SOBRE ANJOS...
A palavra anjo desperta geralmente a idéia da perfeição moral.
É, freqüentemente, aplicada a todos os seres, bons e maus, que não pertencem à Humanidade. Diz-se o bom e o mau anjo, o an...
Na Bíblia encontra-se muito este termo. Às vezes, com o sentido de criaturas humanas exercendo a função de mensageiros, em...
O uso mais freqüente se aplica a criaturas já existentes antes da criação do mundo, mas igualmente criadas por Deus.
Distinguem-se do homem pela superioridade da inteligência, sabedoria e poder.
Alguns críticos julgam ser influência dos povos vizinhos a Israel, sobretudo a Pérsia, a idéia de anjos substituindo os de...
É assim que eles aparecem, em descrições bíblicas, falando aos homens na forma e linguagem humana. E são mostrados com gra...
Observa-se que, no Novo Testamento, as referências aos anjos são menos freqüentes do que no Antigo Testamento.
A existência de seres humanos exercendo as funções de mensageiros da Divindade aos homens é admitida como realidade entre ...
É assim que vemos descrições de anjos no maometismo, nas mitologias gregas e orientais e em algumas formas do budismo.
O Corão é extraordinariamente rico em referências aos anjos.
A Doutrina Espírita ensina que os anjos são seres criados como todos os Espíritos.
Por já terem percorrido todos os graus e reunirem em si todas as perfeições, se tornaram Espíritos puros.   
Como existem Espíritos dessa categoria, muito anteriores ao homem, este acreditou que eles haviam sido criados assim, perf...
Entre os anjos, existem aqueles que se dedicam a proteger: são os anjos da guarda.
São sempre superiores ao homem. Estão ali para aconselhar, sustentar, ajudar a escalar a montanha escarpada do progresso.
São amigos mais firmes e mais devotados do que as mais íntimas ligações que se possam contrair na Terra.
Esses seres ali estão por ordem de Deus, que os colocou ao lado dos homens. Ali estão por Seu amor.
Cumprem junto aos homens uma bela mas, ao mesmo tempo, penosa missão.
Seja nos cárceres, nos hospitais, nos antros do vício, na solidão, eles se encontram ao lado dos seus protegidos.
É deles que a nossa alma recebe os mais doces impulsos e ouve os mais sábios conselhos. Eles nos auxiliam nos momentos de ...
  Para os que pensam ser impossível os Espíritos verdadeiramente elevados se restringirem a uma tarefa tão laboriosa, e de...
Para eles, o espaço não existe. Podem estar vivendo em outros mundos e conservar a ligação com os seus protegidos.
Gozam de faculdades que não podemos compreender.
Cada anjo da guarda tem o seu protegido e vela por ele, como um pai vela pelo filho.
Sente-se feliz quando o vê no bom caminho, chora quando os seus conselhos são desprezados.
O anjo da guarda é ligado ao indivíduo desde o nascimento até a morte.
Freqüentemente o segue depois da morte e mesmo através de numerosas existências corpóreas.
Para o Espírito imortal, essas existências não são mais do que fases bem curtas da vida.
  Foi Gregório Magno o primeiro a introduzir a concepção da angelologia na teologia cristã no Ocidente.
Surgiram assim, além dos anjos e arcanjos, duas outras classes: a dos querubins e serafins, jamais mencionadas em toda a B...
No Novo Testamento, os anjos são apresentados como sujeitos a Cristo, o Espírito perfeito.
PENSEMOS NISSO!!! Fonte: Site ”Momento Espírita” Formatação: jairowildgen2@hotmail.com Fotos: Internet www.slideshare.net/...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Sobre Anjos...

2.048 visualizações

Publicada em

Você acredita em anjos?

2 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.048
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
96
Comentários
2
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sobre Anjos...

  1. 1. SOBRE ANJOS...
  2. 2. A palavra anjo desperta geralmente a idéia da perfeição moral.
  3. 3. É, freqüentemente, aplicada a todos os seres, bons e maus, que não pertencem à Humanidade. Diz-se o bom e o mau anjo, o anjo da luz e o anjo das trevas.
  4. 4. Na Bíblia encontra-se muito este termo. Às vezes, com o sentido de criaturas humanas exercendo a função de mensageiros, embaixadores, profetas.
  5. 5. O uso mais freqüente se aplica a criaturas já existentes antes da criação do mundo, mas igualmente criadas por Deus.
  6. 6. Distinguem-se do homem pela superioridade da inteligência, sabedoria e poder.
  7. 7. Alguns críticos julgam ser influência dos povos vizinhos a Israel, sobretudo a Pérsia, a idéia de anjos substituindo os deuses.
  8. 8. É assim que eles aparecem, em descrições bíblicas, falando aos homens na forma e linguagem humana. E são mostrados com graus hierárquicos entre si.
  9. 9. Observa-se que, no Novo Testamento, as referências aos anjos são menos freqüentes do que no Antigo Testamento.
  10. 10. A existência de seres humanos exercendo as funções de mensageiros da Divindade aos homens é admitida como realidade entre religiões não bíblicas, também.
  11. 11. É assim que vemos descrições de anjos no maometismo, nas mitologias gregas e orientais e em algumas formas do budismo.
  12. 12. O Corão é extraordinariamente rico em referências aos anjos.
  13. 13. A Doutrina Espírita ensina que os anjos são seres criados como todos os Espíritos.
  14. 14. Por já terem percorrido todos os graus e reunirem em si todas as perfeições, se tornaram Espíritos puros.   
  15. 15. Como existem Espíritos dessa categoria, muito anteriores ao homem, este acreditou que eles haviam sido criados assim, perfeitos.
  16. 16. Entre os anjos, existem aqueles que se dedicam a proteger: são os anjos da guarda.
  17. 17. São sempre superiores ao homem. Estão ali para aconselhar, sustentar, ajudar a escalar a montanha escarpada do progresso.
  18. 18. São amigos mais firmes e mais devotados do que as mais íntimas ligações que se possam contrair na Terra.
  19. 19. Esses seres ali estão por ordem de Deus, que os colocou ao lado dos homens. Ali estão por Seu amor.
  20. 20. Cumprem junto aos homens uma bela mas, ao mesmo tempo, penosa missão.
  21. 21. Seja nos cárceres, nos hospitais, nos antros do vício, na solidão, eles se encontram ao lado dos seus protegidos.
  22. 22. É deles que a nossa alma recebe os mais doces impulsos e ouve os mais sábios conselhos. Eles nos auxiliam nos momentos de crise.
  23. 23.   Para os que pensam ser impossível os Espíritos verdadeiramente elevados se restringirem a uma tarefa tão laboriosa, e de todos os instantes, é bom lembrar que eles nos influenciam a milhões de léguas de distância.
  24. 24. Para eles, o espaço não existe. Podem estar vivendo em outros mundos e conservar a ligação com os seus protegidos.
  25. 25. Gozam de faculdades que não podemos compreender.
  26. 26. Cada anjo da guarda tem o seu protegido e vela por ele, como um pai vela pelo filho.
  27. 27. Sente-se feliz quando o vê no bom caminho, chora quando os seus conselhos são desprezados.
  28. 28. O anjo da guarda é ligado ao indivíduo desde o nascimento até a morte.
  29. 29. Freqüentemente o segue depois da morte e mesmo através de numerosas existências corpóreas.
  30. 30. Para o Espírito imortal, essas existências não são mais do que fases bem curtas da vida.
  31. 31.   Foi Gregório Magno o primeiro a introduzir a concepção da angelologia na teologia cristã no Ocidente.
  32. 32. Surgiram assim, além dos anjos e arcanjos, duas outras classes: a dos querubins e serafins, jamais mencionadas em toda a Bíblia como seres angelicais.
  33. 33. No Novo Testamento, os anjos são apresentados como sujeitos a Cristo, o Espírito perfeito.
  34. 34. PENSEMOS NISSO!!! Fonte: Site ”Momento Espírita” Formatação: jairowildgen2@hotmail.com Fotos: Internet www.slideshare.net/jairowildgen

×