Relatorio do projeto do predio

360 visualizações

Publicada em

Projeto

Publicada em: Engenharia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
360
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatorio do projeto do predio

  1. 1. [Digite texto] Página 1 Relatório Edifício Chinatown
  2. 2. [Digite texto] Página 2 Índice 1 - Introdução 2 – Aspectos a serem abordados 2.1 - Entrada e saída 3 - Estacionamento – percursos e acessos .4 - Circulação Horizontal hall, áreas comuns, apartamento 5 - Circulação Vertical 6 - Sinalização 7 - Portas, Janelas e dispositivos 8 - Peças Sanitárias 9 - Revestimentos - pisos 10 - Dimensões dos ambientes 11- Conclusão 12 - Referencia
  3. 3. [Digite texto] Página 3 1 – INTRODUÇÃO 1.1 Elaboração do Relatório de análise de acessibilidade seguindo os princípios do Design Universal e o Manual de acessibilidade da prefeitura da cidade de São Paulo que atende a NBR9050, que não permitem o acesso a pessoas com mobilidade reduzida ou em que o acesso não está de acordo com as indicações do Decreto Lei 163/06. Com adaptações necessárias para tornar acessível ao edifício. 2.1 – ENTRADA E SAÍDA 2.1.1 Para a entrada e saída do edifício O piso tátil servira como orientação no inicio e término do corredor, será instalada uma porta principal de entrada de uma 1 folha1de 0,92X210cm. 3 – ESTACIONAMENTO – PERCURSO E ACESSOS 3.1 Para o estacionamento do edifício iremos reservar 1 vagas exclusivas, o caminho a ser per corrido devera será o menor possível e que esteja livre de barreiras ou obstáculos. Fonte: NBR 9050/04 Número total de Vagas VagasReservadas Ate 10 - De 11 a 100 1 Acima de 100 1%
  4. 4. [Digite texto] Página 4 4 - CIRCULAÇÃO HORIZONTAIS 4.1 Uma rota acessível com área horizontal saindo do estacionamento para o hall de entrada com a largura 1,50m, com piso antiderrapante continuo. 5 - CIRCULAÇÃO VERTICAL 5.1 Não há circulação vertical, pois não haverá elevador no prédio. 6 - SINALIZAÇÃO 6.1 Símbolo Internacional de Acesso – SAI Figura 1
  5. 5. [Digite texto] Página 5 7 - PORTAS, JANELAS E DISPOSITIVOS 7.1 A porta terá 0,92X2,10 cm, de largura a maçanetas será instala a 0,90 m e 1,10 m de altura em relação ao piso. 7.2 As janelas serão instaladas e adaptada para o usuário de cadeiras de rodas e a altura dos peitoris de janelas para permitir a visualização de uma pessoa sentada, além de ser resistente a impactos. 7.3 Os dispositivos relacionados no quadro a baixo esta de acordo com o Decreto Lei 163/06. Serão instalados os dispositivos de acionamento. Tabela 1 Dispositivo Variação de Altura Interruptor 0,60m – 1,00m Campainha-Alarme 0,60m – 1,00m Tomadas 0,40m – 1,00m Comando de janela 0,90m - 1,00m Maçaneta da Porta 0,80m – 1,00m Interfone 0,80m – 1,20m Quadro de Luz 0,80m – 1,20m
  6. 6. [Digite texto] Página 6 8 - PEÇAS SANITÁRIAS 8.1 Pecas sanitárias do banheiro do apartamento serão adaptadas de acordo com a normal NBR 9050 para o usuário de cadeira de roda, se necessário terá que fazer alteração na alvenaria para a instalação de acessório do banheiro conforme figura 2. Figura 2
  7. 7. [Digite texto] Página 7 9 - REVESTIMENTO 9.1 Piso cerâmico com dispositivos de alerta para deficientes físicos e visuais Especialmente idealizado para ser aplicado em percursos diferenciados destinados à circulação de pessoas portadoras de deficiência, incluindo-se percursos em ambientes internos e externos, públicos ou privados. .
  8. 8. [Digite texto] Página 8 7 – DIMENSÕES As dimensões dos cômodos do apartamento, e sua disposição, devem permitir que a pessoas com mobilidade e cadeiras de rodas, criar ambientes ou sistemas construtivos que permitam atender às necessidades de usuários com diferentes habilidades e preferências diversificadas, admitindo adequações e transformações. Possibilitar adaptabilidade às necessidades do usuário, de forma que as dimensões dos ambientes das construções possam ser alteradas, exemplo na fugira 4. Figura 4
  9. 9. [Digite texto] Página 9 11 – CONCLUSÃO Este relatório visa abordar todas as atividades já realizadas no projeto. O trabalho tem como objetivo geral desenvolver e aplicar metodologia para o processo de avaliação da satisfação dos moradores em condições de mobilidade e acessibilidade dentro do espaço físico do prédio. A adaptação de dormitório, banheiro, cozinha, ou sala para usuários de cadeira de rodas ou de mobilidade reduzida, poderá ser feita desde que não atrapalhe na parte estrutura das paredes, para que não aconteçam problemas futuro. No caso desta planta é impossível fazer essa adaptação, pois não há acesso para o usuário adentrar para o apartamento, pois o primeiro pavimento foi feito para o estacionamento do prédio. Lembrado que as normais estabelecidas na planta do terreno deverão ser cumpridas. 11 - Referencias
  10. 10. [Digite texto] Página 10 Leis e Normas NBR 9050-4 Desenho Universal Manual de Diretrizes Acessibilidade – Habilidades acessível na Cidade de São Paulo

×