Burka

220 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
220
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
47
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Burka

  1. 1. É um véu característico, deixa livre a face. Oculta completament e o corpo. Uma tela permite que a mulher enxergue. Cobre toda a face, deixando livre os olhos. Este véu se coloca ao redor da cabeça. É usado no Golfo Pérsico. É usado por mulheres iranianas quando saem de casa. Cobre todo o corpo
  2. 2. As mulheres viajam no porta malas dos táxis.
  3. 3. • As mulheres afegãs são proibidas de passear sozinhas pelas ruas, trabalhar, estudar, de receber assistência médica, exceto em hospitais bagunçados, sem água, sem energia elétrica nem sala de cirurgia, ao qual só vão para morrer. • Só os médicos homens têm direito a exercer a medicina nos hospitais, mas não têm direito a atender nem operar uma mulher.
  4. 4. Identificação de uma mulher nos EUA.
  5. 5. Roupa hospitalar.
  6. 6. • Quando uma mulher está grávida, os afegãos dizem que ela está enferma. E 97% das mulheres afegãs dão a luz em suas casas, porque são proibidas de serem atendidas por médicos homens. • A maternidade Malalai (Malalai Joy, líder afegã exilada) está rodeada de muros de cimento, construídos pelos talibãs, com janelinhas diminutas. Do outro lado, acompanham os homens que esperam as mulheres internadas. Falam com suas esposas a través das janelinhas.
  7. 7. Nascer com burka.
  8. 8. MULHER OU LIXO?
  9. 9. • O adultério é penalizado com a “lapidação”. A mulher é metida em um buraco no solo e tapada com terra até o tórax. Os homens lhe atiram pedras até matá-la. As pedras não devem ser tão grandes, para não causar a morte rápida, e nem tão pequenas que não se possam ser consideradas pedras.
  10. 10. LAPIDAÇÃO.
  11. 11. Desenho feito por um menino afegão.
  12. 12. NO HAY DERECHO • Autor: Puri Gonzalo. • Música: Yemen Ellerinde. • Tradução livre: Getúlio Pasturczak.

×