BG 15 - Reprodução sexuada (Meiose)

618 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
618
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
34
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

BG 15 - Reprodução sexuada (Meiose)

  1. 1. E há mais. Para tornar fecunda uma perdiz,basta que ela se encontre sob o vento: muitasvezes bastou mesmo ouvir o canto do machonum tempo em que estivesse disposta aconceber, ou que o macho tivesse passadovoando por cima dela e ela tivesse respirado oodor que ele exalava. Aristóteles
  2. 2. Ao observarmos atentamente omundo vivo à nossa volta, torna-seevidente a semelhança entre osdescendentes e os seus progenitores,independentemente da espécie emcausa. Facilmente nos apercebemostambém de que, embora ocorra umaimensa diversidade, existem muitascaracterísticas comuns entre todos osindivíduos da mesma espécie.
  3. 3. Um casal de dálmatas idênticos origina umadescendência com diversos padrões de manchas. Nuno Correia 10/11
  4. 4.  Observe e analise o quadro ao lado, que se refere ao número de pares de cromossomas de várias espécies, animais e vegetais, e responda às questões que se seguem. Apresente uma hipótese para explicar o facto de se verificar sempre, para qualquer espécie com reprodução sexuada, um número par de cromossomas.
  5. 5. As espécies que apresentam reprodução sexuadatêm de ter sempre um número par de cromossomas.Só assim é possível a ocorrência de meiose,formando-se células com metade do número decromossomas.
  6. 6.  Se os gâmetas do sapo possuíssem um número de cromossomas igual ao representado, qual seria o número de cromossomas de uma célula somática deste animal ao fim de quatro gerações? 104
  7. 7.  Qual deverá ser o número de cromossomas dos gâmetas do cavalo para assegurar a manutenção da quantidade de cromossomas na espécie? 16
  8. 8. Nuno Correia 10/11
  9. 9. Nuno Correia 10/11
  10. 10.  Indique o número de pares de cromossomas que estão representados no núcleo da célula A? Nuno Correia 10/11
  11. 11.  Quantos núcleos se formam no final da divisão l? Nuno Correia 10/11
  12. 12.  Em que diferem esses núcleos do núcleo da célula A? Nuno Correia 10/11
  13. 13.  Compare os núcleos produzidos no final da divisão II com os dois núcleos resultantes da divisão l, identificando as diferenças entre eles. Nuno Correia 10/11
  14. 14. Prófase I Metáfase I Telófase I Anáfase I Nuno Correia 10/11
  15. 15. Metáfase II Anáfase IIPrófase II Telófase II Nuno Correia 10/11
  16. 16. Nuno Correia 10/11
  17. 17.  Compare os cromatídeos-irmãos do cromossoma A, antes e depois do crossing-over, e indique o que se verifica relativamente a: a) forma e dimensões; Nuno Correia 10/11
  18. 18.  Os cromatídeos-irmãos, após o crossing-over, mantêm a forma e dimensões. Nuno Correia 10/11
  19. 19.  Compare os cromatídeos-irmãos do cromossoma A, antes e depois do crossing-over, e indique o que se verifica relativamente a: b) origem do material genético; Nuno Correia 10/11
  20. 20.  Após o crossing-over, apresentam genes de origem diversa, isto é, genes com origem materna e paterna, enquanto inicialmente possuíam genes de um só tipo. Nuno Correia 10/11
  21. 21. Nuno Correia 10/11
  22. 22. Nuno Correia 10/11
  23. 23.  223 , logo, 8 388 608 combinações Nuno Correia 10/11
  24. 24. Nuno Correia 10/11
  25. 25. Nuno Correia 10/11
  26. 26. Nuno Correia 10/11
  27. 27. Nuno Correia 10/11

×