Apresentação do projeto
ONCOGUIA NA COMUNIDADE
Instituto Oncoguia em M’Boi Mirim
2011
Capacitação dos agentes
comunitários, médicos e
enfermeiros Hosp. M´Boi
2012
Grupo ...
Iniciativa-piloto em M’Boi Mirim
Desafios alvo do Programa
 Desinformação das mulheres sobre câncer e saúde integral da mulher.
 Existência de barreiras ...
Nosso propósito
• Mobilizar e conscientizar a comunidade para a
importância da saúde da mulher.
• Ser um facilitador na pr...
Mulheres, com ou
sem câncer,
moradoras da
comunidade de
M´Boi Mirim,
familiares e líderes
comunitários.
Público-alvo
Objetivos específicos
1. Promover a conscientização das mulheres da comunidade para a
importância de cuidar de sua saúde d...
Resultados esperados
 Mulheres mais confiantes e conscientes de seu papel no cuidado com a saúde
e prevenção do câncer.
...
Nossa “navegadora” realiza as seguintes atividades:
 Plantão “Aprendendo a Cuidar de Mim e Prevenir o Câncer”: atendiment...
Lançamento do Programa: julho/2013
Com a participação de
lideranças,profissionais de saúde,
representantes da subprefeitur...
• Abordagem de 111 mulheres nas ruas e na UBS,
para apresentação do Programa e identificação de
hábitos de cuidado com saú...
Engajamento na Comunidade:
• Campanha Outubro Rosa: mural de mitos
e verdades sobre Câncer de Mama na UBS
e em instituição...
Principais resultados:
• Das 69 das mulheres atendidas individualmente, 34
foram abordadas inicialmente pela Navegadora
(4...
Para ficar com a saúde em dia
PASSO 1
ir ao
médico:
anualmente
ou quando
algo
diferente
aparecer
PASSO 2
fazer os
exames
p...
Dúvidas e mitos relatados pela
comunidade
“O câncer dói no início?”
“Doar sangue pega câncer?”
“Mioma vira câncer?”
“Quem ...
Motivos para não cuidar da saúde
Não priorização da saúde:
“Falta de tempo”
“Preguiça”
“Automedicar”
“Tenho que cuidar da ...
“O Encontro me deu coragem para fazer a mamografia, antes tinha medo de descobrir um
câncer”.
“ Nunca encontrei ninguém qu...
Oncoguia na Comunidade
Oncoguia na Comunidade
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Oncoguia na Comunidade

637 visualizações

Publicada em

Projeto do Instituto Oncoguia

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
637
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
278
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Aqui é a hora de reforçar a importância de não quebrar este fluxo.

    Falar do absenteísmo e de suas consequências para elas e para as outras mulheres.

  • Oncoguia na Comunidade

    1. 1. Apresentação do projeto ONCOGUIA NA COMUNIDADE
    2. 2. Instituto Oncoguia em M’Boi Mirim 2011 Capacitação dos agentes comunitários, médicos e enfermeiros Hosp. M´Boi 2012 Grupo focal com agentes comunitários de saúde do M´Boi Mirim Capacitação de agentes comunitários de saúde no Einstein Reunião com os 31 gerentes das UBS no CEJAM Reunião na UBS Cidade Ipava com o Gerente e Conselho Gestor Implantação de espaço de atendimento na UBS Cidade Ipava 2013 Lançamento do Programa em 17/07/2013 Visitas a organizações e mapeamento dos recursos comunitários Desenvolvimento de ferramentas de atendimento e registro sistematizado de dados
    3. 3. Iniciativa-piloto em M’Boi Mirim
    4. 4. Desafios alvo do Programa  Desinformação das mulheres sobre câncer e saúde integral da mulher.  Existência de barreiras psicossociais que interferem no cuidado das mulheres com sua saúde.  Dificuldade das mulheres de acesso aos serviços de saúde.  Mulheres com pouca informação sobre exames de rotina e sua importância.  Mulheres com medo do diagnóstico do câncer e de suas consequências.  Longo tempo em fila de espera para diagnóstico e início de tratamento, levando a alto índice de diagnóstico tardio do câncer, agravamento da doença, mais dor e sofrimento às pacientes.  Muitas mulheres sofrendo e morrendo por câncer de mama, ovários e útero.  Pouca clareza sobre dados epidemiológicos e sobre o fluxo de atendimento às mulheres no sistema público de saúde.
    5. 5. Nosso propósito • Mobilizar e conscientizar a comunidade para a importância da saúde da mulher. • Ser um facilitador na promoção do acesso rápido e de qualidade ao diagnóstico e tratamento do câncer. Objetivo Transversal Identificar barreiras para o acesso das mulheres ao serviço de saúde e formas de superá-las.
    6. 6. Mulheres, com ou sem câncer, moradoras da comunidade de M´Boi Mirim, familiares e líderes comunitários. Público-alvo
    7. 7. Objetivos específicos 1. Promover a conscientização das mulheres da comunidade para a importância de cuidar de sua saúde de forma de forma integral. Público-alvo específico: Mulheres em geral 2. Promover uma postura consciente e responsável da mulher frente ao câncer, esclarecendo suas dúvidas, informando seus direitos e auxiliando na tomada de decisão. Público-alvo específico: Mulheres com suspeita de câncer, pacientes e familiares. 3. Promover engajamento de lideranças da comunidade em torno da causa do câncer. Público-alvo específico: Líderes da comunidade 4. Promover integração e diálogo entre os diversos atores sociais envolvidos com a questão da saúde da mulher. Público-alvo específico: Parceiros
    8. 8. Resultados esperados  Mulheres mais confiantes e conscientes de seu papel no cuidado com a saúde e prevenção do câncer.  Pacientes mais conscientes de seus direitos.  Pacientes acessando o tratamento para o câncer mais rapidamente, sem se perder no fluxo.  Comunidade aderindo aos programas e atividades de conscientização e rastreamento.  Mulheres e famílias discutindo aberta e frequentemente o assunto: menos mitos e preconceito.  Mais qualidade de vida para pacientes com câncer.
    9. 9. Nossa “navegadora” realiza as seguintes atividades:  Plantão “Aprendendo a Cuidar de Mim e Prevenir o Câncer”: atendimentos com orientações sobre a importância da adoção de hábitos saudáveis e esclarecimento de dúvidas sobre como manter uma vida saudável e prevenir cânceres da mama, ovário e útero.  Orientação à pacientes e familiares, de forma acolhedora e personalizada, identificando barreiras e propondo soluções.  Realização de sessões de autocuidado em saúde e de espaços para escuta ativa da comunidade, suas características e demandas relacionadas à saúde da mulher.  Mapeamento contínuo dos recursos da comunidade e dos fluxos de saúde.  Visitas, reuniões e encontros periódicos com parceiros locais para apresentação do Programa e seus resultados, troca de experiências e planejamento de estratégias conjuntas. Como atuamos
    10. 10. Lançamento do Programa: julho/2013 Com a participação de lideranças,profissionais de saúde, representantes da subprefeitura e a comunidade.
    11. 11. • Abordagem de 111 mulheres nas ruas e na UBS, para apresentação do Programa e identificação de hábitos de cuidado com saúde. • 69 atendimentos individuais, dentro da UBS Cidade Ipava, com orientações sobre saúde, prevenção de câncer e esclarecimento de dúvidas. • 13 Encontros de Autocuidado em Saúde, realizados em 6 parcerias com instituições locais e 2 parcerias com líderes comunitários, e participação de 302 mulheres. • 12 atendimentos a pacientes e familiares com acolhimento e orientação via Programa de Apoio ao Paciente – PAP. • 118 recursos comunitários mapeados, entre instituições, creches, serviços sociais e de saúde. Principais realizações:
    12. 12. Engajamento na Comunidade: • Campanha Outubro Rosa: mural de mitos e verdades sobre Câncer de Mama na UBS e em instituição parceira; participação em caminhada. • Coleta de 180 assinaturas na Campanha Globe Athon • Participação no evento "Diálogos das Juventudes #PapoRetoSP"para discussão de melhorias na região do M´Boi Mirim. • Divulgação do programa em evento comunitário que reuniu 3 mil pessoas.
    13. 13. Principais resultados: • Das 69 das mulheres atendidas individualmente, 34 foram abordadas inicialmente pela Navegadora (49%). Destas 30 foram abordadas e atendidas no mesmo dia (43%). • Retorno de 8 das mulheres atendidas, 01 familiar e 01 paciente buscando apoio e novas orientações. Total de 19 retornos. • Acompanhamento contínuo de 01 paciente para orientação e identificação de barreiras, com 13 atendimentos. • 61 casos resolvidos a partir de orientação personalizada, identificação de barreiras e busca de solução com os parceiros e atores envolvidos (08 casos em acompanhamento).
    14. 14. Para ficar com a saúde em dia PASSO 1 ir ao médico: anualmente ou quando algo diferente aparecer PASSO 2 fazer os exames periódicos e aqueles solicitados pelo médico PASSO 3 pegar o resultado e levar ao médico ou ir até ele para saber o resultado PASSO 4 ouvir do médico que tudo está bem Ufa, missão cumprida... agora, só no ano que vem Infelizmente em todos esses passos existem BARREIRAS EMOCIONAIS, SOCIAIS, INSTITUCIONAIS Impedindo que a mulher mantenha sua saude em dia
    15. 15. Dúvidas e mitos relatados pela comunidade “O câncer dói no início?” “Doar sangue pega câncer?” “Mioma vira câncer?” “Quem usa prótese no seio, tem risco de câncer de mama”. “Se tiver muita ramificação na mama, qual é o intervalo entre uma mamografia e outra”. “O câncer é um caroço se não cuidar vira um buraco”. “O câncer é uma célula que precisa de tratamento para se curar”. “Minha mãe me disse que minha avó tinha hemorróida e fez uma simpatia na bananeira. Aí, a hemorróida entrou e se transformou em um câncer de intestino”.
    16. 16. Motivos para não cuidar da saúde Não priorização da saúde: “Falta de tempo” “Preguiça” “Automedicar” “Tenho que cuidar da casa e dos filhos” “Não estou sentindo nada” “Tenho vergonha de fazer o exame” “Esqueci a data” “Tenho medo de descobrir alguma coisa” Sistema de Saúde: “O médico é ruim” “Não tem vaga” “Não tem médico ginecologista na UBS” “Hoje os exames demoram muito, isso causa a desistência da mulher em cuidar da saúde” “Se formos marcar consulta com o médico na UBS é só para o ano quem”
    17. 17. “O Encontro me deu coragem para fazer a mamografia, antes tinha medo de descobrir um câncer”. “ Nunca encontrei ninguém que me escutasse”. “Vi os folders do instituto Oncoguia lá no Pérola, disse para a recepcionista que já conhecia o Programa Oncoguia na Comunidade”. “Tenho medo do câncer é uma doença muito triste”. “Na verdade as doenças te preocupam quando você tem”. “Minha mãe foi diagnosticada tardiamente, ela sentia dores nas costas e o médico só passava Voltaren, quando vieram a descobrir, ela durou só mais seis meses, hoje a gente tem que ter sorte de passar com um médico que também tenha interesse em descobrir um câncer”. O que dizem as usuárias:

    ×