Linha do Tempo dos Acontecimentos Proféticos da Bíblia: Império Babilônico e Medo-Persa

13.236 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual
0 comentários
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.236
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
533
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
493
Comentários
0
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Linha do Tempo dos Acontecimentos Proféticos da Bíblia: Império Babilônico e Medo-Persa

  1. 1. 1 TEMPO 626-612 a.C. 622 a.C. 605 a.C. 602-603 a.C. 597 a.C. 594-593 a.C. 586 a.C. EVENTO Início do Império Ne- obabilônico com Na- bopolassar. Nascimento do profeta Daniel em uma família judaica de alto nível. 01 de Julho: Nabucodonosor venceu o Egito em Carquemis. 1° Invasão: Jeoaquim, rei de Judá, é obrigado a renunciar seu tratado com o Egito (2Cr 36:5-7). Daniel e outros jovens são levados para Babilônia jun- tamente com os utensílios do Templo (Dn 1:1-4). 15 de Agosto: Nabopolassar morre. 07 de Setembro: Nabucodono- sor chega a Babilônia antes do exército e os cativos e assume o reinado. Daniel 2 “No segundo ano do reinado de Na- bucodonosor, teve este um so- nho” (Dn 2:1) Estátua de vários metais (ouro, prata, bronze e ferro). 2° Invasão: Joa- quim era o rei de Judá (2Cr 36:9- 10). O profeta Ezequiel (Ez 1:1). Zedequias é o novo rei de Judá por mandado do rei da Babilônia. Daniel 3 A estátua de ouro de Nabucodonosor e os amigos de Daniel na fornalha ardente (Dn 3). De acordo com Jeremias 51:59, Zedequias empre- endeu uma viagem a Babilônia no 4° ano do seu reinado. 3° Invasão: Ze- dequias era o rei de Judá (2Cr 36:17). LINHA DO TEMPO DOS ACONTECIMENTOS PROFÉTICOS: BABILÔNIA E MEDO-PERSA “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1)
  2. 2. 2 569 a.C. 562 a.C. 553 a.C. 551 a.C. 540 a.C. 539 a.C. Daniel 4 Nabucodonosor é o autor deste capítulo. Ele diz: “Pareceu-me bem fazer co- nhecidos os sinais e maravi- lhas que Deus, o Altíssimo, tem feito para comi- go.” (Dn 4:2) Morte do rei Nabucodonosor. Evil-Merodaque (Jr 52:31) assume o reino, mas depois de 2 anos é as- sassinado por seu cunhado. O cunhado foi assassinado 4 anos mais tarde, deixando um filho me- nor. Conspiradores assassinaram o menino-rei e indicaram um de seus cúmplices, Nabonidus, como suces- sor real. 6 anos mais tarde, Nabonidus trans- feriu seu quartel-general de Babilô- nia para o distante oásis de Temã, na Arábia. Belsazar, seu filho, assu- miu o trono como corregente. Daniel 7 Visão dos quatro animais: leão com asas, urso com três costelas, leopardo com quatro asas de aves e outro terrível e espantoso. Nabonidus entregou a reali- za a Belsazar neste ano. Nabucodonosor havia faleci- do há 9 anos. Os eventos de Daniel 5 e 6 ainda estavam no futuro. Daniel 8 Visão do carneiro e do bode. “No ano terceiro do reinado do rei Belsa- zar, eu, Daniel, tive uma visão depois da- quela que eu tivera a princípio [referência a Dn 7].” (Dn 8:1). Dario, o Medo, começa a reinar sobre o Império Medo -Persa. É o mesmo Dario de Daniel 5:31; 6:28 e 9:1-2. “O reinado de Dario foi hon- rado por Deus. A ele foi en- viado o anjo Gabriel „para o animar e fortalecer‟ (Dn 11:1)” (Profetas e Reis, p. 283). Daniel 5 12 de outubro: Banquete do rei Belsazar com os utensílios sagrados do templo. Mão de Deus escreve na parede do palácio. Dario mata Belsazar (Dn 5:30-31). O Império Medo-Persa invade e conquista Babilônia na noite do banquete de Belsazar. 29 de outubro: Entrada triunfal de Ciro em Babilônia. LINHA DO TEMPO DOS ACONTECIMENTOS PROFÉTICOS: BABILÔNIA E MEDO-PERSA “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1)
  3. 3. 3 539-538 a.C. 538 a.C. 535 a.C. 522 a.C.536 a.C. 520 a.C. 519 a.C. 515 a.C. Dario, o Medo, exerceu a função de rei vassalo de Babilônia, sob o comando maior de Ciro. Dario governou Babilônia de outu- bro de 539 a.C. a novembro de 538 a.C., quando fale- ceu. A partir da morte de Dario, Ciro as- sumiu o título de “Rei da Babilônia”. Daniel 6 Daniel se torna um dos três presi- dentes responsáveis por 120 provín- cias e, devido a um decreto, é jogado na cova dos leões. Daniel 9, 11 e 12 Uma vez que os eventos de Daniel 9 ocorreram durante o reinado de ape- nas um ano de Dario, Daniel 6 ocor- reu bem pouco tempo antes ou bem pouco tempo depois da visita que o profeta recebeu do anjo Gabriel. Se passaram 68 dos 70 anos do cati- veiro (Jr 25:11-12; 29:10). 605 a.C. - 538 a.C. = 68 (contagem inclusiva) Daniel 10 “No terceiro ano de Ciro, rei da Pérsia, foi revelada uma pala- vra a Daniel” (Dn 10:1). Os trabalhos de reconstrução do templo haviam sido recente- mente iniciados em resposta ao decreto de Ciro (Ed 1:1-2). To- davia, os reconstrutores encon- travam oposição das tribos cir- cunvizinhas. Em Dn 2, Deus respondeu a oração do sonho. Em Dn 6, Deus enviou um anjo. Em Dn 9, Deus enviou o anjo Gabriel. Em Dn 10, Deus enviou Seu filho. Esmérdis in- terrompe a construção do templo de Je- rusalém. Cumprimento dos 70 anos do cati- veiro babilônico predito por Jeremi- as. 1° Decreto: O de Ciro, foi emitido permitindo que os Judeus voltassem para reconstruir a cidade. Este primeiro gru- po de exilados retornou sobre o comando de Zoro- babel (Ed 2:2). Reinício da construção durante os ministérios de Ageu e Zaca- rias (Ed 5:1). 2° Decreto: Dario I Hista- pes (Ed 6:1- 12). Conclusão e dedica- ção do se- gundo tem- plo (Ed 6:15). LINHA DO TEMPO DOS ACONTECIMENTOS PROFÉTICOS: BABILÔNIA E MEDO-PERSA “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1)
  4. 4. 4 483 a.C. 479/8 a.C. 457 a.C. 456 a.C.473 a.C. 448 a.C. 444 a.C. 432 a.C. 421 a.C. 408 a.C. Rejeição da rainha Vasti (Ester 1) Ester é eleita rainha (Estes 2:16) 3° Decreto: De Artaxerxes I (Esdras 7:7-11) Início da profecia de Daniel sobre as 2300 tardes e manhãs (Dn 8:14). “Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jeru- salém” (Dn 9:25) Retorno lide- rado por Es- dras. Reforma a respeito das esposas es- trangeiras (Esdras 7:7-9; 10:9) Plano de exter- mínio fracassa e redunda em vitória para o povo judeu (Et 3:7, 13; 9:1, 15) Inimigos de Jerusalém destroem par- cialmente o muro (Neemias 1:1- 3) Neemias é nomeado governador. Construção do muro é retomada e concluída (Neemias 2:1 a 4:23; 6:1- 16) Fim do primei- ro mandato de Neemias co- mo governa- dor (Neemias 5:14) Segundo mandato de Neemias co- mo governa- dor (Neemias 13:6-7) “Desde a saída da ordem para restau- rar e para edificar Jerusalém [...] sete semanas [...]; as praças e as circun- valações se reedifi- carão, mas em tem- pos angustio- sos.” (Dn 9:25) Fim da primeira par- te da profecia das 70 semanas de anos. 7 semanas = 49 dias = 49 anos 457 - 49 = 408 LINHA DO TEMPO DOS ACONTECIMENTOS PROFÉTICOS: BABILÔNIA E MEDO-PERSA “Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo propósito debaixo do céu” (Eclesiastes 3:1) REFERÊNCIAS:  C. MERVYN MAXWELL. Uma nova era segundo as profecias de Daniel. Casa Publicadora Brasileira, 2009.  VANDERLEI DORNELES. Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia. Casa Publicadora Brasileira, v. 3, p. 350-351, 2012.

×