Trabalho De Grupo Workshop

1.564 visualizações

Publicada em

Trabalho de grupo no workshop de Terapia Ocupacional

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.564
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho De Grupo Workshop

  1. 1. O apoio da Terapia Ocupacional à Pessoa com deficiência Trabalho do Grupo de Workshop
  2. 2. Terapia Ocupacional <ul><li>Profissão de nível superior da área da saúde (reabilitação) que procura capacitar o indivíduo para a realização funcional das AVD’s e a integração em todos os contextos (físico, social) da sua vivência. </li></ul><ul><li>Não serve para “distrair” a pessoa com deficiência só para actividades de lazer </li></ul><ul><li>O Homem como ser Ocupacional (Actividade/trabalho), é impossível não estar ocupado </li></ul><ul><li>Instrumento de trabalho é a actividade e a adaptação ambiental (física e comportamental) </li></ul>
  3. 3. Pertinência da Terapia Ocupacional <ul><li>Capacitar a pessoa com deficiência para a total inclusão </li></ul><ul><li>Manter e desenvolver competências (motoras, cognitivas e sociais) da pessoa com deficiência </li></ul><ul><li>Sensibilizar para a normalização (mais ajustado à sociedade) da pessoa com deficiência </li></ul><ul><li>Promover o sentimento de utilidade (auto e hetero dirigida) das pessoas com deficiência e idosos </li></ul>Bem estar físico, psicológico e social
  4. 4. De que forma a Terapia Ocupacional pode suportar o trabalho da equipa onde se encontram inseridos? <ul><li>Apoia e complementa o trabalho da equipa multidisciplinar na relação com o cidadão com deficiência, com a sociedade e a família </li></ul><ul><li>Prevenção, avaliação, tratamento e acompanhamento adequado ao grau de disfunção ocupacional (funcionalidade no desempenho das AVD’s) do cidadão com deficiência e a necessidade da sua família </li></ul><ul><li>Suporte mais directo no aconselhamento aos prestadores de cuidados com procedimentos para beneficiarem a pessoa com deficiência e não prejudicarem a sua própria saúde física e mental. </li></ul>
  5. 5. De que forma a Terapia Ocupacional pode suportar o trabalho da equipa onde se encontram inseridos? <ul><li>Desenvolve competências motoras, cognitivas e sociais, visando a autonomia ou independência consoante a possibilidade </li></ul>
  6. 6. O que é necessário para tornar efectivo esse trabalho? <ul><li>Divulgação da identidade do Terapeuta Ocupacional </li></ul><ul><ul><li>Sociedade civil </li></ul></ul><ul><ul><li>Instituições de apoio à deficiência públicas e privadas </li></ul></ul><ul><ul><li>Familiares e prestadores de cuidados de pessoas com deficiência </li></ul></ul><ul><ul><li>Enquadramento legal </li></ul></ul><ul><ul><li>Imposição legal de uma quantidade e a qualidade de um corpo técnico multidisciplinar (com a integração de Terapia Ocupacional) </li></ul></ul><ul><ul><li>Financiamento público para contratação de técnicos, compra de equipamentos e materiais a serem utilizados para o apoio terapêutico e lúdico-recreativo às pessoas com deficiência. </li></ul></ul>
  7. 7. O que é necessário para tornar efectivo esse trabalho? <ul><li>Reduzir o rácio de doentes/utentes por Terapeuta através de criação de postos de trabalho e fomentando a formação </li></ul><ul><li>Criação de postos de trabalho em serviços públicos </li></ul><ul><li>Criação de equipas multidisciplinares de apoio técnico-pedagógico por escolas/agrupamentos </li></ul><ul><li>Possibilitar um mercado mais competitivo que facilite a aquisição de ajudas técnicas pela pessoa com deficiência. </li></ul>
  8. 8. Quais os limites (lacunas) da intervenção (das instituições/escolas)? <ul><li>Falta de informação e a formação dos corpos de direcção das instituições que prestam apoio a pessoas com deficiência e idosos (relutantes perante a mudança) </li></ul><ul><li>Deficiência de protocolos com as instituições que possuem os recursos humanos e materiais </li></ul><ul><li>Falta de sensibilidade das entidades públicas para a supressão de barreiras e formas de ultrapassar as incapacidades com o contributo do trabalho dos Terapeutas Ocupacionais (é necessário sensibilizar e responsabilizar para a acessibilidade – ex. arquitectos… e chefias) </li></ul>
  9. 9. Quais os limites (lacunas) da intervenção (das instituições/escolas)? <ul><li>Minimização/desvalorização do trabalho dos técnicos </li></ul><ul><li>Mitos perante a incapacidade/deficiência (os dependentes muito inactivos, infantilização… necessidade de proactividade de técnicos especializados) </li></ul><ul><li>Baixo números de equipas multidisciplinares em diversas instituições (ex. equipas constituídas por 1 ou 2 técnicos) </li></ul><ul><li>Problemas na priorização da aplicação de financiamentos (recursos humanos e materiais) </li></ul><ul><li>Ausência de pedidos de aconselhamento a pessoal especializado </li></ul>
  10. 10. Quais os limites (lacunas) da intervenção (das instituições/escolas)? <ul><li>Pouco investimento em formação do pessoal técnico (especialização dos recursos humanos), assim como, prestadores de cuidados e familiares </li></ul><ul><li>Existência de desadequação de espaços físicos (necessidade da actualização de espaços de acordo com as características e necessidades actuais das pessoas com deficiência) </li></ul>
  11. 11. <ul><li>FIM! </li></ul><ul><li>Obrigado pela Vossa Atenção! </li></ul>

×