PROJECTO EFA

37.228 visualizações

Publicada em

CURSOS DE EDUCAÇÃO FORMAÇÃOI

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
37.228
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
25.452
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
439
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • PROJECTO EFA

    1. 1. PROJECTO EFA
    2. 2. Ninguém ensina o que não sabe. Mas também ninguém numa perspectiva democrática ,deveria ensinar o que sabe sem ,de um lado, saber o que já sabem e em que nível sabem aqueles e aquelas a quem vai ensinar o que sabe. Para que porém quem sabe possa ensinar a quem não sabe é preciso que , primeiro, quem sabe saiba que não sabe tudo; segundo, que, quem não sabe , saiba que não ignora tudo. Sem esse saber dialéctico em torno do saber e da ignorância impossível a quem sabe, numa perspectiva progressista, democrática, ensinar a quem não sabe (...) curiosidade inquieta do saber. Por essa curiosidade que só tem quem, sabendo o que sabe, sabe que sabe, sabe que sabe pouco e que precisa e pode saber mais. Paulo Freire. Pedagogia da Esperança
    3. 3. O Projecto EFA  Promove a educação e a formação ao longo da vida.  Investe em adultos pouco qualificados .  Oferece percursos de educação e formação que conduzem à certificação escolar básica e à formação profissionalizante.  Dá corpo a processos de reconhecimento e validação de competências, adquiridas ao longo da vida.  Interioriza um processo de balanço de competências adquiridas em contextos não formais.
    4. 4. O Projecto EFA: Pontos Fortes  O reconhecimento e a validação de competências.  O módulo “ Aprender com Autonomia”.  O paradigma construtivista, a aprendizagem significativa e o acto de “Aprender a Aprender”.  A individualização e a diversificação do processo de aprendizagem.  A construção , a gestão curricular e a programação das áreas por unidades de competência (referencial de competências- chave)  A arquitectura transversal : os temas de vida e os projectos individuais de formação  O balanço de competências /portfolio reflexivo.  A carteira pessoal de competências.
    5. 5. A profissão de fé do projecto EFA: A educação e a formação ao longo da vida  Trilogia  Aprender a Viver Juntos ( solidariedade,tolerância, coesão)  Aprender a Aprender Juntos ( partilha, comunicação, descoberta, participação)  Aprender a Crescer Juntos ( Liberdade, Iniciativa, Autonomia, Excelência) Construir, pois, o conhecimento, atitudes e valores... E adquirir competências.
    6. 6. As Dimensões da EFLV Bases de um Novo Contrato Social   • Desenvolvimento Pessoal e Social • A Formação no Domínio da Cidadania Activa • A Procura Permanente da Empregabilidade LOGO: • Aprender a Aprender da Experiência • Aprender a Organizar Múltiplas Fontes de Informação • Conseguir espaço para novos conhecimentos
    7. 7. Os lugares comuns da educação e da formação O formando A matriz social O(s)autor(es) do currículo O Formador
    8. 8. O modelo fabril de ensino ou bancário que ainda usamos e o modelo zap das disciplinas não tem nada a ver com o projecto EFA pois está longe da complexidade e globalização da vida real. Uma formação de respostas sem perguntas e de perguntas sem respostas não é compatível com o projecto EFA. Uma educação que não prepare o formando para resolver problemas não será uma verdadeira educação EFA. No projecto EFA, a aprendizagem é um projecto pessoal, pois ninguém aprende por ninguém. O desejo de aprender por parte do formando é fundamental e o auxilio do formador é decisivo na elevação da sua autoestima , do seu autoconceito e no conhecimento de si mesmo .      
    9. 9. Ao contrário do oleiro que dá ao barro amorfo a forma que se deseja, o formador é como o jardineiro que procura rodear a planta de todas as condições de desenvolvimento que lhe são próprias. Como dizia António Sérgio, não é ele jardineiro que de qualquer semente faz um girassol.
    10. 10.   O Pilar Globalizador Tem em atenção toda a pessoa , o seu contexto sociocultural e a sua história de vida. Assenta nos seus interesses e necessidades e nas competências adquiridas ao longo da vida.   Palavras-chave : RVC,Balanço de Competências,Temas de Vida . O Pilar Activo   Converte a pessoa em sujeito activo do processo formativo, numa dinâmica de acção-reflexão-acção. Palavras-chave : Autonomia , Atitude crítica, Construtivismo   Os seis pilares da arquitectura curricular do Projecto EFA
    11. 11. O Pilar Indutivo   Institui o concreto como situação de partida. Em seguida generaliza, fornecendo processos de abstracção. Tudo assenta à partida na bagagem cultural da pessoa. Palavras-Chave : ancoragem, conceitos alternativos, aprendizagem significativa, construtivismo. O Pilar Participativo Rompe as barreiras entre educador/educando. É o facilitador da transformação das relações habituais na formação e fora dela. Palavras-Chave :autonomia, aprender a aprender, tomar decisões.
    12. 12. O Pilar Grupal   Desenvolve a consciência de pertença a um grupo que favoreça as condições de aprendizagem de cada pessoa. Possibilita situações de desenvolvimento pessoal e projecção social que podem incidir na transformação da realidade. Isto não interfere com o tratamento individualizado dos processos de aprendizagem. Palavras-Chave : participação, autoestima, autoconfiança,cidadania. O Pilar Flexível Programa -se de forma flexível, com respeito pelos participantes. Palavras-Chave: Investigação-acção.
    13. 13.   Um programador/Gestor Interpreta e adapta o currículo, construindo um projecto formativo no local de formação e gere Grupos de necessidades ou de Projecto Um investigador   Associa permanentemente o pensamento e a acção. Um arquitecto   Re(constrói) os eixos do desenho curricular.    O formador no projecto EFA
    14. 14. Um inovador   Re(interpreta) à luz das necessidades e condições concretas de cada situação social, cultural e geográfica . Um avaliador (Re)analisa a sua própria acção e a de todos os actores intervenientes no processo de formação.
    15. 15. A Investigação-Acção  A reflexão antes da acção.  A reflexão na acção.  A reflexão sobre a acção.  O confronto permanente teoria –prática.  O portfolio reflexivo como instrumento de avaliação em permanência.
    16. 16. O construtivismo as aprendizagens significativas e
    17. 17. Articular o ensino de novos conhecimentos com conhecimentos anteriores, situando a aprendizagem no âmbito das zonas de desenvolvimento próximo , é aprendizagem significativa . Quer num caso quer noutro, a aprendizagem é significativa , sempre que se procura dar sentido ou estabelecer relações entre os novos conceitos ou nova informação e os conceitos e conhecimentos já existentes ou com alguma experiência prévia. Aprendizagem Significativa
    18. 18. Noção Vygotskiana de zona de desenvolvimento próxima                                                             Nível real determinado pela capacidade de resolver um problema independentemente. (autonomia)   RVC AU Nível potencial determinado através da capacidade de resolução de um problema em cooperação com o formador ou com um colega mais competente O que o aluno já sabe constitui a sua estrutura cognitiva ensine-se em conformidade. Aprende-se significativamente se as novas ideias forem incorporadas de forma reflexiva na estrutura cognitiva (conceitos ancora /integradores)       A incorporação necessita de desejo, necessidade, interesse que mobilize o conflito cognitivo                
    19. 19. APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA Sempre no Projecto EFA, como? Dando valor aos capitais culturais do formando, promovendo o desenvolvimento da auto-estima e do auto-conceito, incutir confiança em si próprio e nas suas capacidades/ competências e criar um clima/contexto afectivo, ético, estético, reflexivo/dialógico.
    20. 20. O PROJECTO EFA E A PERSPECTIVA CONSTRUTIVISTA OU O ACTO DE APRENDER A APRENDER ( A METAAPRENDIZAGEM OU APRENDER DE FORMA SIGNIFICATIVA) PRECONIZA A CONCEPÇÃO DE UMA INTERVENÇÃO PEDAGÓGICA QUE PROPORCIONE A APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA. A PROMOÇÃO DAS CAPACIDADES DO PENSAR (Ajudar o Formando a procurar e a construir o seu próprio conhecimento e a reflectir sobre a natureza da produção/ construção do conhecimento).
    21. 21. OS PERCURSOS DOS FORMANDOS E DAS APRENDIZAGENS Código conseguido Restrito (conhecimentos centrados no concreto) Elaborado (conhecimentos centrado no abstrato) HABITUS Processo de socialização familiar e comunitário Capital Cultural Conjunto de competências linguisticas e culturais herdadas devido à situação social Cada formando é um caso. Em todos os casos estabelecer pontes cognitivas entre os conhecimentos a ensinar e os anteriores Currículo centrado nos antecedentes sociais Educação centrada no indivíduo Grupos educandos tipo; grupo de necessidades ou de projecto; grupalização da formação a partir de perfis educacionais; competências e conhecimentos anteriores importantes; cada grupo educando tipo está na mesma zona de desenvolvimento próximo. PIT TEMAS DE VIDA Integração curricular Intercâmbio de saberes e competências especificas entre formandos pertencentes a diferentes tipos de educandos tipo, através da resolução conjunta de problemas, tarefas estudos e experiências em grupo de trabalho. Formandos com diferentes perfis educacionais fazem intercâmbio de saberes e competências
    22. 22. CONTEÚDOS CONTEXTO PROCESS O   Conceptuais (factos,conceitos,princípios)   Procedimentais (procedimentos, práticas,destrezas).   Atitudinais (valores,normas,atitudes)   Abordagem profunda e construtivista ( relação de novas ideias com os conhecimentos anteriores; relação dos conceitos com a experiência ;quotidiana; conceitos prévios) Alunos construtores activos; aprendizagem por descoberta . Fazer o quê? Para quê e porquê ?         O Currículo para assegurar o seu equilíbrio sinergético deve ter três vertentes fundamentais                                                                    
    23. 23. RECONHECIMENTO E VALIDAÇÃO DE COMPETÊNCIAS Temas de Vida Cidadania e Empregabilidade TIC MV LC Aprender Com Autonomia Aprender a Aprender Construtivismo Aprendizagem significativa FP FORMAÇÃO E BASE EM I-A
    24. 24. O caminho faz-se caminhando... Ou os caminhos do pé posto!

    ×