Biocomustiveis a partir de microorganismos edaficos

326 visualizações

Publicada em

Produção de Biocombustiveis a partir de matéria prima microbiologica do solo

Publicada em: Ciências
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
326
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biocomustiveis a partir de microorganismos edaficos

  1. 1. Dr. Jadson Moura
  2. 2. O que é Biodiesel?  O biodiesel é um éster de ácido graxo;  renovável e biodegradável;  obtido comumente a partir da reação química de óleos ou gorduras, de origem animal ou vegetal (transesterificação) e craqueamento.
  3. 3. Biodiesel  Pode substituir totalmente o diesel;  pode ser usado puro ou misturado ao combustível fóssil; (b2, b10, b100)  Europa, Alemanha, maior produtor e consumidor. (1 Bilhão de litros por ano).
  4. 4. Transesterificação  É o processo mais utilizado atualmente para a produção de Biodiesel.  Inicia-se juntando o óleo vegetal com um álcool e catalisadores (que podem ser ácidos, básicos ou enzimáticos).  Resulta em biodiesel e glicerina.
  5. 5. Craqueamento  O craqueamento ou pirólise é a conversão de uma substância em outra por meio do uso de calor;  Na ausência de oxigênio;  Temperaturas superiores a 450 ºC.
  6. 6. Alternativas para produção  Óleos vegetais (escassez de alimentos)  Gorduras animais  Microrganismos
  7. 7. Microrganismos oleaginosos?  Fungos, bactérias e protozoários;  Acúmulo de 30 a 85% de lipídios em sua biomassa;  capacidade de produção próximo a área de consumo;  Produção com baixo ou nenhum impacto ambiental.
  8. 8. Algas  Fotossíntese (Mais eficiente que as plantas)  Microalgas e macroalgas  Autotróficas e heterotróficas  Responsável pelo acumulo do O2  Base da cadeia alimentar
  9. 9. Algas  Protistas, uni ou pluricelulares, talófitas (avasculares)  Com parede celular (o que as diferencia dos protozoários flagelados)  Corpo (talo) não diferenciado em raiz, caule ou folhas;  Hábito predominantemente aquático (água doce, salobra, marinha);
  10. 10. Algas  Podem ser planctônicas (suspensas na massa d’água) ou bentônicas (fixas a substratos);  Muitas são móveis ou possuem um estágio móvel durante o seu ciclo de vida;  Pigmentos acessórios- coloração avermelhada, azulada, parda e enegrecida;  Formas microscópicas (Micromonas pusilla c/ 1-1,5 µm) até macroscópicas ( feofíceas com 70 m.)
  11. 11. Microalgas  Só podem ser observadas em lupas ou microscópios  0,001 mm de diâmetro  Unicelulares ou pluricelulares  Organismos pioneiros na biosfera  Imóveis, flageladas ou movimento amebóide Anabaena sp
  12. 12. Colônias de microalgas  colônia simples – pequenos grupos de células móveis;
  13. 13. Colônias de microalgas  colônia palmelóide – grupo de células sem mobilidade embebidas em mucilagem;
  14. 14. Colônias de microalgas  filamento – uma fila de células unidas, quer pelas paredes celulares, por mucilagem; por vezes ramificados;
  15. 15. Colônias de microalgas  colônia parenquimatosa – grandes grupos de células formando um pseudo-talo, por vezes com diferenciação parcial de tecidos.
  16. 16. MacroAlgas  Maior ocorrência em água salgada  Podem atingir ate 100 metros (tecidos diferenciados)  Talos (corpo da alga)  Rizóide  Laminas Foliares Macrocystis pyrifera
  17. 17. MacroAlgas  Substrato para outros organismos  Refúgio para animais marinhos  Indicadores das condições do ambiente  Parentes mais próximos dos Vegetais superiores Macrocystis pyrifera
  18. 18. Vantagens do uso de microalgas  Rápida multiplicação  Produtividade de 200 a 300 vezes superior às oleaginosas  Intenso seqüestro de C02 (para cada Mg de microalgas, são seqüestrados 2 Mg de CO2). Isto equivale de 10 a 20 vezes mais que oleaginosas  Dobram sua biomassa a cada 24 h 250.000 Toneladas de Óleo Girassol Soja Microalgas 250.000 500.000 92.500
  19. 19. Miao et al (2006)
  20. 20. Microalgas
  21. 21. Crescimento de microalgas (sistema fechado)
  22. 22. Crescimento de microalgas (sistema fechado)
  23. 23. Circuito (sistema fechado)
  24. 24. Cultivo de microalgas Experiência piloto = Hawaii. Usina = 42 ha Sistema aberto = piscinas rasas Sistema fechado = fotobiorreator 1 ha de microalgas = 100 mil litros de biodiesel. Custo total de implantação = 2 milhões de euros.
  25. 25. Universidad de Cádiz - ES
  26. 26. Tanques de cultivo de microalgas (UFRS)
  27. 27. Sistema de cultivo de microalgas aberto (Hawaii)
  28. 28. Microalgas promissoras  Nitzschia sp. = 45-47% de óleo  Schizochytrium sp. = 50-77%  Botryococcus braunii = 25-75%
  29. 29. Dr. Jadson Moura Coordenador de Pesquisa, Pós-Graduação, Extensão e Ação comunitária – Faculdade Evangélica de Goianésia Jadson@evangelicagoianesia.com.br

×