Diferencas individuais

780 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
780
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diferencas individuais

  1. 1. PERCEPÇÃO, ATITUDES E DIFERENÇAS INDIVIDUAIS “Primeiro árbitro: ‘Pode ser falta ou pênalti, e digo o que realmente é”. Segundo árbitro: ‘Pode ser falta ou pênalti, e digo o que vejo que é’. Terceiro árbitro: ‘Pode ser falta ou pênalti, mas não é nada até que eu diga o que é’.” (H. Cantril)
  2. 2. PERCEPÇÃO  Processo pelo qual os indivíduos organizam e interpretam suas impressões sensoriais, com a finalidade de dar sentido ao seu ambiente.  O que uma pessoa percebe pode ser substancialmente diferente da realidade objetiva.
  3. 3. PERCEPÇÃO  Importante para o estudo do comportamento organizacional. COMPORTAMENTO HUMANO PERCEPÇÃO DA REALIDADE
  4. 4. PERCEPÇÃO Fatores que operam para moldar / distorcer a percepção:  OBSERVADOR  ALVO  CONTEXTO
  5. 5. PERCEPÇÃO OBSERVADOR: Quando uma pessoa observa um alvo e tenta interpretar o que está percebendo, esta interpretação é fortemente influenciada pelas características pessoais do observador.
  6. 6. PERCEPÇÃO ALVO: As características do alvo que está sendo observado também podem afetar a percepção. Os alvos não são observados isoladamente, a sua relação com o cenário influencia a percepção, como nossa tendência a agrupar coisas próximas ou parecidas.
  7. 7. PERCEPÇÃO CONTEXTO: O contexto dentro do qual percebemos os objetos ou eventos é muito importante.
  8. 8. PERCEPÇÃO TEORIA DA ATRIBUIÇÃO:  Tenta explicar a forma como julgamos diferentemente as pessoas, dependendo do sentido que damos a um dado comportamento.  Quando observamos o comportamento tentamos determinar se sua causa é:  Interna – visto sob controle do indivíduo.  Externa – resultante de estímulos de fora. PERCEPÇÃO DA PESSOA
  9. 9. PERCEPÇÃO TEORIA DA ATRIBUIÇÃO:  Modo como determinamos a causa do comportamento é função de três fatores:  Diferenciação (distintividade): comportamentos diferentes em situações diferentes.  Consenso: todas as pessoas respondem de maneira semelhante a uma mesma situação.  Coerência: o que o observador busca nas ações de uma pessoa. PERCEPÇÃO DA PESSOA
  10. 10. PERCEPÇÃO TEORIA DA ATRIBUIÇÃO:  ERRO FUNDAMENTAL:  Quando julgamos o comportamento das outras pessoas, tendemos a subestimar a influência dos fatores externos e superestimar a influência de fatores internos. PERCEPÇÃO DA PESSOA
  11. 11. PERCEPÇÃO TÉCNICAS DESENVOLVIDAS:  Percepção Seletiva: Tendência das pessoas em destacar os aspectos de uma situação com base em seus próprios interesses, experiências passadas e atitudes. PERCEPÇÃO DA PESSOA
  12. 12. PERCEPÇÃO TÉCNICAS DESENVOLVIDAS:  Efeito de Halo: Acontece quando a impressão geral sobre uma pessoa é feita com base em uma única característica (inteligência, sociabilidade, aparência, etc.). PERCEPÇÃO DA PESSOA
  13. 13. PERCEPÇÃO TÉCNICAS DESENVOLVIDAS:  Efeito de Contraste: A avaliação das características de uma pessoa é afetada pela comparação com outras pessoas encontradas recentemente, que têm estas mesmas características avaliadas como melhores ou piores. PERCEPÇÃO DA PESSOA
  14. 14. PERCEPÇÃO TÉCNICAS DESENVOLVIDAS:  Projeção: É a tendência a atribuir características pessoais a outros indivíduos. É mais fácil julgar os outros se assumirmos que eles são parecidos conosco. PERCEPÇÃO DA PESSOA
  15. 15. PERCEPÇÃO TÉCNICAS DESENVOLVIDAS:  Estereotipagem: Acontece quando o julgamento de uma pessoa é feito com base na percepção que temos sobre o grupo do qual ela faz parte . PERCEPÇÃO DA PESSOA
  16. 16. PERCEPÇÃO APLICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES:  Entrevista de Seleção  Expectativas sobre desempenho  Avaliação de desempenho
  17. 17. ATITUDES São afirmações avaliadoras ou julgamentos que dizem respeito a objetos pessoas ou eventos. Refletem como um indivíduo se sente em relação a alguma coisa.
  18. 18. ATITUDES SATISFAÇÃO COM O TRABALHO:  Atitude geral de uma pessoa em relação ao trabalho que realiza. Uma pessoa que tem um alto nível de satisfação com seu trabalho apresenta atitudes positivas em relação a ele, enquanto aquela insatisfeita apresenta atitudes negativas.
  19. 19. ATITUDES ENVOLVIMENTO COM O TRABALHO:  Grau em que uma pessoa se identifica psicologicamente com seu trabalho, participa ativamente dele e considera seu desempenho como uma coisa valiosa para si.  Os altos índices de envolvimento com o trabalho mostraram estar ligados a um menor absenteísmo e índices mais baixos de demissões voluntárias.  No entanto, parecem prever melhor a rotatividade do que o absenteísmo.
  20. 20. ATITUDES COMPROMETIMENTO ORGANIZACIONAL:  Definido como a situação em que o trabalhador se identifica com uma empresa e seus objetivos, desejando manter-se parte dessa organização. Deste modo, o comprometimento com o trabalho significa a identificação com as tarefas realizadas, enquanto que o comprometimento organizacional significa a identificação com a organização na qual se trabalha.
  21. 21. ATITUDES ATITUDES E CONSISTÊNCIA TEORIA DA DISSONÂNCIA COGNITIVA:  Busca explicar o vínculo existente entre atitudes e comportamentos.  Dissonância = inconsistência.  A dissonância cognitiva - qualquer incompatibilidade que um indivíduo percebe entre duas ou mais de suas atitudes, ou entre suas atitudes e seu comportamento.  As pessoas buscam um estado de estabilidade, no qual exista um mínimo possível de dissonância.
  22. 22. ATITUDES ATITUDES E CONSISTÊNCIA TEORIA DA DISSONÂNCIA COGNITIVA:  APLICAÇÃO NAS ORGANIZAÇÕES:  Ajuda na previsão da propensão às mudanças de atitudes e de comportamento
  23. 23. DIFERENÇAS INDIVIDUAIS Leitura do texto “As diferenças individuais explicam o comportamento organizacional”.

×