Diferenciação celular e tecidos

922 visualizações

Publicada em

Agronomia

Publicada em: Alimentos
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
922
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
125
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Diferenciação celular e tecidos

  1. 1. Diferenciação celular MSC JADSON MOURA
  2. 2. O que é Diferenciação celular?
  3. 3. Primeiros tipos de células  Procariontes, anaeróbicas e heterotróficas?
  4. 4. Células autotróficas
  5. 5. Células Eucariontes
  6. 6. Características comuns  1) Toda célula é formada pelas mesmas substâncias que, por sua vez, se originaram da combinação entre os elementos: carbono, hidrogênio, oxigênio e nitrogênio (CHON).  2) Toda célula possui um programa genético específico.  3) Toda célula é formada por uma membrana lipoproteica  4) Toda célula possui uma maquinaria para síntese protéica e para a utilização de energia.
  7. 7. Diferenciação celular  A diferenciação ocorre em função da expressão gênica dá célula...  Uma vez diferenciadas não há retorno... Com exceção de alguns tecidos vegetais...  Células Tronco (Meristemáticas)...  Potencial de “diferenciação”...  Células de “Fim de linhagem”...  Totipotencia
  8. 8. Distúrbios na multiplicação e na diferencia- ção Celular.  CANCÊR.  Causas: Radiações ionizantes, substâncias que alterem o DNA, ativação ou alterações de genes ou ação de alguns tipos virais.  Alterações: Proliferação Celular descontrolada, com autonomia celular e erros na diferenciação.  Existem neoplasias BENIGNAS e MALIGNAS.
  9. 9.  Neoplasia Benigna: Não apresenta Metástase (Não se espalha invadindo outros tecidos).  Neoplasia Maligna: Ocorrem Metástases são invasivos, espalham-se pelos outros tecidos.
  10. 10. As vantagens da Multicelularidade  Divisão das tarefas metabólicas em conjuntos altamente especializados.  Proteção contra patógenos.
  11. 11. Histologia Animal  Os tecidos animais são divididos em 4 grandes grupos:  Epitelial  Conjuntivo  Muscular  Nervoso
  12. 12. Tecido Epitelial  Funções:  Proteção do Organismo;  Secreções e excreções;  Sensoriais;  Absorção e trocas gasosas  Superfície externa
  13. 13. Tecido Conjuntivo  Funções:  Preenchimento de espaços vazios;  Fazer a ligação entre órgãos e de diversos tecidos entre outros;  Sustentação;  Transporte;  Defesa.
  14. 14. Tecido Muscular  Funções:  Capacidade de contração;  Movimentação;  Muscular Estriado esquelético;  Muscular Estriado cardíaco;  Muscular Liso.
  15. 15. Tecido Nervoso  Funções:  Comunicar o sistemas;  Sensorial;  Controle motor.  Sistema Nervoso Central;  Sistema Nervoso Periférico;
  16. 16. Histologia Vegetal  Meristemas  Meristemas Primários;  Meristemas Secundários.
  17. 17. Epiderme e parênquima MSC JADSON MOURA
  18. 18. Meristema  Células meristemáticas  Células tronco  TOTIPOTENCIA  Meristema primário
  19. 19. Totipotência  Diferenciação e especialização  Células de Xilema  Células de floema  Epiderme
  20. 20. Epiderme  Vem de meristemas primários (protoderme)  Revestimento  ‘pele’  Modificações estruturais (ambiente)  Cutina  Cutícula  Estômato  Pelos radiculares
  21. 21. Cutina e cutícula
  22. 22. Estômato  Folhas  Trocas Gasosas  Abertura e fechamento  (turgescência)  Células guarda  Câmara subestomática
  23. 23. Estômato
  24. 24. Tricomas  Tectores  Fibrosos e unicelulares
  25. 25. Tricomas  Secretores  Plantas carnívoras
  26. 26. Tricomas  Escamas e/ou Tricomas peltados  Absorção de agua
  27. 27. Pelo Radicular
  28. 28. Parênquima  Tecido de função de determinados órgãos  Preenchimento
  29. 29.  Cellules com cloroplastos  Presentes nas partes verde e mesofilos das folhas  Dois tipos: Paliçádico e lacunoso; PARÊNQUIMA CLOROFILIANO
  30. 30. PARÊNQUIMA AQUÍFERO Cellules que armazenam muita água e/ou formam bolsas de água entre as células PARÊNQUIMA AERÍFERO (aerênquima) Parênquima com grandes espaços entre as células; Encontrados em plantas aquáticas;
  31. 31. PARÊNQUIMA DE RESERVA  Armazena nutrientes. (caules, raízes, frutos e sementes)  Parênquima Amilífero (amido)  Rico em leucoplastos (plastos sem pigmentos) - amiloplastos: armazenam amido. Ex.: em tubérculos de batatinha inglesa (Solanum tuberosum). - proteinoplastos: armazenam proteínas. - elaioplastos:armazenam lipídios. - Ex.: abacate (Persea americana).
  32. 32. Colênquima e Esclerênquima
  33. 33. Colênquima
  34. 34. COLÊNQUIMA  A célula colenquimática notabiliza-se pela plasticidade e espessamento das paredes, além da capacidade da divisão.  Totipotência  Sustentação e crescimento  Crescimento rápido  Divisão celular  Quantidade de organelas
  35. 35. Características do tecido  O colênquima origina-se do meristema primário  Tecido de sustentação  Mais plástico que elástico  água (60% do peso é água), celulose  Caules tenros  Se transforma em esclerênquima em plantas mais velhas
  36. 36. Tecidos de Sustentação: Colênquima  Encontra-se em órgãos jovens em crecimento  Células vivas com espessamento (da parede secundária) e reforço de celulose em seus ângulos  É encontrado abaixo da epiderme;  Dão suporte mas com flexibilidade;
  37. 37. Esclerênquima
  38. 38. Características do tecido  Mais elástico que plástico  Proteção  Casca de frutos secos  Lignina e HemiCelulose  Monocotiledônea e dicotiledônea  Sustentação  Baixa ou nenhuma Totipotência
  39. 39. Tipos de esclerênquima  Esclerídeos  Fibras
  40. 40. Esclerênquima  Formado por células mortas com espessamento e reforço de lignina e celulose;  Grande rigidez para as partes velhas (que nao possuem crescimento primário)  FIBRAS: alongadas e afiladas (que acompanham os tecidos de condução  ESCLEREÍDES: Formas variadas e geralmente ramificadas
  41. 41. Colênquima  Células vivas na maturidade  Sustentação de plantas jovens  Totipotência boa ou alta Esclerênquima  Células Mortas na maturidade  Sustentação de plantas Adultas  Totipotência baixa ou inexistente
  42. 42. Obrigado

×