Aula de Logística - Armazenagem

502 visualizações

Publicada em

Logística - Armazenagem

Publicada em: Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
502
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula de Logística - Armazenagem

  1. 1. 11 Armazenagem l Introdução l Funções da armazenagem l Atividades na armazenagem l Objetivos do planejamento de operações de armazenagem l Políticas da armazenagem l Pilares da atividade de armazenamento l Armazenagem estratégica Por que armazenar? l Razões para Armazenagem Ü Econômicas ü Economias advindas de operações de consolidação e desmembramento; ü Economias de transporte; ü Economias de produção (lotes econômicos); ü Descontos nas quantidades adquiridas e nas taxas de transporte; ü Economias devidas a redução dos níveis de risco e de estoques, por adiamento (postponement) das operações de finalização do produto. Ü De serviços ü Manter uma origem de oferta, ü Cobrir diferenças de tempo e espaço entre produtores e consumidores, ü Atender a oscilações no mercado (sazonalidade, competi ção, ...), ü Dar suporte a polí ticas de nível de serviço (entregas em 48 horas).
  2. 2. 22 Funções da Armazenagem Planta C Planta B Planta A Produto D Centro de Agrupamento em Trânsito Consolidação Centro de Distribuição Armazém de Consolidação Armazém de Desmembramento Cliente Z: A B C D Cliente C Cliente A Cliente B Cliente X: A B C Planta A Planta C Planta B Planta A Planta C Planta B Planta A Cliente C Cliente A Cliente B Cliente Y: A B C D Cliente W: A B C D Cliente X: A B C D Atividades no Armazém l Recebimento do Material; l Descarregamento, Inspeção e Separação; l Movimentação; l Segurança; l Picking; l Consolidação/ Quebra/ Mistura de Cargas; l Unitização ou Paletização; l Expedição; l Resolução de problemas de documentação; l Carregamento. Em alguns casos... l Embalagem; l Montagem de kits; l Operações industriais de montagem (finalização de produtos); l Controle de temperatura e umidade.
  3. 3. 33 Recepção/ conferência Transferência Seleção de pedidos Empacotamento, embalagem e consolidação Carregamento/ embarque Administração Descarregamento/ desembarque Recepção/ conferência Transferência Seleção de pedidos Empacotamento, embalagem e consolidação Carregamento/ embarque Administração Descarregamento/ desembarque Atividades no Armazém Objetivos do Planejamento de Operações de Armazenagem l Dimensionar instalações e áreas de forma eficaz (3 dimensões); l Minimizar os custos operacionais de armazenagem mantendo o nível de serviço desejado; l Especificar equipamentos e sistemas no contexto planejado; l Maximizar a utilização efetiva do espaço; l Otimizar os fluxos físicos e de informações; l Prover flexibilidade.
  4. 4. 44 Políticas de Armazenagem Resultam do Trade-off de custos: Espaço x Movimentação l Aleatória Itens são armazenados em posições aleatórias, resultando em menores custos de espaço (pela compactação) e maiores custos de movimentação. l Dedicada Itens são armazenados em posições pré-definidas, resultando em maiores custos de espaço e menores custos de movimentação (itens de maior trânsito são alocados próximos às entradas ou saídas). l Mista Dedicada por categorias Pilares da Atividade de Armazenamento Estrutura Veículo Comunicação
  5. 5. 55 Estrutura de Armazenagem l A decisão sobre o tipo de estrutura estará apoiada em: Ü Tipo de produtos Ü Unidade movimentada (paletes, caixas, fração,...) Ü Mix movimentado Ü Critérios de operação (FIFO, LIFO,...), Ü Giro dos produtos Ü Veículos (se já existentes) Ü Prédio, layout, budget. Estruturas Mais Utilizadas Empilhamento sobre o piso Porta paletes simples ou duplos Drive-in, Drive-through Cantilever Dinâmico Flowracks de Caixas
  6. 6. 66 Empilhamento Sobre o Piso Exemplo Armazenagem sobre o Piso Exemplo Armazenagem sobre o Piso Porta Paletes
  7. 7. 77 Drive-In / Drive Through Cantilever
  8. 8. 88 Dinâmico Flowrack de Caixas
  9. 9. 99 Equipamentos de Movimentação Transpalete Empilhadeira com Contra-Peso Empilhadeira Lateral Transelevador Transpalete
  10. 10. 1010 Empilhadeira Frontal Empilhadeira Lateral
  11. 11. 1111 Transelevador - Unitload Transelevador - Unitload
  12. 12. 1212 Transelevador - Miniload Equipamentos Automáticos l Vantagens Ü Redução do custo de mão-de-obra; Ü Aumento da produtividade; Ü Aumento do controle através de maior e melhor informação; Ü Melhor nível de serviço. l Desvantagens Ü Alto custo do equipamento e de sua manutenção; Ü Tempo consumido para manutenção e treinamento; Ü Baixa flexibilidade para incertezas na demanda; Ü Incompatibilidade com sistemas existentes.
  13. 13. 1313 Comunicação Rádio Freqüência Software de Gerenciamento + Terminal de rádio freqüência com leitura ótica
  14. 14. 1414 Outras Tecnologias Sistemas transportadores Picking by Light Sistema de Gerenciamento de Armazéns Sistemas Transportadores l Roletes
  15. 15. 1515 Sistemas Transportadores l Correias Picking by light
  16. 16. 1616 Sistemas de Gerenciamento de Armazéns (WMS) “Sistemas de gestão por software que otimizam operações de armazenagem a partir do eficiente gerenciamento de informações e conclusão de atividades com alto nível de controle e acuracidade do inventário” l A partir de informações de transportadores, fabricantes, fornecedores e clientes; l Promove o planejamento de processos no armazém; l Mais eficiência na recepção, inspeção, estocagem, separação, embalagem e expedição de mercadorias; l Redução de custos Ü Eficiência da mão-de-obra (redução de hora-extra e contratações); l Melhoria do serviço ao cliente Ü Monitoramento, identificação e correção de erros no ato da verificação Sistemas de Gerenciamento de Armazéns (WMS) l Algumas características operacionais Ü Processamento de pedidos (inclusive em atraso); Ü Controle de inventário e lote (Atualização on line); Ü Controle de divergências e capacidade de previsão; Ü Endereçamento automático e otimização de estoque; Ü Programação de necessidades de mão-de-obra; Ü Análise de desempenho e produtividade da mão-de-obra; Ü Roteamento e seqüenciamento de paradas na separação; Ü Preparação de documentos de expedi ção; Ü Banco de dados com taxas de frete; Ü Auxílio em projetos de layout; Ü Priorização de descarregamentos Ü Gerenciamento de pátio l “Tipos” de WMS Ü Localizadores de estoque; Ü Controladores de armazéns (WCS); Ü Gerenciadores de armazéns (WMS).
  17. 17. 1717 Armazenagem Estratégica l Sistemas Escalonados Ü Estoques distribuídos (descentralizados); Ü Menor flexibilidade; Ü Elevados custos de estoque (maior complexidade de gestão); Ü Economias de transporte (Grandes lotes). l Sistemas Diretos Ü Estoques concentrados (centralizados); Ü Maior flexibilidade; Ü Economias de estoque (menor complexidade de gestão); Ü Elevados custos de transporte (Pequenos lotes). Armazenagem Estratégica l Centros de Distribuição Avançados (CDA) Ü Chegam grandes volumes de carga consolidada (longo curso) Ü Partem volumes menores de carga fracionada (entregas) Ü Economias de escala Ü Rápido atendimento Ü Consolidação de mix de produtos vindos de diversos fornecedores l Transit Point Ü Similares aos CDA, mas sem estoques e um único fornecedor Ü Produtos recebidos já possuem destinos (clientes) definidos Ü Fácil gerenciamento, pois não tem atividades de estocagem, picking,... Ü Estruturas simples ⇒ Baixos investimentos Ü Depende de demandas de grandes volumes em freqüências regulares
  18. 18. 1818 Armazenagem Estratégica l Cross-Docking Ü Similares aos transit point, mas com muitos fornecedores Ü Movimento de cargas da área de recebimento direto para a expedi ção Ü Pequenas áreas de estoque e máxima utilização de veículos e docas Ü Alta coord. entre participantes ⇔ Uso de TI (B2B, WMS, Cód. Barras...) l Merge in Transit Ü Extensão do cross-docking combinado ao JIT Ü Distribuição de produtos de alto valor agregado (multicomponentes produzidos em diferentes plantas especializadas) Ü Coordenação dos fluxos dos componentes a partir da gestão de lead times de produção e transporte Ü Consolidação próxima aos consumidores, só quando necessário e sem grandes estoques intermedi ários Ü Coordenação mais rigorosa – “estado da arte” em S.I.

×