Lentes de Contatos e fragmentos dentais - CO2 - Prof Ícaro Augusto

1.826 visualizações

Publicada em

Apresentação das discentes Bianca e Kaliane

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.826
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
50
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • As lentes não são primeira opção de tratamento estético para manchas, por exemplo. Um simples clareamento, muitas vezes, poderia resolver o problema. Além disso, há a possibilidade de desgaste do dente antagonista. [pode citar as desvantagens da CERAMICA]
  • Lentes de Contatos e fragmentos dentais - CO2 - Prof Ícaro Augusto

    1. 1. FACULDADE MARIA MILZA DISCENTES: BIANCA SILVA E KALIANE LIMA. DOCENTE: ÍCARO SOARES DISCIPLINA: CLÍNICA ODONTOLÓGICA II MARÇO DE 2015
    2. 2. INTRODUÇÃO Facetas cerâmicas:  Excelente propriedade óptica;  Durabilidade;  Resistência;  Estética. “Lentes de contato”:  Facetas extremamente finas;  0,3 e 0,5 mm.
    3. 3. OBJETIVO  Fornecer embasamento científico sobre o uso e indicações, assim como o protocolo de preparo e cimentação das lentes de contato e fragmentos dentais.
    4. 4. METODOLOGIA  Foi realizada uma pesquisa eletrônica de publicações do ano de 2005 ao ano de 2015, usando as bases de dados Scielo e Google Acadêmico.
    5. 5. REVISÃO DE LITERATURA BREVE HISTÓRICO  Década de 20:  Pincus, C.: “Laminados de Hollywood”  Adesão pobre = efeito momentâneo.  Década de 50  Buonocore: advento do cond. ácido;  Possibilitou o início do uso da cerâmica na reabilitação estética definitiva.
    6. 6. REVISÃO DE LITERATURA BREVE HISTÓRICO  Década de 80:  Simonsen e Calamia: introduziram o condicionamento por ácido fluorídrico e silanização da peça, o que aumentou a adesão ao cimento resinoso.  Popularização dos laminados cerâmicos.
    7. 7. REVISÃO DE LITERATURA PREPARO × NÃO-PREPARO  A retenção adesiva favoreceu preparos mais conservadores.  A fina espessura das “lentes” também possibilitou uma cimentação sem preparo ou com mínimo desgaste.
    8. 8. REVISÃO DE LITERATURA VANTAGENS DO NÃO-PREPARO  Não requer anestesia, é bem aceita pelo paciente;  É reversível devido à ausência de preparo;  Técnica rápida;  Maior durabilidade, por aderir em esmalte;  Evita a sensibilidade pulpar;  Método conservador: mantém a integridade da estrutura dentária.
    9. 9. REVISÃO DE LITERATURA DESVANTAGENS DO NÃO-PREPARO  Possível aparência de maior espessura dental, necessitando da confecção de outras facetas nos dentes adjacentes;  Possível aparência opaca devido aos cimentos resinosos usados para encobrir descolorações dentais.
    10. 10. REVISÃO DE LITERATURA INDICAÇÕES DAS LENTES DE CONTATO  Corrigir pequenas imperfeições, como:  Discretas alterações de posição, cor, forma e comprimento;  Ligeiras descolorações causadas por hipoplasias, alterações pulpares, fluoroses etc.  Mascarar restaurações classe III ou IV.
    11. 11. REVISÃO DE LITERATURA CUIDADO: BANALIZAÇÃO DO USO!
    12. 12. REVISÃO DE LITERATURA CONTRA-INDICAÇÕES DAS LENTES DE CONTATO  Dentes expostos à elevada carga oclusal;  Presença de hábitos parafuncionais;  Severo mau-posicionamento dentário;  Grandes destruições coronárias;  Doença periodontal;  Restaurações extensas.
    13. 13. REVISÃO DE LITERATURA PROTOCOLO CLÍNICO  1ª consulta  Anamnese; expectativas do paciente; radiografia; modelos de estudo; fotos.  2ª consulta  Seleção de cor da cerâmica; preparo; moldagem com fio retrator #000.  3ª consulta  Cimentação;
    14. 14. REVISÃO DE LITERATURA PROTOCOLO CLÍNICO
    15. 15. REVISÃO DE LITERATURA PROTOCOLO CLÍNICO
    16. 16. REVISÃO DE LITERATURA PROTOCOLO CLÍNICO LIMA, 2013
    17. 17. REVISÃO DE LITERATURA CASO CLÍNICO
    18. 18. REVISÃO DE LITERATURA CASO CLÍNICO
    19. 19. REVISÃO DE LITERATURA CASO CLÍNICO
    20. 20. REVISÃO DE LITERATURA CASO CLÍNICO ANTES DEPOIS
    21. 21. Zac Efron Alessandra Ambrósio
    22. 22. CONCLUSÃO O sucesso deste procedimento restaurador indireto requer o embasamento científico para a elaboração de um protocolo individualizado e um planejamento que associe os conhecimentos disponíveis sobre os materiais adequados, as indicações, bem como as limitações da técnica, a fim de favorecer o sucesso dos resultados estéticos e funcionais.
    23. 23. REFERÊNCIAS LIMA, Patrícia. Laminados cerâmicos minimamente invasivos: uma revisão sobre lentes de contato dentais. 2013. 35 f. TCC (Graduação) - Curso de Odontologia, Faculdade de Odontologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2013. ARCARI, Stefani do Amaral. O estado da arte dos fragmentos e lâminas cerâmicas ultrafinos na odontologia restauradora. 2014. 24 f. TCC (Graduação) - Curso de Odontologia, Departamento de Odontologia, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2014.

    ×