Kate Moss

511 visualizações

Publicada em

trabalho sobre kate moss
disciplina de ingles

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
511
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Kate Moss

  1. 1. Kate Moss e os seus problemas Saiba tudo nas páginas seguintes
  2. 2. Kate Moss Kate Moss Moss was born in Addiscombe, Croydon, London to Linda Rosina (Shepherd), a boutique manager, and Peter Edward Moss, an airline clerk. Kate has a younger brother named Nick and a half sister and brother. Moss' parents divorced when she was 13. She attended Ridgeway Primary School and Riddlesdown High School. She was not particularly noted for her academic success, although she did excel at sports. According to Fred Vermorel's Addicted to Love: Kate Moss, quot;Out of eight GCSEs she scraped through with one C (in Science) and all the rest were Ds, Es and Fsquot;. Katherine Ann Moss Birth name She has appeared on over 300 magazine covers. She is known for her waifish figure, 16 January 1974 (age 35) uncommonly short height for a fashion model, Date of birth and appearances in many advertising campaigns. She is also notorious for her high- Addiscombe, Croydon, London, Place of birth profile relationships and party lifestyle. She England, UK came 2nd on the Forbes top 15 richest supermodels list, estimated to earn 9 million in 5 ft 7. in (1.70 m) Height one year. brown Hair color hazel Eye color UK 6 - US 2 - EU 34 Dress size UK 6.5 - US 7 - EU 39 [ Shoe size Storm Model Management D'management Group Agency Marylin Agency IMG Models
  3. 3. Career Moss was discovered in 1988 at the age of 14 by Sarah Doukas, the founder of Storm Model Management, at JFK Airport in New York City, after a holiday in the Bahamas. Moss's career began when Corinne Day shot black and white photographs of her, styled by Melanie Ward, for British magazine The Face when she was 15, in a photo shoot titled quot;The Third Summer of Lovequot;. Moss then went on to become the quot;anti- supermodelquot; of the 1990s in contrast to the quot;supermodelsquot; of the moment, such as Cindy Crawford, Claudia Schiffer, and Naomi Campbell, who were known for their curvaceous and tall figures. Moss was voted 8th in Celebrity Sleuths 25 Sexiest Women of 2004, 8th in Maxims 50 Sexiest Women of 1999 and 22nd in FHM 100 Sexiest Women of 1995. Men's magazine Arena named her as their Sexiest Woman in their 150th issue. In March 2007, Moss won the Sexiest Woman NME Award. She made her first appearance in the British women's Sunday Times Rich List in 2007, where she was estimated to be worth £45 million. She ranked as the 99th richest woman in Britain. In July 2007, earning an estimated total of $9 million in the past 12 months, Forbes magazine named her second on the list of the World's 15 top-earning supermodels. Moss during her waif period
  4. 4. Indices Pág.2--------------------------------------- bibliography the Kate Moss Pág.3--------------------------------------- career the Kate Moss Pág.4--------------------------------------- bulimia
  5. 5. BULIMIA Bulimia nervosa é uma disfunção alimentar. Tem incidência maior a partir da adolescência e prevalência de 3 a 7% da população, embora seja difícil mapear o real número de pessoas que sofrem da doença, uma vez que ela está cercada de preconceitos e é difícil para o próprio doente confessar seu problema. Cerca de 90% dos casos ocorre em mulheres. A pessoa bulímica, de acordo com os critérios diagnósticos do CID 10, tende a apresentar períodos em que se alimenta em excesso, muito mais do que a maioria das pessoas conseguiriam se alimentar em um determinado espaço de tempo, seguidos pelo sentimento de culpa. Exite também trabalhos acadêmicos recentes relatando que a ingestão alimentar excessiva caracteriza-se muitas vezes pelo sentimento subjetivo de excesso do que excesso propriamente dito. Mas, de toda forma, o CID 10 conceitua a questão de uma ingesta excessiva objetiva para fins diagósticos. Ainda sobre critérios diagnósticos (ver CID 10), esses episódios de intensa ingesta devem ocorrer pelo menos duas vezes por semana em um período de pelo menos 3 meses. Além disso, deve estar presente uma sensação de que se é incapaz de controlar o que se come, bem como movimentos no sentido de compensar a quot;farraquot; alimentar. Outro item diagnóstico é a percepção de uma avaliação do indivíduo calcada exageradamente em critérios corporais, como se qualquer alteração na forma alterasse a própria existência do indivíduo como um todo. Esse último item se refere a distorção da imagem corporal. Para quot;compensarquot; o ganho de peso, o bulímico exercita-se de forma desmedida, vomita o que come e faz uso excessivo de purgantes, diuréticos e enemas. Essas pessoas podem ainda jejuar por um dia ou mais também na tentativa de compensar o comer compulsivo, muitas vezes entrando em um repetivivo ciclo de intensa restrição alimentar alternadas com farras culposas que o levam ao sistema compensatório. A própria restrição alimentar excessiva pode ser uma das desencadeadoras dos episódios compulsivos. O bulímico geralmente se encontra com peso normal, levemente aumentado ou diminuído (mas não chegando à magreza da anorexia). Essa aparência de normalidade muitas vezes dificulta que se identifique o problema, o que muitas vezes leva a uma demora em se procurar ajuda. Pacientes bulímicos costumam envergonhar-se de seus problemas alimentares e, assim, buscam ocultar seus sintomas. Dessa forma, as compulsões periódicas geralmente ocorrem sem o conhecimento dos pais, dos amigos ou das pessoas próximas. Após a bulimia ter persistido por algum tempo, os pacientes podem afirmar que seus episódios compulsivos não mais se caracterizam por um sentimento agudo de perda de controle, mas sim por indicadores comportamentais de prejuízo do controle, tais como dificuldade a resistir em comer em excesso ou dificuldade para cessar um episódio compulsivo, uma vez que iniciado.

×