Implementos para tratos culturais quimicos segundo dr Ivomboa

659 visualizações

Publicada em

Agropecuaria

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
659
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Implementos para tratos culturais quimicos segundo dr Ivomboa

  1. 1. Inocêncio Amor Denja Ivaristo Américo Mboa Júnior Reinaldo Sariel Nhaul 8o grupo
  2. 2. Implementos para tratos culturais químicos Tema
  3. 3. Introdução  O controlo químico é hoje a técnica mais utilizada, pois ele possibilita o controlo do mato, maior espectro de acção em relação ao controlo biológico, controlo das plantas daninhas de propagação vegetativa, etc.  Portanto usa-se alguns implementos onde introduzimos água e juntamente com o químico podendo ser ele em pó ou liquido.
  4. 4. Tratos culturais químicos Tratos culturais e o conjunto de praticas agrícolas que tem como finalidade:  a) preservar ou restaurar as propriedades físicas e químicas do solo;  b) eliminar ou reduzir a concorrência de plantas daninhas infestantes com a cultura;  Conservar os sistemas de controlo da erosão.
  5. 5. Tratos culturais químicos  Tratos culturais químicos ou controlo químico e o controle das plantas através do uso de herbecidas ou outros produtos químicos com propriedades de matar, combater ou inibir o desenvolvimentos de pragas agrícolas.
  6. 6. Implementos para tratos culturais químicos Os implementos para tratos culturais são vastos mais em suma destacamos os seguintes:  Pulverizador;  Polvilhador;  Atomizador;
  7. 7. Pulverizador O que é pulverizar?  Pulverizar é reduzir um corpo em pequenos fragmentos, borrifar em gotas. O que é pulverizador?  Pulverizador é todo equipamento capaz de produzir gotas, em função de uma determinada pressão exercida sobre a calda. Como fazer uma boa pulverização? O sucesso de uma boa pulverização depende de:  1º- Bom pulverizador;  2º- Bom produto químico;  3º- Operador treinado;  4º- Boa qualidade de água e pH ideal;  5º- Condições de tempo favoráveis.
  8. 8. Tipos de pulverizadores Pulverizadores podemos dividir em cinco grupos de máquinas:  1- Pulverizadores costais; manuais e motorizados;  2- Pulverizadores de barras: 3 pontos, tipo carreta e automotriz;  3- Turboatomizadores: 3 pontos e tipo carreta;  4- Atomizadores canhão de ar: 3 pontos;  5- Pulverizadores com enroladores de mangueiras (EM) e pistolas (2p): 3 pontos e tipo carreta.
  9. 9. Componentes básicos um pulverizador hidraulico Os componentes básicos de um circuito hidráulico sao:  tanque,  registro,  filtro,  bomba,  comando  bicos.  O circuito hidráulico de um pulverizador deve ser sempre revisado, deve funcionar como o circuito de um pulverizador novo, sem obstrução, sem vazamentos, sem entradas de ar, mangueiras sem dobras, etc.
  10. 10. Componentes básicos um pulverizador hidraulico  Função do tanque: armazenar, transportar e proteger a calda.  Função do registro: fechar para fazer a manutenção e abrir para alimentar a bomba em funcionamento.  Função do filtro: reter todas as impurezas da calda.  Função da bomba: admitir e recalcar um fluxo de líquido para o comando.  Função do comando: distruibuir o líquido para o ramal de pulverização e o excedente para o retorno.  Função dos bicos: distribuir a vazão e qualidade de gotas.
  11. 11. Tipos de Pulverizadores
  12. 12. Atomizadores  Um atomizador como qualquer outro equipamento usado para a pulverização precisa de um equipamento para a sua utilização:  Capacete de protecção;  Óculos de segurança fechando nos laterais;  Mascar de protecção;  Botas de borracha;  Pescoço coberto;  Luvas de borracha;  E roupa de protecção.
  13. 13. Partes de um atomizador a motor  tanque de produtos químicos;  Tanque de combustível;  Alavanca que regula o vazão de pó;  Alavanca de aceleração e parada;  Torneira de combustível;  Motor;  Torneira de químico liquido;  Mangueira para químico liquido ;  Tubo de ventilação;  Valvula de ajuste da nevoa.
  14. 14. Tipos de atomizadores
  15. 15. Polvilhador  polvilhador é um tipo de pulvilhador de granulados e líquidos para agricultura fruticultura, pecuária e combate de pragas e vectores. Usa se o polvilhador como melhor opção no combate a doenças de forma precisa e económica de fácil manuseio e grande parte mobilidade eliminando os focos de mosquitos em locais de difícil acesso de uma forma eficaz ergonómica a segura.  Polvilhador maquina potente de fácil maneio, segura e com amplitude do jacto de ate 12m horizontal e 11,5m vertical, pode ser utilizado como pulvezador ou polvilhador e soprador.  Possui um sistema elastostartico, que proporciona um arranque quase solavancos devido a um elemento amortecedor que absorve os picos de forca.
  16. 16. Tipos de polvilhadores
  17. 17. Conclusão  Todos eles tantos os pulvizadores, atomizadores e polvilhadores podem exercer quase as mesmas funções. Antes do uso destes é necessário que sejam testados, mantidos limpos para exercerem bem a sua funcao.

×