Historia

434 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
434
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Historia

  1. 1. PRIMEIRO REINADO Douglas 13 turma 71
  2. 2. Ei! Seu trouxa está na hora de aprender algo sobre história não acha. Eu sei você deve estar pensando (o homer não sabe nada ) mas agora eu mostro.
  3. 3. Vamos comesar com algo simples como o dia do fico Revolução do Porto e o "Fico"                    Independência ou Morte mais conhecido com O Grito do Ipiranga , de Pedro Américo (óleo sobre tela - 1888). Porém, problemas surgiram em 1820, quando a população portuguesa exigiu o retorno de D. João VI à Lisboa, pois Napoleão já havia sido deposto na França. A Revolução do Porto estourou em 24 de agosto do mesmo ano, inicialmente na cidade de Porto e, em seguida, para o resto das metrópoles portuguesas. Apesar de conseguir adiar por alguns meses a insatisfação dos portugueses, D
  4. 4. Agora que provei que sou esperto vamos com algo mais difícil Guerras de Independência D. Pedro, agora Imperador Pedro I do Brasil , buscou retirar possíveis focos de resistência portuguesa dentro do território brasileiro. Encontrou ferrenha oposição nas províncias de Maranhão, Bahia, Pará e Piauí sem contar tropas portuguesas que ainda estavam instaladas no Rio de Janeiro e em outras cidades brasileiras. Assim, D. Pedro I contratou alguns militares europeus, a maioria ingleses e franceses. Comandados pelo marechal britânico Thoma Cochrane, os soldados brasileiros e mercenários contratados conseguiram retirar a resistência. Thomas Cochrane chegou a dissipar a resistência maranhense com apenas um navio de guerra.
  5. 5. Viu marg eu falei que sabia história Puxa homer estou imprecionada
  6. 6. Vamos continuar Crise do império Crises do Império A crise do Império foi resultado das transformações processadas na economia e na sociedade, a partir do século XIX, somando-se, conduziram importantes setores da sociedade a uma conclusão: a Monarquia precisava ser superada para dar lugar a um outro regime político mais adaptado aos problemas da época. A crise do Império foi marcada por uma série de questões que desembocaram na Proclamação da República. Além disto, houve a questão religiosa, esta provocada pela recusa dos bispos Dom Antônio de Macedo Cosya e D. Frei Vital em aceitar as interferências do governo influenciado pela maçonaria na nomeação de diretores de ordens terceiras e irmandades. Em seguida, a questão militar causada por atritos entre os militares e o império. Os profissionais das armas queriam uma maior autonomia nos assuntos políticos da nação, e o império punia as manifestações quaisquer que fossem.
  7. 7. É bom saber história? Sim Marge mas estamos no ultimo slide ultimas informações Constituição Imperial A visão histórica ensinada nas escolas até os dias atuais é a de que um dom Pedro I autoritário e despótico teria entrado em conflito com a liberal e democrática Assembléia, fechando esta última contra a vontade do povo brasileiro e acabando por outorgar (impor) uma Constituição de cunho absolutista sobre o país. Trata-se de uma invenção posterior dos republicanos para desmoralizar o passado monárquico do Brasil.[1] A realidade dos fatos foi completamente diversa.

×