Seminário

531 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
531
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminário

  1. 1. Neurologia Craniotomia  Componentes: Turma: D-14  Elismarina Pereira  Irismar Soares  Izadora Reis  Narley Ferreira  William Faria  Orientador:  Alexandre Moraes
  2. 2. Craniotomia  Significado: abertura do crânio.  Conceito: abertura cirurgica do crânio que permite o acesso às estruturas localizadas abaixo dos sossos do crânio  Objetivo Cirúrgico: é realizada para a remoção de um coagulo sanguineo ou de um tumor, para a interrupção de um sangramento intracraniano ou para a recuperação do tecido cerebral ou dos vasos sanguíneos lesados.
  3. 3. Craniotomia
  4. 4. Craniotomia  Uma craniotomia pode ser realizada para uma variedade de razões:  diagnosticar, remover, ou tratar tumores cerebrais.  recorte ou reparação de um aneurisma.  remoção de sangue ou coágulos de sangue a partir de um vaso sanguíneo com vazamento.  remoção de uma malformação arteriovenosa.  drenar um abscesso cerebral - um bolso cheio de pus infectado.  reparação de fraturas de crânio.  reparar um rasgo na membrana que reveste o cérebro.  aliviar a pressão no interior do cérebro (pressão intracraniana) removendo as zonas danificadas ou inchaço do cérebro que pode ser causada por uma lesão traumática ou acidente vascular cerebral.  tratamento de epilepsia.  implantação de dispositivos estimuladoras para tratar perturbações do movimento tais como a doença de Parkinson ou a distonia.
  5. 5. Craniotomia  Exames PRÉ operatório:  Tomografia Computadorizada: Para avaliar a calota craniana e possíveis problemas no Sistema Nervoso Central.  Eco Doppler: Para avaliar variações da pressão intracraniana, detectar êmbolos de sangue,liquido, etc.  Resonância Magnética: Avalia o parênquima encefálico com imagens de alta resolução, é o mais completo dos exames.  Exames de Sangue:Hemograma completo, ureia, eletrólitos a cada seis horas nos casos de desequilíbrio Hidroeletrolíticos, creatinina, gasometria,e glicemia de 4/4 hrs para observar se está Hiperglicêmico ou Hipoglicêmico  Exames PÓS operatório:  Ressonância Magnética  24hrs de monitoração de saturação de oxigênio no sangue.  Eletro cardiograma.  E todos os exames de sangue como no pré operatório.
  6. 6. Craniotomia  Tipos de sedação ou anestesia utilizada :  Anestésicos:  Dormonid  Propofol  Etomidato, e muitos outros.  São usados para proteger o coração de uma eventual parada na hora da anestesia; proporcionando Bradicardia (os batimentos cardíacos ficam abaixo do normal).  Anestesia:  No caso da Craniotomia é usada à anestesia geral por se tratar de uma cirurgia muito invasiva, esse tipo de anestesia promove a inconsciência total, abolição a dor e o relaxamento do paciente. Os riscos da anestesia geral são muito raros mais pode acontecer em pacientes cardíacos, hipertensos, renais, hepáticos ou pulmonares em estágios avançados, pode ter também choque anafilático (alergia a anestesia). Mas na maioria dos casos é um sucesso.
  7. 7. Craniotomia Cuidados PRÉ operatórios:  Observar ocorrência de paralisia, alterações auditivas ou visuais, alterações na fala, incontinências e nível de consciência.  Observar a marcha, acompanhar nas deambulações, se necessário, e oferecer apoio. O andar pode ser lento.  Controlar rigorosamente a pressão arterial de 2/2 horas, pois a hipertensão poderá indicar aumento da pressão intracraniana.  Estar atento as queixas de cefaleia.  Posicionar o paciente em Fowler para reduzir a pressão intracraniana.  Fazer controle de diurese.  Fazer controle hídrico.  Fazer tricotomia do couro cabeludo.  Ajudar na higienização  Fazer o cateterismo vesical, de preferência no centro cirúrgico.  Apoiar psicologicamente, ouvindo temores, fazendo reforço positivo.
  8. 8. Craniotomia  Cuidados PÓS operatórios:  Manter o leito em Fowler, lateralizando a cabeça do paciente.  Verificar os sinais vitais rigorosamente.  Fazer mudanças de decúbito de 2/2 horas.  Fazer o controle hidreletrolitico.  Observar as ataduras que envolvem o crânio, pois poderá haver sangramentos.  Anotar volume e aspectos das drenagens (se houver dreno de sucção).  Fazer curativo compressivo, que devera ser trocado após 24 horas. Se houver dreno de penrose, será retirado aproximadamente após 24 horas, e se houver o de sucção, após 72 horas, anotando se os aspectos e volumes das secreções.  Pesar o paciente pela manha, antes do desjejum, parâmetro que identifica ocorrência de retenção hídrica.  Anotar o aparecimento de complicações e avisar o enfermeiro.  Manter correto os gotejamentos das infusões venosas.
  9. 9. Craniotomia  Complicações Cirúrgicas:  Extrassístoles  Meningites  Hematomas ao retorno das órbitas  Cefaleia, desequilíbrio hidreletrolíticos  Hemorragia intracraniana  Choque hipovolêmico  Tromboflebites  Atelectasias e pneumonias  Status epilépticos e infecções urinarias.
  10. 10. Craniotomia  Epis utilizados:  Luva  Máscara  Protetor respiratório  Avental e gorro  Calçados  Óculos de proteçao
  11. 11. Craniotomia  Instrumentais utilizados:  Produto estéril, descartável, destinado ao procedimento de craniotomia  Acompanham o kit:  1 Fresa Automático Tipo Smith  1 Fresa de Corte para Craniótomo  1 Fresa para Perfuração do Drill  3 Pinos do Mayfield  1 Ponta do Aspirador
  12. 12. Craniotomia  Posicionamento para cirurgia:
  13. 13. Craniotomia  Posicionamento do paciente para a realização da craniotomia:  A - Posicionamento para abordagem unilateral ou bilateral da porção frontal.  B - Craniotomia pterional ou frontotemporal.  C - Posicionamento para uma aproximação retrosigmóidea, para o ângulo ponto cerebelar  D - Posicionamento para uma aproximação a linha suboccipital  E - Posição semi-sentada.
  14. 14. Craniotomia  Conclusão: Tendo em vista todos os pontos abordados neste seminário, foi notado que a cirurgia de craniotomia é feita para realizar remoção de coágulos sanguíneos ou até de um tumor, para a interrupção de algum sangramento intracraniano, ou para recuperação de algum vaso ou tecido lesado, e assim a craniotomia pode ser feita para várias outras cirurgias no crânio.  Antes de realizar a cirurgia é preciso observar o estado do paciente; realizando alguns exames para que assim possa ter uma cirurgia de sucesso, e logo depois da cirurgia propriamente dita, é preciso tomar alguns cuidados para que o paciente possa ter uma boa recuperação e evitar algumas complicações cirúrgicas que pode vim a agravar o paciente, e mesmo durante a cirurgia tomar alguns cuidados com os materiais usados e com a posição operatória correta.
  15. 15. Curiosidades  André passou por mais de 10 cirurgias na cabeça e precisou extrair parte do cérebro pelos problemas que teve.Para piorar a situação, entrou em coma por diversas vezes durante a sua vida e teve 3 paradas cardíacas. Ignorando todas as previsões médicas (de poucos dias de vida após as crises e cirurgias), André leva uma vida quase normal.Além de falar, ele demonstra outras qualidades como ficar de pé, ter uma boa memória e interação com as pessoas.
  16. 16.  Ele perdeu grande parte de seu cérebro e do crânio depois de um acidente de carro, no qual, voou pelo para-brisas e caiu de cabeça no meio da estrada.  Na ocasião, os médicos foram forçados a cortar grandes quantidades de carne e osso para que Halfy pudesse sobreviver..

×