APRESENTAÇÃO DO LIVRO:

MODA & SUSTENTABILIDADE
DESIGN PARA MUDANÇA
KATE FLETCHER & LYNDA GROSE

Izabela Salcedo Amaral
De...
Capítulo 1: Materiais
Ministério regulamenta produção de roupas e tecidos orgânicos de algodão
O Ministério da Agricultura...
A tecelagem EcoSimple confecciona seus
produtos a partir de sobras de tecidos.
O material coletado é encaminhado para
pequ...
Grupo Natural Cotton Color
Grupo de confecções de vestuário, que utilizam para
a criação de seus produtos o algodão colori...
Seleção de marcas e lojas sustentáveis

Os produtos da marca Flavia Aranha
são de cunho sustentável, pois os
tecidos usado...
A sustentabilidade, além do design, é
uma das principais preocupações da
marca do estilista Oskar Metsavaht.
Os tecidos ut...
A antiga loja do Morumbi
Shopping, foi projetada com o
conceito de neutralizar o
carbono. Logo na fachada, viase um contad...
O projeto Traces é uma parceria ítalo-brasileira
entre o Instituto E, o Ministério do Meio
Ambiente, Terra e Mar da Itália...
Natural Organic World
NOW® é um Selo de Garantia da origem orgânica de matérias
primas, que a partir da inspeção realizada...
Natural Organic World
NOW® é um Selo de Garantia da origem orgânica de matérias
primas, que a partir da inspeção realizada...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Moda e sustentabilidade

2.710 visualizações

Publicada em

0 comentários
5 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.710
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
20
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
56
Comentários
0
Gostaram
5
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Moda e sustentabilidade

  1. 1. APRESENTAÇÃO DO LIVRO: MODA & SUSTENTABILIDADE DESIGN PARA MUDANÇA KATE FLETCHER & LYNDA GROSE Izabela Salcedo Amaral Design de Moda – Estilo 3º semestre - Turma AB Profª. Mitiko Kodaira de Medeiros Tecnologia Têxtil Centro Universitário Senac Maio de 2013
  2. 2. Capítulo 1: Materiais Ministério regulamenta produção de roupas e tecidos orgânicos de algodão O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento anunciou nessa quinta-feira (2), a legislação que estabelece o regulamento técnico para produtos têxteis orgânicos derivados do algodão. A Instrução Normativa nº 23, publicada no Diário Oficial da União, aplica-se principalmente a indústrias que fabricam tecidos e roupas orgânicas a partir da fibra, obtida em sistema orgânico de cultivo e certificada pelo Sistema Brasileiro de Avaliação da Conformidade Orgânica. A regra determina que o algodão utilizado na peça têxtil seja produzido de acordo com as normas técnicas para os Sistemas Orgânicos de Produção Animal e Vegetal. A norma também limita o uso de produtos químicos nos processos de tinturaria, estamparia e acabamento para reduzir os impactos ambientais da atividade. O chefe da Divisão de Controle da Qualidade Orgânica do Ministério da Agricultura, Roberto Mattar, explica que a instrução normativa é uma demanda antiga do setor. “O mais importante é a lista de insumos que podem ser usados na fabricação, pois o processamento convencional de tecidos usa uma quantidade grande de produtos químicos, principalmente tintas, que são produtos poluentes, presentes no rejeito industrial da atividade”, ressalta. A legislação trata, ainda, sobre a etiquetagem e define a percentagem de matéria-prima orgânica necessária para um produto ser considerado orgânico e receber o selo oficial. Pontos como o transporte, beneficiamento e armazenamento também são descritos na publicação. Atualização De acordo com o Ministério da Agricultura, mais de 11 mil produtores já se ajustaram às novas regras de produção orgânica. Desde o dia 1º de janeiro deste ano, o produto comercializado na rede varejista como orgânico deve conter o selo do Sistema Brasileiro de Conformidade Orgânica.  Durante alguns meses, os consumidores ainda poderão encontrar produtos sem o selo em função da comercialização de parte dos estoques produzidos em 2010. Os agricultores familiares que comercializam diretamente para os consumidores não necessitam ter o selo, mas devem apresentar o documento que comprova o seu cadastramento no Ministério da Agricultura. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/noticias/arquivos/2011/06/03/ministerio-regulamentaproducao-de-roupas-e-tecidos-organicos-de-algodao.
  3. 3. A tecelagem EcoSimple confecciona seus produtos a partir de sobras de tecidos. O material coletado é encaminhado para pequenas cooperativas, que separam as sobras por cor. De volta para a tecelagem, as sobras passam por vários processos sem o uso de produtos químicos. Feito isso, os tecidos seguem para as etapas de moagem, desmanche, limpeza; são transformados em polímero, para então tornarem-se fio e tecido. Os materiais têxteis que a EcoSimple produz, atendem a uma variedade de marcas, tais como: Coca-Cola Shoes, Herchcovitch, Karin Feller, entre outras. O mais novo empreendimento da EcoSimple são o revestimento das poltronas do setor Premium do novo Estádio do Maracanã no Rio de Janeiro. Em seus produtos são combinadas as resistentes fibras de poliéster originárias de garrafas PET com o macio algodão tinto reciclado. São utilizadas aparas de tecidos 100% algodão já tinto provenientes do corte das confecções. O PET é coletado , higienizado, moído e derretido para tornar-se fibra. Desfibram os retalhos de tecido, para transforma-los em fibras, separando-os em cores diferentes.
  4. 4. Grupo Natural Cotton Color Grupo de confecções de vestuário, que utilizam para a criação de seus produtos o algodão colorido naturalmente, desenvolvido pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agrícola – EMBRAPA, desta forma nenhum dos produtos necessita de tingimento químico. O algodão é cultivado por pequenos produtores para incentivar a agricultura familiar e combater a monocultura. Este algodão também é resistente as pragas, por isso os agrotóxicos são usados com baixíssima frequência, sempre em pequenas quantidades, apenas para o agricultor não perder a colheita. Em decorrência deste fato, 70% da água (do processo convencional) é economizado. Além de desenvolverem um produto sustentável, também existe a preocupação com questões sociais. A mão de obra é de artesãs de regiões mais pobres do semi-árido nordestino e presidiárias. As confecções que fazem parte deste grupo são: Coco Brasil (moda feminina), Comparoni (bolsas e acessórios), D’Cotton (moda feminina), Francisca Vieira (moda feminina e masculina), Maria Xique (moda feminina) e Rubra Rosa (moda bebê e infantil).
  5. 5. Seleção de marcas e lojas sustentáveis Os produtos da marca Flavia Aranha são de cunho sustentável, pois os tecidos usados na confecção de suas peças, são a lã artesanal, o algodão orgânico, cultivado informalmente por famílias em suas casas, e fiado e tecido por artesãs (processo que pode levar até três meses); a seda é produzida manualmente de casulos descartados pela indústria convencional, pela empresa Casulo Feliz. Os pigmentos utilizados para colorir as roupas são naturais, extraídos de plantas da flora brasileira, como: urucum, espinafre, acácia, romã, entre outros. A marca Éden confecciona grande parte de seus produtos em algodão 100% orgânico, voltados para o público jovem. A vasta opção de cores de seus produtos é alcançada a partir de tingimentos com corantes e pigmentos naturais. Seus produtos variam de camisas, camisetas, jeans, vestidos, entre outros, comercializando moda feminina e masculina. A empresa também se encarrega de avaliar e bonificar todas as pessoas que se envolveram com o processo de confecção de suas peças.
  6. 6. A sustentabilidade, além do design, é uma das principais preocupações da marca do estilista Oskar Metsavaht. Os tecidos utilizados nas peças são ecológicos, como: couro de pirarucu que é feito a partir do descarte da indústria alimentícia, algodão orgânico, seda orgânica fiada à mão com o que é descartado pela indústria e tinta com pigmentos vegetais, tecido reciclado, juta ecológica, malhas de garrafa PET, palha, lona, e o bioplástico (produzido com amido de milho e é biodegradável). Em 2007, Metsavaht lançou o Instituto- E, que disponibiliza pesquisas e informações para o mercado colocando em contato as duas partes da cadeia produtiva, ou seja, o fabricante e o comprador da matéria-prima. A marca Reserva Natural utiliza matérias primas, como algodão, viscose e linho, extraídas e produzidas sob a monitoria da empresa. Os aviamentos ou adornos dos produtos de moda feminino, também são avaliados antes de serem utilizados; Coco, madrepérola, rendas, bordados manuais e fuxicos são frequentemente utilizados nas peças. Para o bom funcionamento deste processo, foram escolhidos fornecedores que utilizam boas práticas ambientais e sociais em seus processos. A produção da Reserva Natural é feita na ampla sede da empresa, onde estão instalados os estúdios de criação, a área administrativa e a produção. O produto Reserva Natural, além de um conceito sustentável, possui uma característica artesanal muito presente, principalmente nos saches perfumados com aroma de ervas que acompanham cada peça.
  7. 7. A antiga loja do Morumbi Shopping, foi projetada com o conceito de neutralizar o carbono. Logo na fachada, viase um contador que registava os índices de carbonos liberados dentro da loja. Mesmo que a marca não tenha o termo sustentabilidade como seu DNA, existe uma preocupação com a origem da matéria-prima. A loja da marca espanhola situada no Shopping JK Iguatemi, foi planejada para reduzir as emissões de carbono. O chão é de granito feito de sobras, lâmpadas de LED iluminam o ambiente (poupando energia) e a água utilizada na loja é a mesma que alimenta o ar condicionado. Atualmente a marca também assinou o acordo com o Ministério Público do Trabalho Brasileiro para a melhoria das condições de trabalho, que incluiu investimentos sociais.
  8. 8. O projeto Traces é uma parceria ítalo-brasileira entre o Instituto E, o Ministério do Meio Ambiente, Terra e Mar da Itália, o Fórum das Américas e o Senai-Cetiqt.
  9. 9. Natural Organic World NOW® é um Selo de Garantia da origem orgânica de matérias primas, que a partir da inspeção realizada por institutos internacionais, normaliza os processos de produção. Este selo pertence à Empresa Têxtil Coexis P&D Ltda. que tem como base a agricultura familiar. É extensa a variedade de tecidos certificados com o selo NOW®: cambraia, popeline, tricoline, denim, sarjas e malhas, entre outros, e para que o produto receba o selo, o Instituto Biodinâmico analisa todo processo de produção, desde o cultivo da matéria prima, até o tingimento, estampagem e confecção. O Programa Orgânico Coexis coordena associações e cooperativas de agricultores junto a organizações governamentais e ONGs, para a produção de matéria prima orgânica, visando a assistência aos pequenos produtores e garantindo a compra total da produção.
  10. 10. Natural Organic World NOW® é um Selo de Garantia da origem orgânica de matérias primas, que a partir da inspeção realizada por institutos internacionais, normaliza os processos de produção. Este selo pertence à Empresa Têxtil Coexis P&D Ltda. que tem como base a agricultura familiar. É extensa a variedade de tecidos certificados com o selo NOW®: cambraia, popeline, tricoline, denim, sarjas e malhas, entre outros, e para que o produto receba o selo, o Instituto Biodinâmico analisa todo processo de produção, desde o cultivo da matéria prima, até o tingimento, estampagem e confecção. O Programa Orgânico Coexis coordena associações e cooperativas de agricultores junto a organizações governamentais e ONGs, para a produção de matéria prima orgânica, visando a assistência aos pequenos produtores e garantindo a compra total da produção.

×