Difilobotríase

489 visualizações

Publicada em

Seminário sobre Difilobotríase, apresentado na disciplina de Parasitologia, da Faculdade de Medicina do UNIBH.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
489
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Difilobotríase

  1. 1. Difilobotríase Carolina Parreira, Gabriela Abreu, Hortência Gomes, Lorena Duval Centro Universitário de Belo Horizonte – UNIBH Faculdade de Medicina Disciplina: Parasitologia Professora Orientadora: Adriana Coelho
  2. 2. Classificação taxonômica
  3. 3. Aspectos Gerais       
  4. 4. Aspectos Gerais     
  5. 5. Morfologia do verme adulto    http://mynotes4usmle.tumblr.com/
  6. 6. www.cdc.gov CicloBiológico
  7. 7. Proglótides eliminados contendo ovos No meio aquático, o ovo eclode liberando o embrião = Coracídio Ingestão do embrião por crustáceos, denominados copépodes, do gênero Cyclops ou Diaptomus Nos crustáceos (primeiro hospedeiro intermediário): Embrião  Larvas procercóides Peixes de água doce (truta e salmão) ingerem os crustáceos contaminados Nos peixes (segundo hospedeiro intermediário): Larvas procercóides  Plerocercóides ou esparganos O homem se infecta com peixe fresco em conserva e mal cozido No homem (hospedeiro definitivo): Desenvolvimento do verme adulto e ovoposição (após 14 dias) Período pré-patente: ~ 5 a 6 semanas após a ingestão da larva. CicloBiológico
  8. 8. Morfologia do ovo      Revista da Sociedade Brasileira de MedicinaTropical
  9. 9. Morfologia da larva Primeira Larva - Coracídio Larva esférica Três pares de acúleos Revestido por epitélio ciliado Segunda Larva - Procercóide Sem revestimento ciliado Três pares de acúleos no apêndice caudal Larva sólida e alongada Terceira Larva – Plerocercóide ou espargano Larva maciça e vermiforme Acúleos e apêndices ausentes
  10. 10. Modo deTransmissão e Resistência   
  11. 11. Epidemiologia     
  12. 12. Sinais e Sintomas             
  13. 13. Diagnóstico       
  14. 14. Tratamento   
  15. 15. Controle   
  16. 16. Controle Campanha ''De Olho no Peixe'' levará os benefícios do pescado ao consumidor de quatro regiões do Estado 27/03/2013 - 11:39 Ação da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Regional visa orientar na hora de comprar o pescado Durante os dias 27, 28 e 29 de março, a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Regional realizará a campanha “De olho no peixe” em oito mercados de peixes de quatro regiões do Estado do Rio de Janeiro. O objetivo é incentivar o consumo e orientar o consumidor na hora de escolher corretamente o produto no período onde há mais procura por pescado no Estado: a Semana Santa. Fonte:SitedaFIPERJ
  17. 17. Profilaxia      
  18. 18. Esparganose    
  19. 19. Revista do Instituto de MedicinaTropical de São Paulo - Esparganose ocular humana no sul do Brasil Esparganose
  20. 20. Referências      
  21. 21. Obrigada!

×