Castelo

884 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
884
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Castelo

  1. 1. CASTELO DE ALMOUROL V. N. DA BARQUINHA - PORTUGAL Apresentação de GUIDA PINTO
  2. 2. O Castelo de Almourol, também conhecido como o Castelo dos Templários, é sem dúvida, uma das mais belas e originais fortalezas existentes em Portugal.
  3. 4. O Castelo localiza-se no Concelho de Vila Nova da Barquinha. Situado numa pequena ilha escarpada de 310 m de comprimento por 75 m de largura e a 18 m acima do nível das águas, no médio curso do rio Tejo.
  4. 5. É um dos monumentos militares medievais mais emblemático e cenográfico da era da Reconquista. Simultaneamente, também é um dos que melhor evoca a memória dos Templários no nosso país.
  5. 6. Embora não haja certezas, acredita-se que a primitiva ocupação humana deste sítio, se deva à existência de um castro pré-histórico lusitano, que aponta para o século II a.C.
  6. 7. No século I a.C. e durante a ocupação da Península Ibérica, o local é conquistado pelos romanos. Terá sido nesta data que a primeira fortificação foi erguida.
  7. 8. No século III d.C. o sítio foi ocupado pelos Alanos, depois pelos Visigodos e, já no século VIII, pelos Muçulmanos. Estes últimos dão à fortificação a denominação de Al-morolan (pedra alta).
  8. 11. No ano de 1129, a fortaleza é conquistada por D. Afonso Henriques aos mouros e posteriormente doada à Ordem dos Templários; esta fica responsável pela defesa do local e vai manter-se na sua posse até ao ano de 1311.
  9. 12. Já como Castelo de Almourol, entre os anos de 1160 e 1171, foi reedificado e por várias vezes restaurado, tendo adquirido, em linhas gerais, as suas actuais feições, com características da arquitectura templária.
  10. 14. Durante todo o ano há sempre um barqueiro para assegurar a passagem para a ilha em poucos minutos. Após o desembarque, uma pequena vereda conduz-nos à entrada principal do Castelo.
  11. 17. A entrada do Castelo
  12. 19. As muralhas
  13. 25. O interior do Castelo
  14. 33. A Torre de Menagem
  15. 34. O Castelo e o rio Tejo
  16. 41. Vítima do terramoto de 1755, o Castelo fica muito danificado, voltando a sofrer mais obras e alterações na sua estrutura durante o século XIX.
  17. 42. Na segunda metade do século XIX, o Castelo foi entregue ao Exército português, a que está afecto até aos nossos dias. No século XX foi classificado como Monumento Nacional.
  18. 43. Fim IMAGENS : www.flickr.com – ( Alentejana / José Ferreira Jr. / FIDALGO 72 / Ivogomes / meira888 / Portuguese_eyes / Feijão-Mestre / moacirdsp / naknak79 / Filipe-Ribeiro / nfcastro / Alma Raune / pedro prats / Laura Saba ) . PESQUISA TEXTO : pt.wikipedia.org / www.ippar.pt . MÚSICA : Itzhak Perlman – Out of Africa . FORMATAÇÃO DO SLIDE : Guida Pinto . [email_address]

×