Auditoria em Enfermagem

14.342 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.342
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
80
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
238
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Auditoria em Enfermagem

  1. 1. Jequié/BAMarço - 2013
  2. 2. Discentes: Cintia Alves; Cristiane Teixeira; Ivana Ferraz;Lorena Gomes; Luciane Barbosa e Martha Brito.Docente: Sofia MeiraDisciplina: Administração em Enfermagem7º SemestreJequié/BAMarço - 2013
  3. 3. DEFINIÇÃOAuditoriaAvaliação sistemática informal de umaatividade, por alguém não envolvidodiretamente na sua execução, paradeterminar se essa atividade estásendo levada a efeito de acordo com osobjetivos.
  4. 4. DEFINIÇÃOAuditoria na SaúdeÉ um instrumento de gestão paraproteger e fortalecer o SUScontribuindo efetivamente para alocação e a aplicação adequadas dosrecursos e para a qualidade da atençãooferecida aos cidadãos.
  5. 5. DEFINIÇÃOAuditoria em EnfermagemÉ a avaliação sistemática da qualidade daassistência de enfermagem, verificadaatravés das anotações de enfermagem noprontuário do paciente e/ou das própriascondições deste. “A comparação entre aassistência prestada e os padrões deassistência considerados como aceitáveis”.
  6. 6. FINALIDADES Identificar as áreas (unidades) deficientes dos serviços deenfermagem; Identificar áreas de deficiência em relação a assistência emrelação a assistência de enfermagem prestada; Fornecer dados para melhoria da qualidade do cuidado deenfermagem; Fornecer dados para a melhoria dos programas; Obter dados para a programação de processo de educaçãopermanente do pessoal de enfermagem.
  7. 7. BENEFÍCIOS Cliente / Paciente; Instituição; Equipe de Enfermagem; Profissão.
  8. 8. OPERACIONALIZAÇÃO DOPROCESSOA analise constitui a essência daação auditorial, verificar seminterpretar, criticar sem orientar étarefa ineficaz e não interessa osmétodos científicos.
  9. 9. REQUISITOS Filosofia e estrutura administrativa compatível com aproposta de enfermagem; Padrão de assistência desejado, estabelecidos econhecidos por todo pessoal do serviço deenfermagem; Recursos humanos com adequados treinamentostécnico e capacidade com auditor; Instrumentos contendo itens que devem serobservados.
  10. 10. TIPOS DE AUDITORIA Auditoria Retrospectiva; Auditoria Operacional ou Concorrente.
  11. 11. CLASSIFICAÇÃOQuanto a forma de Intervenção Auditoria Interna e ExternaQuanto ao Tempo Auditoria Continua e PeriódicaQuanto a Natureza Auditoria Normal e EspecificaQuanto ao Limite Auditoria Total e Parcial
  12. 12. Limitações A auditoria em enfermagem não avalia a assistência total aopaciente , pois o cuidado total ao paciente inclui a atuação deoutros profissionais que participam desse cuidado. A auditoria não tem finalidade punitiva, ela verifica o cuidado, detecta erros e os analisa quanto a sua natureza e significado. A auditoria não tem como objetivo primordial a melhoria dosregistros de enfermagem, mas sim a melhoria da assistência aopaciente , embora a partir dos resultados possam ser sugeridasações no sentido de melhorar os registros. A auditoria não tem por finalidade avaliar o desempenho deum individuo ou de um grupo.
  13. 13. REFERÊNCIASAdministração em enfermagem/coordenadoraPaulina Kurcgant. –São Paulo: EPU, 1991.

×