Plano de aula

65.598 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
3 comentários
12 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
65.598
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
27.921
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
800
Comentários
3
Gostaram
12
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Plano de aula

  1. 1. PROJETO RECONSTRUINDO A ÁFRICA EM SALA DE AULA. Profª Josilma Frota Prof. Roney Farias
  2. 2. CARGA HORÁRIA <ul><li>A atividade deverá ser desenvolvida em </li></ul><ul><li>10 h/a. </li></ul>
  3. 3. PÚBLICO ALVO <ul><li>Professores do Ensino Fundamental I e Educadores Sociais </li></ul>
  4. 4. CONTEÚDO ESPECÍFICO <ul><li>Características geográficas da África. </li></ul><ul><li>A África urbana e rural nos dias de hoje. </li></ul><ul><li>Povos e reinos da África pré-colonial. </li></ul><ul><li>A diáspora africana e a formação do povo brasileiro. </li></ul><ul><li>A linguagem lúdica e a transmissão cultural nas comunidades de terreiros e na capoeira. </li></ul>
  5. 5. OBJETIVOS <ul><li>Situar a África como um continente dividido em países com línguas e culturas diversas; </li></ul><ul><li>Promover na comunidade escolar a possibilidade de desconstrução de estereótipos; </li></ul><ul><li>Possibilitar que a formação de uma identidade afro-brasileira (negra), eurobrasileira (branca) ou ameríndia (indígena) tenha como base a escolha política de cada sujeito social e histórico; </li></ul>
  6. 6. <ul><li>Apreciar e reconhecer o poder dos africanos, pela presença que se traduz em força, ousadia, astúcia, sabedoria, engenhosidade, criatividade, autenticidade e inteligência na formação do povo brasileiro; </li></ul><ul><li>Fazer de conhecimento do publico alvo o poder da oralidade na cultura africana e o reflexo dela no cotidiano brasileiro, por vezes se confundindo sem saber o que é africano ou o que é brasileiro. </li></ul>
  7. 7. METODOLOGIA <ul><li>A proposta teórico-metodológica aqui sugerida está embasada nas idéias de diversos cientistas sociais e pedagogos – dentre os quais citamos Juliana Santos, Joseph Ki-Zerbo e Paulo Freire –, sem que se neguem as práticas educativas de diversas entidades negras que constituíram e conduziram com esforços uma teoria-metodológica calcada na práxis do saber-fazer, do ver-ouvir-julgar-agir e do falar enquanto instrumentos pedagógicos de transmissão de conhecimentos vivenciados no cotidiano. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Nossa proposta metodológica pauta-se pela experiência, pela memória, pela história silenciada de homens e mulheres e por documentos que embasam o nosso conhecimento e nos fazem cientes e conscientes da vida em sociedade. </li></ul><ul><li>Reconhecemos e valorizamos o contexto sociocultural e histórico de nossos alunos e alunas e dos níveis de elaboração do conhecimento. É nosso papel criar situações de aprendizagem e conflito saudável que levem à interação com a temática proposta e assim contribuir para estabelecer um novo “homem/mulher”, sempre melhor. </li></ul>
  9. 9. RECURSOS DIDÁTICOS <ul><li>Apresentação de PPT; </li></ul><ul><li>Mapas da África; </li></ul><ul><li>Textos relacionados. </li></ul>
  10. 10. AVALIAÇÃO <ul><li>Participação e comprometimento com as atividades propostas; </li></ul><ul><li>Autoavaliação </li></ul>

×