João Alberto Roque (texto), Rute Freire e Alexandre Freire (ilustrações)
Aconselha-se a visualização seguinte:Em ecrã inteiro - Rectângulo na barra acima à direita.
Há histórias que fazem parte do nosso imagináriocolectivo e que moldaram a nossa percepção da realidade.A fábula da Lebre ...
Dedico esta história – a verdadeira –A todas as crianças que gostam de lerE aos adultos com sentido de humor refinado.La F...
O caso que vos vou descreverPassou-se há muitos e muitos anosNo estranho mundo dos animais…Caso que nunca poderia acontece...
Tudo começou numa entrevista:A Tartaruga, mediática e famosa,Contava, ao pormenor, a sua vida.Além da foto, na capa da rev...
A Lebre viu ali uma boa oportunidadePor isso, como se sabe, aceitou o desafioE declarou ao Papagaio jornalista:«Ninguém me...
No dia previsto e à hora combinada,Manhã cedo, já a Lebre aqueciaOs músculos das pernas e das costas.Para ver a celebridad...
Após uma curta sessão de autógrafos,O canto do galo deu o sinal de partida- Sabem que os tiros assustam os animais.Acompan...
Para a história ficou a fotografia- Uma cena estranha e caricata -Divulgada em revistas e jornais:À sombra duma árvore, a ...
A multidão já aplaudia a bicha célebre.Sob a algazarra, a outra despertouE, ainda tonta, correu como uma seta.Mas chegou d...
Fraude perfeita? Não! Algo correu mal.Um Ratito viu tudo e – finório – percebeu:A Abelha a vender a poção para dormir;A Ta...
O Ratito, pensativo, até roía as unhas:Para repor a justiça teria que acusarUma personagem com grande influência,Sem quais...
O jornalista confrontou, com tais questões,A Tartaruga que o olhava de soslaio.A ilustre visada, ofendida, negou o facto.A...
Séria e tendo que manter a reputação    De especialista em doces e venenos,    A doutora Abelha, envolvida por abuso,    R...
A Tartaruga sempre foi um animal- não se esqueçam - muito influente,Dá-se com bestas capazes do piorE, claro, o caso presc...
O caso que hoje vos descreviPassou-se há muitos e muitos anosNo estranho mundo dos animais…Caso semelhante nunca eu viNo m...
A imprescindível Moral da História:Cuidado! Que as aparências enganam.Pensem por vós, sem ingenuidade,E mesmo que pareça l...
Agradece-se feedback para   jafroque@gmail.com
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada

4.442 visualizações

Publicada em

Fábula com ilustrações originais.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.442
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
24
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fábula da lebre e da tartaruga, uma história mal contada

  1. 1. João Alberto Roque (texto), Rute Freire e Alexandre Freire (ilustrações)
  2. 2. Aconselha-se a visualização seguinte:Em ecrã inteiro - Rectângulo na barra acima à direita.
  3. 3. Há histórias que fazem parte do nosso imagináriocolectivo e que moldaram a nossa percepção da realidade.A fábula da Lebre e da Tartaruga é uma dessas histórias. E se La Fontaine foi induzido em erro ou foi cúmplicede uma tramóia bem montada? Os autores do presente texto, usando de ironia ehumor, vêm apresentar o resultado de uma aturadainvestigação, onde demonstram que houve fraude e que,afinal, a fábula da Lebre e da Tartaruga foi… Uma história mal contada.
  4. 4. Dedico esta história – a verdadeira –A todas as crianças que gostam de lerE aos adultos com sentido de humor refinado.La Fontaine, desculpa lá a brincadeira:Adulterei a tua fábula, que é bonita a valerE não tens culpa, porque foste enganado… Agradeço às minhas fontes de inspiração: Às socialites e a quem vai atrás do foguetório, E, claro, aos jornalistas, juízes e advogados, Aos políticos pouco sérios (felizmente excepção) E aos homens do desporto que têm no repertório Muitos modos diferentes de falsear resultados…
  5. 5. O caso que vos vou descreverPassou-se há muitos e muitos anosNo estranho mundo dos animais…Caso que nunca poderia acontecerNo mundo tão certo dos humanosOnde ninguém engana os demais.
  6. 6. Tudo começou numa entrevista:A Tartaruga, mediática e famosa,Contava, ao pormenor, a sua vida.Além da foto, na capa da revista,Havia uma frase curta e poderosa«Desafio a Lebre para uma corrida».A Tartaruga, que tinha fama de ser lenta,Queria mudar esse aspecto negativo:Nada melhor do que desafiar a LebreO animal mais rápido da florestaMas um bicho assustadiço e esquivoQue raramente saía do seu casebre.
  7. 7. A Lebre viu ali uma boa oportunidadePor isso, como se sabe, aceitou o desafioE declarou ao Papagaio jornalista:«Ninguém me vence em velocidade».Aprazaram a corrida, que seria junto ao rio,Um local aprazível para servir de pista.A Lebre viu ali uma boa oportunidadePor isso aceitou o desafio, como se sabe,
  8. 8. No dia previsto e à hora combinada,Manhã cedo, já a Lebre aqueciaOs músculos das pernas e das costas.Para ver a celebridade, a bicharadaJuntara-se onde a Tartaruga chegariaE cada um fazia as suas apostas.Como a sua especialidade é dar nas vistasA Tartaruga nunca da pompa prescinde:Pegou em dois copos que ela mesma encheu- Há que evitar situações imprevistas -,Deu um copo à Lebre e propôs um brinde:«E que ganhe a melhor, ou seja… eu».
  9. 9. Após uma curta sessão de autógrafos,O canto do galo deu o sinal de partida- Sabem que os tiros assustam os animais.Acompanhadas por jornalistas e fotógrafos,Largaram. Claro que a Lebre saiu rápidaE a outra lenta – os seus estilos habituais.A bicharada ansiosa esperava as velocistas- Àquele ritmo, a Lebre já devia ter chegado -De olhos na meta, estranhavam a demora.Deveras admirados estavam os jornalistasE conjecturavam o que se teria passado,Que a partida fora há mais de uma hora.
  10. 10. Para a história ficou a fotografia- Uma cena estranha e caricata -Divulgada em revistas e jornais:À sombra duma árvore, a Lebre dormiaE a Tartaruga passava rumo à meta(E fotografias não mentem, são reais).
  11. 11. A multidão já aplaudia a bicha célebre.Sob a algazarra, a outra despertouE, ainda tonta, correu como uma seta.Mas chegou demasiado tarde, a Lebre- A bicharada toda em coro a assobiou -Que a Tartaruga já tinha passado a meta.A façanha, a lenda, a bela históriaDa Tartaruga correu mundo e encantou.E ela - com um sorriso de orelha a orelhaPois ficara muito bem na fotografia -Sim, só ela sabia que a Lebre falhouSob o efeito da poção da amiga Abelha.
  12. 12. Fraude perfeita? Não! Algo correu mal.Um Ratito viu tudo e – finório – percebeu:A Abelha a vender a poção para dormir;A Tartaruga a deitá-la no copo da rival.Esta bebeu e, durante a prova, adormeceuE a outra, vagarosa, passou por ela a sorrir.
  13. 13. O Ratito, pensativo, até roía as unhas:Para repor a justiça teria que acusarUma personagem com grande influência,Sem quaisquer provas nem testemunhas.Para divulgar o que vira, teria que usarToda a sua perspicácia e prudência.Escrever uma carta anónima foi a solução…Dirigida ao empenhado jornalistaA relatar o que vira, de forma precisa.Este achou que, se não era só imaginação,Havia ali assunto a não perder de vistaE começou a preparar a sua pesquisa.
  14. 14. O jornalista confrontou, com tais questões,A Tartaruga que o olhava de soslaio.A ilustre visada, ofendida, negou o facto.Achando-se intocável, imune a suspeições,Cometeu o erro de humilhar o Papagaio,Chamando-lhe incompetente, fala-barato.A notícia não tardou a vir a público- a bicharada sedenta de emoções -E descobriu-se uma vida escandalosa.Desde que o credível Papagaio abriu o bicoSucederam-se, em catadupa, as revelações.Para começar houve uma ajuda preciosa:
  15. 15. Séria e tendo que manter a reputação De especialista em doces e venenos, A doutora Abelha, envolvida por abuso, Revelou que a tartaruga pedira a poção Porque andava a dormir bastante menos E afirmara ser para seu próprio uso.Tal como a Tartaruga corpulenta,A mentira tem pernas curtas e baixo nívelE foi no tribunal que o caso foi disputado,Mas, como a ré, a justiça é muito lentaE tem uma carapaça quase intransponívelSe há alguém rico e poderoso implicado.
  16. 16. A Tartaruga sempre foi um animal- não se esqueçam - muito influente,Dá-se com bestas capazes do piorE, claro, o caso prescreveu no tribunal.A Tartaruga continua, indiferenteNa sua carapaça, a achar-se a maior. É esta a única e verdadeira história, Contada com todo o rigor e boa-fé Sem quaisquer enfeites nem fantasias. Conseguir contá-la é já uma vitória… Estranhamente, quão diferente é A versão que chegou aos nossos dias.
  17. 17. O caso que hoje vos descreviPassou-se há muitos e muitos anosNo estranho mundo dos animais…Caso semelhante nunca eu viNo mundo tão certo dos humanos,Onde ninguém engana os demais.
  18. 18. A imprescindível Moral da História:Cuidado! Que as aparências enganam.Pensem por vós, sem ingenuidade,E mesmo que pareça luta inglória,- Mesmo quando muitos vos abandonam -Escolham sempre o lado da verdade.
  19. 19. Agradece-se feedback para jafroque@gmail.com

×