en-literatura.blogspot.com

714 visualizações

Publicada em

Classicismo, humanismo, quinhentismo.

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
714
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

en-literatura.blogspot.com

  1. 1. Dois Renascimentos: Um nas artes; Outro nas Selvas – 1500. Classicismo – Idade da Razão;Humanismo - Antropocentrismo; Quinhentismo.
  2. 2. Luis Vaz de Camões• Um Gênio Esquecido• A Lírica: - Medida Nova( Soneto ); Medida Velha( Redondilhas ). - Temas: Amor; Descontentamento do Mundo; Fugacidade da vida e das coisas;
  3. 3. b. Teatro de Camões•El-Rei Seleuco.•Auto de Filodemo.•Anfitriões. ( Comédia )
  4. 4. c. A Épica: Os Lúsíadas – 1572 - As partes da Epopeia:1. Proposição: Breve resumo da história.2. Invocação: O poeta pede inspiração às musas ( Tágides )3. Dedicatória: O poeta dedica a obra ao Rei D. Sebastião.4. Narração: A história propriamente dita.5. Epílogo: O poeta conclui o poema, ele esta desiludido.
  5. 5. Sobre os Lusíadas Uma Epopeia: 8.816 versos decassílabos; 1.102 estrofes em Oitava( estrofe de oito versos ) em ABABABCC ; Dez Cantos;- Conta a saga de Vasco da Gama, saindo de Portugal e indo para às Índias; - Vasco da Gama é um Herói coletivo.
  6. 6. Trecho“Tu, só tu puro Amor, com força crua, Que os corações humanos tanto obriga Deste causa à molesta morte sua, Como se fora pérfida inimiga. Se dizem, fero Amor, que a sede tua Nem com lágrimas tristes se mitiga, É porque queres, áspero e tirano Tuas aras banhar em sangue humano.”
  7. 7. O Teatro: Gil Vicente• Tipos de peças: Autos; Farsas.• Ex.: Auto da Visitação ou Monólogo do Vaqueiro( 1502 ); A Trilogia das Barcas( O Auto da Barca da Alma; Auto da Barca do Inferno; Auto da Barca do Purgatório )• Farsa de Inês Pereira.
  8. 8. Obras:
  9. 9. Ninguém e Todo MundoNinguém: Qual o seu nome, cavalheiro?Todo-Mundo: Eu me chamo Todo-Mundo e todo meu tempo busco dinheiro, e sempre nisso me fundo.Ninguém: Eu me chamo Ninguém e busco a Consciência.Belzebu: Eis uma boa experiência: Dinato, escreve isto bem.Dinato: Que escreverei, Companheiro?Belzebu: Que Ninguém busca consciência e Todo-mundo dinheiro.Ninguém: E agora que buscas lá?Todo-Mundo: Busco honra muito grandeNinguém: Eu, virtude, que Deus ordene que a encontre já.Belzebu: Outra adição: escreve logo aí, que honra Todo- Mundo busca e Ninguém busca virtude.
  10. 10. Quinhentismo Brasileiro - 15001. Origem: A Carta, dePero Vaz de Caminha.
  11. 11. Trecho 2 – A Carta, de Pero Vaz “ Também andavam entre eles quatro ou cincomulheres, novas, que assim nuas, não pareciammal. Outra trazia ambos os joelhos com as curvasassim tintas, e também os colos dos pés; e suasvergonhas tão nuas, e com tanta inocência assimdescobertas, que não havia nisso desvergonhanenhuma.Trazem todos as testas, de fonte a fonte,tintas de tintura preta, que parece uma fita preta dalargura de dois dedos. Mostraram-lhes um carneiro;não fizeram caso dele. Mostraram-lhes umagalinha; quase tiveram medo dela, e não lhequeriam pôr a mão.”
  12. 12. Intertextualidade“Ó mar salgado, quanto do teu salSão lágrimas de Portugal!Por te cruzarmos, quantas mães choraram,Quantos filhos em vão rezaram!Quantas noivas ficaram por casarPara que fosses nosso, ó mar!Valeu a pena? Tudo vale a penaSe a alma não é pequena.Quem quer passar além do BojadorTem que passar além da dor.Deus ao mar o perigo e o abismo deu,Mas nele é que espelhou o céu.” ( Mar Português – Fernando Pessoa )
  13. 13. 2. Literatura de Catequese:•Compreende os textos, em todos os gêneros, que visavam catequizar e moralizar os nativos.
  14. 14. 3. Literatura de Informação:•Relato dos viajantes europeus que vinham para a terra recém descoberta, falava-se da fauna e flora e de eventuais forma de exploração.
  15. 15. José de Anchieta: O Pioneiro• A Lírica: Sacra; Vida dos Santos; Passagens Bíblicas; Redondilhas.• A Prosa: A Primeira Gramática da Língua Tupi;• O Drama: Sacro; Modelo Moralizante de Gil Vicente.
  16. 16. Anchieta – A Catequese dos Nativos• Autos: Passagens Bíblicas; Vida dos Santos. - Diálogos Simples em tons Moralizantes. - Coro. - Ausência de cenários; iluminação. - A mensagem era o fundamental. - Se estendeu até o Romantismo. - “Diálogo”; “Auto de Santiago”; “Auto de São Lourenço”.
  17. 17. Fado Tropical“Oh, musa do meu fado/Oh, minha mãe gentil/Tedeixo consternado/No primeiro abril/Mas não sêtão ingrata/Não esquece quem te amou/E em tuadensa mata/Se perdeu e se encontrou/Ai, esta terraainda vai cumprir seu ideal/Ainda vai tornar-se umimenso Portugal//`Sabe, no fundo eu sou umsentimental/Todos nós herdamos no sanguelusitano uma boa dose de lirismo/Mesmo quandoas minhas mãos estão ocupadas em torturar,esganar,trucidar/Meu coração fecha aos olhos esinceramente chora...‘//” ( Chico Buarque )
  18. 18. Observe os textos 01 e 02:
  19. 19. Erro de Português – Oswald de Andrade“Quando o português chegou Debaixo duma bruta chuva Vestiu o índio Que pena! Fosse uma manhã de sol O índio tinha despido O português.”
  20. 20. As Imagens que tinham de nós!
  21. 21. E na Europa:
  22. 22. No Cinema:
  23. 23. Saiba!•Classicismo é Camões.•Humanismo é Gil Vicente.•Quinhentismo é Anchieta.

×