Seminários do LabPC I: Design Computacional (Aula 03)

626 visualizações

Publicada em

Slides do dia 13/07/2012

Publicada em: Design
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
626
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
81
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seminários do LabPC I: Design Computacional (Aula 03)

  1. 1. Seminários LabPC IDesign Computacional – Aula 03Prof. Hugo Cristo, Msc.Doutorando em Psicologia PPGP/UFES@hugocristo / www.hugocristo.com.brUniversidade Federal do Espírito SantoCentro de Artes / Departamento de Desenho IndustrialLaboratório de Psicologia da Computação - LabPC@ufeslabpc / www.labpc.com.brProjeto Computação para Todos@computacaotodos / www.computacaoparatodos.com.brUFES · JULHO DE 2012
  2. 2. temasSexta5. Teoria e prática do Design Computacional
  3. 3. Teoria e práticado DesignComputacional.
  4. 4. Teoria e práticado DesignComputacional.
  5. 5. A Teoria do Design Computacional (“TDC”)é um sistema formal referente à abstração eautomação de sistemas cognitivos.
  6. 6. A TDC, em linhas gerais, se propõe a:• Transcender a interação humano-computador em direção à interação pervasiva e distribuída;• Deslocar as relações com a matemática da linguagem geométrica para o discurso lógico-matemático;• Transformar a dimensão instrucional dos produtos de design em comportamento inteligente;• Expandir a noção de Design Centrado no Ser Humano (Human-Centered Design) para contemplar as interações de agentes e sistemas não humanos;• Assumir o computador e os sistemas computacionais como fim e não como meio;• Explorar a estética própria do que é computável: código como dados e dados como código.
  7. 7. Sobre os Níveis de Análise da TDC:• Cada nível é uma camada de abstração das máquinas computacionais, e a análise deve observar as relações entre a camada de interesse, seus processos subjacentes na camada inferior, e os resultados da sua ação na camada superior;• A estrutura de cada nível é descrita nos termos de um sistema formal, de maneira que a análise visa formalizar tal estrutura;• A separação entre os níveis é puramente teórica. O comportamento de uma máquina computacional emerge das interações entre as camadas de abstração e a análise desse comportamento deve privilegiar o sistema e suas relações, não seus elementos constituintes;
  8. 8. Sobre os Níveis de Análise da TDC (cont.):• A análise deve considerar a interdependência dos processos de Abstração e Automação: um determinado fenômeno é sempre produto e produtor de si mesmo. A máquina computacional é a primeira Abstração e a Automação última da análise.• Para o detalhamento dos níveis a seguir, assume-se o sentido de baixo para cima (bottom-up) para as Abstrações e de cima para baixo (top-down) para as Automações;Formalização dos Níveis de Análise:• Físico / Lógico / Abstrato / Simbólico / Esquemático
  9. 9. esquemático simbólico abstrato lógico físico
  10. 10. Sobre a Metodologia de Projeto da TDC:• A metodologia de projeto e implementação das máquinas computacionais realiza os fundamentos da TDC nos Níveis de Análise em um processo iterativo de três fases, onde a complexidade do acoplamento estrutural entre os sistemas e seus subsistemas ora muda de grau, ora muda de natureza;• Apesar da separação didática das fases, o processo é um só: Automação, Abstração e Interação devem acontecer simultaneamente, de forma iterativa, tendo em vista a composição de estruturas que contribuam para a emergência do comportamento desejado para o sistema.
  11. 11. interação abstraçãofísico lógico abstrato simbólico esquemático automação
  12. 12. Teoria e práticado DesignComputacional.
  13. 13. abstração Sensor de Luz Luz > R,G,B Identifica Cor Interage Cor Converte Cor QUANDO HOUVER LUZ R IDENTIFICA RGB PARA CADA RGB G CRIE CMYK LUZ FIM PARA B FIM QUANDO físico lógico abstrato simbólico esquemático C QUANDO HOUVER CMYK PARA CADA CMYK M ESCREVA C,M,Y,K Y FIM PARA CMYK K FIM QUANDOPlotter Transdutor Quantifica Cor Interage Cor Converte Cor automação
  14. 14. Experimentosanalíticos daTeoria
  15. 15. NEST – www.nest.comTermostato inteligente aprendecom o comportamento dousuário para proporcionareconomia de energia.
  16. 16. IFTTT.comPrograme um agente para lidarcom eventos nas suas redessociais, e-mails e serviçosonline de interesse.
  17. 17. Game of Life (Conway)Vida artificial baseada em trêsregras simples. Cada pixel é umsistema cibernético completo.
  18. 18. Seaquence.orgSequenciador e sintetizador demúsica generativa inspirado navida marinha.
  19. 19. Debate (o último)! :)Prof. Hugo Cristo, Msc.Doutorando em Psicologia PPGP/UFES@hugocristo / www.hugocristo.com.brUniversidade Federal do Espírito SantoCentro de Artes / Departamento de Desenho IndustrialLaboratório de Psicologia da Computação - LabPC@ufeslabpc / www.labpc.com.brProjeto Computação para Todos@computacaotodos / www.computacaoparatodos.com.brUFES · JULHO DE 2012

×