Mídias Sociais para Jornaistas

388 visualizações

Publicada em

Mídias sociais para Jornalistas

Publicada em: Educação
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
388
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mídias Sociais para Jornaistas

  1. 1. Mídias Sociais no Jornalismo
  2. 2. Mídias Sociais no Jornalismo Jacqueline Lafloufa jornalista de tecnologi a desde 2009, trabalhando com conteúdos para mídias digitais. Integrou a equipe Blue Bus, onde era responsável pela curadoria das editorias de tecnologia, publicidade, jornalismo, inovação e mídia. É editora no Brainstorm#9 e colabora com matérias especiais no Tecnoblog. É formada em literatura e pós-graduada em jornalismo científico pela Unicamp.
  3. 3. Quem são vocês ?
  4. 4. Mídias Sociais no Jornalismo Insta-apresentação Em apenas 15 segundos, quem é você? Tente se concentrar no básico: Qual é seu nome, de onde vem, profissão, por que está aqui.
  5. 5. 1Pra quê usar mídias sociais no jornalismo?
  6. 6. Por que a sua audiência sabe mais do que você
  7. 7. Mídias Sociais no Jornalismo Internet = rede mundial de PESSOAS
  8. 8. Mídias Sociais no Jornalismo Mídias Sociais = jeitos de conectar pessoas
  9. 9. Mídias Sociais no Jornalismo O jornalismo não é mais o único detentor de notícias Cada pessoa pode emitir sua própria breaking news nas suas mídias
  10. 10. Mídias Sociais no Jornalismo Breaking News involuntária, ainda
  11. 11. Mídias Sociais no Jornalismo Era isso:
  12. 12. Jornalismo agora é conversa, não uma palestra
  13. 13. É um processo, não um produto
  14. 14. Mídias Sociais no Jornalismo Cada vez mais, as notícias são apresentadas ‘em desenvolvimento’
  15. 15. Mídias Sociais no Jornalismo Surgem online primeiro, pela rapidez da mídia digital
  16. 16. Mídias Sociais no Jornalismo Veículos não conseguem ser mais rápidos que as mídias sociais, e às vezes não têm mais crédito com o leitor Dados da Raquel Recuero - 17/junho/2013
  17. 17. As redes sociais são suas melhores fontes
  18. 18. Mídias Sociais no Jornalismo A sua rede pode ter informações valiosas
  19. 19. Mídias Sociais no Jornalismo E o melhor: antes de chegar aos jornais
  20. 20. Elas também são fonte de notícias para os leitores
  21. 21. Mídias Sociais no Jornalismo Os leitores não acessam mais as capas de jornais: eles vão direto para a notícia
  22. 22. Mídias Sociais no Jornalismo Esse novo comportamento social mudou até o design/ layout dos portais de notícias
  23. 23. 2Cada rede tem um propósito
  24. 24. Experimente e observe como cada rede se comporta
  25. 25. Mídias Sociais no Jornalismo Twitter: a queridinha dos jornalistas Rápida, ágil - 140 caracteres de informação Permite conversas mesmo fora das redes pessoais (@replies) Conceito de seguidores - você é grande curador das suas redes Listas - privadas e públicas DMs - Só entre pessoas que se seguem mutuamente
  26. 26. Mídias Sociais no Jornalismo Facebook: a intimidade das redes privadas Cunho mais pessoal, reservado Profissionais costumam separar perfis p r i v a d o s e p á g i n a s p ú b l i c a s (personalidades) Permite seguidores e amigos (diferentes graus de intimidade) mensagens em privado - INBOX mensagens públicas - menções Grupos de Discussão - grande flanco a ser explorado
  27. 27. Mídias Sociais no Jornalismo Pinterest: a rede social de imagens Conteúdos imagéticos conseguem ser melhor organizados Menos instantaneidade, mais emoção Usos curiosos: murais com conteúdos específicos, como por exemplo procurados pela justiça.
  28. 28. Mídias Sociais no Jornalismo Instagram: fotos e vídeos curtos Representações visuais com pouca edição Vídeos super curtos para representar uma ‘sensação local'
  29. 29. Mídias Sociais no Jornalismo YouTube: conteúdos audiovisuais Reportagens Trechos de vídeo encadeados, com um narrador Entrevistas
  30. 30. Mídias Sociais no Jornalismo LinkedIn: stalking profissional Dá para saber onde a pessoa trabalha, em que cargo está, quais foram os últimos postos ocupados A ferramenta de conexão pode ser usada para deixar mensagens É possível checar tanto interesses e especialidades quanto expertises e recomendações
  31. 31. Mídias Sociais no Jornalismo Ferramentas que podem ajudar Hootsuite / Tweetdeck / Storify / Buffer
  32. 32. 3Você é o curador da sua rede de informações
  33. 33. Mídias Sociais no Jornalismo Atenção aos temas discutidos na sua timeline siga pessoas variadas, passe a seguir alguém que está dando uma opinião muito diferente do restante, busque #hashtags para compreender o contexto. 5+ falando sobre o mesmo tema = pode ser relevante Xerete quem as pessoas influentes seguem Dê uma fuçada básica na lista de pessoas que são seguidas p o r g e n t e i n fl u e n t e o u i n f o rma d a . É u m j e i t o interessante de expandir a própria rede.
  34. 34. Mídias Sociais no Jornalismo Saiba o que rola nos Trending Topics #TT O assunto só chega ao Trending Topics do Twitter quando é citado por muitas pessoas, o que significa que há uma relevância naquele tema. Verifique se é importante ou interessante para você. TTs são a ‘pauta do dia’ do Twitter. Eles são regionais - certifique-se de checar a sua região, o país e, em alguns casos, o TT mundial
  35. 35. Mídias Sociais no Jornalismo Em todas as mídias, valem essas dicas siga pessoas influentes nas esferas que você atua assine listas crie suas próprias listas privadas entenda quem é seguido por quem, e especule se é útil para você utilidade: quando o assunto não for mais do seu interesse, você pode deixar de seguir alguns perfis interaja em conversas
  36. 36. Mídias Sociais no Jornalismo Realtime: Twitter > Facebook Para saber o que está rolando A-GO-RA, o Twitter ainda é mais eficiente que o Facebook. Isso porque o algoritmo do Zuck ainda esconde algumas informações em tempo real por não considerá-las relevantes - é bom ficar atento. Case de Realtime: Pinguim / Prefs de Curitiba
  37. 37. Mídias Sociais para Jornalistas Case de Realtime: Ferguson no Twitter / #IceBucketChallenge no Facebook
  38. 38. Mídias Sociais para Jornalistas Algoritmo não ajuda
  39. 39. 4Seja profissional SEMPRE
  40. 40. Mas não seja um robô ;)
  41. 41. Mídias Sociais no Jornalismo Jornalista ganha marca própria, independente do veículo "Apesar do caráter essencialmente de entretenimento que os brasileiros dão às redes sociais, é importante salientar que muitos pilares da sociedade não podem se dar ao luxo de transformarem esses ambientes em locais de constante festividade. No caso dos jornalistas, sim, o local também é de entretenimento, mas deve ser levado essencialmente como um eterno ambiente profissional, pois jornalistas são jornalistas dentro e fora das redes, 24 horas por dia." ! TORRES, Cleyton Carlos - Observatório da Imprensa
  42. 42. Mídias Sociais no Jornalismo Jorge Pontual: fotos de gatinhos e até piada com Jared Leto no Oscar
  43. 43. Mídias Sociais no Jornalismo William Bonner: crise de meia idade e escolha da gravata do dia
  44. 44. Mídias Sociais para Jornalistas Comentando o Jornal das 18h com Leilane Neubarth
  45. 45. Mídias Sociais para Jornalistas Selfie do “Em Pauta"
  46. 46. 5Pesque tendências
  47. 47. mas confira sempre a veracidade da informação
  48. 48. Mídias Sociais no Jornalismo “With great power, comes great responsability" - PARKER, Benjamin O jornalista que está nas mídias será sempre mais cobrado sobre o que escreve - isso porque estar nesse meio é estar mais à disposição (e mais acessível) ao leitor. ! É preciso redobrar o cuidado com as informações divulgadas e sobre os posicionamentos pessoais feitos nas redes sociais. ! Vale lembrar que nem tudo que circula na rede é verdade, e é preciso se manter cético e sempre verificar as informações ou buscar fontes confiáveis.
  49. 49. Mídias Sociais no Jornalismo Caso: Repórter da Internet Coletivo de jornalistas que se dispunha a verificar as informações divulgadas na rede durante as manifestações de junho de 2013. ! Funcionamento: uma central pescava boatos e tendências que eram comentadas nas redes e acionava jornalistas que estavam nos locais para confirmar (ou desmentir) a informação. Nos casos onde não existe a confirmação, deixar isso claro e/ou evitar a publicação. Quando viável, checar com as autoridades qual é o posicionamento oficial (uma alternativa é avisar que autoridade X foi contatada para comentar o caso, e que a notícia será atualizada.)
  50. 50. 6Ética e transparência: exigências da rede
  51. 51. Mídias Sociais no Jornalismo Citar outros jornalistas (ou até a concorrência) não é vergonha. Quando a informação divulgada não tiver sido obtida em primeira mão, não deixe de citar a fonte do original. ! O mesmo vale para a dica vinda do leitor. Agradeça sempre que possível. ! Esse reconhecimento de que é preciso fazer uso das suas conexões para completar a matéria é bem visto pelo público. Reconhece quem deve e completa o trabalho jornalístico que fulaninho talvez não saiba/possa/tenha meios de fazer.
  52. 52. Mídias Sociais no Jornalismo Acredite no poder da transparência No ambiente web, erratas não podem ser jogadas no cantinho de uma seção qualquer. É preciso ter a coragem de fazer uma nota de rodapé na notícia em questão para avisar sobre o conteúdo que foi atualizado, e deixar claro qual era a informação que havia sido veiculada erroneamente. ! Isso é especialmente importante para o caso de alguém ter copiado e colado a matéria com o dado errado, ou ter compartilhado um print screen do conteúdo com falhas. A versão web precisa ser sempre a mais recente, e estar atualizada de acordo com as erratas necessárias.
  53. 53. 7Não tenha medo de inovar e experimentar
  54. 54. “Não se faz jornalismo digital na sua zona de conforto” -Steve Buttry
  55. 55. Mídias Sociais no Jornalismo Entenda as novas ferramentas e utilize-as a seu favor Twitter, por exemplo, permite boa cobertura em tempo real, e gera uma boa gama de leitores para o futuro. ! A tendência, que levou a Mídia Ninja ao seu reconhecimento, é importante e tem público. ! Quando a cobertura tradicional (televisiva ou impressa) cessa, o virtual surge como uma forma de prover mais conteúdo para quem ainda quer mais material. Caso: Mídia Ninja Conteúdo com pouca edição e foco no tempo real passa sensação de veracidade. Fotos e pequenos vídeos ajudam a ilustrar o momento e podem ser úteis para acompanhar textos mais extensos/analíticos escritos mais tarde (ou redigidos por uma central de redação). O leitor gosta do conteúdo ‘cru' - ele tira as próprias conclusões depois.
  56. 56. Mídias Sociais no Jornalismo Mídias ainda não consolidadas podem ser 'embedadas' Cada vez mais o jornalismo é multimídia. As pessoas querem ler, mas também ter a possibilidade de assistir, ver ou de ouvir uma notícia. 6 segundos de vídeo fotos e 15 segundos de vídeo Aúdios mais extensos Use-as a seu favor. Cada mídia pode ser útil em um ambiente diferente.
  57. 57. Mídias Sociais no Jornalismo Caso: Entrevista sem edição com Bruno Torturra no Soundcloud Logo após o sucesso da cobertura do Mídia Ninja com o pós TV, Bruno Torturra se tornou um dos expoentes do jornalismo independente. ! Seria bacana fazer uma matéria com ele, mas não era possível perder muito tempo com edição, transcrição, sob a pena de perder o timing. A oportunidade era a instantaneidade. ! Para que isso fosse possível, fiz uma entrevista com ele via telefone - liguei através do meu skype, gravei a ligação e rapidamente subi para o SoundCloud.
  58. 58. Mídias Sociais no Jornalismo Caso: Coberturas imagéticas com auxílio de Vine e Instagram Eventos como a Campus Party ou o youPIX são essencialmente imagéticos. As pessoas querem ver as imagens, ou vídeos, para se sentirem mais próximas da cobertura. ! Essa é, no geral, a vantagem de uma cobertura televisiva, mas parte desse encantamento pode ser replicado com a publicação de imagens em tempo real (ou no tempo mais real que o 3G permitir). ! No Blue Bus, a equipe foi instruída a publicar conteúdos no Vine e no Instagram, e essas postagens eram então incorporadas ao streaming de uma determinada hashtag dentro da publicação. ! A inovação era feita trazendo a cobertura de cada um para um mesmo local, com imagens, vídeos, etc.
  59. 59. 8Mensurando
  60. 60. Mídias Sociais no Jornalismo “(a mensuração) reduz o grau de incerteza" - Douglas Hubbard
  61. 61. Mídias Sociais no Jornalismo dimensão engajamento Mostram o universo que está sendo analisado Mostram a resposta do público ao conteúdo Métricas Visitas Impressões Visualizações Alcance Total Alcance Orgânico Alcance Pago #hashtags @menções comentários curtidas/favoritadas seguidores fãs
  62. 62. Mídias Sociais no Jornalismo Métricas de dimensão te dão noção do que você está lidando e servem como parâmetros 200 mil compartilhamentos de um post no Facebook é muito ou é pouco?
  63. 63. Mídias Sociais no Jornalismo 200 mil compartilhamentos para um alcance de 1 milhão de pessoas = 20% = alto 200 mil compartilhamentos para um alcance de 100 milhões de pessoas = 0,02% = baixo depende do universo com que você está lidando
  64. 64. Mídias Sociais no Jornalismo A proporção entre engajamento e dimensão é a chave para a mensuração de resultados
  65. 65. Mídias Sociais no Jornalismo Use encurtadores para contar cliques ! bit.ly, pegue a URL e acrescente o + no final para ter acesso aos dados ! Ex.: https://bitly.com/1kUBNTV+
  66. 66. Mídias Sociais no Jornalismo Não analise um post apenas por suas interações O volume de likes, compartilhamentos e comentários não pode ser a única métrica para entender receptividade ! Utilize os cliques também Taxa de interações Likes + Comentários + Compartilhamentos + Cliques Alcance total OU Volume de fãs
  67. 67. Obrigada! :)! mídiasparajornalistas.tumblr.com! jacqueline.lafloufa@gmail.com @jacquelinee facebook.com/jacquelinee

×