Estudo da Flor e do Fruto

6.541 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.541
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
67
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Estudo da Flor e do Fruto

  1. 1. Métodos 1 - Observa com atenção uma haste com flores deActividade 1 - Estudo da flor de Açucena (Lilium sp.) Açucena. Regista a posição das flores na haste. 2 - Seguidamente, retira uma flor da haste eIntrodução observa-a com atenção, apoiando-te na figura 1.As Angiospérmicas são um grupo vasto, que constitui a parte Verifica e regista se a flor apresenta:dominante da vegetação da superfície terrestre. Comparadas - o pedúnculo e o receptáculo; - o cálice e a corola;com os outros grupos, nomeadamente Pteridófitas e - o androceu e o gineceu.Gimnospérmicas, têm desenvolvimento recente e são 3 - Observa à lupa o cálice e a corola. Regista a corconsideradas jovens. e o número de peças existentes.Neste grupo vegetal as plantas são predominantemente 4- Com a ajuda da pinça, retira cuidadosamente asterrestres e apresentam grande diversidade, que vai desde tépalas da flor que estás a observar, para Figura 2 – Posição do ovário em floresplantas herbáceas, com alguns centímetros de altura, até visualizares os órgãos reprodutores.árvores de grande porte. Estas produzem flores, ramos 5 - Utilizando a lupa observa o androceu. Regista omodificados, com formas, cores e tamanhos extremamente número de estames; verifica se todos têm o mesmo comprimento e qual a sua localizaçãovariados. No entanto, apesar de toda esta diversidade, existe na flor.um padrão comum a todas as flores: a presença de estruturas 6- Observa à lupa um estame. Faz um desenho legendado, apoiando-te na figura 36.reprodutoras que asseguram a fecundação, indispensável Regista, em relação à parte superior do estame, o número de lóbulos que encontras e separa a formação da semente, permitem a reprodução da apresentam grãos de pólen.espécie. A flor é o órgão da reprodução sexuada nas 7 - Retira o cálice e os estames cuidadosamente para observar o gineceu. Observando àAngiospérmicas, constituindo a estrutura reprodutora mais lupa, faz um desenho legendado, apoiando-te na figura 36. Regista o número de carpeloscomplexa e avançada do reino vegetal. A flor é constituída por e as zonas constituintes destes órgãos.diferentes peças: umas esféricas, o cálice (conjunto de sépalas) 8 - Indica a posição do ovário, baseando-te na figura 2.e a corola (conjunto de pétalas), outras implicadas no processo 9 - Utiliza a lâmina de barbear e faz cortes transversais do ovário da flor conforme vemde reprodução, o androceu (conjunto de estames) e o gineceu ilustrado na figura 38. Observa com a lupa binocular. Regista, através de um esquema, o(conjunto de carpelos). Ao conjunto formado pelo cálice e pela que observas.corola atribui-se a designação de perianto. 10-Repete o procedimento, usando outra flor de Açucena, fazendo cortes longitudinais no Figura 1 – Partes constituintes da ovário. flor de Açucena.Protocolo experimental Questões: 1 - Considera os dados seguintes: a - Um perianto denomina-se petalóide se as tépalas se assemelham às pétalas. b - Um perianto denomina-se sepalóide se as tépalas se assemelham às sépalas. 1.1 - Classifica o perianto da Açucena. 2 - Caracteriza o androceu da Açucena quanto: 2.1 - à posição dos estames; 2.2 - ao tamanho dos estames; 2.3 - ao número de estames; 2.4 - ao número de lóbulos. 3 - Caracteriza o gineceu da Açucena quanto: 3.1 - ao número de carpelos;
  2. 2. 3.2 - à disposição destes; três regiões formam o pericarpo (figura 4). O endocarpo, o mesocarpo e o epicarpo3.3 - à posição do ovário. variam na espessura e na textura, nos diferentes tipos de frutos. Os frutos podem ser4 - A figura 3 representa esquematicamente cortes transversais e longitudinais de um classificados, de acordo com a sua origem, em frutos simples, agregados e múltiplosovário. (tabelas 1 e 2).As sementes estão encerradas nos frutos. Em diversas plantas, quando os4.1 - Compara com os esquemas que elaboraste e legenda os esquemas por ti efectuados. frutos e as sementes amadurecem, estas podem ser eliminadas por fendas longitudinais que se abrem nos frutos ou, então, só serão libertadas por decomposição dos tecidos que os constituem. Os frutos são deiscentes quando se abrem após a maturação e indeiscentes quando se conservam fechados após a maturação. Na figura podes observar as etapas de formação de um fruto, o tomate. Figura 3 – Representação esquemática de cortes de ovários.Actividade 2 - A origem e constituição do fruto. Classificação dos frutos Tabela 1 – Exemplos de frutos simples e múltiplos. Classificação de acordo com a suaIntrodução origem.A ocorrência da polinização e da dupla fecundação estimula divisões nucleares e celulares no óvulo e no carpelo e, frequentemente, em estruturas estreitamente associadas, como o receptáculo. Estas estruturas aumentam muito de tamanho, fenómeno que é controlado por hormonas. Essas alterações, eventualmente, tornam-se perceptíveis a olho nu à medida que o ovário sofre modificações para formar o fruto e os óvulos para formarem as sementes. O fruto tem uma Tabela 2 Figura 4 – Constituição de um fruto maduro função importante na protecção edisseminação das sementes. A formação do fruto envolve duas etapas: o crescimento doovário e a maturação, fase durante a qual o fruto sofre várias transformações. Um frutomaduro apresenta o epicarpo (película envolvente), o endocarpo (à volta das sementes) eo mesocarpo (que pode ou não ser carnudo), situado entre o endocarpo e o epicarpo. As
  3. 3. pétalas, estames e carpelos. Estas dispõem-se em circunferências concêntricas da periferia para o centro. Por sua vez, as fórmulas florais indicam por algarismos o número de peças de cada verticilo, seguido das letras S, P, T, E e C (sépalas, pétalas, tépalas, estames e carpelos), ligadas pelo sinal +. Se as peças de um verticilo são coalescentes (unidas), colocam-se entre parênteses. Consoante o ovário é inferior ou superior, coloca-se um traço acima ou abaixo do número correspondente de carpelos: por exemplo, 5S + 5P + nE + (5C). A letra n utiliza-se quando o número das peças é muito elevado. Em certas Figura 5 - Formação do Tomate flores o receptáculo é convexo ao plano e o ovário loca- liza-se acima das restantes peças florais - ovário súpero. Noutros casos o receptáculo é côncavo, ficandoMétodos o ovário localizado abaixo das restantes peças florais - ovário ínfero.Corta transversalmente o tomate. Em relação aos outros frutos propostos, deverás O cálice é denominado dialissépalo se as sépalas estãocortá-los longitudinalente. livres; sinsépalo ou gamossépalo se as sépalas estão no todo ou em parte unidas. Relativamente à corola, esta éQuestões denominada actinomórfica quando apresenta vários1 - Representa através de esquemas o que observas. planos de simetria, uma simetria radiada ou regular e2 - Regista, para cada um dos frutos: zigomórfica quando apresenta um só plano de simetria2.1 - o número de sementes; ou nenhum (irregular). Com esta actividade pretende-2.2 - a presença ou ausência de um invólucro carnudo. se que observes a variabilidade de flores, frutos e3 - Classifica os frutos estudados tendo em conta as tabelas 8 e 9. sementes de Angiospérmicas. Para a sua realização4 -0 aparecimento do fruto constitui uma resposta adaptada que favorece a dispersão podes utilizar flores de plantas que cresçamdas espécies. espontaneamente próximo da tua escola. Colhe apenas4.1 - Discute a importância desta estrutura. os exemplares que necessitares para a sua observação5 - Relativamente ao tomate, e tendo em conta a figura 5: e não provoques alterações na zona visitada. A5.1 - indica as partes da flor que dão origem ao fruto; Primavera e o Outono são as alturas aconselhadas para5.2 - descreve, sucintamente, o processo de formação do fruto representado. uma actividade deste tipo. No caso de não ser possível a realização da actividade na época indicada, sugere-se que se faça a colheita na época própria e que seActividade 3 - Diversidade de órgãos reprodutores em prepare um herbário. Outra sugestão será a deAngiospérmicas -Diagramas e fórmulas florais (Realização até ao fotografar as peças florais ou de recorrer a material existente na escola. Figura 6final de Novembro)Atendendo à grande diversidade de órgãos reprodutores nas Angiospérmicas, épossível fazer um estudo comparativo de várias plantas considerando vários aspectos, 1 - Caracteriza cada uma das flores estudadas, tendo em conta as observações efectuadas e as informações fornecidas pela tabela 3, quanto:tais como: o número de peças florais, a forma e a posição. Para facilitar o estudomorfológico da flor, é usual representar os seus constituintes através de diagramas e 1.1 - à posição do ovário;fórmulas florais. Os primeiros representam um corte transversal feito numa flor (fig. 6 1.2 - à coalescência das pétalas e das sépalas; 1.3 - à simetria da corola.), de modo a intersectar todas as secções das peças dos diferentes verticilos - sépalas,
  4. 4. 2 - Atendendo ao número de elementos - sépalas, pétalas, estames e car-pelos - queconstituem as flores, estas podem ser classificadas em trímeras (3 ou múltiplos de 3),em tetrâmeras (4 ou múltiplos de 4) ou pentâmeras (5 ou múltiplos de 5).2.1 - Classifica, quanto ao número de elementos, as flores observadas.3 - A estrutura das flores pode ser representada através de diagramas florais e defórmulas florais.3.1 - Representa para as flores observadas os diagramas e as respectivasfórmulas florais. 4-0 fruto tem como função a protecção e a dispersão da semente.4.1 - Caracteriza cada um dos frutos observados, baseando-te nos elementos databela 10.4.2 - Indica as adaptações apresentadas pelo fruto que lhe facilitam a dispersão.4.3 - Indica o número de cotilédones presentes nas sementes dos frutos estudados.4.3.1 - Classifica as plantas que originaram os frutos estudados.

×