CONTRUINDO UMA ESCOLA INCLUSIVA

1.851 visualizações

Publicada em

AULA PARA ACADEMICOS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FISICA

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.851
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
116
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

CONTRUINDO UMA ESCOLA INCLUSIVA

  1. 1. CONSTRUINDO UMA ESCOLA INCLUSIVA<br />
  2. 2. “...uma escola somente poderá ser considerada inclusiva, quando estiver organizada para favorecer cada aluno independentemente de etnia, sexo, idade, deficiência,condição social ou qualquer outra situação.”<br /> Aranha 2004<br />
  3. 3. O QUE É INCLUSÃO?<br />Para Mantoan, (1997,p.138). Inclusão não quer absolutamente dizer que somos todos iguais. Inclusão celebra, sim, nossa diversidade e diferenças com respeito e gratidão. Inclusão significa todos – juntos – dando apoio e suporte uns aos outros.<br />Processo pelo qual a sociedade se adapta para poder incluir em seus sistemas sociais gerais, pessoas com necessidades especiais. Sassaki. (1997,p.41).<br />No entanto, Gorgatti e Costa,(2005,p.19). Nos diz que: “Participar de um processo inclusivo é estar predisposto a considerar e a respeitar as diferenças individuais”.<br />
  4. 4. DIFERENÇA ENTRE A INCLUSÃO E INTEGRAÇÃO.<br /><ul><li>Integração: È um processo na qual a pessoa com deficiência é capaz de participar na sociedade do jeito que ela está organizada.
  5. 5. Inclusão: È uma proposta de tornar a sociedade acessível às pessoas com deficiência, garantindo a participação de todas no meio social. Sassaki. (1997,p.24).</li></li></ul><li>EDUCAÇÃOFÍSICA ESPECIAL<br />Especial - Considerava que os estudantes com necessidades especiais não poderiam se engajar de modo irrestrito em atividades vigorosas de um programa de Educação Física.<br />EDUCAÇÃO FÍSICA ADAPTADA<br />Adaptada –É uma parte da Educação Física cujo os objetivos são o estudo e a intervenção profissional no universo das pessoas que apresentam diferentes e peculiares condições para a prática das atividades físicas. Cultura corporal do movimento, esporte, dança.<br />
  6. 6. As Definições da Educação Física Adaptada<br />Winnick; ( 2004,p.04), relata que [...], a Educação Física Adaptada é uma subdisciplina da Educação Física que permite uma participação segura, pessoalmente satisfatória e bem–sucedida, suprindo as necessidades especiais dos alunos. [...].<br />Para Gorgatti e Costa, (apud, Tani, 2005,p.05). [...] A Educação Física é constituída por duas subáreas denominadas Pedagogia do Movimento e Adaptação do Movimento Humano, esta última sendo responsável por estudos que procuram produzir conhecimentos para o desenvolvimento de programas de Educação Física destinados a pessoas que apresentam diferentes e peculiares condições para a prática das atividades físicas<br />
  7. 7. Marcos Históricos da Educação Física Adaptada<br />No Século XVIII, na Suécia o uso de exercícios terapêuticos deu origem a ginástica médica (semelhante a ginástica militar);<br />1885 nos E.U.A, a ginástica médica foi introduzida em escola de Boston;<br />Entre 1900 a 1930 educadores físicos reproduziu o sistema de exercícios médicos com ênfase ao exercício postura e aptidão;<br />1950 da ginástica média passa-se para a concepção de Educação Física Adaptada;<br />
  8. 8. <ul><li>1968 Primeiro mestrado em Educação Física Adaptado no E.U.A;
  9. 9. 1969 vários programas de Doutorado são estabelecidos no E.U.A ao mesmo tempo;
  10. 10. Final do Século XX, a Educação Física Adaptada assume identidade educativa/pedagógica.</li></li></ul><li>MARCOS HISTÓRICOS NO ATENDIMENTO AOS DEFICIENTES NO BRASIL.<br /><ul><li>1854 - Imperial Instituto dos Meninos Cegos, atual Instituto Benjamin Constant – IBC.
  11. 11. 1857- Instituto dos Surdos Mudos, atual Instituto Nacional da Educação dos Surdos – INES, ambos no Rio de Janeiro.
  12. 12. 1926 - è fundado o Instituto Pestalozzi, com atendimento as pessoas com deficiência mental.
  13. 13. No Brasil, o atendimento ás pessoas com deficiência teve início na época do Império.
  14. 14. 1954 – é fundada a APAE.</li></li></ul><li>DIRETRIZES LEGAIS<br />1961 o atendimento educacional passa ser fundamentado pela LDBEN – 4.024/61 aponta o direito dos “excepcionais dentro do sistema geral de ensino.A Lei nº. 5.692/71, que altera a LDBEN de 1961, ao definir “tratamento especial” para os alunos com “deficiência físicas, mentais”. Em 1973, é criado no MEC o CENESP - Centro Nacional de Educação Especial.<br />O Estatuto da Criança e do Adolescente – Lei nº. 8.069/90,artigo 55, reforça os dispositivos legais supracitados, ao determinar que “os pais ou responsáveis tem a obrigação de matricular seus filhos na rede regular de ensino.<br />
  15. 15. PNE - Plano Nacional de Educação, Lei nº. 10.172/2001, construção de uma escola inclusiva que garanta o atendimento à diversidade humana”.<br />A resolução CNE/CP nº. 1/2002, estabelece Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica. <br /> A Lei nº. 10.436/02 reconhece a Língua Brasileira de Sinais como meio legal de comunicação e expressão.<br /> A Portaria nº. 2.678/02 aprova diretriz e normas para o uso, o ensino, a produção e a difusão do Sistema Braille em todas as modalidade de ensino.<br />
  16. 16. Em 2003, o Ministério da Educação cria o Programa Educação inclusiva:direito à diversidade, transformando os sistemas de ensino em sistemas educacionais inclusivos, promove formação de gestores e educadores.Acesso de Alunos com Deficiência às Escolas e Classes Comum da Rede Regular, com o objetivo de disseminar os conceitos e diretrizes mundiais para a inclusão. <br />O Decreto nº. 6.094/07, estabelece diretrizes para o compromisso de TODOS pela Educação, garantindo acesso, permanência no ensino regular, e o atendimento às necessidades educacionais especiais dos alunos, fortalecendo a inclusão educacional na rede pública.<br />
  17. 17. METODOLOGIA APLICADA A EDUCAÇAO FÍSICA ESCOLAR INCLUSIVA NAS ESCOLAS MUNICIPAIS DE DOURADOS - MS<br />
  18. 18. A Educação Física escolar Inclusiva na construção do processo de ensino-aprendizagem por meio da coordenação motora<br />
  19. 19. Coordenação Motora: <br /><ul><li>É capacidade de usar de forma mais eficiente os grandes músculos.
  20. 20. A coordenação motora permite a criança dominar o corpo no espaço, controlando os movimentos; sendo o controle temporal, espacial e muscular de movimentos simples ou complexos que surge em resposta a uma tarefa extrema ou a objetivos mediados sensorialmente.
  21. 21. A capacidade de coordenar movimentos constitui em aspecto fundamental no processo de ensino – aprendizagem durante a fase de alfabetização das crianças.</li></li></ul><li>Atividades de coordenação motora realizadas durante as aulas de educação física escolar inclusiva. <br />

×