Palestra:“Exclusão Social em Ambiente Escolar - Factores Psicológicos”<br />Inês I. Santos Oliveira<br />inesoliveira82@gm...
Declaração Universal dos Direitos do Homem<br />Artigo2.º : “Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberda...
Constituição da República PortuguesaArtigo 13.º: Princípio da igualdade<br />	1. “Todos os cidadãos têm a mesma dignidade ...
Exclusão Social<br /> Privação;<br /> Não inserção;<br /> Falta de recursos - ausência de cidadania.<br />		 Ambiental...
Os factores que podem contribuir para a exclusão social:<br /><ul><li>Baixos rendimentos;
Padrões de educação e de vida;
 Saúde;
 Nacionalidade;
 Toxicodependência;
 Desigualdade sexual;</li></ul>(…)<br />5<br />
<ul><li>Discriminação:</li></ul>	 Origem étnica/racial (racismo);<br />	 Orientação sexual;<br />	 Deficiência;<br />	...
Obesidade;</li></ul>6<br />
7<br />
A ciência afirma que biologicamente as raças não existem!<br />8<br />
9<br />
10<br />
11<br />
Exclusão Social <br />		Faz uma auto-análise e partilha connosco algum episódio caricato que tenhas vivenciado ou que tenh...
Racismo<br />13<br />
“Podes mostrar-me qual das duas bonecas é a mais feia? Sem hesitar, a menina afro-americana aponta a boneca negra. <br />P...
KiriDavis entrevistou 21 crianças afro-americanas e 15 afirmaram preferir a boneca branca. O documentário, intitulado A Gi...
Os insultos de natureza racista afectam:<br />  O aluno no ponto de vista emocional<br />Baixo rendimento escolar <br />D...
Consequências Racismo:<br /><ul><li>Isolamento;
Tristeza;
Depressão;
Frustração.</li></ul>Violência <br />17<br />
Religião<br />18<br />
Religião<br />		É uma das dimensões mais importantes na sociedade:<br /> Influência o sentido da vida e da morte;<br /> ...
Religião<br /> Discriminação Religiosa:<br /><ul><li>Falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar as diferença...
 Tem origem nas próprias crenças religiosas;</li></ul>			    Perseguição religiosa<br />20<br />
Religião<br />consciência individual de cada um;<br />deve ser vivido num clima de total liberdade e igualdade perante os ...
Religião<br />Consequências da discriminação religiosa:<br /><ul><li>Isolamento;
Tristeza;
Depressão;
Frustração.</li></ul>Violência<br />22<br />
Perturbações do Comportamento  Alimentar<br />DSM IV TR – Eixo I<br />23<br />
Anorexia Nervosa   VS   Bulimia Nervosa<br /> Distorção da imagem corporal e do peso<br />24<br />
Caso clínico:<br />25<br />Helena, traz do passado um pai alcoólico; uma tentativa de abuso sexual durante a infância; pai...
Caso clínico:<br />26<br />		(…) uma grande dificuldade em autonomizar-se emocionalmente; um corpo e mente que “recusam” e...
Anorexia nervosa<br /><ul><li> Recusa em manter um peso corporal mínimo;
 Medo intenso em ganhar peso;
 Perturbação da percepção do tamanho e da formas corporais;
 Amenorreia;
 Ocorre entre os 14 e os 18 anos. Raramente ocorre nas mulheres > 40 anos  Stress</li></ul>htp://www.youtube.com/watch?v=...
Anorexia nervosa<br /><ul><li> Peso corporal abaixo do nível normal mínimo para a idade e altura:</li></ul>< 85% do peso n...
Anorexia nervosa<br />Medo intenso de engordar não é atenuado pela perda de peso.<br />Preocupações  ><br />Peso  <<br />2...
Anorexia nervosa<br /><ul><li>Auto-estima depende do seu peso e forma corporal;</li></ul>Perda de peso = extraordinária di...
Anorexia nervosa<br /><ul><li>Raro queixar-se do emagrecimento;
 Não têm consciência;
 Negam o problema;
 Contam histórias pouco fiáveis;</li></ul>Informação dos pais ou de outras fontes;<br />Avaliar o grau de perda de peso e ...
Anorexia nervosa<br />Tipos:<br /><ul><li>Tipo Restritiva: não recorre regularmente a ingestão compulsiva de alimentos nem...
Tipo Ingestão Compulsiva/ Tipo Purgativa: comportamentos bulímicos ou purgativos (vómitos ou abuso de laxantes, diuréticos...
Anorexia nervosa<br />Humor depressivo;<br />Isolamento social;<br />Irritabilidade;<br />Insónia;<br />Diminuição do inte...
Bulimia nervosa<br /><ul><li> Final da adolescência ou início da idade adulta;
 Começa durante ou após um episódio de dieta;
 Parentes biológicos em 1ºgrau com Transtornos do Humor e de Abuso e Dependência, há maior frequência de aparecimento de B...
<ul><li>Episódios recorrentes de ingestão maciça e utilizam uma estratégia comportamental inapropriada para evitar ganhar ...
 São capazes de manter o peso num valor normal, ou pouco acima;</li></ul>35<br />Bulimia nervosa<br />
Bulimia nervosa<br /><ul><li> Compulsões periódicas e métodos compensatórios inadequados para evitar ganho de peso (vómito...
Bulimia nervosa<br /><ul><li> Compulsões periódicas e métodos compensatórios inadequados para evitar ganho de peso (vómito...
 Ingestão de uma quantidade de alimento maior do que a maioria dos indivíduos consumiria sob circunstâncias similares: inc...
Bulimia nervosa<br />Compulsão periódica (ingestão de alimentos)<br />  Vergonha						Ocultar 							         sintomas<br ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Palestra: Exclusão Social na Escola - Factores Psicológicos

9.209 visualizações

Publicada em

Escola Secundária Drª Laura Ayres, Quarteira. Elaborado por: Drª Inês Oliveira.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
9.209
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
107
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Palestra: Exclusão Social na Escola - Factores Psicológicos

  1. 1. Palestra:“Exclusão Social em Ambiente Escolar - Factores Psicológicos”<br />Inês I. Santos Oliveira<br />inesoliveira82@gmail.com<br />Março de 2011<br />1<br />
  2. 2. Declaração Universal dos Direitos do Homem<br />Artigo2.º : “Todos os seres humanos podem invocar os direitos e as liberdades proclamados na presente Declaração, sem distinção alguma, nomeadamente de raça, de cor, de sexo, de língua, de religião, de opinião política ou outra, de origem nacional ou social, de fortuna, de nascimento ou de qualquer outra situação. Além disso, não será feita nenhuma distinção fundada no estatuto político, jurídico ou internacional do país ou do território da naturalidade da pessoa, seja esse país ou território independente, sob tutela, autónomo ou sujeito a alguma limitação de soberania.”<br />2<br />Centro de Informação das Nações Unidas em Portugal, www.onuportugal.pt<br />
  3. 3. Constituição da República PortuguesaArtigo 13.º: Princípio da igualdade<br /> 1. “Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei”.<br /> 2. “Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica, condição social ou orientação sexual.”<br />Assembleia da República, www.parlamento.pt<br />3<br />
  4. 4. Exclusão Social<br /> Privação;<br /> Não inserção;<br /> Falta de recursos - ausência de cidadania.<br />  Ambiental;<br /> Cultural;<br /> Económico; Multidimensional<br /> Político e social.<br />4<br />
  5. 5. Os factores que podem contribuir para a exclusão social:<br /><ul><li>Baixos rendimentos;
  6. 6. Padrões de educação e de vida;
  7. 7. Saúde;
  8. 8. Nacionalidade;
  9. 9. Toxicodependência;
  10. 10. Desigualdade sexual;</li></ul>(…)<br />5<br />
  11. 11. <ul><li>Discriminação:</li></ul>  Origem étnica/racial (racismo);<br />  Orientação sexual;<br />  Deficiência;<br />  Género;<br />  Etária;<br />  Religião/crenças;<br />  Social/pobreza.<br /><ul><li>Distúrbios alimentares (anorexia, bulimia);
  12. 12. Obesidade;</li></ul>6<br />
  13. 13. 7<br />
  14. 14. A ciência afirma que biologicamente as raças não existem!<br />8<br />
  15. 15. 9<br />
  16. 16. 10<br />
  17. 17. 11<br />
  18. 18. Exclusão Social <br /> Faz uma auto-análise e partilha connosco algum episódio caricato que tenhas vivenciado ou que tenhas sentido excluído, mesmo que indirectamente...<br /> Escreve num papel e entrega (anónimo)…<br />12<br />
  19. 19. Racismo<br />13<br />
  20. 20. “Podes mostrar-me qual das duas bonecas é a mais feia? Sem hesitar, a menina afro-americana aponta a boneca negra. <br />Porque é que ela é feia? <br />- Porque é negra. <br />E porque é que a outra boneca é mais bonita? <br />- Porque é branca. “<br />14<br />
  21. 21. KiriDavis entrevistou 21 crianças afro-americanas e 15 afirmaram preferir a boneca branca. O documentário, intitulado A GirlLike Me, foi muito comentado nos Estados Unidos e questionou o papel da imprensa, ou seja, como as campanhas publicitárias ainda associam o "bonito" e "perfeito" a características como pele branca, olhos claros, magreza. <br />http://rd3.videos.sapo.pt/play?file=http://rd3.videos.sapo.pt/Qk5AaSChAWm1J8zWcZSt/mov/<br />15<br />
  22. 22. Os insultos de natureza racista afectam:<br /> O aluno no ponto de vista emocional<br />Baixo rendimento escolar <br />Depende dos grupos de suporte que o aluno tem à sua volta<br />16<br />
  23. 23. Consequências Racismo:<br /><ul><li>Isolamento;
  24. 24. Tristeza;
  25. 25. Depressão;
  26. 26. Frustração.</li></ul>Violência <br />17<br />
  27. 27. Religião<br />18<br />
  28. 28. Religião<br /> É uma das dimensões mais importantes na sociedade:<br /> Influência o sentido da vida e da morte;<br /> Alegrias e sofrimento;<br /> Como se vive em família;<br /> Modo como se interpreta a sexualidade;<br /> Tolerância ou o racismo;<br /> Política;<br />Etc.<br />19<br />
  29. 29. Religião<br /> Discriminação Religiosa:<br /><ul><li>Falta de habilidade ou vontade em reconhecer e respeitar as diferenças ou crenças religiosas de terceiros.;
  30. 30. Tem origem nas próprias crenças religiosas;</li></ul> Perseguição religiosa<br />20<br />
  31. 31. Religião<br />consciência individual de cada um;<br />deve ser vivido num clima de total liberdade e igualdade perante os outros.<br />21<br />
  32. 32. Religião<br />Consequências da discriminação religiosa:<br /><ul><li>Isolamento;
  33. 33. Tristeza;
  34. 34. Depressão;
  35. 35. Frustração.</li></ul>Violência<br />22<br />
  36. 36. Perturbações do Comportamento Alimentar<br />DSM IV TR – Eixo I<br />23<br />
  37. 37. Anorexia Nervosa VS Bulimia Nervosa<br /> Distorção da imagem corporal e do peso<br />24<br />
  38. 38. Caso clínico:<br />25<br />Helena, traz do passado um pai alcoólico; uma tentativa de abuso sexual durante a infância; pais exigentes, rígidos; um prato cheio que era obrigada a comer na escola, chamavam-lhe a “baleia”; pouca contenção de afectos; evita olhar-se ao espelho, quando olha acha-se gorda; um poder que exerce através do corpo, modificando a dinâmica familiar, que lhe permite ter ganhos secundários; (…)<br />
  39. 39. Caso clínico:<br />26<br /> (…) uma grande dificuldade em autonomizar-se emocionalmente; um corpo e mente que “recusam” entrar na vida adulta, a falta de menstruação, os caracteres sexuais secundários que são impedidos de crescer, sem “alimento”; automutilações como inibidoras da dor psiquica.<br />
  40. 40. Anorexia nervosa<br /><ul><li> Recusa em manter um peso corporal mínimo;
  41. 41. Medo intenso em ganhar peso;
  42. 42. Perturbação da percepção do tamanho e da formas corporais;
  43. 43. Amenorreia;
  44. 44. Ocorre entre os 14 e os 18 anos. Raramente ocorre nas mulheres > 40 anos  Stress</li></ul>htp://www.youtube.com/watch?v=XtcV_3lLrF0<br />27<br />
  45. 45. Anorexia nervosa<br /><ul><li> Peso corporal abaixo do nível normal mínimo para a idade e altura:</li></ul>< 85% do peso normal para a idade e altura<br />IMC = 17,5 <br />28<br />
  46. 46. Anorexia nervosa<br />Medo intenso de engordar não é atenuado pela perda de peso.<br />Preocupações ><br />Peso <<br />29<br />
  47. 47. Anorexia nervosa<br /><ul><li>Auto-estima depende do seu peso e forma corporal;</li></ul>Perda de peso = extraordinária disciplina;<br />Aumento do peso = falhanço inaceitável do autocontrolo.<br />Negam as consequências médicas graves do seu estado de malnutrição.<br />30<br />
  48. 48. Anorexia nervosa<br /><ul><li>Raro queixar-se do emagrecimento;
  49. 49. Não têm consciência;
  50. 50. Negam o problema;
  51. 51. Contam histórias pouco fiáveis;</li></ul>Informação dos pais ou de outras fontes;<br />Avaliar o grau de perda de peso e outras características da doença.<br />31<br />
  52. 52. Anorexia nervosa<br />Tipos:<br /><ul><li>Tipo Restritiva: não recorre regularmente a ingestão compulsiva de alimentos nem a purgantes;
  53. 53. Tipo Ingestão Compulsiva/ Tipo Purgativa: comportamentos bulímicos ou purgativos (vómitos ou abuso de laxantes, diuréticos e enemas)</li></ul>32<br />
  54. 54. Anorexia nervosa<br />Humor depressivo;<br />Isolamento social;<br />Irritabilidade;<br />Insónia;<br />Diminuição do interesse sexual.<br />Morte  Inanição, suicídio e alterações hidroelectrolíticas<br />33<br />
  55. 55. Bulimia nervosa<br /><ul><li> Final da adolescência ou início da idade adulta;
  56. 56. Começa durante ou após um episódio de dieta;
  57. 57. Parentes biológicos em 1ºgrau com Transtornos do Humor e de Abuso e Dependência, há maior frequência de aparecimento de Bulimia Nervosa;</li></ul>34<br />
  58. 58. <ul><li>Episódios recorrentes de ingestão maciça e utilizam uma estratégia comportamental inapropriada para evitar ganhar peso consequentemente (por exemplo, vómito auto induzido) e estão muito preocupadas com o peso e forma corporal;
  59. 59. São capazes de manter o peso num valor normal, ou pouco acima;</li></ul>35<br />Bulimia nervosa<br />
  60. 60. Bulimia nervosa<br /><ul><li> Compulsões periódicas e métodos compensatórios inadequados para evitar ganho de peso (vómito, laxantes, diuréticos, jejum, excesso exercício físico);</li></ul>Ocorre 2 vezes por semana<br />Durante 3 meses consecutivos<br />36<br />
  61. 61. Bulimia nervosa<br /><ul><li> Compulsões periódicas e métodos compensatórios inadequados para evitar ganho de peso (vómito, laxantes, diuréticos, jejum, excesso exercício físico);
  62. 62. Ingestão de uma quantidade de alimento maior do que a maioria dos indivíduos consumiria sob circunstâncias similares: inclui doces e alimentos com alto teor calórico, tais como gelados ou bolos;</li></ul>Vergonha<br />37<br />
  63. 63. Bulimia nervosa<br />Compulsão periódica (ingestão de alimentos)<br /> Vergonha Ocultar sintomas<br /> Humor depressivo<br />Indução do vómito<br />Perda do controle<br />38<br />
  64. 64. Bulimia nervosa<br />Raramente utilizam xaropes para indução do vómito<br />Alívio do desconforto físico<br />Capazes de vomitar quando querem<br />Indução do vómito<br />Redução do medo de ganhar peso.<br />Tornam hábeis na indução de vómitos<br />Objectivo em si mesmo<br />Variedade de métodos para a induzir o vómito<br />39<br />
  65. 65. Tipos:<br /><ul><li>Tipo Purgativo: durante o episódio actual de Bulimia Nervosa a pessoa induz regularmente o vómito ou abusa de laxantes, diuréticos ou enemas;
  66. 66. Tipo Não Purgativo: durante o período actual de Bulimia Nervosa a pessoa usa outros comportamentos compensatórios inapropriados – jejum, excesso de exercício físico – mas não há indução do vómito, nem abuso de laxantes , diuréticos ou enemas.</li></ul>40<br />Bulimia nervosa<br />
  67. 67. Outras perturbações alimentares:Vigorexia<br /> Vergonha do seu próprio corpo<br />Percepcionam o corpo de forma distorcida, considerando-se magros.<br />41<br />
  68. 68. Vigorexia<br /><ul><li>Conhecido também como Síndrome de Adónis:</li></ul> Obsessão em ser musculado;<br /> Ocorre final da adolescência;<br /><ul><li>Ingestão de substâncias que potenciam o aumento da massa muscular;
  69. 69. Nunca se consideram suficientemente musculosos;</li></ul>(…)<br />42<br />
  70. 70. Baixa auto-estima;<br /> personalidade introvertida, alterações ao nível do comportamento alimentar e tendência para a automedicação.<br />43<br />
  71. 71. Vigorexia<br /><ul><li>Pensamentos obsessivos;
  72. 72. Imagem distorcida da realidade;
  73. 73. Insónia;  Falta de apetite;
  74. 74. Problemas circulatórios;  Irritabilidade;
  75. 75. Redução dos níveis de testosterona;
  76. 76. Desinteresse sexual;
  77. 77. Fraqueza e cansaço constantes;
  78. 78. Dificuldade de concentração.</li></ul>44<br />
  79. 79. Ortorexia<br /><ul><li>Elevada preocupação com os hábitos alimentares;
  80. 80. Dedica bastante tempo a planear, comprar, preparar e fazer refeições ;</li></ul>Exagero das dietas naturalistas – espécie de obsessão diética<br />45<br />
  81. 81. Obesidade<br />46<br />
  82. 82. Obesidade:<br />Influenciada por factores:<br /><ul><li>Biológicos;
  83. 83. Psicológicos;
  84. 84. Sociais; Comportamento
  85. 85. Genéticos; alimentar e
  86. 86. Metabólicos; Personalidade
  87. 87. Doenças mentais;
  88. 88. Padrões comportamentais</li></ul>47<br />
  89. 89. Obesidade<br /><ul><li>Doença crónica;
  90. 90. 300 milhões de obesos no mundo.</li></ul> Proporções Epidémicas<br />  Dieta essencialmente calórica;<br />  Falta de exercício físico;<br />48<br />
  91. 91. Obesidade<br /> mais compulsivo do que o<br /> maior insatisfação nas relações sociais e familiares<br />Travado, Pires, Martins, Ventura e Cunha (2004)<br />Johnson, Swenson e Gastineau (1976)<br />49<br />
  92. 92. Obesidade<br />Perturbação de ingestão compulsiva<br />Impulsividade<br />Hipersensibilidade<br />Barros (1997)<br />50<br />
  93. 93. Obesidade<br />Dificuldade em tolerar a frustração<br />Ingestão alimentar<br />Compensa a desestabilização psicológica<br />Moreno & Bonfim (2004)<br />51<br />
  94. 94. Obesidade<br /> A obesidade é uma expressão física de um desajustamento emocional existente;<br /> Problemas psicológicos preexistentes e não resolvidos;<br />Depressão;<br />Alterações da ansiedade <br />(Quanto > IMC > Nível de alteração emocional)<br />Travado, Pires, Martins, Ventura e Cunha (2004)<br />52<br />
  95. 95. Obesidade<br /> Sentimentos de inadequação e incompetência;<br /><ul><li>Emocionalmente inseguro (comem como resposta a emoções negativas como tristeza, tédio ou raiva);</li></ul>Descompensação<br />Baixa tolerância à frustração<br />Estudos de Palme e Palme (1997) e Guenter (2000)<br />53<br />
  96. 96. Obesidade<br />Perturbações mais frequentes:<br /><ul><li>Perturbações Afectivas;
  97. 97. Perturbações da Ansiedade.</li></ul>Guisadoeet al.(2002)<br />54<br />
  98. 98. Obesidade<br />Graves problemas emocionais<br />Depressão<br />Problemas ligados à condição física<br />Suicídio (solução de se livrar das humilhações)<br />55<br />
  99. 99. Homossexualidade<br />56<br />
  100. 100. Homossexualidade<br /><ul><li>Não é hereditário;
  101. 101. Surge cedo na adolescência, sem qualquer experiência sexual anterior;
  102. 102. Não é uma escolha consciente que possa ser voluntariamente modificada;
  103. 103. Não é uma doença;</li></ul>Forma de orientação sexual<br />(AmericanPsychologicalAssociation; Sexual OrientationandHomosexuality)<br />Dr .Adnet, “Homossexualidade não é doença”, em www.dradnet.com<br />57<br />
  104. 104. Homossexualidade<br /> As razões da homossexualidade são desconhecidas. Existem vários factores que podem influenciar esta orientação, que é independente da vontade das pessoas, como por ex.:<br /> Genéticos;<br />  Culturais;<br />  Sociais;<br />  Psicológicas.<br />A ciência, os psicólogos e os médicos não chegaram ainda a uma conclusão….<br />58<br />
  105. 105. Homossexualidade<br /> Causas psicológicas em homens homossexuais: <br /> Relacionamento pobre ou uma ausência prolongada do pai; <br /> Psicanalistas defendem que as mães dos homossexuais são super protectoras ou demasiado íntimas;<br />Homossexualidade feminina,:<br /> Alguns psicanalistas referem uma falha em resolver relacionamentos demasiado íntimos com os pais na infância precoce, que traduzia um envolvimento íntimo com os homens, muito assustador, e tornando-se a mulher o objecto de amor”.<br />(Cordeiro, 2002, p. 166).<br />59<br />
  106. 106. Homossexualidade<br />Consequências psicológicas:<br /><ul><li>Vergonha;
  107. 107. Ansiedade;
  108. 108. Depressão;</li></ul>Suicídio (o risco de suicídio é 3 vezes maior em relação aos adolescentes heterossexuais) <br />60<br />
  109. 109. Ajuda?<br /> UAVIDRE - Unidade de Apoio à Vítima Imigrante e de Discriminação Racial ou Étnica telf. 21 358 79 14 uavidre@apav.pt;<br /> GAV LOULÉ Posto da GNR de Loulé, telf. 289 422 832 ou apav.loule@apav.pt;<br />Portal da Obesidade, http://www.adexo.pt/;<br />Associação dos Familiares e Amigos de Anorécticos e Bulímicos, Telf.: 22 2000042;<br />61<br />
  110. 110. Referências<br />2010 Ano Europeu de combate à pobreza e à Exclusão social, retirado em: http://www.2010combateapobreza.pt/;<br />ONU Portugal, retirado em: www.onuportugal.pt;<br /> Assembleia da República, retirado em: www.parlamento.pt;<br /> Psicologias Brasil retirado em: http://psicologias-brasil.blogspot.com/2010/11/anorexia-bulimia-e-vigorexia.html;<br /> American Psychiatric Association. (1980). Diagnostic and statistical manual of mental disorders (3rd ed.) Washington, DC: Author;<br /> Barros, C. (1997). Compulsão alimentar na Obesidade. Aletheia,5, 65-70;<br /> Carmo, I. (2001). Doenças do comportamento alimentar. Lisboa: ISPA.<br /> Cid, J. M. (1983) - Psicopatologia clínica e psicologia forense. Lisboa; Fundação Calouste Gulbenkian.<br /> Doran, R. (2000). Dicionário de Psicologia. Climepsi.<br />  DSM-IV-TR - Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais. (2002) Climepsi.<br /> Pais-Ribeiro, J. L. (1999). Investigação e avaliação em psicologia e saúde. Climepsi Editores (pp.67-73).<br />  Scharfetter, C. (1997) - Introdução à Psicopatologia Geral. Lisboa; Climepsi.<br /> Weiner, I.B. (1995). Perturbações psicológicas na adolescência. Fundação Calouste Gulbenkian: Lisboa.<br />62<br />
  111. 111. Obrigado pela vossa<br /> atenção!<br />63<br />

×