Ler Uma produção dos alunos do Ensino Fundamental 1  da Escola Flávio Portela Marcílio Livro Digital
Dedicatória Aos nossos pais, cujo amor e compreensão  não são apenas  Lendas. ÍNDICE
Índice Dedicatória   Brincadeiras Apresentação     Desenhos   Plantas Medicinais   Mensagens dos Professores   Lendas   Fo...
APRESENTAÇÃO Não é raro encontrarmos em alguns discursos sobre a família ou educação, pais e até mesmo professores que apo...
  Entendemos que nunca  os saberes historicamente acumulados pela humanidade estiveram tão acessíveis a juventude como em ...
  Os capítulos tratam de subtemas folclóricos variados que vão desde o interesse infantil (brincadeiras e cantigas de roda...
ÍNDICE Plantas Medicinais
Capim Santo É um calmante natural e analgésico que previne problemas estomacais e renais. Modo de preparar Coloca as folha...
HORTELÃ PARA  QUE SERVE : DOR  DE  BARRIGA COMO  SE  PREPARA: COLOCA  A  ÁGUA  PARA  FERVER  DEPOIS  COLOCA  A HORTELÃ  DE...
BOLDO Boldo - É um arbusto de folhagem verde e coberto de  pêlos macios e curtos, muito usado como  remédio. Chá de Boldo:...
Erva-Cidreira  Erva Cidreira ( melissa oficinaliss)  é uma planta medicinal que serve para fazer chás e serve também como ...
Alfavaca A alfavaca ( Ocimum basilicum ), também chamada de manjericão ou manjericão de folha-larga é uma planta cujas fol...
BOLDO Boldo - É um arbusto  de  folhagem verde e coberto de  pêlos macios e curtos, muito usado como  remédio. Modo de Faz...
Hortelã Na hortelã estão reunidas as propriedades antiespasmódicas, carminativas, estomáquicas, estimulantes, tônicas, etc...
EUCALIPTO EUCALIPTO AROMÁTICO "Eucaliptus globulos"  Poderoso antiséptico, é indicado para uso em inalações, par...
BARBATIMÃO BARBATIMÃO "Stryphnodendron barbatiman“ Rica em tanino. Usa-se externamente reduzindo a pó e aplicado sobr...
CATUABA CATUABA: "Erytroxylon catuaba"  Afrodisíaco e tonificante, contém um alcalóide semelhante a atropina, qu...
CALÊNDULA CALÊNDULA "Calendula officinalis"  Famoso por ser antialérgica e cicatrizante, ainda cura e diminui a ...
BOLDO BOLDO CHILENO "Peomus boldus"  Poderoso digestivo e hepático, com propriedades tônicas e estimulantes, ati...
CANELA CANELA " Cinnamomum zeylanicum"   Originária do Sri Lanka, sudeste da Índia, é aromático, estimulante da ...
ALFAVACA ALFAVACA " Occimum basilicum "  Tem   poder antisséptico, cura feridas e hematomas.  A INFUSÃO forte po...
ASSA PEIXE ASSA PEIXE " Bohemeria caudata "  Muito eficaz contra a gripe, tosse forte e bronquite, aliviando dor...
ALECRIM ALECRIM " Rosmarinus officinalis "  Muito útil da debilidade cardíaca, é excitante do coração e do estôm...
CAPIM CIDRÃO CAPIM CIDRÃO "Cymbopogon citratus"  Originária da Índia, é sedativa, analgésica e anti-térmica, pro...
CAMOMILA CAMOMILA "Matricaria chamomilla"  De origem egípcia, tem propriedades calmantes, digestivas em casos de...
Erva Cidreira Erva Cidreira - É uma planta medicinal  que serve para fazer chás e serve também como  calmante. Prepara-se ...
BOLDO Boldo - É um arbusto  de  folhagem  verde e coberto de  pêlos macios  e curtos, muito usado como  remédio. Chá de Bo...
BOLDO Boldo - É um arbusto  de  folhagem  verde e coberto de  pêlos macios  e curtos, muito usado como  remédio. Chá de Bo...
Boldo Boldo - É uma planta medicinal que pode ser usada  para má digestão e gases. Modo de fazer: Coloca água e algumas fo...
Boldo Boldo -É uma planta medicinal originária do  Chile e é muito usada após os famosos  exageros alimentares, possui um ...
Alfavaca Alfavaca -  occimnm basiiicnm  -  Tem poder antisséptico, cura feridas e  hematomas. A infusão forte pode ser usa...
Erva Cidreira Erva Cidreira - É uma planta medicinal  que serve para fazer chás calmantes. Modo de preparar: Coloca-se águ...
<ul><li>Chá de boldo : </li></ul><ul><li>Duas folhas de boldo Um copo de água. </li></ul><ul><li>Coloca a água para ferver...
Malva arisco Malva arisco – É uma planta que serve  para fazer lambedor para tosse e para a garganta. Modo de preparar: Vo...
Alfavaca Alfavaca serve para lavar a cabeça e assim  aliviar a dor de cabeça e como chá serve para aliviar a febre. Também...
Capim santo O capim santo serve pra fazer chá e banhos. O banho serve para banhar  as crianças doentes e o chá do  Capim S...
Erva Cidreira   Erva Cidreira – É uma planta indicada para fazer chás calmantes. Modo de fazer: Pega algumas folhas e colo...
Laranjeira Nome científico : citrus aurantiu. A  flor  da  laranjeira  em  maceração tem função  contra  espasmos, nervosi...
Hortelã Nome científico  - mentha  spp  Usado para: Digestão, gases, cólicas e náuseas, serve como calmante dos nervos e p...
Capim-limão   Nome Científico :  cymbopogon  citratus O chá é usado como digestivo,  para gases,  reumatismo e dores nos m...
Boldo   (boldo  graúdo) Nome científico:  vernonia condensata. O  chá  de  uma ou duas folhas por  xícara em decocção ou  ...
Alcachofra Nome  científico - artemisia  alba.  Contém  muito  ferro  e  cálcio, repõe os  sais  minerais  do  organismo. ...
Alecrim Nome  científico : rosmarinusofficinalis Toma-se  o chá  das  folhas  para  arterioclerose,  inapetência,  histeri...
Toma-se em jejum durante uma semana para  males do fígado, icterícia, prisão de ventre, bílis e estômago. O sumo triturado...
BOLDO  –  FALSO-BOLDO Nome científico : coleeus barbatus. O chá das  folhas  e  usado para problemas digestivos, do fígado...
Malva   Nome científico : malva parviflora Os  vários tipos  de  malva  raiz  e  folhas  servem  para qualquer  tipo de  i...
ÍNDICE Lendas
O Lobisomem O Lobisomem  era uma pessoa humana normal,  que tinha 7 irmãs e virou um lobisomem.  Nas noites de sexta-feira...
A Cuca A Cuca é uma figura bem conhecida  do folclore brasileiro. Diz a lenda  que ela  é uma velha bruxa em forma de  jac...
LENDA  DO  MILHO Tabajara era um velho índio querido pelo seu povo a tribo  estava passando por sérias dificuldades  não h...
A lenda do lobisomem Era uma vez um homem que tinha 7  irmãs, quando ele nasceu um homem disse que quando ele completasse ...
A LENDA DO LOBISOMEM   O lobisomem  é uma pessoa humana, normal. E ele tinha sete irmãs ele se transforma em lobisomem  na...
Negrinho do Pastoreiro Um anjo bom sem pecados diz a lenda  que  ele  nos  ajuda  a  localizar objetos  perdidos  é só ace...
Vitória Régia Nas misteriosas águas dos rios e dos lagos amazônicos  há a  Vitória Régia  que, com toda sua plenitude, ado...
A VITÓRIA-RÉGIA Uma indiazinha que gostava de correr atrás da lua pensando que podia pegar na lua. Se pegasse na lua ia vi...
Bicho Papão Eu sou bicho papão, eu vim lá do telhado para me apresentar. Eu pego as crianças que na hora de dormir querem ...
Lenda do Lobisomem Era uma vez um homem que tinha 7 irmãs, somente ele nasceu homem na família. Diz a lenda, que nesses ca...
Vitória-Régia Era uma vez uma indiazinha  que se chamava Naiá e a lua que era tão bonita e que brilhava lá no céu e a indi...
A Lenda do Lobisomem       O lobisomem é uma pessoa humana, ele  tinha 7 irmãs e  sexta-feira ele atacava as pessoas  que ...
Iara A Iara é metade mulher e metade peixe, ela surge do  fundo das águas ao fim da tarde e quando ela canta  hipnotiza os...
O Curupira Era uma vez um Curupira. Tinha o cabelo  bem vermelho, cor de fogo, tinha os pés para trás e os calcanhares igu...
Iara A Iara é metade mulher e metade peixe, ela surge do  fundo das águas ao fim da tarde e quando ela canta  hipnotiza os...
Lobisomem   O lobisomem é um homem que toda sexta-feira,  à meia noite, se transforma. Ele é metade  homem e metade lobo. ...
O Lobisomem O lobisomem é um homem que toda sexta-feira a meia-noite se transforma em lobisomem. O lobisomem e metade lobo...
Saci  Pererê É um negrinho de uma perna só. Ele fuma  cachimbo,  usa um capucho vermelho e faz confusão. Ele desaparece no...
SACI PERERÊ  O saci pererê é um negrinho que gosta de fazer muita  brincadeira. O saci pererê some no meio de um corrupiu ...
SACI PERERÊ  O saci pererê é um negrinho que gosta de fazer muitas  brincadeiras. Ele some no meio de um redemoinho de ven...
Saci-Pererê   Um menino era um escravo da cor de carvão, sua mãe o vendeu para um casal de fazendeiros, o menino apanhava ...
O Saci-Pererê O saci é um menino negrinho com uma perna só, ele tem um gorro vermelho na cabeça. Ele tem um segredo que nã...
SACI-PERERÊ O saci-pererê é um negrinho com uma perna só, gorro  vermelho na  cabeça, gosta  de  fumar  cachimbo, gosta  d...
SACI-PERERÊ O saci-pererê é meu amiguinho do coração. Ele é  amigo do Negrinho do Pastoreiro, do Curupira, da  Mula-sem-ca...
SACI-PERERÊ   O SACI  É  UM MENINO SAPECA  E BRINCALHÃO ELE ANDA  NO  REDEMOINHO QUE  VAI  PELA  MATA  GIRANDO.  ELE É NEG...
Lenda Do Saci-Pererê     Saci-Pererê  é um negrinho de  uma perna só, gorro  vermelho na cabeça. Gosta de fumar cachimbo, ...
Saci- Pererê   O Saci- Pererê  é um negrinho  com uma perna só, com gorro vermelho na cabeça, gosta de fumar,  anuncia-se ...
Saci- Pererê   O Saci- Pererê  é um negrinho  com uma perna só, tem gorro vermelho na cabeça, gosta de fumar  anuncia-se p...
Saci- Pererê   O Saci- Pererê  é um negrinho  com uma perna só, gorro vermelho na cabeça e gosta de fumar cachimbo.   Ele ...
SACI-PERERÊ   Saci-Pererê é um negrinho com uma perna só, gorro  vermelho na cabeça, gosta de fumar  cachimbo, gosta de fa...
  Lenda da Mandioca   A tribo inteira ficara surpresa quando nasceu Mani. Era muito branquinha e de beleza incomparável, e...
ÍNDICE Provérbios
A ÁGUA MOLE EM  PEDRA DURA  TANTO BATE ATÉ QUE FURA. Autor MARIA ADRIANE NICÁCIO GADELHA 4º ano B   ÍNDICE
B Bem se diz que as águas correm para o mar. Boa romaria faz quem em sua casa fica em paz. Boca fechada não apanha mosca. ...
C Cada um dá o que gasta. Cão que ladra não morde. Casa de ferreiro espeto de pau. Confie nos homens, mas corte o baralho....
D Devagar se vai ao longe.  Dinheiro não tem cheiro.  Diz-me com quem andas dir-te-ei quem és.  Diz-me com quem tu andas q...
E  Em tempo de guerra não há capitão, em tempo de murici cada um cuida de si. Em terra de cego que tem um olho é rei. Auto...
F FAÇAS O QUE EU DIGO, NÃO FAÇAS O QUE EU FAÇO. FALAR É BOM, CALAR É MELHOR . FILHO DE  PEIXE PEIXINHO É. FLOR NO PEITO AM...
G Gato escaldado tem medo de água fria. Grão em grão e a galinha enche o papo   .  Autores Gabriel da Silva e Biatriz Ferr...
H Há males que vem para o bem. Hoje por mim, amanhã por ti.   Autor Marcos Antonio da Silva Soares 4º ano C   ÍNDICE
H Há males que vem para bem.  Há sempre um chinelo velho para um pé doente.  Homem sem dinheiro é um violão sem cordas.  H...
L Longe da vida, longe do coração.   Ladrão de tostão, ladrão de milhão.  Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão. ...
M Madruga e verás, trabalha e terás  Mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo.  Mais fácil acender uma vela que...
N Nem sempre galinha, nem sempre sardinha.  Nem sempre o diabo é tão feio quanto o pintam.  Nem tanto ao mar, nem tanto à ...
P Paga o justo pelo pecador. Palavras  loucas / ouvidos moucos. Autor Emerson Souza dos Santos 4º ano C   ÍNDICE
Q Quando se fecha uma porta abre-se outra. Quem com ferro fere com ferro será ferido. .  Autores Gabriel da Silva e Biatri...
R Relógio de amor não dá hora. Rei morto rei posto. Autor Maria Alice de Freitas Silva 4º ano C   ÍNDICE
S Saco vazio, sozinho, não se põe em pé. Santo de casa não faz milagre. Só se dá o que tem a quem se quer bem. Autor Adria...
T Tanto  faz correr como saltar. Tarde vem o arrependimento. Todo mundo tem a sorte que merece. Todo preguiçoso, de noite,...
ÍNDICE Cantigas de roda
O Pião O Pião entrou na roda, ó pião!  Roda pião, bambeia pião!  Roda pião, bambeia pião! Sapateia no terreiro, ó pião!  R...
Carneirinho, carneirão Carneirinho, carneirão-neirão-neirão,  Olhai pro céu, olhai pro chão, pro chão:  Manda o Rei, Nosso...
CAPELINHA DE MELÃO João de Barros e Adalberto Ribeiro Capelinha de melão, é de São João. É de cravo, é de rosa, é de manje...
Carneirinho, carneirão Carneirinho, carneirão-neirão-neirão,  Olhai pro céu, olhai pro chão, pro chão:  Manda o Rei, Nosso...
Capelinha de Melão Capelinha de melão É de São João  É de cravo, é de rosa,  É de manjericão  São João está dormindo Não m...
Capelinha de Melão Capelinha de melão É de São João  É de cravo, é de rosa,  É de manjericão  São João está dormindo Não m...
CARANGUEJO   Caranguejo não é peixe, caranguejo peixe é, caranguejo só é peixe na vazante da maré. Autores Denise e Renê R...
Roda Pião O Pião entrou na roda, ó pião  Roda pião, bambeia pião Sapateia no terreiro, ó pião  Mostra a tua figura, ó pião...
A canoa virou. Pois deixaram ela virar Foi por causa de Maria. Que não soube remar Se eu fosse um peixinho. E soubesse nad...
Boi da cara preta Boi, boi, boi, Boi da cara preta Pega essa menina Que tem  medo de  careta Boi, boi, boi, Boi da cara pr...
Fui no tororó, beber água não achei  Achei bela morena, que no tororó deixei Aproveita minha gente  Que uma noite não é na...
FUI NO TORORÓ, BEBER ÁGUA NÃO ACHEI  ACHEI BELA MORENA, QUE NO TORORÓ DEIXEI APROVEITA MINHA GENTE  QUE UMA NOITE NÃO É NA...
Boi da cara preta Boi, boi, boi, Boi da cara preta. Pega essa menina Que tem  medo de  careta Boi, boi, boi, Boi da cara p...
Boi, boi, boi, Boi da cara preta pega essa menina que tem medo de careta. Boi, boi, boi Boi da cara preta pega essa menina...
Como pode o peixe vivo  Viver fora da água fria  Como pode o peixe vivo  Viver fora da água fria Como poderei viver Como p...
Eu sou leiteira. Eu sou leiteira, eu vendo leite na cidade, na cidade de Lisboa todos gostam, todos gostam da leiteira A l...
A canoa virou  Por deixá-la virar  Foi por causa da &quot;Fulana&quot; Que não soube remar  Se eu fosse um peixinho E soub...
ESCRAVOS DE  JÓ, JOGAVAM O CAXANGÁ  TIRA, BOTA DEIXA O ZÉ PEREIRA FICAR GUERREIROS COM  GUERREIROS FAZEM  ZIGUE-ZIGUE-ZÁ  ...
Escravos de Jó, jogavam caxangá  Tira, bota deixa o Zé Pereira ficar   Guerreiros com guerreiros fazem zigue-zigue-zá Guer...
Boi, boi, boi  Boi da cara preta,  pega essa menina  Que tem medo de careta. Boi, boi, boi Boi da cara preta, pega essa me...
Boi, boi, boi  Boi da cara preta,  pega essa menina  Que tem medo de careta. Boi, boi, boi Boi da cara preta, pega essa me...
Fui à Espanha buscar o meu chapéu,  Azul e branco da cor daquele céu.  Ora, palma, palma, palma ! Ora, pé, pé, pé !  Ora, ...
DOMINGO PEDE CACHIMBO Hoje é domingo  Pede cachimbo  Cachimbo é de ouro  Dá um estouro Touro é valente  Bateu no tenente  ...
ÍNDICE Quadrinhas
Pus-me a escrever na areia, Com peninhas de pavão, Pra dar saber ao mundo  que por ti tenho paixão! Aproveita minha gente,...
“ Passo pelo rio   Passo pelo riacho   Quanto mas te vejo  Mas lindo te acho.”  Lá em cima daquela serra  tem um pote de b...
Uma nação não se constitui apenas  de progresso econômico, indispensável  naturalmente para  o conforto e felicidade de se...
ÍNDICE Luiz Gonzaga
Luiz Gonzaga Luiz Gonzaga nasceu em Exu, Pernambuco, em 13 de dezembro de 1912. Foi um compositor popular. Aprendeu a ter ...
Luiz Gonzaga Luiz Gonzaga foi o primeiro artista popular a cantar em nome do Nordeste, e assumir-se  como representante de...
ABC do Sertão Lá no meu sertão pros caboclo lê Têm que aprender um outro ABC O jota é ji, o éle é lê O ésse é si, mas o ér...
  <ul><li>Vida de Viajante </li></ul><ul><li>Minha vida é andar por esse País Pra ver se um dia descanso feliz Guardando a...
  <ul><li>ASA BRANCA </li></ul><ul><li>Quando olhei a terra ardendo Qual fogueira de São João Eu perguntei a Deus do céu, ...
ÍNDICE Brincadeiras
Brincadeiras Folclóricas Além dos contos, danças, festas e lendas, o folclore brasileiro é marcado pelas tradicionais brin...
  Cama  de Gato É um brincadeira  que se realiza  em duplas, com um barbante amarrado nas duas pontas, a criança forma uma...
  Amarelinha Joga-se a pedra na primeira quadra de um desenho com várias quadras no chão, não podendo pular nela. Vai com ...
Pular Corda Com pequena variações de região para região, pular corda é uma brincadeira praticada pelas crianças de todo mu...
Pular Pau  Para esta brincadeira são necessário dois pedaços de pau de aproximadamente 70 cm. Os participantes deverão faz...
Estilingue Também conhecido como bodoque é feita de galhos de árvores e borracha os meninos usam pedra pra acertar algumas...
Boneca de pano Bonecas de pano feitas pelas mães e avós são usadas em brincadeiras pelas meninas para  simular crianças in...
Bola de Gude Além de coloridas são feitas de vidro, são jogadas no chão cada jogador joga a sua  bola de gude, o objetivo ...
ÍNDICE Desenhos
FRANCISCO ANDERSON  1º ANO B ÍNDICE
MARIA VITÓRIA  1º ANO B ÍNDICE
MONIQUE OHANA  1º ANO B ÍNDICE
VICTOR IGOR  1º ANO B ÍNDICE
HELLEN FERREIRA 1º ANO B ÍNDICE
ÉRIKA DE ARAÚJO  1º ANO B ÍNDICE
ANA KAROLINE  1º ANO B ÍNDICE
DANIEL DOS SANTOS  1º ANO B ÍNDICE
CARLOS JANUEL  1º ANO B ÍNDICE
LIVIELEN DE SOUSA  1º ANO B ÍNDICE
ANTONIA LUCIELE  1º ANO B ÍNDICE
DAIANE DE FREITAS  1º ANO B ÍNDICE
MARIA LAENY QUARESMA  1º ANO B ÍNDICE
JOSÉ GABRIEL  1º ANO B ÍNDICE
BRENA CAROLINE  1º ANO B ÍNDICE
JOSIEL DE SOUSA  1º ANO B ÍNDICE
MARIA JÚLIA  1º ANO B ÍNDICE
ANTONIO ADAMILTON  1º ANO B ÍNDICE
MATHEUS BERNARDO  1º ANO B ÍNDICE
THAYNARA DO MONTE  1º ANO B ÍNDICE
ANTONIO FABRÍCIO  1º ANO B ÍNDICE
JOÃO PEDRO  1º ANO B ÍNDICE
FRANCISCO WESLEY  1º ANO B ÍNDICE
FRANCISCO ISAC  1º ANO B ÍNDICE
Mensagens dos Professores   ÍNDICE
Fotografias ÍNDICE
ÍNDICE
ÍNDICE
ÍNDICE
ÍNDICE
ÍNDICE
ÍNDICE
ÍNDICE
Créditos Idealização José Veríssimo de Oliveira Filho Coordenação Pedagógica Victor de Oliveira Ramos Apoio Institucional ...
Edição e Formatação Janne Karla Oliveira Costa Freire Lindomar Azevedo Pinto Arte da Capa  Andréa Alvino Soares Fotos Mari...
Links http://flaviomarcilio.blogspot.com http://issuu.com/flaviomarcilio.blogspot.com/docs/livro_digital www.atividadesedu...
Bibliografia AZEVEDO, Gustavo. Meu livro de folclore. 7ª edição. Ed. Ática. 2005. AZEVEDO, Gustavo. Armazém do Folclore. 1...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Livro Digital - Escola Flávio Portela Marcílio - Caucaia

7.459 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.459
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
64
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro Digital - Escola Flávio Portela Marcílio - Caucaia

  1. 1. Ler Uma produção dos alunos do Ensino Fundamental 1 da Escola Flávio Portela Marcílio Livro Digital
  2. 2. Dedicatória Aos nossos pais, cujo amor e compreensão não são apenas Lendas. ÍNDICE
  3. 3. Índice Dedicatória Brincadeiras Apresentação Desenhos Plantas Medicinais Mensagens dos Professores Lendas Fotografias Provérbios Créditos Cantigas de Roda Links Quadrinhas Bibliografia Luiz Gonzaga
  4. 4. APRESENTAÇÃO Não é raro encontrarmos em alguns discursos sobre a família ou educação, pais e até mesmo professores que apontem o computador e suas formas de entretenimento (jogos, sites de relacionamento...) como um dos principais inimigos do convívio familiar. E, na realidade, há motivos para isso se considerarmos o tempo que nossas crianças e jovens passam em frente ao monitor. Contudo, nos parece inútil adotarmos qualquer postura radical para enfrentarmos a questão, já que a informática é um avanço tecnológico irreversível e o microcomputador uma ferramenta cada vez mais indispensável em nosso cotidiano. Nesse pensamento, é mais sensato intensificar o diálogo a respeito do tema com nossos filhos e/ou alunos estabelecendo limites construídos consensualmente. E, mais que isso, aproveitarmos o melhor que as maravilhas do mundo digital podem nos oferecer. Não é a aplicação do ditado “ Se não pode vencer o inimigo junte-se a ele”. Não, absolutamente. A idéia aqui é conquistar o “inimigo” e suas armas e vencer com elas, como amigos. ÍNDICE
  5. 5. Entendemos que nunca os saberes historicamente acumulados pela humanidade estiveram tão acessíveis a juventude como em nosso tempo, a era da informação; que nunca as crianças tiveram tantas oportunidades de ler como têm hoje quando estão em frente a tela de um computador; que nunca os jovens produziram tantos textos como os fazem atualmente nas salas de bate-papo virtuais nas “ lan-houses da vida”. Sendo assim, nós enquanto educadores, não podemos prescindir dessa ferramenta pedagógica de múltiplos recursos que ora se nos apresenta, que á a informática. Utilizando-a, claro, a nosso favor na formação de uma humanidade mais bondosa e consciente de seu papel transformador. O Projeto Livro Digital nasceu no coração da equipe pedagógica desta escola (professores e núcleo gestor) a partir de uma reunião com o Prof° Veríssimo, coordenador dos LIEs (Laboratórios de Informática Educativa) de Caucaia quando, na ocasião, nos falava de uma experiência profissional semelhante e que também culminou com a feitura de um livro digital. Não houve muito tempo para entrarmos em detalhes, mas o grupo de nossa escola acolheu e adaptou a idéia. Aproveitamos o tema trabalhado em cada série do Ensino Fundamental l (1° ao 5° ano) no mês de agosto, a saber, o folclore brasileiro, e agendamos a ida das turmas ao LIE para armazenar em linguagem digital suas produções e vivências em sala de aula. Desta forma, a leitura foi incentivada através das pesquisas em livros impressos e na internet; e a escrita estimulada por meio dos registros escritos em classe e digitados no LIE. ÍNDICE
  6. 6. Os capítulos tratam de subtemas folclóricos variados que vão desde o interesse infantil (brincadeiras e cantigas de roda), passando pela sabedoria dos antigos (lendas e provérbios populares) e pela musicalidade do maior compositor nordestino (Luiz Gonzaga) até assuntos de utilidade pública como o uso de plantas medicinais, as ervas que curam. De bônus, um vídeo das apresentações das turmas na “festinha” de culminância do Projeto Folclore. Enfim, aqui está o livro OS LENDÁRIOS, de autoria dos alunos do 1° ao 5° ano da EEIEF Flávio Portela Marcílio. E como estamos felizes com o resultado que agora se apresenta diante de nós e de vocês leitores! Não sabemos se no futuro alguns desses pequenos autores serão membros da Academia Brasileira de Letras sendo chamados consequentemente de imortais. Pois bem, imortais, talvez... mas, certamente todos eles já se tornaram lendários nos corações dos pais e professores que os acompanharam nesta jornada literária. Boa leitura! Prof°. Victor Ramos Coordenador Pedagógico da EEIEF Flávio Portela Marcílio Novembro/2009 ÍNDICE
  7. 7. ÍNDICE Plantas Medicinais
  8. 8. Capim Santo É um calmante natural e analgésico que previne problemas estomacais e renais. Modo de preparar Coloca as folhas numa vasilha com a água quente e abafa por 10 minutos. Autores Álvaro Paz de Oliveira e Maria Célia de Araújo 3º ano A ÍNDICE
  9. 9. HORTELÃ PARA QUE SERVE : DOR DE BARRIGA COMO SE PREPARA: COLOCA A ÁGUA PARA FERVER DEPOIS COLOCA A HORTELÃ DENTRO. ABAFA E DEPOIS E SÓ TOMAR Autor Francisco Gabriel 3º ano A ÍNDICE
  10. 10. BOLDO Boldo - É um arbusto de folhagem verde e coberto de pêlos macios e curtos, muito usado como remédio. Chá de Boldo: Com a água fervendo coloque as folhas de boldo deixe ferver até ficar amarelado, apague o fogo e abafe. É só esperar esfriar e beber. Autores Germana de Freitas, Ivan e Emanuela Dias 3º ano A ÍNDICE
  11. 11. Erva-Cidreira Erva Cidreira ( melissa oficinaliss) é uma planta medicinal que serve para fazer chás e serve também como calmante. Prepara-se assim : Coloca-se água no fogo, coloca as folhas da cidreira e deixa ferver durante alguns minutos apaga o fogo e abafa, depois é só saborear. É muito gostoso. Autores Juan Carlos Araújo e Milena Almeida Lima 3º ano A ÍNDICE
  12. 12. Alfavaca A alfavaca ( Ocimum basilicum ), também chamada de manjericão ou manjericão de folha-larga é uma planta cujas folhas são muito utilizadas como temperos. Na culinária, as suas folhas são utilizadas como um aromático tempero, em alimentos como a tradicional pizza Margherita. Na medicina popular, as suas folhas e flores são utilizadas no preparo de chás por suas propriedades tônicas e digestivas. São indicados ainda para problemas respiratórios e reumáticos. Autor Ruth Mara da Silva 3º ano A ÍNDICE
  13. 13. BOLDO Boldo - É um arbusto de folhagem verde e coberto de pêlos macios e curtos, muito usado como remédio. Modo de Fazer: Com a água fervendo coloque as folhas de boldo deixe ferver até ficar amarelado, apague o fogo e abafe. É só esperar esfriar e beber. Autores Maria Adriele dos Santos, Emanuela Dias da Silva e Marcelo de Sousa 3º ano A ÍNDICE
  14. 14. Hortelã Na hortelã estão reunidas as propriedades antiespasmódicas, carminativas, estomáquicas, estimulantes, tônicas, etc. Prescreve-se a hortelã como remédio na atonia das vias digestivas, flatulências, cálculos biliares, icterícia, palpitações, tremedeiras, , cólicas uterinas, dismenorréia. É um medicamento eficaz contra os catarros das mucosas, já porque favorece a expectoração. Aplica-se o sumo embebido em algodão para acalmar dores. Autores Maria Rosiane da Silva e Thiago 3º ano A ÍNDICE
  15. 15. EUCALIPTO EUCALIPTO AROMÁTICO &quot;Eucaliptus globulos&quot; Poderoso antiséptico, é indicado para uso em inalações, para problemas pulmonares, bronquite, asma, inflamações da garganta. Autores Gabriel Guimarães, Ismael Almeida e Ivan Silva Batista 3º ano A ÍNDICE
  16. 16. BARBATIMÃO BARBATIMÃO &quot;Stryphnodendron barbatiman“ Rica em tanino. Usa-se externamente reduzindo a pó e aplicado sobre úlceras, impinges e hernias (20 gramas cozidas em meio litro da água, em banhos e lavagens). Internamente como tônico, cozinhando a casca para combater hemorragias uterinas, catarro vaginal e diarréias. Autores Francisco Davi Alves Feitosa e Evilasiano Rocha Barros 3º ano B ÍNDICE
  17. 17. CATUABA CATUABA: &quot;Erytroxylon catuaba&quot; Afrodisíaco e tonificante, contém um alcalóide semelhante a atropina, que opera lentamente dando energia ao organismo. Indicado em casos de fadiga ou impotência sexual. Autor Emerson de Souza Lima 3º ano B ÍNDICE
  18. 18. CALÊNDULA CALÊNDULA &quot;Calendula officinalis&quot; Famoso por ser antialérgica e cicatrizante, ainda cura e diminui a gastrite e a úlcera duodenal, pois tem ação antitumoral. O ácido oleanóico suaviza e refresca peles sensíveis e queimadas pelo sol. Favorece a regeneração de tecidos danificados e é antisséptico. Autores Jessica e Karilene 3º ano B ÍNDICE
  19. 19. BOLDO BOLDO CHILENO &quot;Peomus boldus&quot; Poderoso digestivo e hepático, com propriedades tônicas e estimulantes, ativa a secreção salivar, biliar e gástrica em casos de hipoacidez e dispepsias. Muito utilizado em hepatite crônica e aguda. Autor Letícia Vieira Torres 3º ano B ÍNDICE
  20. 20. CANELA CANELA &quot; Cinnamomum zeylanicum&quot; Originária do Sri Lanka, sudeste da Índia, é aromático, estimulante da circulação, do coração e aumenta a pressão. Provoca a contração de músculos e do útero, por isso é hemenagoga. Autores Rebeca e Juliana 3º ano B ÍNDICE
  21. 21. ALFAVACA ALFAVACA &quot; Occimum basilicum &quot; Tem poder antisséptico, cura feridas e hematomas. A INFUSÃO forte pode ser usada em gargarejos e bochechos contra dor de garganta, mau hálito e aftas. Serve ainda contra queda de cabelos (deixe agir por cinco minutos e enxágue). Autores Diogo Pereira Rocha e Mateus de Sousa Sampaio 3º ano B ÍNDICE
  22. 22. ASSA PEIXE ASSA PEIXE &quot; Bohemeria caudata &quot; Muito eficaz contra a gripe, tosse forte e bronquite, aliviando dores no peito e nas costas. Estanca o sangramento. Autor Erik 3º ano B ÍNDICE
  23. 23. ALECRIM ALECRIM &quot; Rosmarinus officinalis &quot; Muito útil da debilidade cardíaca, é excitante do coração e do estômago. Combate a flatulência, males do fígado, rins e intestinos. O chá é bom para combater a tosse, asma, gripe. Em banhos alivia o reumatismo e cura feridas. Autor Juan 3º ano B ÍNDICE
  24. 24. CAPIM CIDRÃO CAPIM CIDRÃO &quot;Cymbopogon citratus&quot; Originária da Índia, é sedativa, analgésica e anti-térmica, promove uma diminuição da atividade motora e aumenta o tempo de sono. Combate o histerismo e outras doenças nervosa. Autores Natália e Brena 3º ano B ÍNDICE
  25. 25. CAMOMILA CAMOMILA &quot;Matricaria chamomilla&quot; De origem egípcia, tem propriedades calmantes, digestivas em casos de inflamações agudas e crônicas da mucosa gastrointestinal, colites, cólicas, é também antialérgico e anti inflamatório, podendo reconstituir a flora intestinal. Autores Roberto e Isabel 3º ano B ÍNDICE
  26. 26. Erva Cidreira Erva Cidreira - É uma planta medicinal que serve para fazer chás e serve também como calmante. Prepara-se assim: Coloca-se água no fogo coloca as folhas da cidreira e deixa ferver durante alguns minutos apaga o fogo e abafa, depois é só saborear. É muito gostoso. Autor Adrieli Severina de Sousa 3º ano C ÍNDICE
  27. 27. BOLDO Boldo - É um arbusto de folhagem verde e coberto de pêlos macios e curtos, muito usado como remédio. Chá de Boldo : Com a água fervendo coloque as folhas de boldo e apague o fogo e espere esfriar Quando estiver bem frio você pode beber. Autor Clarice Nobre Brito de Oliveira 3º ano C
  28. 28. BOLDO Boldo - É um arbusto de folhagem verde e coberto de pêlos macios e curtos, muito usado como remédio. Chá de Boldo: Com a água fervendo coloque as folhas de boldo deixe ferver até ficar amarelado, apague o fogo e abafe. É só esperar esfriar e beber. Autor Daniel Santos 3º ano C ÍNDICE
  29. 29. Boldo Boldo - É uma planta medicinal que pode ser usada para má digestão e gases. Modo de fazer: Coloca água e algumas folhas de boldo para ferver até a água ficar amarelada, está pronto para beber. Autor Francisco Anderson Silva Mendes 3º ano C ÍNDICE
  30. 30. Boldo Boldo -É uma planta medicinal originária do Chile e é muito usada após os famosos exageros alimentares, possui um aroma forte semelhante ao hortelã. Essa planta apresenta características importantes na melhora de problemas digestivos, pois ele age de forma direta e rápida. É só ferver água e depois botar a folha em infusão, pronto. É só beber. Autor Kennedy Almeida de Sousa 3º ano C ÍNDICE
  31. 31. Alfavaca Alfavaca - occimnm basiiicnm - Tem poder antisséptico, cura feridas e hematomas. A infusão forte pode ser usada em gargarejos e bochechos contra dor de garganta, mau hálito e aftas. Serve ainda contra queda de cabelos. Autor Michael da Silva Segundo 3º ano C ÍNDICE
  32. 32. Erva Cidreira Erva Cidreira - É uma planta medicinal que serve para fazer chás calmantes. Modo de preparar: Coloca-se água no fogo coloca as folhas da cidreira e deixa ferver durante alguns minutos apaga o fogo e abafa, depois é só saborear. É muito gostoso. Autor Darlan de Oliveira Dias 3º ano C ÍNDICE
  33. 33. <ul><li>Chá de boldo : </li></ul><ul><li>Duas folhas de boldo Um copo de água. </li></ul><ul><li>Coloca a água para ferver, quando estiver </li></ul><ul><li>fervendo coloca as folhas de boldo e apaga </li></ul><ul><ul><li>o fogo e abafa. Deixa esfriar e pode beber. Serve para males do estômago. </li></ul></ul><ul><ul><li>Autor </li></ul></ul><ul><ul><li>Francisco Denilson de Sousa 3º ano C </li></ul></ul>ÍNDICE
  34. 34. Malva arisco Malva arisco – É uma planta que serve para fazer lambedor para tosse e para a garganta. Modo de preparar: Você pega a malva, lava e coloca em uma panela com um copo e meio de água com cinco colheres de açúcar, deixa ferver até ficar um mel bem grosso. Serve para tosse e inflamação na garganta etc... Autor Kayo Robson dos Santos da Silva 3º ano C ÍNDICE
  35. 35. Alfavaca Alfavaca serve para lavar a cabeça e assim aliviar a dor de cabeça e como chá serve para aliviar a febre. Também serve para o diabetes. Modo de preparo: Lavar as folhas de alfavaca e colocar para ferver em dois litros de água até a água ficar amarelada, deixa esfriar e usa para lavar a cabeça ou usar como chá. Autor Paulo de Oliveira Lima 3º ano C ÍNDICE
  36. 36. Capim santo O capim santo serve pra fazer chá e banhos. O banho serve para banhar as crianças doentes e o chá do Capim Santo serve como calmante. Autor Eduardo Vinícios Silva 3º ano C ÍNDICE
  37. 37. Erva Cidreira Erva Cidreira – É uma planta indicada para fazer chás calmantes. Modo de fazer: Pega algumas folhas e coloca na água e leva ao fogo para ferver, quando estiver fervendo apaga o fogo espera esfriar e pode beber. Autor Maria Micaele da Silva Soares 3º ano C ÍNDICE
  38. 38. Laranjeira Nome científico : citrus aurantiu. A flor da laranjeira em maceração tem função contra espasmos, nervosismo e insônia e com mel aplicado no rosto, funciona como anti inflamatório e bactericida livrando a pele de impurezas. As folhas também são calmantes e combatem a insônia, febres, gripe e resfriados. Autores Adriano e Raimundo 3º ano D ÍNDICE
  39. 39. Hortelã Nome científico - mentha spp Usado para: Digestão, gases, cólicas e náuseas, serve como calmante dos nervos e para tratar insônias. Também serve para a bílis, amarelão e como expectorante. O sumo das folhas pode ser aplicado com algodão em neuvralgias, dores de dentes e de cabeça e picadas de insetos. Se tomado durante vários dias com mel funciona como vermífugo. Autores DANYELLEN MARTINS FERREIRA E ANA LARISSE MOURA DA SILVA 3º ano D ÍNDICE
  40. 40. Capim-limão Nome Científico : cymbopogon citratus O chá é usado como digestivo, para gases, reumatismo e dores nos músculos. Serve como calmante, trata as ansiedades e baixa a febre pois provoca calor. Também é usado para baixar a pressão! Autores Josiane Pereira e Paulina Sousa 3º ano D ÍNDICE
  41. 41. Boldo (boldo graúdo) Nome científico: vernonia condensata. O chá de uma ou duas folhas por xícara em decocção ou infusão se usa para distúrbios do fígado, para bílis, para vesícula, contra dores de cabeça e ressacas alcoólicas. Autores NAILSON TAVARES E MARIA JOSÉ 3º ano D ÍNDICE
  42. 42. Alcachofra Nome científico - artemisia alba. Contém muito ferro e cálcio, repõe os sais minerais do organismo. usam-se as folhas da base da planta. O chá é tônico, diurético preventivo e curativo das afecções do fígado, da bílis, estômago, rins e bexiga. Útil nos casos de diabetes e colesterol elevado. Trata arteriosclerose, tiróide, hipertensão asma, afecções dos pulmões e doenças de pele. Autores THAÍS E ANA CÉLIA. 3º ano D ÍNDICE
  43. 43. Alecrim Nome científico : rosmarinusofficinalis Toma-se o chá das folhas para arterioclerose, inapetência, histeria, nervosismo, indigestão, tosses, bronquites e asma. Provoca suor, é depurativo do sangue, tônico para o coração e anti- reumático. É usado também para banhos de pele e do cabelo e para caspa. Autores Daiana Tyfane e Cláuzio Ohano 3º ano D ÍNDICE
  44. 44. Toma-se em jejum durante uma semana para males do fígado, icterícia, prisão de ventre, bílis e estômago. O sumo triturado com mel é usado para bronquites e certos tipos de câncer. O uso interno deve ser evitado para gestantes, por quem sofre dos ovários, bexiga e hemorróida. Usa-se o líquido externamente para reumatismo, varizes, doenças da pele, tumores, queimaduras e para prevenir rugas e flacidez. Embeleza e fortalece o cabelo evitando a queda e a caspa. Autor FLAVINILTON E VICTOR BARBOSA 3º ano D ÍNDICE
  45. 45. BOLDO – FALSO-BOLDO Nome científico : coleeus barbatus. O chá das folhas e usado para problemas digestivos, do fígado, estômago, intestino e azia. Serve para curar a ressaca por excesso de bebida alcoólica. Aplicado externamente também combate o reumatismo a hidropsia e problemas de pele. Autores MÁRIO E RENAN 3º ano D ÍNDICE
  46. 46. Malva Nome científico : malva parviflora Os vários tipos de malva raiz e folhas servem para qualquer tipo de infecção ou inflamação da boca, garganta, laringe, faringe, olhos, ouvidos, estômago, úlceras, rins, bexiga, ovário e nervos. Para mal hálito, em picadas de insetos e como cicatrizante. Autores SAMARA PAIVA E MARIA FERNANDA 3º ano D ÍNDICE
  47. 47. ÍNDICE Lendas
  48. 48. O Lobisomem O Lobisomem era uma pessoa humana normal, que tinha 7 irmãs e virou um lobisomem. Nas noites de sexta-feira e lua cheia, ele se transforma e ataca as pessoas que vê pela frente. para se livrar da maldição ele tinha que passar por 7 cemitérios antes de amanhecer. Quem tiver contato com o seu sangue vai virar um lobisomem igual a ele. Autor Cláudio Moreira de Sousa 4 º ano B ÍNDICE
  49. 49. A Cuca A Cuca é uma figura bem conhecida do folclore brasileiro. Diz a lenda que ela é uma velha bruxa em forma de jacaré, que rouba as crianças e vive fazendo mal com suas feitiçarias. A Cuca é uma personagem que se tornou mais conhecida nos livros infantis de Monteiro Lobato e no sítio do pica-pau amarelo apresentado na televisão. Autores Alessandra Teixeira e Luan Francisco 4 º ano B ÍNDICE
  50. 50. LENDA DO MILHO Tabajara era um velho índio querido pelo seu povo a tribo estava passando por sérias dificuldades não havia caça e a pesca era rara. O velho índio sentindo que ia morrer reuniu os homens de sua tribo e disse. - Quando eu morrer enterrem meu corpo numa cova bem rasa cubra-me com palhas seca pouca terra esperem vir o sol e a chuva Após a morte de tabajara seu povo fez o que ele havia mandado. E sobre a cova do velho guerreiro apareceu uma planta, suas folhas compridas lembravam a lança de tabajara sua flor parecia o cocar do chefe índio e a tribo descobriu que sua espiga era um delicioso alimento, e foi assim que surgiu o milho . Autor Nayara 4 º ano B ÍNDICE
  51. 51. A lenda do lobisomem Era uma vez um homem que tinha 7 irmãs, quando ele nasceu um homem disse que quando ele completasse 13 anos ele ia virar lobisomem. As irmãs sabendo ficaram com medo todas elas. Ele completou 13 anos e nas noites de sexta-feira e lua cheia ele se transformava na maldição do lobisomem. Ele tinha que se livrar e para se livrar ele tinha que passar por 7 cemitérios e ele passava por casas e vilas e ele corria por montanhas, e depois disso tudo ele se transformava em normal, a pessoa real. Autor Crislane Rodrigues de Ávila 4 º ano B ÍNDICE
  52. 52. A LENDA DO LOBISOMEM O lobisomem é uma pessoa humana, normal. E ele tinha sete irmãs ele se transforma em lobisomem nas noites de sexta-feira e ele ataca as pessoas que vê pela frente e para se livrar da maldição ele tem que passar por sete cemitérios antes de amanhecer. E se tiver com o meu sangue vai virar um lobisomem igual a mim. Autor ÉRIKA VITÓRIA VICENTE DE SOUSA 4 º ano B ÍNDICE
  53. 53. Negrinho do Pastoreiro Um anjo bom sem pecados diz a lenda que ele nos ajuda a localizar objetos perdidos é só acender uma vela em sua intenção e dizer foi por aí, foi por aí que eu perdi... Curupira é amigo de cães e porcos é protetor das árvores. Anão de pés virados para trás, cabelos vermelhos e de origem indígena. Autor Erika Ferreira de Freitas 4 º ano B ÍNDICE
  54. 54. Vitória Régia Nas misteriosas águas dos rios e dos lagos amazônicos há a Vitória Régia que, com toda sua plenitude, adorna os lagos e enfeita os rios. Os índios do amazonas contam a maravilhosa lenda da estranha flor aquática, que é a Vitória Régia. Existia uma indiazinha, que era muito bonita, e se chamava Naiá. Naiá adorava a lua Jaci inspiradora do amor, um dia Naiá viu a lua, refletida no fundo do lago atirou-se para abraçá-la assim morreu afogada. A lua entristecida com a morte de Naiá transformou ela em flor que nasce por sobre as águas nas águas do Amazonas. Autor JOSE FERNANDO DOS SANTOS FARIAS 4 º ano B ÍNDICE
  55. 55. A VITÓRIA-RÉGIA Uma indiazinha que gostava de correr atrás da lua pensando que podia pegar na lua. Se pegasse na lua ia virar uma estrela, ela corria atrás da Lua de mãos erguidas. Um dia ela parou perto de um lago e sorriu lá no fundo do lago ela viu o reflexo da lua e se atirou lá dentro do lago e morreu afogada e a lua se sentiu culpada e transformou ela numa flor chamada de vitória-régia. Autor LUCAS DA SILVA DOS SANTOS 4 º ano B ÍNDICE
  56. 56. Bicho Papão Eu sou bicho papão, eu vim lá do telhado para me apresentar. Eu pego as crianças que na hora de dormir querem brincar. Então eu fico detrás da porta até o danado dormir. Se ele não dormir eu posso me transformar na coisa que ele tem mais medo, aí eu já me apresentei. Autor Maria Bruna dos Santos Camelo 4 º ano B ÍNDICE
  57. 57. Lenda do Lobisomem Era uma vez um homem que tinha 7 irmãs, somente ele nasceu homem na família. Diz a lenda, que nesses casos, aos treze anos ele iria virar um lobisomem, quando ele completou 13 anos a maldição aconteceu. Nas noites de sexta-feira e lua cheia ele se transformava em lobisomem. Mas ele tinha que se livrar daquela maldição e para isso ele tinha que passar por 7 cemitérios. O caso é que, para ele passar por sete cemitérios ele tinha que passar por casas, vilas e etc... Então ele correu por vilas, campos e montanhas atravessando os cemitérios e só depois disso tudo. ele se transformou em um homem normal. Autor REBECHA SOARES GUERRA 4 º ano B ÍNDICE
  58. 58. Vitória-Régia Era uma vez uma indiazinha que se chamava Naiá e a lua que era tão bonita e que brilhava lá no céu e a indiazinha via a lua no fundo do rio, até que um dia ela se afogou no rio e morreu. A lua pensou que a moça era dela e a transformou ela em uma flor que vive nas águas do rio. Autor Jossiana Farias Galdino 4 º ano B ÍNDICE
  59. 59. A Lenda do Lobisomem O lobisomem é uma pessoa humana, ele tinha 7 irmãs e sexta-feira ele atacava as pessoas que via pela frente. E para se livrar da maldição, ele tinha que passar por 7 cemitérios antes do amanhecer e quem tiver contato com o sangue do lobisomem vai virar um lobisomem. Autor Samara Bastos Silva 4 º ano B ÍNDICE
  60. 60. Iara A Iara é metade mulher e metade peixe, ela surge do fundo das águas ao fim da tarde e quando ela canta hipnotiza os homens. Certa vez um índio tapuia estava pescando e viu a Iara surgir do fundo das águas, ele remou rápido até a margem e escondeu-se em sua aldeia mas não conseguiu esquecer a voz da Iara. Numa tarde o índio fugiu da aldeia pegou sua canoa e remou rio abaixo. A Iara já o esperava, o índio se jogou no rio e sumiu. Dizem que naquela noite houve uma grande festa e eles viveram felizes para sempre. Autores Danúzio e Sarah Yonara 4 º ano B ÍNDICE
  61. 61. O Curupira Era uma vez um Curupira. Tinha o cabelo bem vermelho, cor de fogo, tinha os pés para trás e os calcanhares igualzinho a todo Curupira. Ele vinha sempre no vento, montado num javali. O Curupira entrava pelo milharal a dentro, descia do javali e sentava para comer milho. Assim que o Curupira escutava um barulhinho se espantava, montava no javali e desaparecia. O dono da fazenda não aguentava mais: -Este curupira me acaba com o milharal! Então ele mandou os empregados esperarem o Curupira. Os empregados ficaram esperando. -Se o curupira aparecer nas árvores, vocês o prendem e trazem pra mim. Autor WILLAME ALVES DOS SANTOS 4 º ano B ÍNDICE
  62. 62. Iara A Iara é metade mulher e metade peixe, ela surge do fundo das águas ao fim da tarde e quando ela canta hipnotiza os homens. Certa vez um índio tapuia estava pescado e viu a Iara surgir do fundo das águas, ele remou rápido até a margem e escondeu-se em sua aldeia mas não conseguiu esquecer a voz da Iara. Numa tarde o índio fugiu da aldeia pegou sua canoa e remou rio abaixo. A Iara já o esperava o índio se jogou no rio e sumiu. Dizem que naquela noite houve uma grande festa e eles viveram felizes para sempre. Autores Gerson Breno Paulino de Oliveira e Letícia do Nascimento 4 º ano D ÍNDICE
  63. 63. Lobisomem O lobisomem é um homem que toda sexta-feira, à meia noite, se transforma. Ele é metade homem e metade lobo. Antes do amanhecer ele procura uma encruzilhada para voltar a ser homem, caso contrário ficará lobisomem para o resto da vida. Autores Vitória de Assis e Alan 4 º ano D ÍNDICE
  64. 64. O Lobisomem O lobisomem é um homem que toda sexta-feira a meia-noite se transforma em lobisomem. O lobisomem e metade lobo e metade homem antes do amanhecer o lobisomem Procura uma encruzilhada para voltar a ser homem caso contrário ficará lobisomem para o resto da vida . O lobisomem suga o sangue das pessoas e dos animais. Quem acredita em lobisomem, em dia de sexta-feira não saia de casa depois de meia-noite. Autores Márcio Victor e Adriana Borges 4 º ano D ÍNDICE
  65. 65. Saci Pererê É um negrinho de uma perna só. Ele fuma cachimbo, usa um capucho vermelho e faz confusão. Ele desaparece no corrupio do vento. Autor Ana Carolina de Sousa Soares 4 º ano A ÍNDICE
  66. 66. SACI PERERÊ O saci pererê é um negrinho que gosta de fazer muita brincadeira. O saci pererê some no meio de um corrupiu de vento. O saci pererê gosta de assustar as pessoas. Ele se anuncia por um assobio persistente e as pessoas ficam com medo dele. Ele faz coisas domésticas, como apagar o fogo e queimar os alimentos. Autores Maria Beatriz e Victória Dias 4º ano A ÍNDICE
  67. 67. SACI PERERÊ O saci pererê é um negrinho que gosta de fazer muitas brincadeiras. Ele some no meio de um redemoinho de vento para fugir dos caçadores. O saci pererê gosta de assustar as pessoas. O saci pererê se anuncia pelo um assobio persistente e as pessoas ficam com medo dele. O saci pererê faz coisas domésticas, como apagar o fogo queimar os alimentos. Autor Bruno Henrique Araújo 4 º ano A ÍNDICE
  68. 68. Saci-Pererê Um menino era um escravo da cor de carvão, sua mãe o vendeu para um casal de fazendeiros, o menino apanhava muito do seu dono até sangrar. Um dia ele conheceu um homem que ficou muito amigo dele. E lhe deu um gorro vermelho, o menino ficou pensando se aceitava ou não o gorro vermelho. No dia seguinte ele pensou bastante e aceitou o gorro vermelho, tava feliz da vida e começou a dormir, quando ele acordou assustado e gritou, ele viu suas pernas e viu que ele tava com uma perna só e com uma saia vermelha e começou a fazer um redemoinho entre as pernas, os seus olhos começaram a virar como um redemoinho e depois desse dia ele começou a fazer travessuras nas casas dos outros, os maridos das moças começaram a caçar o negrinho. Autor Clara Rayanne Garcia de Araújo 4 º ano A ÍNDICE
  69. 69. O Saci-Pererê O saci é um menino negrinho com uma perna só, ele tem um gorro vermelho na cabeça. Ele tem um segredo que não conta para ninguém, ele não deixa ninguém tirar o seu gorro pois ele tem poderes. Ele tem um corrupio no qual ele pode ir a onde quiser com esse corrupio. Autores Elisabeth e Sarah 4 º ano A ÍNDICE
  70. 70. SACI-PERERÊ O saci-pererê é um negrinho com uma perna só, gorro vermelho na cabeça, gosta de fumar cachimbo, gosta de fazer travessuras e assustar viajantes nos caminhos solitários. Ele aparece e desaparece num corrupio de vento. Para pegar basta um rosário, uma peneira ou dar três nós num pedaço de palha. Autores GUILHERME ARAÚJO DOS SANTOS E TATIANE 4 º ano A ÍNDICE
  71. 71. SACI-PERERÊ O saci-pererê é meu amiguinho do coração. Ele é amigo do Negrinho do Pastoreiro, do Curupira, da Mula-sem-cabeça, do Caipora. O Curupira tem os calcanhares virados para a frente e os pés para trás, o Saci-Pererê gosta de fumar cachimbo, ele é muito legal. Foi divertido, o saci-pererê é amigo da floresta, ele é amigo de alguns e inimigo dos outros. A utores F rancisca Inês Azevedo Lima e Virginha. 4 º ano A ÍNDICE
  72. 72. SACI-PERERÊ O SACI É UM MENINO SAPECA E BRINCALHÃO ELE ANDA NO REDEMOINHO QUE VAI PELA MATA GIRANDO. ELE É NEGRINHO E USA GORRO VERMELHO, TEM UMA PERNA E FUMA CACHIMBO. ÀS VEZES ELE É BONZINHO, MAS ÀS VEZES PASSA DOS LIMITES, FAZ TRANÇAS NOS CABELOS DOS CAVALOS E QUEIMA COMIDAS. Autor JOSIVANIA MARIA RODRIGUES FARIAS. 4 º ano A ÍNDICE
  73. 73. Lenda Do Saci-Pererê Saci-Pererê é um negrinho de uma perna só, gorro vermelho na cabeça. Gosta de fumar cachimbo, anuncia-se pelo assobio persistente e misterioso. Para apanhá-lo basta usar uma peneira ou um rosário, gosta de criar dificuldades domésticas, apagando o fogo, queimando os alimentos. Aparece e desaparece no meio de um corrupio de vento . Autores José Matheus e Mikael 4 º ano A ÍNDICE
  74. 74. Saci- Pererê O Saci- Pererê é um negrinho com uma perna só, com gorro vermelho na cabeça, gosta de fumar, anuncia-se pelo assobio persistente e misterioso. O Saci-Pererê aparece e desaparece no meio de o corrupio de vento e para apanhá-lo precisa de uma rosário ou uma peneira ou três nós num pedaço de palha ele se divertir. Cria dificuldades domésticos apagando fogos e queimando os alimentos. Autores Ariane, Victória Achette e Vitória dos Prazeres 4 º ano A ÍNDICE
  75. 75. Saci- Pererê O Saci- Pererê é um negrinho com uma perna só, tem gorro vermelho na cabeça, gosta de fumar anuncia-se pelo assobio persistente e misterioso. O Saci-Pererê aparece e desaparece no meio de um corrupio de vento e para apanhá-lo precisa de uma rosário ou peneira uma ou três nós num pedaço de palha ele se diverti criando dificuldades domésticas, apagando fogos e queimando os alimentos. Autores Bruno Marinho e Carlos Henrique Sousa Mateus 4 º ano A ÍNDICE
  76. 76. Saci- Pererê O Saci- Pererê é um negrinho com uma perna só, gorro vermelho na cabeça e gosta de fumar cachimbo. Ele aparece e desaparece no meio de um corrupio de vento e para apanhá-lo precisa de uma rosário ou peneira ou três nós num pedaço de palha. Ele se diverti criando dificuldades domésticas, apagando fogos e queimando os alimentos. Autores Eduardo da Silva Oliveira, Michele e Suellen 4 º ano A ÍNDICE
  77. 77. SACI-PERERÊ Saci-Pererê é um negrinho com uma perna só, gorro vermelho na cabeça, gosta de fumar cachimbo, gosta de fazer travessuras, assustar viajantes nos caminhos solitários. Ele aparece e desaparece num corrupio de vento para pegá-lo basta um rosário uma peneira ou dar três nós num pedaço de palha. Autores Germana Gabrielle dos Santos Rodrigues, Lídia, Jonas e Gleilson 4 º ano A ÍNDICE
  78. 78. Lenda da Mandioca A tribo inteira ficara surpresa quando nasceu Mani. Era muito branquinha e de beleza incomparável, embora não tivesse a pele bronzeada como as demais índias , todos gostavam de Mani. Os dias corriam calmos na tribo, sem guerras ou outras pertubações qualquer. Mas foi num desses dias que Mani adoeceu, morreu e poucos dias depois toda a tribo chorou a morte da protegida de Tupã, que foi sepultada num jardim. Tempos depois, durante a primavera, nasceu uma planta desconhecida sobre a sepultura de Mani. Certos de que se tratava de milagre de Tupã, os índios cavaram a terra e encontraram várias raízes que descascadas eram brancas como o corpo de Mani. Comeram-nas, crentes de que dessa maneira adquiriam mais ardor para as lutas. Foi assim que nasceu a Mandioca , que significa corpo de Mani. Autores Larissa, Maylson, Auricélio 5º ano A ÍNDICE
  79. 79. ÍNDICE Provérbios
  80. 80. A ÁGUA MOLE EM PEDRA DURA TANTO BATE ATÉ QUE FURA. Autor MARIA ADRIANE NICÁCIO GADELHA 4º ano B ÍNDICE
  81. 81. B Bem se diz que as águas correm para o mar. Boa romaria faz quem em sua casa fica em paz. Boca fechada não apanha mosca. Boca de mel coração de fel. Autor JOSÉ MATEUS DA SILVA 4º ano C ÍNDICE
  82. 82. C Cada um dá o que gasta. Cão que ladra não morde. Casa de ferreiro espeto de pau. Confie nos homens, mas corte o baralho. Conhecimento é poder. Conselho cochichado não tem valor. Conselho de amigo é avis do céu. Autor Vitória Tayná Pinheiro 4º ano C ÍNDICE
  83. 83. D Devagar se vai ao longe. Dinheiro não tem cheiro. Diz-me com quem andas dir-te-ei quem és. Diz-me com quem tu andas que eu te direi quem tu és. Do homem é o errar, da besta, o teimar. Do pasto à boca se perde a sopa Do prato à boca é que se perde a sopa. Dois bicudos não se beijam. Autores Cristiana Nobre de Oliveira e Mayara Xavier Braga 4º ano C ÍNDICE
  84. 84. E Em tempo de guerra não há capitão, em tempo de murici cada um cuida de si. Em terra de cego que tem um olho é rei. Autor Bárbara Vitória de Souza Fernandes 4º ano C ÍNDICE
  85. 85. F FAÇAS O QUE EU DIGO, NÃO FAÇAS O QUE EU FAÇO. FALAR É BOM, CALAR É MELHOR . FILHO DE PEIXE PEIXINHO É. FLOR NO PEITO AMOR PERFEITO. Autor KARLA CRISLENE DO NASCIMENTO ANDRADE 4º ano C ÍNDICE
  86. 86. G Gato escaldado tem medo de água fria. Grão em grão e a galinha enche o papo . Autores Gabriel da Silva e Biatriz Ferreira Marques 4º ano C ÍNDICE
  87. 87. H Há males que vem para o bem. Hoje por mim, amanhã por ti. Autor Marcos Antonio da Silva Soares 4º ano C ÍNDICE
  88. 88. H Há males que vem para bem. Há sempre um chinelo velho para um pé doente. Homem sem dinheiro é um violão sem cordas. Homem pequenino, ou velhaco ou bom dançarino. Homem prevenido vale por dois Hora de morrer não tem retardo. Autor Daniel da Costa da Silva 4º ano C ÍNDICE
  89. 89. L Longe da vida, longe do coração. Ladrão de tostão, ladrão de milhão. Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão. Laranja: de manhã ouro, à tarde é prata, de noite mata. Lava mais água suja do que mulher asseada. Leite de vaca não mata bezerro. Autor Francisco Emerson dos Santos de Sousa 4º ano C ÍNDICE
  90. 90. M Madruga e verás, trabalha e terás Mais depressa se apanha um mentiroso do que um coxo. Mais fácil acender uma vela que amaldiçoar a escuridão. Mais fácil é o burro perguntar do que o sábio responder. Macaco velho não cai de galho seco. Mais vale cair em graça do que em desgraça. Autor Michael Feitosa 4º ano C ÍNDICE
  91. 91. N Nem sempre galinha, nem sempre sardinha. Nem sempre o diabo é tão feio quanto o pintam. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Nem todo dia se come pão quente. Nem tudo o que balança cai. Na boca do mentiroso o certo se faz duvidoso. Nada melhor que um dia depois do outro. Autor ANTONIO LENILDO DA SILVA 4º ano C ÍNDICE
  92. 92. P Paga o justo pelo pecador. Palavras loucas / ouvidos moucos. Autor Emerson Souza dos Santos 4º ano C ÍNDICE
  93. 93. Q Quando se fecha uma porta abre-se outra. Quem com ferro fere com ferro será ferido. . Autores Gabriel da Silva e Biatriz Ferreira Marques 4º ano C ÍNDICE
  94. 94. R Relógio de amor não dá hora. Rei morto rei posto. Autor Maria Alice de Freitas Silva 4º ano C ÍNDICE
  95. 95. S Saco vazio, sozinho, não se põe em pé. Santo de casa não faz milagre. Só se dá o que tem a quem se quer bem. Autor Adriano Borges 4º ano C ÍNDICE
  96. 96. T Tanto faz correr como saltar. Tarde vem o arrependimento. Todo mundo tem a sorte que merece. Todo preguiçoso, de noite, é aguçoso. Autor Leonardo Sousa Matos 4º ano C ÍNDICE
  97. 97. ÍNDICE Cantigas de roda
  98. 98. O Pião O Pião entrou na roda, ó pião! Roda pião, bambeia pião! Roda pião, bambeia pião! Sapateia no terreiro, ó pião! Roda pião, bambeia pião! Roda pião, bambeia pião! Mostra a tua figura, ó pião! Roda pião, bambeia pião! Roda pião, bambeia pião! Faça uma cortesia, ó pião! Roda pião, bambeia pião! Roda pião, bambeia pião! Atira a tua fieira, ó pião! Roda pião, bambeia pião! Roda pião, bambeia pião! Entrega o chapéu ao outro, ó pião! Autores Damaris e Eduardo 1º ano A ÍNDICE
  99. 99. Carneirinho, carneirão Carneirinho, carneirão-neirão-neirão, Olhai pro céu, olhai pro chão, pro chão: Manda o Rei, Nosso Senhor, Senhor, Senhor Para todos se ajoelhar. Carneirinho, carneirão-neirão-neirão, Olhai pro céu, olhai pro chão, pro chão: Manda o Rei, Nosso Senhor, Senhor, Senhor Para todos se levantar. Autores Maria Eduarda Ferreira e Clebson 1º ano A ÍNDICE
  100. 100. CAPELINHA DE MELÃO João de Barros e Adalberto Ribeiro Capelinha de melão, é de São João. É de cravo, é de rosa, é de manjericão. São João está dormindo, não me ouve não. Acordai, acordai,... acordai, João. Atirei rosas pelo caminho. A ventania veio e levou. Tu me fizeste com seus espinhos uma coroa de flor. Autores Janaína e Laelson 1º ano A ÍNDICE
  101. 101. Carneirinho, carneirão Carneirinho, carneirão-neirão-neirão, Olhai pro céu, olhai pro chão, pro chão: Manda o Rei, Nosso Senhor, Senhor, Senhor Para todos se levantar. Carneirinho, carneirão-neirão-neirão, Olhai pro céu, olhai pro chão, pro chão: Manda o Rei, Nosso Senhor, Senhor, Senhor Para todos se deitar. Carneirinho, carneirão-neirão-neirão, Olhai pro céu, olhai pro chão, pro chão: Manda o Rei, Nosso Senhor, Senhor, Senhor Para todos se levantar. Autores Rafael e Leonardo 1º ano A ÍNDICE
  102. 102. Capelinha de Melão Capelinha de melão É de São João É de cravo, é de rosa, É de manjericão São João está dormindo Não me ouve não Acordai, acordai Acordai João... Autor Wanderley e Maria Rita 1º ano A ÍNDICE
  103. 103. Capelinha de Melão Capelinha de melão É de São João É de cravo, é de rosa, É de manjericão São João está dormindo Não me ouve não Acordai, acordai Acordai João Acordai, acordai Acordai João Autores Geyciane de Sousa Apolônio e Pedro Henrique de Mendonça Braga 1 º ano A ÍNDICE
  104. 104. CARANGUEJO Caranguejo não é peixe, caranguejo peixe é, caranguejo só é peixe na vazante da maré. Autores Denise e Renê Ronald 1º ano A ÍNDICE
  105. 105. Roda Pião O Pião entrou na roda, ó pião Roda pião, bambeia pião Sapateia no terreiro, ó pião Mostra a tua figura, ó pião Faça uma cortesia, ó pião Atira a tua fieira, ó pião Entrega o chapéu ao outro, ó pião Autor Jorge Henrique e Andressa 1º ano A ÍNDICE
  106. 106. A canoa virou. Pois deixaram ela virar Foi por causa de Maria. Que não soube remar Se eu fosse um peixinho. E soubesse nadar Eu tirava Maria. Do fundo do mar Siri pra cá, Siri pra lá Maria é bela E quer se casar. Autor Pedro Rian 1º ano A ÍNDICE
  107. 107. Boi da cara preta Boi, boi, boi, Boi da cara preta Pega essa menina Que tem medo de careta Boi, boi, boi, Boi da cara preta Pega essa menina que tem medo de careta. Autores Andreina e João Victor 2º ano A ÍNDICE
  108. 108. Fui no tororó, beber água não achei Achei bela morena, que no tororó deixei Aproveita minha gente Que uma noite não é nada Se não dormir agora Dormirás de madrugada Ó mariazinha, ó mariazinha Entra nesta roda ou ficará sozinha. Sozinha eu não fico nem hei de ficar Vou buscar o João para ser meu par. Autores Clebson de Moura e Raquel 2º ano A ÍNDICE
  109. 109. FUI NO TORORÓ, BEBER ÁGUA NÃO ACHEI ACHEI BELA MORENA, QUE NO TORORÓ DEIXEI APROVEITA MINHA GENTE QUE UMA NOITE NÃO É NADA SE NÃO DORMIR AGORA DORMIRÁS DE MADRUGADA Ó MARIAZINHA, Ó MARIAZINHA ENTRA NESTA RODA OU FICARÁ SOZINHA. SOZINHA EU NÃO FICO NEM HEI DE FICAR VOU BUSCAR O JOÃO PARA SER MEU PAR. Autores LEONICE E YARLEN 2º ano A ÍNDICE
  110. 110. Boi da cara preta Boi, boi, boi, Boi da cara preta. Pega essa menina Que tem medo de careta Boi, boi, boi, Boi da cara preta Pega essa menina que tem medo de careta. Autores Pedro Henrique Pinto e Francisco Guilherme 2º ano A ÍNDICE
  111. 111. Boi, boi, boi, Boi da cara preta pega essa menina que tem medo de careta. Boi, boi, boi Boi da cara preta pega essa menina que tem medo de careta. Autores Sabrina Gomes e Marcos Eduardo 2º ano A ÍNDICE
  112. 112. Como pode o peixe vivo Viver fora da água fria Como pode o peixe vivo Viver fora da água fria Como poderei viver Como poderei viver Sem a tua, sem a tua Sem a tua companhia Sem a tua, sem a tua Sem a tua companhia Autores Francisca Talita e Gustavo Henrique 2º ano A ÍNDICE
  113. 113. Eu sou leiteira. Eu sou leiteira, eu vendo leite na cidade, na cidade de Lisboa todos gostam, todos gostam da leiteira A leiteira, a leiteira é coisa boa Ai bote aqui, ai bote aqui o seu pezinho bem aqui, bem aqui juntinho com o meu. Ao tirar, ao tirar o seu pezinho um abraço, um abraço eu te darei. Autores Vivian e Thiago 2º ano A ÍNDICE
  114. 114. A canoa virou Por deixá-la virar Foi por causa da &quot;Fulana&quot; Que não soube remar Se eu fosse um peixinho E soubesse nadar Tirava a &quot;Fulana&quot; Do fundo do mar Autores CAROL E WERTHON 2º ano A
  115. 115. ESCRAVOS DE JÓ, JOGAVAM O CAXANGÁ TIRA, BOTA DEIXA O ZÉ PEREIRA FICAR GUERREIROS COM GUERREIROS FAZEM ZIGUE-ZIGUE-ZÁ GUERREIROS COM GUERREIROS FAZEM ZIGUE-ZIGUE-ZÁ Autores DANIEL SALES LOPES KALINNE BARRETO E LUCAS 2º ano A ÍNDICE
  116. 116. Escravos de Jó, jogavam caxangá Tira, bota deixa o Zé Pereira ficar Guerreiros com guerreiros fazem zigue-zigue-zá Guerreiros com guerreiros fazem zigue-zigue-zá Autor Paulo Daniel 2º ano A ÍNDICE
  117. 117. Boi, boi, boi Boi da cara preta, pega essa menina Que tem medo de careta. Boi, boi, boi Boi da cara preta, pega essa menina que tem medo de careta. Autores Pedro Henrique Silva Nascimento Francisco Gustavo da Costa Moura 2º ano A ÍNDICE
  118. 118. Boi, boi, boi Boi da cara preta, pega essa menina Que tem medo de careta. Boi, boi, boi Boi da cara preta, pega essa menina que tem medo de careta. Autores Carlos Augusto e Sara Evilasiana 2º ano A ÍNDICE
  119. 119. Fui à Espanha buscar o meu chapéu, Azul e branco da cor daquele céu. Ora, palma, palma, palma ! Ora, pé, pé, pé ! Ora, roda, roda, roda ! Caranguejo peixe é ! Caranguejo não é peixe, Caranguejo peixe é Caranguejo só é peixe Lá no fundo da maré. Samba, crioula, Que veio da Bahia. Pega na criança e joga na bacia. A bacia é de ouro, areada com sabão, Depois de areada, Enxugada com o roupão. O roupão é de seda, camisinha de filó, Touquinha de veludo pra quem ficar com a vovó. A benção, vovó ! A benção, vovó ! Autores VANDERVELDE CAVALCANTE MARQUES NETO THALITA DOS SANTOS DE LIMA 2º ano A ÍNDICE
  120. 120. DOMINGO PEDE CACHIMBO Hoje é domingo Pede cachimbo Cachimbo é de ouro Dá um estouro Touro é valente Bateu no tenente Tenente é fraco Cai no buraco Buraco é fundo Acabou-se o Mundo Autores Leonardo, Samuel e Adriano 5º ano A ÍNDICE
  121. 121. ÍNDICE Quadrinhas
  122. 122. Pus-me a escrever na areia, Com peninhas de pavão, Pra dar saber ao mundo que por ti tenho paixão! Aproveita minha gente, Aproveita e não demora, Que a laranja tá acabando E meu carro vai embora! Autores Larissa, Maylson, Auricélio 5º ano A ÍNDICE
  123. 123. “ Passo pelo rio Passo pelo riacho Quanto mas te vejo Mas lindo te acho.” Lá em cima daquela serra tem um pote de biscoito quem roubar meu namorado vai levar um 38!!! Olho você, sigo você Sabe porque? Porque amo você Autores Amilson, Bruna, Naiana 5º ano A ÍNDICE
  124. 124. Uma nação não se constitui apenas de progresso econômico, indispensável naturalmente para o conforto e felicidade de seus habitantes, uma nação constitui-se de muitos fatores que permitem caracterizar um povo. Autores KELLY, DALYLA, MARLON e ELENEIDE 5º ano A ÍNDICE
  125. 125. ÍNDICE Luiz Gonzaga
  126. 126. Luiz Gonzaga Luiz Gonzaga nasceu em Exu, Pernambuco, em 13 de dezembro de 1912. Foi um compositor popular. Aprendeu a ter gosto pela música ouvindo as apresentações de músicos nordestinos em feiras e em festas religiosas. Quando migrou para o sul, fez de tudo um pouco, inclusive tocar em bares de beira de cais. Mas foi exatamente aí que ouviu um cabra lhe dizer para começar a tocar aquelas músicas boas do distante nordeste. Pensando nisso compôs dois chamegos: &quot;Pés de Serra&quot; e &quot;Vira e Mexe&quot;. Sabendo que o rádio era o melhor vínculo de divulgação musical daquela época (corria o ano de 1941) resolveu participar do concurso de calouros de Ary Barroso onde solou sua música “ Vira e Mexe” e ganhou o primeiro prêmio. Isso abriu caminho para que pudesse vir a ser contratado pela emissora Nacional. Autor Vitória Régia 5º ano B ÍNDICE
  127. 127. Luiz Gonzaga Luiz Gonzaga foi o primeiro artista popular a cantar em nome do Nordeste, e assumir-se como representante desta identidade regional. Deste recorte regional que havia surgido na geografia do país entre a década de 10 e de 20 do século passado. Gonzaga vai dar sonoridade, vai dar voz, vai produzir o que podemos chamar de uma escuta uma maneira de ouvir, de significar através do som e do canto desta região. Autor IRISLENE SOUSA SILVA. 5º ano B ÍNDICE
  128. 128. ABC do Sertão Lá no meu sertão pros caboclo lê Têm que aprender um outro ABC O jota é ji, o éle é lê O ésse é si, mas o érre Tem nome de rê Até o ypsilon lá é pissilone O eme é mê. O ene é nê O efe é fê, o gê chama-se guê Na escola é engraçado ouvir-se tanto &quot;ê&quot; A, bê, cê, dê, Fê, guê, lê, mê, Nê, pê, quê, rê, Tê, vê e zê. Autores João Victor e Davi Macelino 5º ano B ÍNDICE
  129. 129. <ul><li>Vida de Viajante </li></ul><ul><li>Minha vida é andar por esse País Pra ver se um dia descanso feliz Guardando as recordações Das terras onde passei Andando pelos sertões E dos amigos que lá deixei </li></ul><ul><li>Chuva e sol Poeira e carvão Longe de casa, sigo o roteiro Mais uma estação E alegria no coração </li></ul><ul><li>Minha vida é andar por esse País Pra ver se um dia descanso feliz Guardando as recordações Das terras onde passei Andando pelos sertões E dos amigos que lá deixei </li></ul><ul><li>Chuva e sol Poeira e carvão Longe de casa, sigo o roteiro Mais uma estação E alegria no coração </li></ul><ul><li>Minha vida é andar por esse País Pra ver se um dia descanso feliz Guardando as recordações Das terras onde passei Andando pelos sertões E dos amigos que lá deixei </li></ul><ul><li>Mar e terra Inverno e verão Mostro o sorriso Mostro a alegria Mas eu mesmo não E a saudade no coração </li></ul><ul><li>Autor </li></ul><ul><li>Lucas </li></ul><ul><li>5º ano B </li></ul>ÍNDICE
  130. 130. <ul><li>ASA BRANCA </li></ul><ul><li>Quando olhei a terra ardendo Qual fogueira de São João Eu perguntei a Deus do céu, ai Por que tamanha judiação 2x </li></ul><ul><li>Que braseiro, que fornalha Nem um pé de plantação Por falta d'água perdi meu gado Morreu de sede meu alazão 2x </li></ul><ul><li>Até mesmo o asa branca Bateu asas do sertão Então eu disse adeus Rosinha Guarda contigo meu coração 2x </li></ul><ul><li>Hoje longe muitas léguas, nessa triste solidão, espero a chuva cair de novo, pra eu voltar pro meu sertão. 2x </li></ul><ul><li>Quando o verde dos teus olhos, se espalha na plantação, eu te asseguro, não chores naõ, viu eu voltarei meu coração. </li></ul><ul><li>Autor </li></ul><ul><li>Vitor de Abreu Guimarães </li></ul><ul><li>5º ano B </li></ul>ÍNDICE
  131. 131. ÍNDICE Brincadeiras
  132. 132. Brincadeiras Folclóricas Além dos contos, danças, festas e lendas, o folclore brasileiro é marcado pelas tradicionais brincadeiras Folclóricas. As brincadeiras folclóricas são aquelas que passam de geração para geração. Muitas delas existem há décadas ou até séculos. Costumam sofrer modificações de acordo com a região e a época, porém a essência das brincadeiras continua a mesma. Grande parte das brincadeiras folclóricas envolve disputas individuais ou em grupo, possibilitam a integração e o desenvolvimento social e motor das crianças. A preservação destas brincadeiras é muito importante para a manutenção da cultura. Autor Luana Sabrina dos Santos Vicente 5º ano D ÍNDICE
  133. 133. Cama de Gato É um brincadeira que se realiza em duplas, com um barbante amarrado nas duas pontas, a criança forma uma rede entre as mãos. A outra participante deverá tirá-la e modificá-la, passando para suas próprias mãos. Origem: A cama de gato foi criada por várias pessoas antigas. Autores Érika e Vitória 5º ano D ÍNDICE
  134. 134. Amarelinha Joga-se a pedra na primeira quadra de um desenho com várias quadras no chão, não podendo pular nela. Vai com um pé só nas quadras simples e com os dois pés no chão nas quadras duplas, indo até a última quadra e voltando, se não errar começa de novo jogando a pedra na segunda quadra e assim vai progredindo até chegar na última quadra chamada de céu. Se errar, passa a vez para a outra criança. Daí poderão ter outras etapas como: chutinho, olhos vendados etc... Autor Sandro Maciel 5º ao D ÍNDICE
  135. 135. Pular Corda Com pequena variações de região para região, pular corda é uma brincadeira praticada pelas crianças de todo mundo. Além disso, é uma brincadeira divertida e também um excelente exercício para manter a forma muito praticado por atletas. Autores Celvane Sousa e Francisco Lucas 5º ano D ÍNDICE
  136. 136. Pular Pau Para esta brincadeira são necessário dois pedaços de pau de aproximadamente 70 cm. Os participantes deverão fazer uma fila para pular os paus cuja distância deve ser aumentada gardativamente ganhará aquela que conseguir pular a maior distância entre os paus. Origem: Pular Pau foi criada pelos escravos. Autores Mikaele e Aurilane 5º ano D ÍNDICE
  137. 137. Estilingue Também conhecido como bodoque é feita de galhos de árvores e borracha os meninos usam pedra pra acertar algumas latas e garrafas e outros objetos. Autores Nayara Marília Lima e Antonio Werlon 5º ano D ÍNDICE
  138. 138. Boneca de pano Bonecas de pano feitas pelas mães e avós são usadas em brincadeiras pelas meninas para simular crianças integrantes de uma família imaginária. Autores Francisca Glauciane Josino e Sérgio de Freitas 5º ano D ÍNDICE
  139. 139. Bola de Gude Além de coloridas são feitas de vidro, são jogadas no chão cada jogador joga a sua bola de gude, o objetivo é um jogador bater sua bola na na bola do seu coleguinha para comemorar o seu ponto ou a bolinha do colega. Autor Isabelly Rodrigues da Silva 5º ano D ÍNDICE
  140. 140. ÍNDICE Desenhos
  141. 141. FRANCISCO ANDERSON 1º ANO B ÍNDICE
  142. 142. MARIA VITÓRIA 1º ANO B ÍNDICE
  143. 143. MONIQUE OHANA 1º ANO B ÍNDICE
  144. 144. VICTOR IGOR 1º ANO B ÍNDICE
  145. 145. HELLEN FERREIRA 1º ANO B ÍNDICE
  146. 146. ÉRIKA DE ARAÚJO 1º ANO B ÍNDICE
  147. 147. ANA KAROLINE 1º ANO B ÍNDICE
  148. 148. DANIEL DOS SANTOS 1º ANO B ÍNDICE
  149. 149. CARLOS JANUEL 1º ANO B ÍNDICE
  150. 150. LIVIELEN DE SOUSA 1º ANO B ÍNDICE
  151. 151. ANTONIA LUCIELE 1º ANO B ÍNDICE
  152. 152. DAIANE DE FREITAS 1º ANO B ÍNDICE
  153. 153. MARIA LAENY QUARESMA 1º ANO B ÍNDICE
  154. 154. JOSÉ GABRIEL 1º ANO B ÍNDICE
  155. 155. BRENA CAROLINE 1º ANO B ÍNDICE
  156. 156. JOSIEL DE SOUSA 1º ANO B ÍNDICE
  157. 157. MARIA JÚLIA 1º ANO B ÍNDICE
  158. 158. ANTONIO ADAMILTON 1º ANO B ÍNDICE
  159. 159. MATHEUS BERNARDO 1º ANO B ÍNDICE
  160. 160. THAYNARA DO MONTE 1º ANO B ÍNDICE
  161. 161. ANTONIO FABRÍCIO 1º ANO B ÍNDICE
  162. 162. JOÃO PEDRO 1º ANO B ÍNDICE
  163. 163. FRANCISCO WESLEY 1º ANO B ÍNDICE
  164. 164. FRANCISCO ISAC 1º ANO B ÍNDICE
  165. 165. Mensagens dos Professores ÍNDICE
  166. 166. Fotografias ÍNDICE
  167. 167. ÍNDICE
  168. 168. ÍNDICE
  169. 169. ÍNDICE
  170. 170. ÍNDICE
  171. 171. ÍNDICE
  172. 172. ÍNDICE
  173. 173. ÍNDICE
  174. 174. Créditos Idealização José Veríssimo de Oliveira Filho Coordenação Pedagógica Victor de Oliveira Ramos Apoio Institucional Zilda Maria Ramos da Silva Maria Cecília Abreu e Silva Ana Luiza Alvernaz Gomes Equipe Pedagógica Maria Selma Menezes Cavalcante Francisca Alvino Soares Sandra Maria Sousa de Oliveira Silvana Teles Leitão Sônia Maria Sousa de Jesus Isaura Arruda Miranda Emília Barbosa de Sousa Maria Aldênia Paulino de Farias Maria de Jesus da Costa Dilvani Carvalho da Silva Maria Lúcia Araújo da Silva ÍNDICE
  175. 175. Edição e Formatação Janne Karla Oliveira Costa Freire Lindomar Azevedo Pinto Arte da Capa Andréa Alvino Soares Fotos Maria Cecília Abreu e Silva Vídeo Victor Sidharta Pereira Ferreira ÍNDICE
  176. 176. Links http://flaviomarcilio.blogspot.com http://issuu.com/flaviomarcilio.blogspot.com/docs/livro_digital www.atividadeseducativas.com.br www.anossaescola.com/cr http://pinoquioseemilias.blogspot.com http://www.luizluagonzaga.com.br/ http://pt.wikipedia.org/wiki/Luiz_Gonzaga http://www.mpbnet.com.br/musicos/luiz.gonzaga/index.html ÍNDICE
  177. 177. Bibliografia AZEVEDO, Gustavo. Meu livro de folclore. 7ª edição. Ed. Ática. 2005. AZEVEDO, Gustavo. Armazém do Folclore. 1ª edição. Ed. Ática. 2000. LEITÃO, Juarez. Alves, Jamile. Luis, João. Educação de Jovens e Adultos. REVISTA CONSTRUIR NOTÍCIAS. “Vamos brincar de provérbios”. Págs. 47 a 51. Nº. 23. Ano 04. Julho/agosto de 2005. Jornal O Povo Jornal Diário do Nordeste www.luizluagonzaga.com.br/ pt.wikipedia.org/wiki/Luiz_Gonzaga www.mpbnet.com.br/musicos/luiz.gonzaga/index.html ÍNDICE

×