  forma  inesperada  o  Sultão  usa  a  vara  mais  pequena  para  puxar  uma  maior  (que  estava  fora  do  seu  alcance)  e   !com  esta  puxa  a  banana   $%&()!"*!+,-!./!0/(()1/23)!4-156/1/23)(7!+,-!./!1!8),39-!1/2-(:!5)()!,/!4;/&)(!)-!para  si.   <2%4-!8),39-!<3%6!5)()!)64)2=)(!-!-8>/3%?-!0%2)67!@!A;%15)2BC!D2/,3/!4),-:!E639-F!3/1!G/! 3%6%B)(!)!?)()!4(3)!5)()!-83/(!)!?)()!6-2&)!G/!5-./(H!/239-!,/(!3%6%B).)!5)()!4-2,/&%(!)! 8)2)2)7! I-3)*!$%&()!).)53).)!./!@,&--.!D"JKLM"J#N:!57!ONKF7! ! DNPMQLM"RF!E639-!3/23-!)64)2=)(!)!0(3)!5(%1/%()1/23/!4-1!1!8),39-!4(3-!/!./5-%,
  36. 36. Aprendizagem  por  Insight  “De  repente  pega  na  vara  menor  outra  vez,  vai  até  à  grades   directamente  em  frente  à  vara  maior,  arrasta-­‐a  na  sua   direcção  com  a  “auxiliar”,  agarra-­‐a  e  vai  com  ela  até  ao   ponto  em  frente  ao  objec`vo  (a  fruta),  obtendo-­‐a.  Desde  o   momento  em  que  os  seus  olhos  repousam  sobre  a  vara   maior,  a  sua  acção  forma  um  todo  consecu`vo,  sem   interrupções  e,  embora  a  captura  da  vara  maior  u`lizando  a   menor  seja  uma  acção  que  poderia  ser  completa  e  dis`nta   por  si  mesma,  observa-­‐se  que  ela  segue  repen`namente   (...)  e  imediatamente  se  funde  com  a  acção  final  de   realização  da  meta  final.  (Kohler,  1925,  p.174-­‐175)  
  37. 37. Aprendizagem  por  Insight  •  A  aprendizagem  por  Insight  é  muito  diferente  da   realizada  pelos  ratos  ou  pombos  de  Skinner:   –  A  solução  é  encontrada  repen`namente:  não  é  fruto   de  um  processo  gradual;   –  Depois  de  resolver  o  problema  pela  primeira  vez  o   chimpanzé  deixa  de  manifestar  respostas  inadequadas   –  A  aprendizagem,  realizada  por  esta  via,  é  facilmente   generalizável  a  problemas  idên`cos  (alcançar  um   objecto  demasiado  alto,  usando  caixas,  por  exemplo)  
  38. 38. Aprendizagem   A  aprendizagem  de  mapas  cogni`vos  e  de  conceitos   abstractos  e  a  aprendizagem  por  Insight  não  são   compalveis  com  as  teorias  da  aprendizagem  por   associação  de  eslmulos  ou  por  associação  de   consequências.   O  facto  de  a  aprendizagem  se   A  teoria  do  reforço   cons`tuir  no  reforço  de  si  mesma  (condicionamento  operante)  pode   obriga  a  que  tenhamos  de  admi`r  explicar  a  mo`vação  para  resolver   formas  de  aprendizagem  não   o  problema,  mas  não  a   explicáveis  pela  habituação  ou   aprendizagem  realizada.   pelo  condicionamento.  
  39. 39. ProcessosMentaisProcessos CognitivosA Percepção Atenção: Os exercícios no “moodle” estarão disponíveis dentro em breve Psicologia, 2011 41

×