Filmes de romance:realização: Nicholas Stoleractores principais: russel brand, kristen bell, jason segel and Mila kunis
resume do filme um belo par de patins:Peter Bretter é um esforçado músico que,após seis anos de idolatração da sua namorad...
Realização: Richard LaGravenese
actores principais: Gerard butler, Gina gershon, Hilary swank,kathy bates and lisakudrowresumo do filme P.S y love you: Ho...
kathy bates  A história do romance
Herdeiro da epopeia, o romance moderno é tipicamente um gênero narrativo, assimcomo a novela e o conto. A diferença entre ...
de 20, com a publicação do Ulisses, passou-se a afirmar que o livro de Joyce era oápice do romance, que depois dele o roma...
histórica pós moderna.Metamorfose do RomanceQue a palavra romance se desgastou ao ponto de se criar preconceitos em torno ...
utilizado fez com que a projeção ficasse inadequada.Will, Kennedy, Laurent e Dickson, chefe engenheiro da Edison Laborator...
negros, brancos, latinos, indianos, indios orientais e etc, um "banquete" decoadjuvantes. Assim nasceu a chamada "Meca do ...
A era do somEm alternativa a Hollywood existiam vários outros lugares que investiam no cinema econtribuiam para seu desenv...
profissionais especializados em cada detalhe do personagem.Comparando assim até parece que os desenhos em 2D eram bem simp...
sala de cinema 3D
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho sobre cinema

6.520 visualizações

Publicada em

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.520
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
39
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho sobre cinema

  1. 1. Filmes de romance:realização: Nicholas Stoleractores principais: russel brand, kristen bell, jason segel and Mila kunis
  2. 2. resume do filme um belo par de patins:Peter Bretter é um esforçado músico que,após seis anos de idolatração da sua namorada Sarah Marshall , uma estrela datelevisão, é trocado por um rocker britânico . À beira de um colapso nervoso, Peterdecide fazer uma viagem até Oahu para clarear as ideias mas o que encontra é umverdadeiro pesadelo: a sua ex e o novo namorado estão no mesmo hotel que ele.Enquanto se atormenta com a sua nova vida, Peter acaba por se distrair com Rachel ,uma bela funcionária, do hotel. Uma verdadeira historia de romance e comedia paraver. kristen Bell Russel brand Mila Kunis jason segel
  3. 3. Realização: Richard LaGravenese
  4. 4. actores principais: Gerard butler, Gina gershon, Hilary swank,kathy bates and lisakudrowresumo do filme P.S y love you: Holly Kennedy é uma jovem bonita, feliz e realizada.Casou-se com o homem de sua vida, o divertido e apaixonado Gerry. Mas ele ficadoente e morre, deixando Holly em estado de choque. Antes de falecer, Gerry deixapara a esposa uma série de cartas. Mensagens que surgem de forma surpreendente,sempre assinadas da mesma forma: "P.S. I Love You". A mãe de Holly e as melhoresamigas dela, Sharon e Denise , estão preocupadas porque as cartas mantém a jovempresa ao passado. Mas o fato é que as cartas estão ajudando a aliviar sua dor e guiá-laa uma nova vida. Hilary swank Gerard butler gina gershon lisa kudrow
  5. 5. kathy bates A história do romance
  6. 6. Herdeiro da epopeia, o romance moderno é tipicamente um gênero narrativo, assimcomo a novela e o conto. A diferença entre romance e novela não é clara, mascostuma-se definir que no romance há um paralelo de várias ações, enquanto na novelahá uma concatenação de ações individualizadas. No romance uma personagem podesurgir em meio a história e desaparecer depois de cumprir sua função. Outra distinçãoimportante é que no romance o final é um enfraquecimento de uma combinação eligação de elementos heterogêneos, não o clímax.Há de notar que o romance tornou-se gênero preferencial a partir do Romantismo, porisso ficando o termo romance associado a este. Entretanto o realismo teria noromance sua base fundamental, pois apenas este permitia a minúcia descritiva, queexporia os problemas sociais.Dom Quixote de La Mancha, escrito no início do século XVII, é geralmenteconsiderado como o precursor do romance moderno. tentativa de parodiar o romancede cavalaria, Miguel de Cervantes não só escreveu um dos grandes clássicos daliteratura, como ajudou a firmar o gênero que viria substituir a epopeia, a qual, jáagonizante, desapareceria no século XVIII, com o advento da revolução industrial. Oromance é, segundo Hegel, a epopeia burguesa moderna.O romance chega à modernidade com Balzac e à plenitude com Proust, Joyce,Faulkner. A partir destes últimos a ordem cronológica é desfeita: passado, presente efuturo são fundidos.A partir de meados deste século intensifica-se a discussão em torno de uma provávelcrise do romance, sua possível morte. Essa morte teria ocorrido por volta dos anos 50:Na França Alain Robbe-Grillet, Claude Simon, Robert Pinget, Nathalie Sarraute,Marguerite Duras, Michel Butor, entre outros, rejeitam o conceito de romance cujafunção é contar uma história e delinear personagens conforme as convenções realistasdo século XIX; transgridem também outros valores do romance tradicional: tempo,espaço, ação, repúdio à noção de verossimilhança etc. Sartre diz que ao destruírem oromance, esses escritores, na verdade, estão renovando-o, principalmente com ainfluência do cinema. É o noveau roman sacudindo as bases tradicionais da literatura.Em 1936 os Estados Unidos viviam a época clássica do cinema falado. Antes de serinfluenciado pelo cinema, o romance influenciou-o; ao ponto de, nas décadas de 30 e40, a indústria cinematográfica ter privilegiado os filmes narrativos e grandesromancistas terem sido contratados pelos estúdios para escreverem roteiros. Mesmoassim em 1936 Scott Fitzgerald escrevia: "vi que o romance, que na minha maturidadeera o meio mais forte e flexível de transmitir pensamento e emoção de um ser humanopara outro, estava ficando subordinado a uma arte mecânica... só tinha condições derefletir os pensamentos mais batidos, as emoções mais óbvias. Era uma arte em que aspalavras eram subordinadas às imagens..." Fitzgerald foi o primeiro escritor aperceber que o romance estava sendo suplantado pelo cinema, mas continuouacreditando que, como arte, o romance sempre seria superior. Antes disso, na década
  7. 7. de 20, com a publicação do Ulisses, passou-se a afirmar que o livro de Joyce era oápice do romance, que depois dele o romancista deveria ater-se ao mínimo, outrosdiziam que Ulisses era a paródia final do romance, como quem assina embaixo da frasede Kierkegaard: Toda fase histórica termina com a paródia de si mesma.No Brasil os anos 50 foram férteis: 1956, por exemplo, é considerado um dos grandesmarcos literários do país; foram publicados naquele ano O encontro marcado, deFernando Sabino; Doramundo, de Geraldo Ferraz; Vila dos Confins, de Mário Palmérioe Grande Sertão: veredas, de Guimarães Rosa. Ainda desta década é Gabriela, Cravo eCanela (58), de Jorge Amado. A trilogia O tempo e o vento, de Érico Veríssimo, teveseu primeiro volume, O continente, publicado em 49 e O retrato em 51.Crise do RomanceA verdade é que já em 1880 falava-se em crise do romance. Naquele ano foi feito naFrança uma enquete sobre o assunto e Jules Renard disse que o romance haviamorrido. E quem estava em atividade naquela época? Zola, André Gide, Valéry; maisadiante surgiriam Proust, Joyce, Kafka, Robert Musil, Machado de Assis... Numaentrevista, Gabriel Garcia-Márquez reitera sua crença no gênero: "se você diz que oromance está morto, não é o romance, é você que está morto".Justamente quando se discutia se os recursos do romance estariam realmenteesgotados, se seus dias estavam mesmo contados, surge o que ficou conhecido como oboom da literatura latino-americana: Julio Cortázar, Vargas Llosa, Gabriel Garcia-Márquez, Carlos Fuentes, Cabrera Infante, Miguel Ángel Asturias, Alejo Carpentieretc. Era o descobrimento do realismo mágico.Na verdade o romance sempre esteve ameaçado. Ele mesmo um dos filhos da revoluçãoindustrial, se viu diante da concorrência de outros irmãos: o desenvolvimento dojornalismo, o cinema, o rádio, a TV; e mais recentemente os computadores, a Internetetc. O que se tem visto, no entanto, são os rivais se transformarem em aliados doromance: a imprensa escrita veio influenciar e divulgar a literatura, com o cinema amesma coisa acontece. A Internet também vem se transformando numa divulgadora daliteratura.Em Repertório, Michel Butor diz que o romance é o laboratório da narrativa. E não háespaço mais propício para se fazer novas experiências do que um laboratório. Umaliteratura que pretende representar o mundo só o fará se acompanhar as mudançasdesse mundo. É preciso, então, mudar a própria noção de romance.Esse laboratório da narrativa vem ao encontro das relações atuais do romance com astransformações cada vez mais dinâmicas da sociedade contemporânea. O que morre noromance é a antiga estrutura que é necessariamente marcada pela coerência internada qual se espera extrair o sentido da narrativa. A crença em alcançar significadoscoerentes é que está em crise. A sociedade atual assiste ao fim das ideologias e àfalência tanto da sociedade burguesa quanto da socialista. O romance clássicorepresenta a falácia de um estilo de pensamento ultrapassado pela racionalidade
  8. 8. histórica pós moderna.Metamorfose do RomanceQue a palavra romance se desgastou ao ponto de se criar preconceitos em torno dela,isso não se discute. Há pessoas, por exemplo, que acreditam que o fato de não leremromances é um sintoma de intelectualidade. Na maioria das vezes, entretanto, quandose diz eu não leio romance está-se querendo dizer eu não leio prosa de ficção. Assim opreconceito se espalha para a literatura em geral.Outra coisa indiscutível é o fato de o romance não ocupar mais o mesmo espaço queocupou até o início deste século. Michel Butor diz que é preciso compreender que todainvenção literária, hoje em dia, produz-se no interior de um ambiente já saturado deliteratura. Para henry james o romancista é alguém para quem nada está perdido. ParaMishima a literatura é uma flor imperecível. Para Barthes a única verdadeira crise doromance acontece quando o escritor repete o que já foi dito ou quando deixa deescrever. A história do cinema Aqui serão apresentados alguns, no intuito de melhor conhecer esta história docinema. De fato, a data de 28 de Dezembro de 1895, é especial no que refere aocinema, e sua história. Neste dia, no Salão Grand Café, em Paris, os irmão Lumièrefizeram uma apresentação pública dos produtos de seu invento ao qual chamaramCinematógrafo. O evento causou comoção nos 30 e poucos presentes, a notícia sealastrou e, em pouco tempo, este fazer artístico conquistaria o mundo e faria nasceruma indústria multibilionária. O filme exibido foi LArrivée dun Train à La Ciotat NascimentoHoje em dia, o cinema baseia-se em projeções públicas de imagens animadas. O cinemanasceu de várias inovações que vão desde o domínio fotográfico até a síntese domovimento utilizando a persistência da visão com a invenção de jogos ópticos. Dentreos jogos óticos inventados vale a pena destacar o thaumatrópio (inventado entre 1820e 1825 por William Fitton), fenacistoscópio (inventado em 1829 por Joseph-AntoineFerdinand Plateau), zootropo (em 1834 por Will George Horner) e praxinoscópio (em1877 por Emily Reynaud). Em 1888, Emily Reynaud melhorou sua invenção e começouprojetar imagens no Musée Grévin durante 10 anos.Em 1876, Edward, James e Muybridge fez uma experiência: primeiro colocou 12 edepois 24 câmeras fotográficas ao longo de um hipódromo e tirou várias fotos dapassagem de um cavalo. Ele obteve assim a decomposição do movimento em váriasfotografias e através de um zoopraxinoscópio pode recompor o movimento. Em 1882,Étienne-Jules Marley melhorou o aparelho de Muybridge. Em 1888, Louis AiméeAugustin Le Prince filmou uma cena de cerca de 2 segundos mas a fragilidade do papel
  9. 9. utilizado fez com que a projeção ficasse inadequada.Will, Kennedy, Laurent e Dickson, chefe engenheiro da Edison Laboratories, inventouuma tira de celulóide contendo uma sequência de imagens que seria a base parafotografia e projeção de imagens em movimento. Em 1891, Thomas Edison inventou ocinetógrafo e posteriormente o cinetoscópio. O último era uma caixa movida aeletricidade que continha a película inventada por Dickson mas com funções limitadas.O cinetoscópio não projetava o filme.Baseado na invenção de Edison, Auguste e LouisLumière inventaram o cinematógrafo, um aparelho portátil que consistia num aparelhotrês em um (máquina de filmar, de revelar e projetar). Em 1895, o pai dos irmãosLumière, Antoine, organizou uma exibição pública paga de filmes no dia 28 dedezembro no Salão do Grand Café de Paris. A exposição foi um sucesso. Este dia, datada primeira projeção pública paga, é comumente conhecida como o nascimento docinema mesmo que os irmãos Lumière não tenham reivindicado para si a invenção de talfeito. Porém, as histórias americanas atribuem um maior peso a Thomas Edison pelainvenção do cinema, quando na verdade o que ele fez foi pegar pequenos videos eexibi-los em maquinas caça-níquel, e para não perder tal fonte lucrativa sempre foicontra a exibição dos filmes em grandes salas.Os irmãos Lumière enviaram ao mundo, a fim de apresentar pequenos filmes, osprimeiros registros como um início do cinema amador. "Sortie de lusine Lumière àLyon" (ou "Empregados deixando a Fábrica Lumière") é tido como o primeiroaudiovisual exibido na história, sendo dirigido e produzido por Louis Lumière. Domesmo ano, ainda dos irmãos Lumiére o filme "The Sprinkler Sprinkled", uma pequenacomédia. Menos de 6 meses depois, Edison projetaria seu primeiro filme, "Vitascope". Cinema mudoDesde o início, inventores e produtores tentaram casar a imagem com um somsincronizado. Mas nenhuma técnica deu certo até a década de 20. Assim sendo,durante 30 anos os filmes eram praticamente silenciosos sendo acompanhados muitasvezes de música ao vivo, outras vezes de efeitos especiais e narração e diálogosescritos presentes entre cenas. HollywoodAté esta época, Itália e França tinham o cinema mais popular e poderoso do mundomas com a Primeira Guerra Mundial, a indústria européia de cinema foi arrasada. OsEua começaram a destacar-se no mundo do cinema fazendo e importando diversosfilmes. Thomas Edison tentou tomar o controle dos direitos sobre a exploração docinematógrafo. Alguns produtores independentes emigraram de Nova York à costaoeste em pequeno povoado chamado Hollywoodland, graças a Griffith, que já o sugeria.Lá encontraram condições ideais para rodar: dias ensolarados quase todo ano,diferentes paisagens que puderam servir como locações e quase todos as etnias como,
  10. 10. negros, brancos, latinos, indianos, indios orientais e etc, um "banquete" decoadjuvantes. Assim nasceu a chamada "Meca do Cinema", e Hollywood se transformouno mais importante centro da industria cinematográfica do planeta.Nesta época foram fundados os mais importantes estúdios de cinema (Fox, Universal,Paramount) controlados por judeus (Daryl Zanuck, Samuel Bronston, Samuel Goldwyn,etc.) que viam o cinema como um negócio. Lutaram entre si e as vezes para competirmelhor, juntaram empresas assim nasceu a 20th Century Fox (da antiga Fox) e MetroGoldwyn Meyer (união dos estúdios de Samuel Goldwyn com Louis Meyer). Os estúdiosencontraram diretores e atores e com isso nasceu o "star system", sistema depromoção de estrelas e com isso, de ideologias e pensamentos de Hollywood.Começaram a se destacar nesta época comédias de Charlie Chaplin e Buster Keaton,aventuras de Douglas Fairbanks e romances de Clara Bow. Foi o próprio Charles Chapline Douglas Fairbanks junto a Mary Pickford e David Wark Griffith que acabaramcriando a United Artist com o motivo de desafiar o poder dos grandesestúdios O cinema do mundoEm alternativa a Hollywood existiam vários outros lugares que investiam no cinema econtribuiam para seu desenvolvimento. Na França, os cineastas entre 1919 e 1929começaram um estilo chamado de Cinema Impressionista Francês ou cinema devanguarda (avant garde em francês). Se destacaram nesta época o cineasta AbelGance com seu filme épico "J’Accuse" e Jean Epstein com seu filme "A queda da casade Usher" de 1929. Na Alemanha surgiu o expressionismo alemão donde se destacamos filmes "Das Cabinet des Dr. Caligari" ("O gabinete do doutor Caligari") de 1920 dodiretor Robert Wiene, "Nosferatu", "Phantom" ambos de 1922 e do diretor FriedrichWilhelm Murnau e Metrópolis de Fritz Lang de 1929.Na Espanha surgiu o cinema surrealista donde se destacou o diretor Luis Buñel. "UnPerro andaluz" (ou "Um Cão Andaluz" em português) de 1928 foi o filme que maisrepresentou o cinema surrealista de Buñel.Na Rússia se destacou o cineasta SergueiEisenstein que criou uma nova técnica de montagem, chamada montagem intelectual oudialéctica. Seu filme de maior destaque foi "The Battleship Potemkin" (ou br: "OEncouraçado Potemkin", pt: "O Couraçado Potemkin") de 1925. Infelizmente, cerca de90% dos filmes mudos se perderam. De fato, a maioria dos filmes mudos foi derretidaa fim de recuperarem o nitrato de prata, um componente caro. ORIGEM - Indícioshistóricos e arqueológicos comprovam que é antiga a preocupação do homem com oregistro do movimento. O desenho e a pintura foram as primeiras formas derepresentar os aspectos dinâmicos da vida humana e da natureza, produzindonarrativas através de figuras. O jogo de sombras do teatro de marionetes oriental éconsiderado um dos mais remotos precursores do cinema. Experiências posteriorescomo a câmara escura e a lanterna mágica constituem os fundamentos da ciênciaóptica, que torna possível a realidade cinematográfica.
  11. 11. A era do somEm alternativa a Hollywood existiam vários outros lugares que investiam no cinema econtribuiam para seu desenvolvimento. Na França, os cineastas entre 1919 e 1929começaram um estilo chamado de Cinema Impressionista Francês ou cinema devanguarda (avant garde em francês). Se destacaram nesta época o cineasta AbelGance com seu filme épico "J’Accuse" e Jean Epstein com seu filme "A queda da casade Usher" de 1929. Na Alemanha surgiu o expressionismo alemão donde se destacamos filmes "Das Cabinet des Dr. Caligari" ("O gabinete do doutor Caligari") de 1920 dodiretor Robert Wiene, "Nosferatu", "Phantom" ambos de 1922 e do diretor FriedrichWilhelm Murnau e Metrópolis de Fritz Lang de 1929.Na Espanha surgiu o cinema surrealista donde se destacou o diretor Luis Buñel. "UnPerro andaluz" (ou "Um Cão Andaluz" em português) de 1928 foi o filme que maisrepresentou o cinema surrealista de Buñel.Na Rússia se destacou o cineasta SergueiEisenstein que criou uma nova técnica de montagem, chamada montagem intelectual oudialéctica. Seu filme de maior destaque foi "The Battleship Potemkin" (ou br: "OEncouraçado Potemkin", pt: "O Couraçado Potemkin") de 1925. Infelizmente, cerca de90% dos filmes mudos se perderam. De fato, a maioria dos filmes mudos foi derretidaa fim de recuperarem o nitrato de prata, um componente caro. ORIGEM - Indícioshistóricos e arqueológicos comprovam que é antiga a preocupação do homem com oregistro do movimento. O desenho e a pintura foram as primeiras formas derepresentar os aspectos dinâmicos da vida humana e da natureza, produzindonarrativas através de figuras. O jogo de sombras do teatro de marionetes oriental éconsiderado um dos mais remotos precursores do cinema. Experiências posteriorescomo a câmara escura e a lanterna mágica constituem os fundamentos da ciênciaóptica, que torna possível a realidade cinematográfica. Como são feitas as animações 2D e 3DLápis, papel e vários quadrinhos em sequência. Essa é a base dos clássicos desenhosem 2D. O animador tinha o trabalho de ilustrar cada simples movimento dopersonagem ou do cenário que ele estava criando. Ao passar rapidamente quadro porquadro, o nosso cérebro se encarrega de transformar os quadros separados nummovimento contínuo - está aí o desenho animado. Basicamente, era assim queantigamente uma animação em 2D era produzida. Um trabalhão até chegar aoresultado final...Atualmente o desenho em 3D, irmão mais novo do 2D, vem fazendo grande sucesso nassalas de cinema do mundo inteiro. Toy Story e Shrek estão aí para comprovar. Mas sea dificuldade para fazer uma animação clássica em duas dimensões já era enorme,imagine criar cenários e bonecos cheios de movimentos que beiram a realidade. Ocaminho é longo, e o processo de desenvolvimento passa pelas mãos de diversos
  12. 12. profissionais especializados em cada detalhe do personagem.Comparando assim até parece que os desenhos em 2D eram bem simples de seremfeitos, não é mesmo? Mas não é bem assim. Tanto um quanto outro requerem muitadedicação de quem está produzindo.A princípio, pode parecer que o 3D vai extinguir as animações clássicas. Mas,felizmente a história não deve ser essa. O que veremos com frequência cada vez maioré a junção das duas formas de animação. sala de cinema
  13. 13. sala de cinema 3D

×