O Cisma do Oriente

21.580 visualizações

Publicada em

2 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
21.580
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15.541
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
162
Comentários
2
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Cisma do Oriente

  1. 1. Unidade na diversidade:uma fé, vários caminhos
  2. 2. Unidade na diversidade: uma fé, vários caminhosNesta unidade vamos refletir sobre: • A unidade do Cristianismo • O cisma do Oriente • O cisma do Ocidente • As Igrejas da reforma • A organização interna da Bíblia • A formação do Antigo e do Novo Testamentos • O movimento ecuménico
  3. 3. O CristianismoAssenta a sua fé e a sua esperança em Jesus Cristo.Jesus e os seus discípulos viveram num período histórico em que oimpério romano dominava grande parte do mundo conhecido e Romaera a capital desse imenso império.
  4. 4. Herdeiro do Judaísmo e enriquecido pela civilização greco-romana, oCristianismo, apesar de três séculos de perseguições, criou raízes na vidade muitos homens e mulheres.O Cristianismo tornou-se universal e alcançou bastante vitalidade.
  5. 5. Ao longo do primeiro milénio, apesar de pequenas divergências eseparações, o Cristianismo manteve-se globalmente unido.
  6. 6. A palavra ‘cisma’ — do grego skhisma («fenda; separação»), por via dolatim schisma — significa dissidência religiosa, separação de umadeterminada religião.
  7. 7. 235 312 324 380 395 476Diocleciano Fundação de Após a morte deassume o poder. Constantinopla Teodósio, oDá-se início à era império romano édos Mártires. dividido Édito de Invasão de Roma. Tessalónica, Fim do Império Teodósio declara o Romano do Cristianismo, Constantino torna-se Ocidente. religião oficial do o primeiro imperador Império. cristão e promulga a liberdade religiosa
  8. 8. As diferenças entre as Igrejas do Ocidente e do Oriente, já evidentes no século IV,tornam-se mais precisas durante os séculos seguintes. As suas causas erammúltiplas: • tradições culturais distintas (greco-oriental por um lado, romano- germânica por outro); • a ignorância mútua, não só das línguas, mas também das respetivas literaturas teológicas; • divergências de ordem cultural ou eclesiástica • a ordenação de homens casados, proibida no Ocidente; • o uso do pão ázimo no Ocidente, e do pão com fermento no Oriente; • a água acrescentada ao vinho da Eucaristia no Ocidente.
  9. 9. Para além disso: • Certos desenvolvimentos do culto e das instituições eclesiásticas conferem ao Cristianismo oriental uma fisionomia peculiar. • A importância da veneração dos ícones no Império Bizantino • a adição do filioque ao Credo de Niceia e Constantinopla — o trecho passava a ter a seguinte leitura: «O Espírito procede do Pai e do Filho»Aumentou a animosidade dos ocidentais contra os orientais.
  10. 10. Surgem assim dois ramos no tronco do Cristianismo: a Igreja latina e a Igreja oriental ‘católica’ ‘ortodoxa’.
  11. 11. No ano de 1054, numa tentativa de diálogo e conciliação, um enviado do papa(cardeal Humberto) foi a Constantinopla, mas a tentativa saiu frustrada eaconteceu a separação (cisma). O cardeal, em nome do papa Leão IX, dirige-se àBasílica de Santa Sofia e excomunga o patriarca Miguel Cerulário. Este, comoresposta, excomunga o cardeal. Com estes gestos, repletos de falta decompreensão e de caridade, cada um considera-se portador da verdade e expulsadessa fé e dessa comunhão o outro.
  12. 12. Católicos e ortodoxos, apesar dos encontros e abraços fraternos entre osseus líderes, continuam separados.

×