Curso de ead unirio aprendizagem

253 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
253
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso de ead unirio aprendizagem

  1. 1. CURSO DE CAPACITAÇAÕ EM EAD Elaboração e Produção de Material Didático em EAD da UNIRIO Maria Inez Bernardes do Amaral
  2. 2. James Wertsch é Professor em Artes e Ciências, Vice-reitor de Relações Internacionais, Diretor McDonnell Internacional Scholars Academy, Professor de Antropologia Sociocultural do Programa de Estudos Internacionais. Washington University in St. Louis “Os seres humanos são basicamente animais que usam signos, e as formas de ação que desenvolvem especialmente o falar e pensar envolvem uma combinação não redutível de um agente ativo e uma ferramenta cultural “. (WERTSCH, 2002 .COMUNICAÇÃO acima, 2010, p. 123).
  3. 3. Além de ocupar o cargo de professor do Departamento de Antropologia, Wertsch também é professor afiliado no Departamento de Psicologia e no Departamento de Educação dessa mesma universidade. Wertsch graduou-se bacharel em Psicologia na Universidade de Illinois em Urbana e obteve seu título de Mestre em Educação na Northwestern University. Após se doutorar em Psicologia da Educação na Universidade de Chicago em 1975, Wertsch realizou um ano de pós-doutorado em Moscou, onde trabalhou em colaboração com grandes nomes da psicologia russa, como: Luria, Leontiev, Zinchenko, entre outros.
  4. 4. Suas pesquisas atuais investigam a formação da identidade e memória coletiva nos Estados Unidos, assim como em países como Rússia, Estônia, República da Geórgia e outros que formavam a antiga União Soviética. Seu interesse está centrado em como as escolas e outras instituições do Estado são utilizadas para criar e manter a memória coletiva oficial. Ao explicar e estender a teoria de Vygotsky, Wertsch recorreu às ideias de diversos outros teóricos, em especial, aos estudos de Mikhail M. Bakhtin (1981, 1986) sobre translinguís- tica. Wertsch utilizou as noções de "gêneros discursivos", definidos como tipos de enunciados produzidos em situações típicas de comunicação verbal, e de "linguagens sociais", relativas aos tipos de falante (WERTSCH, 1991b). Ele também fez uso da noção de "voz", definida como o ponto de vista ou a perspectiva geral adotada pelo falante, com as perspectivas construtivistas de aprendizagem e com uma visão mais ampla sobre o sentido
  5. 5. Há uma relação íntima entre a linguagem e o desenvolvimento do pensamento, ou seja, é por meio da estruturação da linguagem que se concebe um significado, e por meio das articulações desses significados que a aprendizagem se dá em relação ao mundo. Esse pensamento é amplamente discutido e aceito desde meados da década de 1960 com a linha de estudo da cognição humana chamada de "construtivismo", de caráter sociointeracionista exatamente pela necessidade de os sujeitos colocarem suas linguagens em torno de um objeto de conhecimento e negociarem os significados para ele. Dessa linha de pensamento emerge a necessidade de se estudarem as interações que ocorrem em sala de aula e a forma como alunos e professores constroem um sentido para um conceito
  6. 6. • Um caso em questão é a análise de Wertsch de "voz", que exemplifica a natureza colaborativa do seu esforço. Embora alguns tenham visto entidades lingüísticas abstratas, como palavras isoladas e frases, como o mecanismo de formação de pensamento humano, Wertsch vira para Bakhtin, que demonstrou a necessidade de analisar o discurso em termos de como "apropria-se" as vozes dos outros em contextos socioculturais concretos . • Essas vozes apropriadas podem ser aqueles de alto- falantes específicos, como os pais, ou podem assumir a forma de "linguagens sociais" característica de uma categoria de alto-falantes, como uma comunidade étnica ou nacional.
  7. 7. Instrumentos mediacionais que evite a subjetivação individual da internalização. • Fóruns • Chats • Solicitar aos alunos que criem, compartilhem e mediem tópicos a serem discutidos • Construção de pequenos textos coletivos • Troca de experiências • Skype • Montagem de uma página colaborativa na internet. Os instrumentos ou as mediações incluídos no comportamento alteram e modulam tanto o fluxo como a estrutura das funções mentais, quem se educam no meio digital já não têm mais o pensamento linear das gerações que os antecederam.
  8. 8. Bibliografia: https://www.google.com.br/search?q=washington+University+in+St.+Louis&e s_sm=122&source=lnms&tbm=isch&sa=X&ei=zms8U5iTK8e_sQSFyIG4D w&ved=0CAkQ_AUoAg&biw=1366&bih=667#facrc=_&imgdii=_&imgrc=96 - Y7JbnqqNSBM%253A%3BpW0ujKiD2sX4pM%3Bhttp%253A%252F%25 2F25.media.tumblr.com%252Fe157ccbd035528d0b5372fef9e728e03%25 2Ftumblr_mgot1d6R8y1s2peeuo1_1280.jpg%3Bhttp%253A%252F%252F wustlengineering.tumblr.com%252Fpost%252F40627242159%252Fprest on-m-green-hall-is-a-new-gateway-into-the%3B930%3B620, acesso em 02/04/2014. http://cursoeadunirio2013.blogspot.com.br/2013/11/curso-de-capacitacao- em-ead-cead-unirio.html , acesso em 02/04/2014. PEREIRA, Alexsandro Pereira de and OSTERMANN, Fernanda.A aproximação sociocultural à mente, de James V. Wertsch, e implicações para a educação em ciências. Ciênc. educ. (Bauru) [online]. 2012, vol.18, n.1, pp. 23-39. ISSN 1516-7313. http://dx.doi.org/10.1590/S1516- 73132012000100002. WERTSCH, J. V. & A., S. C. The concept of internalization in Vygotsky's account of the genesis of higher mental functions. In: J. V. WERTSCH (Ed.). Culture, communication, and cognition. Cambridge: Cambridge University Press, 1985. p. 162-179.

×