Título
Insira a mensagem aqui. Para obter um impacto maior, use duas ou três frases.
InBrasCI
Instituto
Brasileiro de
Cult...
2
Para nós, a Cultura está de luto, algo
faleceu no seu imo. No último bimestre do
ano passado(2012), começamos nós a
prep...
3
CURIOSIDADE
Nunca tinha pensado nisto....
CURIOSO ! . . . Significados da palavra
NOITE (texto muito pequeno e muito
int...
4
(Continuação)
Muitos haverão de afirmar que não
é bem verdade que não haja um
apoio à Cultura brasileira por parte
do Go...
5
Página de Elvandro Burity
II VICE-PRESIDENTE
http://elvandroburity.blogspot.com
Membro Efetivo da AMACLERJ
Eduardo G. So...
6
Segundo o Dr. José Argüelles, estudioso dos
mistérios dos Maias, o ano de 2013 é um mo-
mento especial para a humanidade...
7
O FOLCLORE
DA SUA TERRA
PROJETO
INFANTO-
JUVENIL
OBJETIVOS:
● Despertar, nas crianças dos povos
dos países, estados, reg...
8
encontrar a música do “Cavalo Marinho”,
transcrever a letra como é cantada, a origem
da sua dança e desenhar e pintar se...
9
Abolição indígena
O dia primeiro de abril de 1680 ficou conhecido
como o Dia da Abolição da Escravidão Indígena.
Histori...
10
CONCURSO 2012
TROVAS,
HAICAIS
E ALDRAVIAS
1º LUGAR: ABÍLIO KAC
(1º lugar geral, em trovas e aldravias)
2º LUGAR: GERALD...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Ano 5 n 16 - 2013

498 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
498
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ano 5 n 16 - 2013

  1. 1. Título Insira a mensagem aqui. Para obter um impacto maior, use duas ou três frases. InBrasCI Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais Pela Cultura, para a Paz, através do Amor ! humano pode empreender. O InBrasCI abre seus braços fraternalmente e envolve a todos que a ele queiram se engajar, “pela Cultura, pela Paz, atra- vés do Amor”, pelo que, ele próprio, buscou uma renovação: de estrutura, de atitude, de ação; bus- cou mais e mais a união, a parceria, pois acredita naquele velho lema dos mosqueteiros: “um por todos e todos por um”. Gradativamente, todos irão percebendo o efeito de tais mudanças, que esperamos sejam realmente positivas no sentido de melhor alcançarmos nossos objetivos. Um 2013 de excelentes realizações para todos. •"A paz interna é a base mais sóli- da para a paz mundial" (T.Y.S. Lama Gangchen) Editorial Dia Internacional da Mulher 1 .A Cultura está de Luto 2 Medalha Irmã Dulce 3 Curiosidade 4 Páginas de Eduar- do Souza e Elvan- dro Burity 5 2013 / março 6 7 8 Nesta edição: pág. http://inbrasci.blogspot.com.br Rio de Janeiro, 18 de março de 2013 Ano nº 05 — Nº 16 março/abril 2013 BIMESTRAL InBrasCI – Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais RCPJ-RJ n° 225964 – CNPJ n° 09.225.702/0001-48 Fundação: 13 de fevereiro de 2006 Rua Teixeira de Freitas, n° 5, 3° andar, s.303 Lapa,Rio de Janeiro, RJ – Brasil / CEP: 20021-350 Telefones: 2252 -7705 /após 15 horas, 3ª segunda feira de cada mês Biblioteca Bartira: do InBrasCI, instalada no Centro de Produção Cultural Mestre Raladinho, em Maricá– Tel: (21)2634-2661 - centrocultural.emr@gmail.com http://inbrasci.blogspot.com.br Boletim informativo - cultural do InBrasCI— Sede Nacional Ano nº 05 — Nº 16 março/abril 2013 BIMESTRAL “A humanida- de não pode libertar-se da violência se- não por meio da não- violência.” (Mahatma Gandhi) “Quanto riso, oh, quanta alegria, mais de mil palhaços no salão... Arlequim está chorando pelo amor da colombi- na, em meio à multidão!” (Zé Kéti e Pereira Matos) E quando pensamos que estamos dei- xando para trás mais um carnaval que passou, percebemos que, muito pelo contrário, perma- necemos no roldão do carnaval da vida, onde somos nós os palhaços, os títeres, arlequins, pierrôs e colombinas nas mãos dos donos da Nação, “nobres” mascarados do Poder a escra- vizarem o povo para seu deleite e prazer. E nós, baluartes da Cultura, na luta inglória de defen- der a Nação pela Arte, através do Amor, para instalar a Paz... Nós, que muitas vezes nos sen- timos, imprópria e ingloriamente nadando na areia, sem chegar a lugar algum, definhando de fome e sede de saber, ao mesmo tempo que somos quais guardiães da esperança de uma evolução espiritual e cultural, de uma integra- ção dos povos apascentados no Amor Univer- sal. E quem somos nós? Somos os artistas, os literatos, pintores, escultores, compositores, músicos, bailarinos, atores, jornalistas; seres de sensibilidade aflorada, capazes de captar toda a beleza que paira no ar, a poesia que domina a Natureza, o amor que sedimenta a evolução. Nós que somos o exército da Cultura e da Paz, que batalhamos por tais objetivos tendo como arma a palavra e toda e qualquer matéria- instrumento de uma arte. É imbuídos, pois, desse espírito, que aqui estamos mais uma vez juntos, na busca de vencermos essa guerra, a mais nobre que o ser DIA INTERNACIONAL DA MULHER O dia 08 de MARÇO é o Dia Inter- nacional da Mulher. Neste dia, do ano de 1857, as operárias texteis de uma fábrica de Nova Iorque en- traram em greve, ocupando a fábri- ca, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias recebiam menos de um terço do sa- lário dos homens e foram fechadas na fábrica onde aconteceu um incêndio e cerca de 130 mulheres morreram queimadas, sem socorro. Em 1910, numa conferência inter- nacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em home- nagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher". (cont. na pág. 3) Título Insira a mensagem aqui. Para obter um impacto maior, use duas ou três frases. InBrasCI Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais Pela Cultura, para a Paz, através do Amor ! humano pode empreender. O InBrasCI abre seus braços fraternalmente e envolve a todos que a ele queiram se engajar, “pela Cultura, pela Paz, atra- vés do Amor”, pelo que, ele próprio, buscou uma renovação: de estrutura, de atitude, de ação; bus- cou mais e mais a união, a parceria, pois acredita naquele velho lema dos mosqueteiros: “um por todos e todos por um”. Gradativamente, todos irão percebendo o efeito de tais mudanças, que esperamos sejam realmente positivas no sentido de melhor alcançarmos nossos objetivos. Um 2013 de excelentes realizações para todos. •"A paz interna é a base mais sóli- da para a paz mundial" (T.Y.S. Lama Gangchen) Editorial Dia Internacional da Mulher 1 .A Cultura está de Luto 2 Medalha Irmã Dulce 3 Curiosidade 4 Páginas de Eduar- do Souza e Elvan- dro Burity 5 2013 / março 6 7 8 Nesta edição: pág. http://inbrasci.blogspot.com.br Rio de Janeiro, 18 de março de 2013 Ano nº 05 — Nº 16 março/abril 2013 BIMESTRAL InBrasCI – Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais RCPJ-RJ n° 225964 – CNPJ n° 09.225.702/0001-48 Fundação: 13 de fevereiro de 2006 Rua Teixeira de Freitas, n° 5, 3° andar, s.303 Lapa,Rio de Janeiro, RJ – Brasil / CEP: 20021-350 Telefones: 2252 -7705 /após 15 horas, 3ª segunda feira de cada mês Biblioteca Bartira: do InBrasCI, instalada no Centro de Produção Cultural Mestre Raladinho, em Maricá– Tel: (21)2634-2661 - centrocultural.emr@gmail.com http://inbrasci.blogspot.com.br Boletim informativo - cultural do InBrasCI— Sede Nacional Ano nº 05 — Nº 16 março/abril 2013 BIMESTRAL “A humanida- de não pode libertar-se da violência se- não por meio da não- violência.” (Mahatma Gandhi) “Quanto riso, oh, quanta alegria, mais de mil palhaços no salão... Arlequim está chorando pelo amor da colombi- na, em meio à multidão!” (Zé Kéti e Pereira Matos) E quando pensamos que estamos dei- xando para trás mais um carnaval que passou, percebemos que, muito pelo contrário, perma- necemos no roldão do carnaval da vida, onde somos nós os palhaços, os títeres, arlequins, pierrôs e colombinas nas mãos dos donos da Nação, “nobres” mascarados do Poder a escra- vizarem o povo para seu deleite e prazer. E nós, baluartes da Cultura, na luta inglória de defen- der a Nação pela Arte, através do Amor, para instalar a Paz... Nós, que muitas vezes nos sen- timos, imprópria e ingloriamente nadando na areia, sem chegar a lugar algum, definhando de fome e sede de saber, ao mesmo tempo que somos quais guardiães da esperança de uma evolução espiritual e cultural, de uma integra- ção dos povos apascentados no Amor Univer- sal. E quem somos nós? Somos os artistas, os literatos, pintores, escultores, compositores, músicos, bailarinos, atores, jornalistas; seres de sensibilidade aflorada, capazes de captar toda a beleza que paira no ar, a poesia que domina a Natureza, o amor que sedimenta a evolução. Nós que somos o exército da Cultura e da Paz, que batalhamos por tais objetivos tendo como arma a palavra e toda e qualquer matéria- instrumento de uma arte. É imbuídos, pois, desse espírito, que aqui estamos mais uma vez juntos, na busca de vencermos essa guerra, a mais nobre que o ser DIA INTERNACIONAL DA MULHER O dia 08 de MARÇO é o Dia Inter- nacional da Mulher. Neste dia, do ano de 1857, as operárias texteis de uma fábrica de Nova Iorque en- traram em greve, ocupando a fábri- ca, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias recebiam menos de um terço do sa- lário dos homens e foram fechadas na fábrica onde aconteceu um incêndio e cerca de 130 mulheres morreram queimadas, sem socorro. Em 1910, numa conferência inter- nacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em home- nagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher". (cont. na pág. 3) Título Insira a mensagem aqui. Para obter um impacto maior, use duas ou três frases. InBrasCI Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais Pela Cultura, para a Paz, através do Amor ! humano pode empreender. O InBrasCI abre seus braços fraternalmente e envolve a todos que a ele queiram se engajar, “pela Cultura, pela Paz, através do Amor”, pelo que, ele pró- prio, buscou uma renovação: de estrutura, de atitude, de ação; buscou mais e mais a união, a parceria, pois acredita naquele velho lema dos mosqueteiros: “um por todos e todos por um”. Gradativamente, todos irão percebendo o efeito de tais mudanças, que esperamos sejam real- mente positivas no sentido de melhor alcançar- mos nossos objetivos. Um 2013 de excelentes realizações para todos. •"A paz interna é a base mais sóli- da para a paz mundial" Editorial Dia Internacional da Mulher 1 .A Cultura está de Luto 2 Medalha Irmã Dulce 3 Curiosidade 4 Páginas de Eduar- do Souza e Elvan- dro Burity 5 2013 / março 6 7 8 Nesta edição: pág. http://inbrasci.blogspot.com.br Rio de Janeiro, 18 de março de 2013 Ano nº 05 — Nº 16 março/abril 2013 BIMESTRAL InBrasCI – Instituto Brasileiro de Culturas Internacionais RCPJ-RJ n° 225964 – CNPJ n° 09.225.702/0001-48 Fundação: 13 de fevereiro de 2006 Rua Teixeira de Freitas, n° 5, 3° andar, s.303 Lapa,Rio de Janeiro, RJ – Brasil / CEP: 20021-350 Telefones: 2252 -7705 /após 15 horas, 3ª segunda feira de cada mês Biblioteca Bartira: do InBrasCI, instalada no Centro de Produção Cultural Mestre Raladinho, em Maricá– Tel: (21)2634-2661 - centrocultural.emr@gmail.com http://inbrasci.blogspot.com.br Boletim informativo - cultural do InBrasCI— Sede Nacional Ano nº 05 — Nº 16 março/abril 2013 BIMESTRAL “A humanida- de não pode libertar-se da violência se- não por meio da não- violência.” (Mahatma Gandhi) “Quanto riso, oh, quanta alegria, mais de mil palhaços no salão... Arlequim está chorando pelo amor da colombi- na, em meio à multidão!” (Zé Kéti e Pereira Matos) E quando pensamos que estamos dei- xando para trás mais um carnaval que passou, percebemos que, muito pelo contrário, perma- necemos no roldão do carnaval da vida, onde somos nós os palhaços, os títeres, arlequins, pierrôs e colombinas nas mãos dos donos da Nação, “nobres” mascarados do Poder a escra- vizarem o povo para seu deleite e prazer. E nós, baluartes da Cultura, na luta inglória de defen- der a Nação pela Arte, através do Amor, para instalar a Paz... Nós, que muitas vezes nos sen- timos, imprópria e ingloriamente nadando na areia, sem chegar a lugar algum, definhando de fome e sede de saber, ao mesmo tempo que somos quais guardiães da esperança de uma evolução espiritual e cultural, de uma integra- ção dos povos apascentados no Amor Univer- sal. E quem somos nós? Somos os artistas, os literatos, pintores, escultores, compositores, músicos, bailarinos, atores, jornalistas; seres de sensibilidade aflorada, capazes de captar toda a beleza que paira no ar, a poesia que domina a Natureza, o amor que sedimenta a evolução. Nós que somos o exército da Cultura e da Paz, que batalhamos por tais objetivos tendo como arma a palavra e toda e qualquer matéria- instrumento de uma arte. É imbuídos, pois, desse espírito, que aqui estamos mais uma vez juntos, na busca de vencermos essa guerra, a mais nobre que o ser DIA INTERNACIONAL DA MULHER O dia 08 de MARÇO é o Dia Inter- nacional da Mulher. Neste dia, do ano de 1857, as operárias texteis de uma fábrica de Nova Iorque en- traram em greve, ocupando a fábri- ca, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias recebiam menos de um terço do sa- lário dos homens e foram fechadas na fábrica onde aconteceu um incêndio e cerca de 130 mulheres morreram queimadas, sem socorro. Em 1910, numa conferência inter- nacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em home- nagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher". (cont. na pág. 3)
  2. 2. 2 Para nós, a Cultura está de luto, algo faleceu no seu imo. No último bimestre do ano passado(2012), começamos nós a prepararar o número 16 do nosso “O Arauto da Cultura e da Paz”, quando fomos surpreendidos com a notícia da perda, por parte da então Ministra da Cultura Drª Anna Maria Buarque de Hollanda, de sua pasta; na ocasião, escrevemos então o abaixo transcrito EDITORIAL, que não chegou a ser editado: “Lamentamos que os Ministérios sirvam, apenas, ao Governo como objeto de barganha política e dessa vez foi o próprio Ministério da Cultura. A ex-Ministra da Cultura Anna Maria Buarque de Hollanda, até onde nos consta, pessoa honesta, ciosa das suas responsabilidades foi, digamos, “punida” com a perda do Ministério justamente porque, em concordância com seus princípios, escreveu uma carta à Ministra do Planejamento, a Exmª Drª. Míriam Belchior, segundo o jornal O Globo de 12 de setembro último, “reclamando do orçamento da pasta” e dizendo que os números “colocavam em risco a gestão e até mesmo a existência de boa parte das instituições culturais”; reclamou também ela dos baixos salários dos servidores e da falta de um plano de carreira. Ela só esqueceu de citar em sua carta as pessoas que como nós se dedicam de corpo e alma à Cultura, sem qualquer ajuda financeira dos Governos, empenhando os parcos recursos de suas aposentadorias em fazer progredir nossa Cultura, em incentivá-la e fazê-la ser mundialmente reconhecida, inclusive pelos próprios brasileiros, levando-a até eles e trazendo-os até ela. Na realidade, o Governo aproveitou-se dessa carta e botou em praática aquele cômodo ditado dos “espertos” : “os incomodados que se mudem” e retirou Anna Hollanda do Ministério da Cultura, abrindo nele vaga a ser preenchida com alguém que muito ajudaria na campanha política do petista Fernando Haddat à Prefeitura de São Paulo; esta já era realmente a intenção do Governo,que só se aproveitou do desagrado de de Anna Hollanda pela ma- neira desinteressada com que é tratada a Cultura em nosso país. Talvez a nossa querida Anna Holanda tivesse tido a inge- nuidade, quando assumiu o Ministério da Cultura, de poder transformar o conceito do Governo de que Educação e Cultura são elementos relegados a segundo plano e por que será que, entram e saem Gover- nos e essa mentalidade não se altera, o que é por si só um absurdo? Será que é porque quanto menos o povo receber em educação e cultura menos ele vai ter condições de refletir sobre a oferta governamental a ele, menos vai concluir que está sendo engabelado e mais facil- mente vai se deixando convencer com en- godos como “cestas básicas” e “cotas universitárias”, por exemplo, que são, na verdade, a mais ilegal e desavergonhada discriminação entre os seres humanos: a Constituição Brasileira diz, no seu Título II, Artigo I, Artigo 5º, “Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a invi- olabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à proprieda- de.” Em sendo assim, por que se discrimi- nar negros e índios(amarelos) dando-lhes o direito das cotas de ingresso nas univer- sidades, mesmo até que saibam menos que os brancos que se submeterem igualmente ao mesmo concurso? Ou é discriminação de brancos? Por que não tratarem todos igualmente como manda a nossa Lei Magna, levando em conta apenas o saber de todos, submetidos a igual avaliação? E o que se dizer das cotas para oriundos do ensino publico e estudantes de baixa ren- da? Discriminação dos menos aquinhoa- dos financeiramente, ou uma supervalori- zação do ensino público gratuito, buscan- do assim “tampar o sol com a peneira”, quando se tem consciência de que essa estrutura de ensino está arruinada ,
  3. 3. 3 CURIOSIDADE Nunca tinha pensado nisto.... CURIOSO ! . . . Significados da palavra NOITE (texto muito pequeno e muito interessante) Em muitos idiomas euro- peus, a palavra NOITE é formada pela letra N + o número 8 na respectiva lín- gua. A letra N é o símbolo matemático de in- finito e o 8 deitado também simboliza infinito, ou seja, noite significa, em todas as línguas, a união do infini- to!!! Português: noite = n + oito Inglês: night = n + eight Alemão: nacht = n + acht Espanhol: noche = n + ocho Francês: nuit = n + huit Italiano: notte = n + otto Interessante, não? justamente pelo pouco caso governamental com a educação em geral, quando se mascara o interesse por essa educação até com ofertas de aparelhos de informática — o que “enche os olhos da maioria”, mas não objetiva uma educação mais eficiente, profunda, sólida e concreta realmente, com professores muito bem preparados e devidamente remunerados, para que não precisem correr atrás de várias fontes financeiras para seu sustento e de sua família. Quando será que os realmente inte- ressados no se construir um Brasil melhor, em dar a esse povo que os elege uma condi- ção digna de vida, uma esperança de um fu- turo mais fraterno e financeira, social e cul- turalmente melhor, no dar um exemplo ao Mundo de país equilibrado e gerador da Paz vão conseguir alçar os postos do nosso Go- verno e neles se fixar, para, unidos, bem tra- balhar em prol dessa Nação e do Mundo?... O número 16 do nosso jornal não saiu na- quela ocasião por motivos alheios à nossa vontade, somente agora será editado, mas fi- zemos questão de transcrever aqui o EDITO- RIAL que havia sido escrito na época, princi- palmente porque o nosso grito de dor e de revolta pelo abandono da nossa educação e cultura por parte dos nossos representantes no Governo da Nação, representantes por nós mesmos escolhidos e eleitos, permanece... Por que será que sempre escolhemos e vota- mos tão mal? Será, justamente, porque nos falta essa luz, essa reflexão, essa visão por não termos uma boa educação e uma cultura mais aprofundada?Se assim for, em matéria de estratégia, parece que os nossos governan- tes estão se saindo muito bem, pelo menos no que se refere aos seus ocultos objetivos... Ou será por não termos melhores opções, “tanto faz como tanto fez”, esse ou aquele, tira-se o unidunitê e lá vai o nosso “voto obrigatório”, isso dentro de uma D-E-M-O-C-R-A-C-I-A (lógico que bem no padrão do jeitinho brasi- leiro...). (Continua) — Feliz 2013!... Dei tantas voltas no mundo! Deus escreve sempre certo; quando no torto vai fundo, confie nele, é esperto! ( C.B. )
  4. 4. 4 (Continuação) Muitos haverão de afirmar que não é bem verdade que não haja um apoio à Cultura brasileira por parte do Governo: quantos shows mu- sicais têm sido patrocinados e ofer- tados gratuitamente ao povo? Quantos incentivos a projetos cultu- rais a Lei vem oferecendo? Na ver- dade, a música é um chamariz po- pular, o ritmo nasce com o homem, é instintivo e ao lhe ser oferecida a música, o ser humano é por ela to- mado, inebriado, anestesiado mes- mo quanto às suas dores e carên- cias, tornando-se feliz e grato a seu benfeitor, esquecido do quanto é bem maior a dívida social, educaci- onal e cultural dele para com os brasileiros. Nada contra o apoio à música no Brasil, muito pelo con- trário, mas ela não é a única forma de expressão popular brasileira e as demais formas parecem estar rele- gadas a um segundo plano... Por que será que temos tal impressão? Quanto a incentivos a Projetos Cul- turais, existem sim, mas as exigên- cias são tais, que o artista, em geral um sonhador não afeito à burocra- cia de gabinetes, não está apto a preenchê-las e, para obter a aprova- ção de sua solicitação de apoio, é obrigado a contratar um técnico em redação de projetos na forma da Lei e essa declaração nem é minha, foi de um palestrante num simpósio literário em Búzios no ano passa- do... E quantos bons projetos cultu- rais são engavetados por falta de apoio financeiro... Artista, em geral, é gente pobre, a não ser os que já “nascem em berço de ouro”, não tem como pagar a um profissional técnico para adequar seu projeto à forma exigida pela Lei e a grande maioria nem sabe da existência des- se profissional que, preferencial- mente, situa-se em Brasília. E mais uma vez a maioria dos artistas bra- sileiros é logrado pelas dificuldades legais para ter seu projeto financei- ramente apoiado pelo Governo e pela quase nenhuma divulgação dessas exigências da Lei para solici- tar o incentivo a seu projeto... O confrontar-se com tão grandes “pedras no caminho” faz com que muitos artistas percam a fé na Cultura, sejam desanimados pela desesperança e pelo desânimo , a tal ponto que a atividade cultural exercida pelos mesmos passe a ser simplesmente uma conseqüência de um massageamento de inflados egos, um exacerbamento da vaidade individual do artista que apenas comparece aos eventos realizados a duras penas, para mostrar sua obra, na exclusiva expectativa dos aplausos e elogios alheios. E onde fica o espírito do “Artilheiro da Cultura”? (CARVALHO BRANCO) DIA INTERNACIONAL DA MULHER (continuação da página 1) Com tal data, pretende-se chamar a atenção para o papel e a dignidade da mulher e levar a uma tomada de consciência do valor da pessoa, perceber o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e lim- itações que vêm sendo impostos à mulher. O InBrasCI, em reconhecimento à importância da Mul- her na sociedade, criou, marcando assim sua data na- talícia a Medalha Irmã Dulce, que homenageia person- alidades femininas que engrandecem a Nação, dão ex- emplo à humanidade, à qual, de alguma maneira, dedi- cam preciosos momentos de sua vida. Pelo ano de 2012, outorgamos, neste mês de março de 2013, a Medalha Irmã Dulce a Itamárcia, ícone da Cultura bra- sileira. ********** O InBrasCI recebeu o nº184 (março/abril 2013) do jor- nal “Missionários”, órgão divulgador da “SOCIEDADE ESPÍRITA MISSIONÁRIOS e que sempre publica notas referents ao nosso trabalho cultural. *********** ívilis Ieped www.civilisieped.com.br www.porquerevista.com.br Mauro M. Burlamaqui www.radioentreamigos.com.br Diretor e Produtor: Omar Hable Apresentador: Carlos Rocha Contato: contato@radioentreamigos.com.br
  5. 5. 5 Página de Elvandro Burity II VICE-PRESIDENTE http://elvandroburity.blogspot.com Membro Efetivo da AMACLERJ Eduardo G. Souza <edusmm@gmail.com> PÁGINA DO PRESIDENTE DE HONRA DA II DIRETORIA LIBERDADE CULTURAL A Liberdade Cultural diz respeito tanto à liberda- de política, quanto a autonomia individual, mas não é sinônimo de nenhuma das duas. A raiz da importância da cultura, é que nenhum de nós existe fora de uma cultura. Tanto como indivíduos, ou como atores políticos, para entendermos o mundo que ocupamos, avaliá -lo e agir nele através de um conjunto de entendi- mentos e quadros de sentidos e referências que nós compartilhamos com os outros, necessitamos estar inseridos em uma cultura, onde encontra- mos os padrões referenciais. Esses padrões nos ajudam a julgar se as instituições e as decisões podem ser consideradas legítimas e dignas de cumprimento ou de participação, se os cursos de ação que são atraentes, são legítimos; se as for- mas de interação com os outros podem ser consi- deradas adequadas; estes são os entendimentos negociados a partir de um conjunto de quadros comuns de significados e referências fornecidos pela cultura. Como esses quadros de significados e referências são em forma e aplicação, define a ação e participação dos indivíduos, e se torna componente central da estrutura de liberdade para as sociedades e os indivíduos que a habitam. A Liberdade Cultural é, portanto fundamental para que sociedades e indivíduos possam não só interagir e agir, como ainda possibilitar o cresci- mento e desenvolvimento social e individual. A cultura define a esfera de padrões e valores soci- ais, em um sentido muito mais amplo podemos considerar que ela define a vida social e indivi- dual, mas devemos sempre nos lembrar de que a cultura, como a vida, é dinâmica, e que os indiví- duos devem ser livres, e até incentivados, para buscar novos e ampliar os horizontes da expres- são e referenciais da cultura em que estão inseri- dos. A tradição não pode agrilhoar a criação e a ima- ginação. A tradição é a base, mas a liberdade é o desenvolvimento, pois a tradição representa o passado e a liberdade, o futuro. (Eduardo G. Souza) PLANETA ÁGUA "O que ocorre com a Terra recairá sobre os seus filhos. Há uma ligação em tudo." Cacique Sethe A humanidade como um todo vem explorando a natureza de forma predatória, sem se preocupar com as futuras gerações, como se os recursos do planeta água fossem infinitos e renováveis magi- camente. Não se trata simplesmente de inexora- bilidade, pois do total da água no planeta: 97,2% é água salgada, 2,15% estão em forma de gelo, 0,64% são subterrâneas e apenas 0,085% estão superficiais. Já estamos sofrendo as consequên- cias com a crise do abastecimento dos mananci- ais e a ameaça apagão. Derramamentos de subs- tâncias químicas comprometem o abastecimento de água potável. Escutamos falar em fenômenos "El Nono", "Efeito Estufa" e a destruição da "Camada de Ozónio". O ser humano no pedestal de "ser humano" insiste em degra- dar e poluir mananciais. Destrói a Terra transformando florestas em desertos. A água potável está se tornando um recurso escasso. Estima-se para os próximos 50 anos: - A CRISE DA ÁGUA. Não se trata de fatos para conduzir a reflexões catastróficas o importante é a conscientização coletiva e individual. Se continuarmos a agir sem consciência, teremos o primeiro impacto da água em 2025. Verdadeiro ou falso? A melhor posição é preservar.   Vamos começar agora! Fechando as torneiras. Racionalizando o uso e, tendo especial atenção para a poluição e os desperdícios de tão precioso líquido. Há trinta anos, ninguém de sã consciência, con- ceberia consumir água engarrafada, principal- mente, num país como o Brasil.
  6. 6. 6 Segundo o Dr. José Argüelles, estudioso dos mistérios dos Maias, o ano de 2013 é um mo- mento especial para a humanidade: representa o final de um Grande Ciclo de 26 mil anos, dividindo a História em o Velho e o Novo Tem- po. Época de transformação: a Ter- ra recebe a “informação galáctica” - um novo evangelho? De acordo com o horóscopo chinês, 2013 é o ano da Serpente, que simboliza ambição e sabedoria. A Numerologia nos diz que neste ano aprenderemos mais sobre a im- portância do trabalho em grupo, porque a soma de seus algarismos é 6, número que representa a união das pessoas dotadas de ideais sem- elhantes; uma das principais características desse número é a de dotar as pessoas da ca- pacidade de ser útil às demais, colocando em prática o que idealiza — em síntese, apoiar e receber apoio. O 6 também é o número do sen- so estético, ou seja, 2013 é o ano em que a moda, a decoração, a beleza em geral, a arte devem se destacar; esse ímpeto de nos cuidar- mos mais, bem como do ambiente a nosso redor (físico, social e psicológico) leva também, pois, a darmos maior importância à saúde. O lado negativo do 6 é a agressividade, o atrito, mas o oposto — a busca da harmonia, a promoção da paz — deverá ser muito ambicio- nado e, se prevalecer, o ano sera de amadureci- mento e idealism. Cabe a nós somente constru- er um ano melhor. O primeiro de janeiro foi o dia Mundial da Paz e, pois, da Confraternização Universal, na busca de transmutar em bem todo mal... Em meados de fevereiro, a 13, InBrasCI fez aniversário. Foi quando mudou o cenário: no Acre correu-se atrás da Cultura universal. Temos origem latina, guerreiro povo romano; assim o terceiro mês se destina ao deus da guerra, que insano! Martius era homenageado pelos sacerdotes romanos rodeando a cidade, portando, cada um, seu escudo sagrado... Nem pensavam quanto dano a guerra podia trazer; bastava-lhes riqueza e poder... Dia 1º de março, o Rio fez outro aninho... Cidade Maravilhosa, coração do meu Brasil... Quando ouço tal refrão, palpita meu coração; palpita meu coração; assassino, ladrãozinho, eta que gente fogosa!... Tem pistola, tem fuzil, tem emoção no Engenhão! Mas o Rio vai melhorar... Como canta o Martinho, “é devagar é devagarinho...” Dia 3 foi do Turismo, da Bulgária e do Marrocos. Eta, chegou Carnaval botando pimenta e sal! Dia 6, de Gana e 7, Síria... Dia 8, da Mulher e seu mistério. Dia 12, da República de Maurício e a 13, irmã Dulce morreu. A 14, da Nacional Poesia, quando Castro Alves nasceu. E agora nessa altura, Dia 15, é da Cultura, que ganhou seu Ministério. Dia 17, da Irlanda E de mim você não cola, pois 19 é da Escola. Dia 20 é da Tunísia e 21, Dia da Infância Mundial e, da Poesia, é Internacional; é também dia da Namíbia e Internacional das Florestas, Todos são dias de festas! A 22, chega da Água o dia... e do InBrasCI, de Posse da I Diretoria! O 23 é do Paquistão, e o 25 é da Grécia, o 26, de Bangladesh. O 27, do circo e do teatro. Dia 28 é do Diagramador juntamente o do Editor. 31, da Nacional Integração, da Saúde e Nutrição. Vai assim continuando o Mês da Fraternidade e também Cinefilia. Vamos todos nos amando, vivendo com alegria, já que agora está em cena o mês do nosso CINEMA! 2013, SEU SIGNIFICADO, SEU INÍCIO C4 BIBLIOTECA PARQUE DA ROCINHA Estrada da Gávea, 454—Rocinha, Rio, RJ CEP:22451-264 Tel.: (21) 2334-7096/ 2334-7097/ 2334-7098 Cursos vários a partir de 15 de março Idade mínima: 14 anos
  7. 7. 7 O FOLCLORE DA SUA TERRA PROJETO INFANTO- JUVENIL OBJETIVOS: ● Despertar, nas crianças dos povos dos países, estados, regiões que se utilizam da Língua Portugue- sa, o interesse pelas suas cultu- ras originais e formadoras; ● Levar as crianças de cada povo a contarem, elas próprias, em Lín- gua Portuguesa, as histórias que fundamentam a cultura de seu povo; ● Perpetuar, pelas gerações, tais culturas; ● Divulgar essas culturas, entre os povos, integrando-as, através da publicação de livros infantis. PÚBLICO ALVO: As crianças e adoles- centes dos povos que fazem uso da Língua Portuguesa. TEXTO: a) prosa – lendas, mitos, con- tos, ditados, brinquedos e brincadei- ras, superstições... ... b)poemas- quadras, trovas, haicais, poemas modernos... c) músicas – com tradições po- pulares, cantigas de roda...... (Temas folclóricos) O importante é que seja um tra- balho de pesquisa e criação das crian- ças e adolescentes, podendo conter inclusive o desenho característico do narrado ou uma ilustração adequada, criada pelos próprios participantes. Cada criança ou adolescente par- ticpante deverá enviar junto a seu tra- balho alguns poucos dados que o iden- tifiquem (nome completo, data de nas- cimento, cidade, país, filiação... nome da Entidade pela qual está participan- do (escola, creche...) . PRAZO: ● Cada Entidade que tiver cri- anças ou adolescentes participando do PROJETO, deverá fazer chegar à sede Nacional InBrasCI os trabalhos infanto- juvenis, já devidamente revisados e gra- vados em DVD, até o final de setembro de 2013 O InBrasCI-Sede se resguarda o di- reito de, se achar por bem, fazer uma no- va revisão, bem como de vetar a publica- ção dos trabalhos que forem julgados ina- dequados aos objetivos do projeto, solici- tando, pois, que as Entidades responsá- veis sejam conscientes na revisão das obras.  Enviem ou entreguem os trabalhos à Rua Teixeira de Freitas, 5, 3º andar, sala 303, Lapa, Rio de Janei- ro – Coletânea Infanto-Juvenil In- BrasCI. EXEMPLO DE PLANEJAMENTO PARA REALIZAR O PROJETO ACIMA 1) INCENTIVAÇÃO— O orientador conversa com a criança ou adolescente sobre a importância de conhecer- mos o que é tradicional e típico do lugar em que se vive: quem foram os primeiros habitantes da região, como a povoação local foi formada, que outras grupos de pessoas chegaram depois ali se fixando, se tinham uma cultura, um saber e um viver diferente dos primeiros habitantes e no que todos eles contribuíram para o conhecimen- to hoje do povo local. (A conversa pode ser ilustrada com figuras, fil- mes, músicas etc.) 2) DESENVOLVIMENTO— O orientador indicará as fontes de pesqui- sa proximamente disponíveis para ajudar no trabalho da criança ou adolescente: livros, CDs, filmes, músicas etc. e os locais onde facilmente poderiam encontrar esse material para pesqui- sar, inclusive, se houver no lugar pessoas de muita idade e/ou de muito conhecimento sobre o assunto que pudessem ser “entrevistadas”, su- gerir ao orientado... Cada orientado vai então em busca desse saber para seu trabalho. 3) EXECUÇÃO— • Um dos orientados, por exemplo, pode pesqui- sar sobre usos e costumes tradicionais locais e
  8. 8. 8 encontrar a música do “Cavalo Marinho”, transcrever a letra como é cantada, a origem da sua dança e desenhar e pintar seus perso- nagens como devem ser representados na dança. • Outras pesquisas sobre assuntos folclóricos da região da criança ou adolescente podem por ela ser pesquisadas e por ela recriadas escritas em papel, modelagem, desenho, pin- tura, fotografia etc. trabalhos feitos pela cri- ança. 4) CONCLUSÃO- • Os trabalhos deverão ser bem fotografados, fotografi- as que serão passadas para um DVD, junto com o pla- nejamento do orientador, a explicação de todo o desen- volvimento do trabalho do orientado desde a pesquisa até a fase final da criação e a identificação completa do orientado e orientador, inclusive endereço, telefone e e-mail. O MÊS DE ABRIL O nome do mês de abril deriva do Latim Aprilis, que significa abrir, numa referência à germinação das culturas. Outra hipótese sugere que Abril seja derivado de Aprus, o nome etrusco de Vênus (Afrodite, em Grego), deusa do amor e da paixão. É por esta razão que surgiu a crença de que os amores nascidos em abril são para sempre. Aphrodite, nome grego da deusa Vênus, que teria nascido da espuma do mar, e a quem os romanos dedicavam este mês. Convém lembrar que abril em grego significa "espuma". Figu- rativamente, abril significa idade da alegria e da inocência; moci- dade. Afrodite (em grego, aphros) Segundo a mitologia grega, é a deusa do amor e da beleza. Por vezes, considera-se que é filha de Zeus e Díone (por exemplo, nos textos de Homero), outras vezes diz-se que nasceu da espuma do mar com o esperma de Zeus, na Ilha de Chipre (como nos textos de Hesíodo)- A sede mais antiga de seu culto era a ilha de Chipre.. Casada com Hefesto, o deus do fogo, era-lhe infiel. É a mãe de vários filhos, com deuses e homens: Deimos e Harmonia (com Ares) - por seus amores com Ares, foi considerada também como divindade guerreira. *** DATAS DE ABRIL 01 · Dia da Mentira 01 . Dia da Abolição da Escravidão dos Ín- dios - 1680 Dia da mentira ou do Humorismo Há muitas explicações para o 1 de abril ter se transformado no Dia das Mentiras ou Dia dos Bobos. Uma delas diz que a brincadeira surgiu na França. Desde o começo do século XVI, o Ano Novo era festejado no dia 25 de Março, data que marcava a chegada da primavera. As festas duravam uma semana e terminavam no dia 1 de abril. Em 1564, depois da adoção do calendário gregoriano, o rei Carlos IX de França determinou que o ano novo seria comemorado no dia 1 de janeiro. Alguns franceses resistiram à mudança e continuaram a seguir o calendário antigo, pelo qual o ano iniciaria em 1 de abril. Gozadores passaram então a ridicularizá-los, a enviar presentes esquisitos e convites para festas que não existiam. Essas brincadeiras ficaram conhecidas como plaisanteries. No Brasil, o 1º de abril começou a ser difundido em Minas Gerais, onde circulou "A Mentira", um periódico de vida efêmera, lançado em 1º de abril de 1848, com a notícia do falecimento de Dom Pedro, desmentida no dia seguinte. "A Mentira" saiu pela última vez em 14 de setembro de 1849, convocando todos os credores para um acerto de contas no dia 1º de abril do ano seguinte, dando como referência um local inexistente.
  9. 9. 9 Abolição indígena O dia primeiro de abril de 1680 ficou conhecido como o Dia da Abolição da Escravidão Indígena. Historicamente, nesta data, o rei de Portugal publi- cou mais uma lei que acabava com o cativeiro dos índios no Brasil. Verificando a opinião do profes- sor José Ribamar Bessa Freire, a lei foi mais uma das mentirinhas de 1.º de abril e fez parte da luta entre colonos e jesuítas pelo controle da mão-de- obra nativa. Continuando a leitura José Ribamar, do Programa de Estudo de Povos Indígenas da Uerj (Pró-Índio), a abolição da escravidão indígena ocorreu somente de forma definitiva depois, por iniciativa do marquês de Pombal. Primeiro, por lei de 6 de junho de 1755, válida para o Estado do Grão-Pará e Maranhão. Depois, em 1758, a medida foi ampliada por alvará para o Estado do Brasil. ************ 02 de ABRIL: Dia Internacional do Livro Infanto-Juvenil. Lembramos os famosos autores que povoa- ram os nossos sonhos de criança, tal como Hans Christian Andersen, este que ani- versariava nesse dia. 07-Dia do Jornalismo, por ser Dia da Funda- ção da Associação Brasileira de Imprensa (ABI). 13• Dia Mundial da Imprensa e da 1ª. Exi- bição do Hino Nacional , em 1831 15 • Dia da Conservação do Solo e Dia Mun- dial do Desenhista 16• Dia da Voz 18• Dia Nacional do Livro Infantil, em ho- menagem a Monteiro Lobato, nascido em 18 de abril de 1882, que foi o criador da li- t e r a t u r a i n f a n t i l n o B r a s i l e é também Dia Internacional do Rádio- amador 19 · Dia do Índio - Dia do Índio (Decreto 5540/43). Infelizmente, até os nossos dias, a simples existência deste decreto não fez com que os índios sejam respeitados como merecem, nesse país. A data foi instituída em 1940, durante o I Congresso Indigenista Interamericano, no México. No Brasil, a data passou a valer a partir de 1943, por decreto do então presidente Getúlio Vargas, depois da insistência do Marechal Cândido Rondon, um dos primeiros a se preocupar com esta questão no país. 21 de ABRIL:Dia de Tiradentes (Joaquim Jo- sé da Silva Xavier - Lei 4987/65). Data da morte por enforcamento, no Rio de Janeiro- RJ, em 1792, do mártir e Patrono Cívico da Nação Brasileira; • e Dia da União Na- cional 22 • Descobrimento do Brasil, Dia da Comu- nidade luso-brasileira e Dia do Planeta Terra 23 • Dia Mundial do Livro e do Direito do Autor 25 • Dia da ONU e Data Nacional de Por- tugal (Dia da Liberdade - Revolução dos Cravos - 1974 - República Portuguesa), onde o regime autocrático foi derrubado e substituído pelo democrático, saudações ao povo português ! 26 • Dia Mundial das Nações 28 • Dia da Educação 30 • Dia Nacional da Mulher e da Holanda ÀS MÃES (Carvalho Branco) Mãe é estar sempre presente em corpo, alma ou coração; ter, aos filhos, presa a mente, se estar junto é não opção... Se a maternidade é prêmio, encanto, benção divina do Grande Arquiteto boêmio a cada alma feminina, por que dor e sofrimento fazem parte desta vida, desde cada nascimento até morte ser guarida? Ser mãe é vibrar sorrisos, chorar rosários de dor, ouvindo o tocar dos guizos, coração pleno de amor! Passam dias, passam anos... Filhos crescem, vão à luta... Morrem gregos e troianos e as mães sofrem na labuta... Nem as mães dos vencedores escapam dessa agonia de ver ou pensar horrores que cada filho sofria. O que toda mãe deseja é livrar filhos dos males, mas isso Deus não lhe enseja na travessia dos vales... Dar carícias, muitos beijos, orientar em seus caminhos, satisfazer seus desejos, dar-lhes flores sem espinhos... Tudo mais é imprevisível! Ser mãe é grande missão doada pelo Invisível, é a mais pura emoção! Todas as mães são Marias, são puras, divinas, santas; se geraram nas orgias, seus filhos são suas mantas, anjos da guarda tão frágeis, auréolas de luz, escudo... proteção contra os mais ágeis, qualquer sanhaço bicudo... Às mães, a minha homenagem! Na força da saudação, às que fizeram Viagem e em outro Plano já estão, minha mente em sintonia pede, em nome de Jesus, que a dita Virgem Maria, envie-lhes Paz e Luz!
  10. 10. 10 CONCURSO 2012 TROVAS, HAICAIS E ALDRAVIAS 1º LUGAR: ABÍLIO KAC (1º lugar geral, em trovas e aldravias) 2º LUGAR: GERALDO TROMBIM (2º lugar geral e 1º lugar em haicais) ANUIDADE 2013: • R$150,00, podendo pagá-la em duas vezes , sendo R$75,00 em março ou abril e os outros R$75,00 em julho ou agosto; • pode ser paga também mensalmente: R$ 15,00 a cada mês, de março a dezembro. PAGAMENTOS JÁ REALIZADOS NESTE MÊS DE MARÇO: • Gecy Cândida da Silva — R$150,00  Lybio Ribeiro Magalhães – R$300,00 (anuidade + contribuição de ajuda)  Marilza A. de Castro— R$200,00— (anuidade + contribuição de ajuda)  Pagamentos a serem realizados em março: - metade anuidade da COFALB/FALARJ: R$300,00 - lanche da reunião de março: R$194,10 - xerox do jornal: ...................... - cheque para abril para pagar a 2ª metade da CON- FALB/FALARJ: R$300,00 Receita de março 2013—R$550,00 Despesa de março 2013 - R$494,10 + Xerox, papel e cartucho da impres- sora Tema: CONSTRUINDO A PAZ (OU tema LIVRE) Zilda Pires já contribuiu financeiramente em 2012 para a próxima Antologia InBrasCI, falta enviar o texto. Enviem seus textos para a Rua Teixeira de Freitas, nº 5, sala 303—InBrasCI Obs.: Estamos aguardando propostas de Editores para uma antologia de 80 páginas. Enviem-nos suas ofertas de serviços e preços. Antologia InBrasCI

×