ExclusãO Digital

761 visualizações

Publicada em

Publicada em: Arte e fotografia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
761
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
34
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ExclusãO Digital

  1. 1. MAPA DA EXCLUSÃO DIGITALMAPA DA EXCLUSÃO DIGITAL Coordenação de ações de inclusão digital e idealizador da iniciativa: CDI sob a liderança de Rodrigo Baggio Apoio Financeiro: Sun Microsystems POMMAR/USAID CPS/IBRE/FGV Concepção e Execução da pesquisa: CPS/IBRE/FGV
  2. 2. 1.1. InclusInclusãão Digital e Combate Sustento Digital e Combate Sustentáávelvel àà MisMiséériaria 2. Retratos Sociais da Inclusão Digital Doméstica2. Retratos Sociais da Inclusão Digital Doméstica 3. Inclusão Digital na Escola3. Inclusão Digital na Escola 4. Índices da Inclusão Digital4. Índices da Inclusão Digital 5. Mapas da Exclusão Digital5. Mapas da Exclusão Digital MAPA DA EXCLUSÃO DIGITALMAPA DA EXCLUSÃO DIGITAL 6. Demonstração do Software6. Demonstração do Software
  3. 3. Visão GeralVisão Geral INCLUSÃOINCLUSÃO DIGITALDIGITAL (ID)(ID) ESCOLA GOVERNO EMPREGO NEGÓCIOS DOMICÍLIOS
  4. 4. MAPA DE BASE DE DADOSMAPA DE BASE DE DADOS Pesquisas Domiciliares Registros Administrativos e Pesquisas em Estabelecimentos PNAD Censo PME POF PPV PCV SAEB e Censo Escolar RAIS e CAGED ECINF PINTEC Ministério das Telecomunicações e Anatel e Ministério da Ciência e Tecnologia ONU WEF Visão GeralVisão Geral
  5. 5. 1.1. InclusInclusãão Digital e Combate Sustento Digital e Combate Sustentáávelvel àà MisMiséériaria ““Pobres precisam, acima de tudo, de oportunidade.Pobres precisam, acima de tudo, de oportunidade. Oportunidades hoje sOportunidades hoje sãão representadas pela posse deo representadas pela posse de ativos ligados a tecnologia da informaativos ligados a tecnologia da informaçãção.o.”” TIPOS DE POLÍTICAS X EstruturaisCompensatórias
  6. 6. “É“É preciso ir alpreciso ir aléém dom do óóbvio, como a baixa renda,bvio, como a baixa renda, para se entender a pobreza;para se entender a pobreza; éé necessnecessáário entenderrio entender mais porque os pobres recebem menos.mais porque os pobres recebem menos.”” ““O aspecto compensatO aspecto compensatóório das polrio das polííticas nticas nãão deixao deixa raiz na vida das pessoas. A inclusraiz na vida das pessoas. A inclusãão digitalo digital estabelece as bases estruturais da era doestabelece as bases estruturais da era do conhecimento.conhecimento.””
  7. 7. MAPADOFIMDAFOME: Metas Sociais ContraMiséria nos MunicípiosFluminenses MAPADOFIMDAFOME: MetasSociaisContraMiséria nos MunicípiosFluminenses GrandeRio-PME2000 MunicípiodoRio Estado do Rio de Janeiro PNAD (1998-99) SULFLUMINENSE CENTROFLUMINENSE NOROESTEFLUMINENSE NORTEFLUMINENSE BAIXADAS GRANDERIO MAPADOFIMDAFOME: MetasSociaisContraMiséria nos MunicípiosFluminenses Elaboradoa partirdosmicrodadosdoIBGE Fonte:CPS/FGV CPS Centro de Políticas Sociais Julho2001
  8. 8. Paralelo com o Mapa do Fim da Fome i)i) privilegiamos aqui estoques de ativos, e nprivilegiamos aqui estoques de ativos, e nããoo fluxos de rendas.fluxos de rendas. ii)ii) olhamos mais para a riqueza e nolhamos mais para a riqueza e nãão tanto parao tanto para as caras carêências.ncias. iii)iii) a abordagema abordagem éé multifacetada, com diversasmultifacetada, com diversas dimensdimensõões do bem estar social.es do bem estar social. iv)iv) a pola políítica de ID busca a modernidade, tentatica de ID busca a modernidade, tenta incorporar novas tecnologias.incorporar novas tecnologias.
  9. 9. Retorno Social ““A maior parte das maiores fortunas do mundoA maior parte das maiores fortunas do mundo deriva da nova economia. Agora comoderiva da nova economia. Agora como levleváá--lala aosaos mais jovens e desfavorecidos?mais jovens e desfavorecidos?”” Diversificação Social "A proposta"A proposta éé abrir fundos sociais voluntabrir fundos sociais voluntáários pararios para inclusinclusãão digital, Bolsao digital, Bolsa--Escola, a fim de diversificarEscola, a fim de diversificar riscos."riscos."
  10. 10. Capital Digital e Tipo de Impactos ““O capital digital presente nos cartO capital digital presente nos cartõões eletres eletrôônicosnicos sociais suscitam uma revolusociais suscitam uma revoluçãção na capacidade doso na capacidade dos pobres de amortecer choques epobres de amortecer choques e alavancaralavancar oportunidades.oportunidades.”” GERAÇÃO DE RENDA CAPITAL DIGITAL SUAVIZAR CONSUMO EFEITOS DIRETOS NO BEM-ESTAR
  11. 11. 2.2. Retratos Sociais da InclusRetratos Sociais da Inclusãão Digital Domo Digital Doméésticastica ““Em 2001, 12,46% da populaEm 2001, 12,46% da populaçãção brasileirao brasileira dispunha de acesso em seus lares a computador edispunha de acesso em seus lares a computador e 8,31%8,31% àà Internet.Internet.””
  12. 12. Escolaridade 4.06 4.84 7.60 17.58 58.92 0 anos 1 a 4 anos 4 a 8 anos 8 a 12 anos mais de 12 anos Taxa de Acesso Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados PNAD/IBGE
  13. 13. Idade 8.98 13.44 11.90 17.85 17.16 10.96 8.11 até 15 anos 20 a 25 anos 30 a 35 anos 40 a 45 anos 50 a 55 anos 60 a 65 anos Mais de 70 anos Taxa de Acesso Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados PNAD/IBGE
  14. 14. Posição na Família 12.34 13.49 12.18 10.01 14.51 23.04 Chefe Cônjuge Filhos Outro Parente Agregado Pensionista Taxa de Acesso ““Os pensionistas tem a taxa mais alta de IDD (23%Os pensionistas tem a taxa mais alta de IDD (23% para computadores e 10.64% para internet).para computadores e 10.64% para internet).”” Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados PNAD/IBGE
  15. 15. Urbanização 12.42 4.39 0.76 0.98 área urbanizada área rural de extensão urbana aglomerado Rural (povoado) área rural Exclusive Aglomerado rural Taxa de Acesso Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados CENSO/IBGE
  16. 16. Estado Civil 13.43 16.73 8.13 9.73 Casado Divorciado Viúvo Solteiro Taxa de Acesso Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados CENSO/IBGE
  17. 17. Contribuição para Previdência 28.44 6.90 Contribui Não contribui Taxa de Acesso Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados CENSO/IBGE
  18. 18. Raça 15.14 3.97 41.66 4.06 3.72 Branca Preta Amarela Parda Indígena Taxa de Acesso Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados CENSO/IBGE
  19. 19. Gênero ““Como as mulheres sComo as mulheres sãão mais educadas era de seo mais educadas era de se esperar uma maior, e nesperar uma maior, e nãão igual, IDD, configurandoo igual, IDD, configurando uma brecha digital condicionada entre sexos.uma brecha digital condicionada entre sexos.”” Setor de Atividade ““A chance controlada de servidores pA chance controlada de servidores púúblicosblicos possupossuíírem computadorrem computador éé 10,32% maior do que10,32% maior do que para um trabalhador do setor de servipara um trabalhador do setor de serviçços.os.””
  20. 20. Unidades da Federação ““As menores taxas de IDD sAs menores taxas de IDD sãão encontradas noso encontradas nos estados de ocupaestados de ocupaçãção recente como o Tocantins, ouo recente como o Tocantins, ou nos mais pobres. Agora, a brecha digital entre elesnos mais pobres. Agora, a brecha digital entre eles cai bastante ao controlarmos por outrascai bastante ao controlarmos por outras caractercaracteríísticas observsticas observááveis.veis.””
  21. 21. TEM ACESSO A COMPUTADOR COM INTERNETTEM ACESSO A COMPUTADOR COM INTERNET RAZÃO DE CHANCES CONDICIONALRAZÃO DE CHANCES CONDICIONAL BRASILBRASIL -- 20012001 Razão de chances 0.08 a 0.13 0.13 a 0.24 0.24 a 0.4 0.4 a 0.63 0.63 a 1.33 Razão de chances 0.08 a 0.13 0.13 a 0.24 0.24 a 0.4 0.4 a 0.63 0.63 a 1.33 Razão de chances 0.08 a 0.13 0.13 a 0.24 0.24 a 0.4 0.4 a 0.63 0.63 a 1.33 TEM ACESSO A COMPUTADOR COM INTERNETTEM ACESSO A COMPUTADOR COM INTERNET RAZÃO DE CHANCES CONDICIONALRAZÃO DE CHANCES CONDICIONAL BRASILBRASIL -- 20012001 Razão de chances 0.08 a 0.13 0.13 a 0.24 0.24 a 0.4 0.4 a 0.63 0.63 a 1.33 Razão de chances 0.08 a 0.13 0.13 a 0.24 0.24 a 0.4 0.4 a 0.63 0.63 a 1.33 Razão de chances 0.08 a 0.13 0.13 a 0.24 0.24 a 0.4 0.4 a 0.63 0.63 a 1.33 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados PNAD/IBGEFonte: CPS/FGV a partir dos microdados PNAD/IBGE
  22. 22. ““Segundo a Lei deSegundo a Lei de MooreMoore, a cada 18 meses o pre, a cada 18 meses o preçço doso dos computadores caicomputadores cai àà metade, abrindo espametade, abrindo espaçço parao para doadoaçãção.o.”” ““Entre as despesas totais dos incluEntre as despesas totais dos incluíídos digitaisdos digitais percebemos 2,62% era gasto com microcomputadores epercebemos 2,62% era gasto com microcomputadores e acessacessóórios.rios.”” ““62% das aquisi62% das aquisiçõções de microcomputadores forames de microcomputadores foram àà vista, enquanto 31,2 % foram adquiridos a prazo.vista, enquanto 31,2 % foram adquiridos a prazo.”” ““Entre aqueles que possuem microcomputador, apenasEntre aqueles que possuem microcomputador, apenas 4,22% foram recebidos como doa4,22% foram recebidos como doaçãção.o.”” Outras Pesquisas Domiciliares
  23. 23. 3. Inclusão Digital na Escola3. Inclusão Digital na Escola ““A melhor forma de combater o apartheid digital aA melhor forma de combater o apartheid digital a longo prazolongo prazo éé investir diretamente nas escolas, deinvestir diretamente nas escolas, de modo que os alunos possam ter acesso desde cedomodo que os alunos possam ter acesso desde cedo ààs novas tecnologias.s novas tecnologias.”” ““O CDI foi a primeira ONG brasileira a criar escolasO CDI foi a primeira ONG brasileira a criar escolas de informde informáática e de direitos civis. Tendo cometica e de direitos civis. Tendo começçadoado sua atuasua atuaçãção pelas favelas do Rio de Janeiro.o pelas favelas do Rio de Janeiro.””
  24. 24. Acesso à Tecnologia da Informação nas EscolasAcesso à Tecnologia da Informação nas Escolas % de Alunos% de Alunos LaboratLaboratóório derio de InformInformááticatica AcessoAcesso àà InternetInternet FundamentalFundamental TotalTotal 23,9423,94 25,3925,39 11ªª a 4a 4ªª sséérierie 14,6614,66 19,8119,81 55ªª a 8a 8ªª sséérierie 35,6835,68 32,4432,44 MMéédiodio 55,8755,87 45,6445,64 Fonte: Censo Escolar 2001/INEPFonte: Censo Escolar 2001/INEP
  25. 25. Acesso à Tecnologia da Informação nas EscolasAcesso à Tecnologia da Informação nas Escolas As cinco UFAs cinco UF’’s mais inclus mais incluíídas nodas no ensino fundamentalensino fundamental LaboratLaboratóório derio de InformInformááticatica SSãão Pauloo Paulo 49,749,7 ParanParanáá 37,237,2 Rio de JaneiroRio de Janeiro 34,434,4 Rio Grande do SulRio Grande do Sul 31,731,7 Distrito FederalDistrito Federal 29,929,9 Fonte: Censo Escolar 2001/INEPFonte: Censo Escolar 2001/INEP
  26. 26. Variação Anual da Proporção de Alunos com Acesso à Laboratório de Informática – 2001/1997 Os trOs trêês maiss mais AmapAmapáá 43,6743,67 TocantinsTocantins 41,8441,84 MaranhMaranhããoo 32,7132,71 Ensino FundamentalEnsino Fundamental Os trOs trêês menoss menos RoraimaRoraima 5,425,42 AlagoasAlagoas 7,557,55 Distrito FederalDistrito Federal 8,018,01 Fonte: Censo EscolarFonte: Censo Escolar
  27. 27. Acesso à Tecnologia da Informação nas EscolasAcesso à Tecnologia da Informação nas Escolas Os cinco municOs cinco municíípios do RJpios do RJ mais inclumais incluíídosdos LaboratLaboratóório derio de InformInformááticatica Volta RedondaVolta Redonda 59,0259,02 NiterNiteróóii 42,0242,02 SSãão Gono Gonççaloalo 38,8438,84 ArmaArmaçãção dos Bo dos Búúzioszios 35,2935,29 NilNilóópolispolis 31,2531,25 Fonte: Censo Escolar 2001/INEP e CIDEFonte: Censo Escolar 2001/INEP e CIDE
  28. 28. ““ObservaObserva--se que o desempenho dos alunos quese que o desempenho dos alunos que nnãão to têêm computadorm computador éé menor do que o dos alunosmenor do que o dos alunos que tque têêm computador, mas o fato de ter mais dem computador, mas o fato de ter mais de um computador em casa num computador em casa nãão melhora a nota doso melhora a nota dos alunos.alunos.”” ““Todas as companhias de telecomunicaTodas as companhias de telecomunicaçõçõeses devem, por lei, contribuir 1% de seus lucros aodevem, por lei, contribuir 1% de seus lucros ao FUST cujos recursos tem ficado retidos de forma aFUST cujos recursos tem ficado retidos de forma a financiar o ajuste fiscal brasileiro,financiar o ajuste fiscal brasileiro, descaracterizando a sua fundescaracterizando a sua funçãção original.o original.””
  29. 29. Desempenho Matemática - 4ª série 174.37 204.2 198.26 177.44 186.81 0 50 100 150 200 250 Não têm computador Tem um computador Tem dois computadores Tem três computadores Tem quatro computadores IDE e Proficiência Escolar: Análise Bivariada Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados SAEB/MEC
  30. 30. Desempenho Matemática - 4ª série 177.98 185.75 0 50 100 150 200 Não tem acesso à internet Tem acesso à internet Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados SAEB/MEC
  31. 31. IDE e Proficiência Escolar: Análise Multivariada EquaEquaçãção Estimada:o Estimada: iiii iiiiiii uUFNdomComputadorduráveis bliServiçosPúIdadeedupaiedumaecorsexoofic +++++ ++++++= 10987 654321 cos)(Pr ββββ ββββββα ““A correlaA correlaçãção entre desempenho escolar e acesso ao entre desempenho escolar e acesso a computadorcomputador éé positiva em todas as faixas em questpositiva em todas as faixas em questãão eo e éé maior na faixa que compreende os alunos de 13 a 18maior na faixa que compreende os alunos de 13 a 18 anos que freqanos que freqüüentam a 8entam a 8ªª sséérie. Tanto na prova derie. Tanto na prova de PortuguPortuguêês quanto na prova de matems quanto na prova de matemáática essa foi atica essa foi a faixa que mostrou maior impacto.faixa que mostrou maior impacto.””
  32. 32. 6.49 13.06 8.35 0.00 2.00 4.00 6.00 8.00 10.00 12.00 14.00 4ª série fundamental 8ª série fundamental 3ª série ensino médio Língua Portuguesa 10.96 17.68 17.08 0.00 2.00 4.00 6.00 8.00 10.00 12.00 14.00 16.00 18.00 4ª série fundamental 8ª série fundamental 3ª série ensino médio Matemática Fonte: SAEB/MECFonte: SAEB/MEC Desempenho dos Alunos que Têm Computador
  33. 33. Índice de Rede Instalada 2.07 - 2.66 2.66 - 3.7 3.7 - 4.6 4.6 - 5.92 Seminformação Índice de Rede Instalada - 2002 Fonte: Fórum Econômico Mundial - WEF
  34. 34. Networked Readiness Index (Índice de Rede Instalada) Ambiente da Tecnologia da Informação Prontidão Utilização da Tecnologia Mercado Estrutura Política e Regulamentar Infra-estrutura Indivíduos Empresas Governos Indivíduos Empresas Governos 4. Índices da Inclusão Digital4. Índices da Inclusão Digital
  35. 35. Doméstico Governo Negócios
  36. 36. Índice de Inclusão Digital (IID/FGV) Escola (IDE) Doméstico (IDD) Emprego (IDEM) Governo (IDG) Negócios (IDN)
  37. 37. O RelO Relóógio da Inclusgio da Inclusãão Digitalo Digital resume as interaresume as interaçõçõeses entre as estimativas populacionais do IBGE com asentre as estimativas populacionais do IBGE com as projeprojeçõções de crescimento da taxa de acesso aes de crescimento da taxa de acesso a computadores.computadores. O relO relóógio visa motivar os atores envolvidos e fornecergio visa motivar os atores envolvidos e fornecer monitoramento amigmonitoramento amigáável de metas sociais ligadosvel de metas sociais ligados àà tecnologia da informatecnologia da informaçãção.o. ↓
  38. 38. Taxa de Crescimento versus NTaxa de Crescimento versus Níível Inicial de Acesso avel Inicial de Acesso a Computadores nos DomicComputadores nos Domicíílios entre UFlios entre UF’’ss -20% 0% 20% 40% 60% 80% 100% 120% 0 0,05 0,1 0,15 0,2 0,25 0,3 Fonte: CPS/FGV processando os microdados do Censo 2000 e PNAD 20Fonte: CPS/FGV processando os microdados do Censo 2000 e PNAD 2001, ambos do IBGE.01, ambos do IBGE.
  39. 39. 5. Mapas da Exclusão Digital5. Mapas da Exclusão Digital ““O Mapa da ExclusO Mapa da Exclusãão Digital permite trao Digital permite traççar oar o ppúúblicoblico--alvo das aalvo das açõções de incluses de inclusãão digital; e aoo digital; e ao cidadcidadãão comum enxergar o seu pao comum enxergar o seu paíís, a sua cidades, a sua cidade e mesmo seu bairro desde uma perspectivae mesmo seu bairro desde uma perspectiva prpróópria.pria.”” Mapa de Ativos Mapa do Trabalho Mapa de Renda MAPA DAMAPA DA EXCLUSÃOEXCLUSÃO DIGITALDIGITAL Mapa Social Básico Mapa do Fim da Fome
  40. 40. Proporção de moradores com acesso a computadorProporção de moradores com acesso a computador -- UFUF Os trOs trêês mais inclus mais incluíídosdos Distrito FederalDistrito Federal 23,8723,87 SSãão Pauloo Paulo 17,9817,98 Rio de JaneiroRio de Janeiro 15,5115,51 Os trOs trêês menos inclus menos incluíídosdos MaranhMaranhããoo 2,052,05 TocantinsTocantins 2,762,76 PiauPiauíí 2,782,78 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo DemogrFonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo Demográáfico 2000/ IBGEfico 2000/ IBGE
  41. 41. Proporção de moradores com acesso a computadorProporção de moradores com acesso a computador MunicípiosMunicípios -- RJRJ Os trOs trêês mais inclus mais incluíídosdos NiterNiteróóii 34,1634,16 Rio de JaneiroRio de Janeiro 23,6023,60 Volta RedondaVolta Redonda 17,7617,76 Os trOs trêês menos inclus menos incluíídosdos SSãão Franciscoo Francisco dede ItabapoanaItabapoana 1,161,16 VarreVarre--SaiSai 1,741,74 SSãão Joso Joséé de Ubde Ubáá 1,941,94 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo DemogrFonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo Demográáfico 2000/ IBGEfico 2000/ IBGE
  42. 42. RIO DE JANEIRO NITEROI MARICA SAQUAREMA PARATI ANGRA DOS REIS RIO CLARO ARRAIAL DO CABO ARARUAMA CABO FRIO ARMACAO DE BUZIOS CAMPOS DOS GOYTACAZES SAO JOAO DA BARRA VALENCA RIO DAS FLORES PARAIBA DO SUL ITATIAIA RESENDE PORTO REAL BARRA MANSA CACHOEIRAS DE MACACU MACAE QUISSAMA CARAPEBUS RIO DAS OSTRAS CASIMIRO DE ABREU NOVA FRIBURGONOVA FRIBURGO SILVA JARDIM SAO PEDRO DA ALDEIA SAO FIDELIS PETROPOLIS PATY DO ALFERES PORCIUNCULA VARRE-SAI BOM JESUS DO ITABAPOANA NATIVIDADE ITAPERUNA LAJE DO MURIAE MIRACEMA SAO JOSE DE UBA SANTO ANTONIO DE PADUA APERIBE ITAOCARA CANTAGALO CAMBUCI CARMO MACUCO CORDEIRO ITAGUAI NOVA IGUACU SAO JOAO DE MERITI BELFORD ROXO DUQUE DE CAXIAS MAGE MANGARATIBA SANTA MARIA MADALENA SAO GONCALO RIO BONITO COMENDADOR LEVY GASPARIAN TRES RIOS QUATIS MunicípiosdoRiode Janeiro
  43. 43. . . Proporção 1.16 - 6.32 6.32 - 10 9 10.9 - 17 76 17.76 - 34.16 Média 300.56 - 430.22 430.22 - 527.74 527.74 - 747.87 747.87 - 1225.6 9 Média 3.06 - 4.27 4.27 - 5.03 5.03 - 6.14 6.14 - 7.92 M édia 26.81 - 28.83 28.83 - 30.44 30.44 - 32.02 32.02 - 34.06 Proporção de Incluídos Digitais Renda Educação Idade
  44. 44. Proporção de moradores com acesso a computadorProporção de moradores com acesso a computador SubdistritoSubdistrito -- RJRJ Os trOs trêês mais inclus mais incluíídosdos LagoaLagoa 59,2359,23 Barra da TijucaBarra da Tijuca 52,6452,64 BotafogoBotafogo 52,5152,51 Os trOs trêês menos inclus menos incluíídosdos Complexo do AlemComplexo do Alemããoo 3,783,78 JacarezinhoJacarezinho 3,933,93 MarMaréé 4,184,18 Fonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo DemogrFonte: CPS/FGV a partir dos microdados do Censo Demográáfico 2000/ IBGEfico 2000/ IBGE
  45. 45. Cidade de DeusJacarepagua Santa Cruz Guaratiba Barra da Tijuca Bangu Campo Grande Madureira Realengo Anchieta Pavuna Rocinha Tijuca Lagoa Meier Vila Isabel Botafogo Copacabana Ilha do Governado Inhauma Ramos Penha Iraja Complexo do Alemao Mare Sao Cristovao Jacarezinho Portuaria Ilha de Paqueta # # # # # Santa Teresa Rio Comprido Centro Subdistritos do Município do Rio de Janeiro
  46. 46. Proporção 3.78 - 9.75 9.75 - 18.45 18.45 -31.07 31.07 - 59.23 média 366.11 - 642.65 642.65 - 993.88 993.88 - 1920.97 1920.97- 2841.73 média 4.12 - 5.2 5.2 - 6.54 6.54 - 7.82 7.82 - 10.14 média 26.03 - 29.06 29.06 - 31.89 31.89 - 35.65 35.65 - 42.98 Proporção de Incluídos Digitais Renda Educação Idade
  47. 47. WWW.FGV.BR/CPSWWW.FGV.BR/CPS

×