Veneza urbanismo

5.339 visualizações

Publicada em

2 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • @miguel semedo Realmente não é possível ler, eu também estava interessado no conteúdo.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Ou é da minha vista, ou não se consegue ler coisa alguma... tenho pena, estava interessado no tema, era só alterar a cor do grafismo... :(
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
5.339
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
132
Comentários
2
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Veneza urbanismo

  1. 2. Mapa da Itália atual Veneza é uma cidade e comuna italiana da região do Vêneto, província de Veneza no nordeste de Itália. Tem cerca de 266 181 habitantes, conhecida pela sua história, canais, museus e monumentos. A comuna de Veneza estende-se por uma área de 412 km2, incluindo as ilhas de Murano, Burano e outras na lagoa de Veneza, tendo uma densidade populacional de 646 hab/km2.
  2. 3. Itália de 1450 Faz fronteira com Campagna Lupia, Cavallino-Treporti, Chioggia, Jesolo, Marcon, Martellago, Mira, Mogliano Veneto (TV), Musile di Piave, Quarto d'Altino, Scorzè, Spinea. A parte de Veneza em terra firme é a fracção comunal de Mestre.
  3. 4. As ilhas de Veneza são divididas entre seu centro histórico, o estuário e sua parte continental. Vista aérea demarcando a divisão de Veneza
  4. 5. Veneza está rodeada por lagoas de pouca profundidade. Na primavera ou quando a maré sobe, ocorre a Acqua Alta, fenômeno que ocorre com frequência e que inunda as áreas baixas de Veneza (Praça de São Marcos). Quando o nível da água estava normal, vários navios encalhavam por não conhecerem as características do lugar. Antigamente o transporte era feito apenas pelos canais ou a pé, por isso o uso de pequenos barcos era extremamente comum. Mar Adriático: Antigamente, a única Entrada de Veneza
  5. 6. Mapa da Laguna Veneziana do século XVI. Ao centro do espelho d’água pode-se ver a cidade de Veneza, circundada pelas ilhas menores.
  6. 7. A cidade está coberta por 177 canais, 400 pontes e 118 ilhas, estando localizada entre a foz do rio Ádige (a sul) e do rio Piave (a norte). O centro histórico sempre esteve isolado de terra firme, muitas vezes evitando ataques a cidade, até 1846, quando foi construída a ponte ferroviária. As principais ilhas da lagoa são: Lido, Murano, Burano e Torcello. Outras ilhas menores são São Miguel (a ilha do cemitério da cidade), Santo Erasmo, Mazzorbo, La Vignole, Certosa São Francisco do Deserto, São Giacomo em Paludo, São Servolo, São Lazzaro degli Armeni e Giudecca. Visão aérea de Veneza
  7. 8. Veneza é um território predominantemente plano, já no nível do mar. Para conseguir entrar na cidade, era preciso conhecer suas passagens pela água e desviar dos bancos de areia no baixo-mar. O clima de Veneza sempre contou tanto com invernos rigorosos como verões quentes. A chuva atingia o valor máximo no Verão, com tempestades. Planície de Veneza
  8. 9. Apesar de não existir nenhum registro evidenciando a origem de Veneza, vários historiadores concordam, por meios dos elementos disponíveis, que a população original de Veneza era formada por refugiados de cidades romanas como Pádua, Aquileia, Altino e Concórdia. Estas fugiam das invasões germânicas e hunas. Haviam também pescadores na lagoa de Veneza e são referidos como incola lacunae (habitantes da lagoa). Lagoa de Veneza
  9. 10. Em 1166-1168, os Quados e Marcomanos Destruíram a atual Oderzo. Os Visigodos Derrubaram as defesas romanas e, 50 anos depois, os hunos também invadiram Átila. A maior invasão foi dos lombardos em 1568. A leste, o império Bizantino dominava e trazia suas entidades administrativas para Veneza. O domínio Bizantino foi eliminado pela conquista do Exarcado de Ravenna em 1715 por Astolfo. O mapa mais antigo de Veneza, desenhado Num código de 1348.
  10. 11. A rede comercial e as possessões venezianas no Mediterrâneo oriental.
  11. 12. A influência política de Veneza foi marcante na história da Europa, principalmente quando o controle do comércio na Alta Idade Média se expandiu. Essa expansão aconteceu sobretudo na zona do mar Adriático e do Mar Egeu. Veneza atingiu seu apogeu quando começou a expandir-se pela Itália oriental. Veneza soube aproveitar todas as mudanças que ocorreram no mundo ocidental: * Aliou-se com os francos contra os longobardos. * Aliou-se com o Império Bizantino contra os normandos. * Foi tolerante e boa com o Islão. Plano Parcial de Veneza no séc. XIV
  12. 13. A peste negra atingiu a população veneziana por volta de 1347, tirando a vida de um terço da população. A decadência começou em 1453 com a queda de Constantinopla. Vasco da Gama descobriu o caminho marítimo para a Índia e Cristóvão Colombo para a América. Com isso a rota de comércio mudou e Veneza foi obrigada a sustentar uma guerra contra os turcos otomanos. Domenico Tintoretto: A Queda de Constantinopla. 1578-1585
  13. 14. O doge era o primeiro magistrado da República de Veneza. Seus atributos simbólicos eram remanescentesdo Império Bizantino. O poder dos doges foi sempre limitado pelos venezianos, através, por exemplo, do promissio ducalis, uma carta de princípios e promessas que deviam jurar na data de entrada em funções. O texto foi fixado em 1172, quando foi eleito Enrico Dandolo, e foi alvo de alterações em 1192 e 1229. A partir deste último ano, a eleição do doge ficou submetida ao exame do Conselho dos Cinco Correctores. A partir de 1501, a promissio foi lida todos os anos ao doge em funções. Em 1646, a dogeza (a mulher do doge) foi interdita à coroação. Durante o século XVII, os membros da família do doge estavam interditos na magistratura e embaixadas venezianas. Doge Pietro Orseolo (976-978).
  14. 15. A influência de Veneza estendeu-se naturalmente ao nível cultural ao longo da História. Exemplos disso são as telas para pintura inventadas na cidade, inovações na fabricação do vidro etc. A pintura veneziana refletia influência da decoração bizantina e da pintura da Europa setentrional, especialmente na pintura a óleo. Máscara do Carnaval de Veneza. O Carnaval de Veneza é uma festa carnavalesca que dura dez dias e em que os participantes costumam usar trajes típicos do século XVIII e máscaras. Veneza é a pátria do célebre compositor barroco Antonio Vivaldi (1678-1741) e do compositor e diretor de orquestra Giuseppe Sinopoli (1946-2001). Em 1636, foi aberto o primeiro teatro público pago do mundo, o San Cassiano.
  15. 16. Mapa de Veneza do séc. XVIII Veneza é um trecho de laguna organizado, onde vários canais convergem entre si e desembocam no mar aberto. Um desses canais – O Canal Grande – entra na cidade e a percorre por inteira em um formato de “S”. O centro político da cidade fica em São Marcos (foz do Grande Canal) e no meio está o centro comercial, chamado de Rialto. Há uma única ponte sobre esse canal, unindo os dois centros em uma única reta. Os canais secundários – onde se desenvolve todo o tráfego de pessoas e de mercadorias – penetram em toda a cidade e neles são distinguidos os centros secundários: igrejas paroquiais e espaços abertos (que se chamam campos) onde se encontram as cisternas para ajuntar água.
  16. 17. A comuna de Veneza não está dividida frações comunais. O centro da cidade segue uma tradição de divisão em bairros chamados sestieri (plural de sestiere). Os sestieri do centro histórico são os seis seguintes: Cannaregio - o sestiere mais setentrional de Veneza. Castello - o mais oriental. Dorsoduro (inclui a ilha Giudecca) - o sestiere mais meridional de Veneza. San Marco - constitui o coração da fundação da Sereníssima e inclui a Praça de São Marcos, a Basílica e o Campanário. San Polo - o mais pequeno, de um dos lados da ponte de Rialto. Santa Croce - o mais ocidental, que pertencia à zona chamada Luprio, onde se encontravam os pântanos salgados nos primeiros tempos da história de Veneza. Divisão da comuna de Veneza
  17. 18. CANNAREGIO O nome deste bairro provém da palavra canavial, em referência aos numerosos canaviais que cresciam nas laudosas águas da laguna em volta da ilha mais setentrional de Veneza. 1ª foto: Vista de toda a comuna enfatizando Cannaregio 2º foto: Detalhe do bairro
  18. 19. CASTELLO O nome Castello provavelmente vem de alguma forteleza defensiva já desaparecida, situada na parte mais oriental de Veneza. O bairro chega quase até à Praça de São Marcos. Caracterizava-se basicamente pelo Arsenal e pelas casas dos trabalhadores, deixando a região muito humilde. O governo veneziano considerou que esta zona se encontrava suficientemente afastada do centro de poder e colocou ali a residência do bispo. 1ª foto: Vista de toda a comuna enfatizando Castello 2º foto: Detalhe do bairro
  19. 20. DORSODURO Dorsoduro é o nome do bairro do sudoeste de Veneza. O solo é rochoso, de onde deriva o nome. Integra zonas nobres e distintas, como a área do Grande Canal e a Salute, mas também espaços mais humildes, como o porto, o bairro de San Nocolò dei Mendicoli e a ilha de Giudecca. 1ª foto: Vista de toda a comuna enfatizando Dorsoduro 2º foto: Detalhe do bairro
  20. 21. 1ª foto: Vista de toda a comuna enfatizando São Marcos 2º foto: Detalhe do bairro de São Marcos SÃO MARCOS Era neste bairro administrativo que se encontrava o centro do poder político da cidade, em torno da Praça de São Marcos. As casas e os gabinetes dos funcionários, a grande biblioteca, os silos de cereais e a prisão também faziam parte do centro político. Muitos comerciantes tinham suas casas ao redor da praça e até o séc. XVI era o lugar onde vendiam suas mercadorias.
  21. 22. SAN POLO E SANTA CROCE Estes dois pequenos bairros fazem parte da zona preferida dos venezianos. Rialto, antigo centro antigo mercantil de Veneza pertence ao distrito de San Polo. No centro mercantil situam-se os escritórios dos funcionários administrativos que controlavam o comércio e se encarregavam de cobras as contribuições e impostos. 1ª foto: Vista de toda a comuna enfatizando San Polo e Santa Croce 2º foto: Detalhe dos dois bairros
  22. 23. As casas eram posicionadas em fileira sobre lotes estreitos e profundos, com o jardim posterior que chega até o canal. A estrutura dessas casas depende rigorosamente da relação com as ruas de terra e as vias de água. As ruas seguiam o rumo dos canais por isso a organização da cidade está em volta dos canais. Edificações residenciais venezianas
  23. 24. Típico palácio veneziano, xilografia (Sebastiano Serlio, Regoli Generali di Architettura, Veneza, 1537, p. 156) Em Veneza existe apenas uma praça (a de São Marcos) e um palácio, o dos doges. No dialeto veneziano, os restantes são conhecidos por <Ca’>, abreviatura de casa. Veneza possui um grande número de edificações que não são muito grandes, mas que estão ricamente guarnecidos e que, na maioria segue o mesmo tipo de construção desenvolvida no final do século XIII. Através da fachada, ja é possível deduzir a distribuição interna das divisões.
  24. 25. <ul><li>FORMAS ARQUITETÔNICAS VENEZIANAS </li></ul><ul><li>Edifícios civis </li></ul><ul><li>Fondaco dei Turchi </li></ul><ul><li>Este edifício apresenta todas as formas arquitetônicas que distinguiam os palácios do séc. XIII. </li></ul><ul><li>Arcos de volta perfeita </li></ul><ul><li>Coroa de ameias </li></ul><ul><li>Ornamentação com medalhões e os merlões estilizados. </li></ul><ul><li>Co frequência dotadas de frisos figurativos. </li></ul>
  25. 26. Fondaco dei Torchi atual
  26. 27. <ul><li>Edifícios religiosos </li></ul><ul><li>San Salvatore </li></ul><ul><li>- Modelo básico com uma cúpula sobre pilares, que se pode repetir indefinidamente. </li></ul>
  27. 28. TIPOS DE COLUNAS Três ordens: jônica, dórica e coríntia. Muito importantes na época barroca e renascentista.
  28. 29. FORMAS DE CÚPULAS Os venezianos sofreram muitas influências dos Bizantinos, e o grande número de cúpulas utilizadas na arquietetura sacra de Veneza não deixa dúvidas.
  29. 30. FORMAS ORNAMENTADAS Balcão Steno do Palácio Ducal Apresenta formas góticas com grandes ornamentações.

×