Biologia
Membrana celular
(ou membrana plasmática ou membrana citoplasmática ou plasmalema)
Toda a célula, seja procarionte ou euca...
Constituição química da membrana
plasmática
Estudos com membranas plasmáticas isoladas
revelam que seus componentes mais a...
Constituição química da membrana
plasmática
Estudos com membranas plasmáticas isoladas
revelam que seus componentes mais a...
A organização molecular da membrana
plasmática
Uma vez identificados os fosfolipídios e as proteínas
como os principais co...
Funções das proteínas na membrana plasmática
As proteínas da membrana plasmática exercem grandes variedades de funções: at...
Transporte pela Membrana Plasmática
A capacidade de uma membrana de ser atravessada por algumas substâncias e não por outr...
Transporte passivo
Osmose
Difusão simples
Difusão facilitada
Transporte ativo
Bomba de sódio e potássio
Endocitose e exoci...
Organelas Citoplasmáticas
As Organelas Citoplasmáticas são estruturas que
ficam no citoplasma das células animais e
vegeta...
1 – Lisossomos – São pequenas vesículas com enzimas digestivas que atuam
para digerir substâncias que penetram na célula p...
O núcleo celular
O pesquisador escocês Robert Brown (1773- 1858) é
considerado o descobridor do núcleo celular. Embora
mui...
Hoje, sabemos que o núcleo é o centro de controle das
atividades celulares e o “arquivo” das informações
hereditárias, que...
Os componentes do núcleo
O núcleo das célula que não estão em processo de divisão apresenta um limite bem
definido, devido...
Célula Animal
As células animais apresentam o núcleo – local onde encontramos o material genético
– separado do citoplasma...
Célula Vegetal
A célula vegetal é bastante semelhante à célula animal, porém contém
algumas diferenças, como a parede celu...
Cada organela da célula vegetal desempenha uma função:
Parede celular: confere a distensão do protoplasto configurando à
c...
As células vegetais possuem também organelas em comum com as células
animais, que são:Célula
Núcleo: Possui duas funções b...
Bibliografia:
● WWW.sobiologia.com.br
● WWW.infoescola.com.br
Biologia membrana plasmatica
Biologia membrana plasmatica
Biologia membrana plasmatica
Biologia membrana plasmatica
Biologia membrana plasmatica
Biologia membrana plasmatica
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Biologia membrana plasmatica

566 visualizações

Publicada em

trabalho de biologia sobre membrana celular

0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
566
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Biologia membrana plasmatica

  1. 1. Biologia
  2. 2. Membrana celular (ou membrana plasmática ou membrana citoplasmática ou plasmalema) Toda a célula, seja procarionte ou eucarionte, apresenta uma membrana que isola do meio exterior: a membrana plasmática. A membrana plasmática é tão fina (entre 6 a 9 nm) que os mais aperfeiçoados microscópios ópticos não conseguiram torná-la visível. Foi somente após o desenvolvimento da microscopia eletrônica que a membrana plasmática pode ser observada. Nas grandes ampliações obtidas pelo microscópio eletrônico, cortes transversais da membrana aparecem como uma linha mais claras entre duas mais escuras, delimitando o contorno de cada célula.
  3. 3. Constituição química da membrana plasmática Estudos com membranas plasmáticas isoladas revelam que seus componentes mais abundantes são fosfolipídios, colesterol e proteínas. É por isso que se costumam dizer que as membranas plasmáticas têm constituição lipoproteica.
  4. 4. Constituição química da membrana plasmática Estudos com membranas plasmáticas isoladas revelam que seus componentes mais abundantes são fosfolipídios, colesterol e proteínas. É por isso que se costumam dizer que as membranas plasmáticas têm constituição lipoproteica.
  5. 5. A organização molecular da membrana plasmática Uma vez identificados os fosfolipídios e as proteínas como os principais componentes moleculares da membrana, os cientistas passaram a investigar como estas substâncias estavam organizadas.
  6. 6. Funções das proteínas na membrana plasmática As proteínas da membrana plasmática exercem grandes variedades de funções: atuam preferencialmente nos mecanismos de transporte, organizando verdadeiros túneis que permitem a passagem de substâncias para dentro e para fora da célula, funcionam como receptores de membrana, encarregadas de receber sinais de substâncias que levam alguma mensagem para a célula, favorecem a adesão de células adjacentes em um tecido, servem como ponto de ancoragem para o citoesqueleto. Proteínas de adesão: em células adjacentes, as proteínas da membrana podem aderir umas às outras. Proteínas que facilitam o transporte de substâncias entre células. Proteínas de reconhecimento: determinadas glicoproteínas atuam na membrana como um verdadeiro “selo marcador”, sendo identificadas especificamente por outras células. Proteínas receptoras de membrana. Proteínas de transporte: podem desempenhar papel na difusão facilitada, formando um canal por onde passam algumas substâncias, ou no transporte ativo, em que há gasto de energia fornecida pela substância ATP. O ATP (adenosina trifosfato) é uma molécula derivada de nucleotídeo que armazena a energia liberada nos processos bioenergéticos que ocorrem nas células (respiração aeróbia, por exemplo). Toda vez que é necessária energia para a realização de uma atividade celular (transporte ativo, por exemplo) ela é fornecida por moléculas de ATP. Proteínas de ação enzimática: uma ou mais proteínas podem atuar isoladamente como enzima na membrana ou em conjunto, como se fossem parte de uma “linha de montagem” de uma determinada via metabólica. Proteínas com função de ancoragem para o citoesqueleto.
  7. 7. Transporte pela Membrana Plasmática A capacidade de uma membrana de ser atravessada por algumas substâncias e não por outras define sua permeabilidade. Em uma solução, encontram-se o solvente (meio líquido dispersante) e o soluto (partícula dissolvida). Classificam-se as membranas, de acordo com a permeabilidade, em 4 tipos a) Permeável: permite a passagem do solvente e do soluto; b) Impermeável: não permite a passagem do solvente nem do soluto; c) Semipermeável: permite a passagem do solvente, mas não do soluto d) Seletivamente permeável: permite a passagem do solvente e de alguns tipos de soluto. Nessa última classificação se enquadra a membrana plasmática. A passagem aleatória de partículas sempre ocorre de um local de maior concentração para outro de concentração menor (a favor do gradiente de concentração). Isso se dá até que a distribuição das partículas seja uniforme. A partir do momento em que o equilíbrio for atingido, as trocas de substâncias entre dois meios tornam-se proporcionais. A passagem de substâncias através das membranas celulares envolve vários mecanismos, entre os quais podemos citar:
  8. 8. Transporte passivo Osmose Difusão simples Difusão facilitada Transporte ativo Bomba de sódio e potássio Endocitose e exocitose Fagocitose Pinocitose
  9. 9. Organelas Citoplasmáticas As Organelas Citoplasmáticas são estruturas que ficam no citoplasma das células animais e vegetais, e que desempenham importantes funções
  10. 10. 1 – Lisossomos – São pequenas vesículas com enzimas digestivas que atuam para digerir substâncias que penetram na célula por fagocitose ou pinocitose. Também são responsáveis por digerir estruturas celulares desgastadas. 2 - Complexo de Golgi – É um conjunto de membranas em forma de sacos. É responsável por armazenar as substâncias produzidas no interior da célula. 3 - Retículo endoplasmático – É um sistema de membranas em formato de tubos e sacos, que atuam na síntese de esteroides e na desabilitação de hormônios e substâncias nocivas à saúde. 4 – Ribossomos – São estruturas encontradas de forma livre no hialoplasma ou no retículo endoplasmático. Eles atuam em sínteses proteicas no interior da célula. 5 – Mitocôndrias – São estruturas membranosas, responsáveis pela respiração celular. 6 – Cloroplastos – São estruturas membranosas, responsáveis pela fotossíntese. Estão presentes apenas nas células de plantas e algas. Não se encontram em células animais. 7 – Centríolos – São cilindros tubulares relacionados com a divisão celular. 8 – Peroxissomos - São bolsas membranosas que contêm alguns tipos de enzimas digestivas, semelhantes aos lisossomos. São responsáveis por eliminar gorduras e aminoácidos e atuam no processo de desintoxicação das células.
  11. 11. O núcleo celular O pesquisador escocês Robert Brown (1773- 1858) é considerado o descobridor do núcleo celular. Embora muitos citologistas anteriores a ele já tivessem observados núcleos, não haviam compreendido a enorme importância dessas estruturas para a vida das células. O grande mérito de Brown foi justamente reconhecer o núcleo como componente fundamental das células. O nome que ele escolheu expressa essa convicção: a palavra “núcleo” vem do grego nux, que significa semente. Brown imaginou que o núcleo fosse a semente da célula, por analogia aos frutos.
  12. 12. Hoje, sabemos que o núcleo é o centro de controle das atividades celulares e o “arquivo” das informações hereditárias, que a célula transmite às suas filhas ao se reproduzir. Células eucariontes e procariontes A membrana celular presente nas células eucariontes, mas ausente nas procariontes. Na célula eucarionte, o material hereditário está separado do citoplasma por uma membrana – a carioteca – enquanto na célula procarionte o material hereditário se encontra mergulhado diretamente no líquido citoplasmático.
  13. 13. Os componentes do núcleo O núcleo das célula que não estão em processo de divisão apresenta um limite bem definido, devido à presença da carioteca ou membrana nuclear, visível apenas ao microscópio eletrônico. A maior parte do volume nuclear é ocupada por uma massa filamentosa denominada cromatina. Existem ainda um ou mais corpos densos (nucléolos) e um líquido viscoso (cariolinfa ou nucleoplasmaà. A carioteca à A carioteca (do grego karyon, núcleo e theke, invólucro, caixa) é um envoltório formado por duas membranas lipoprotéicas cuja organização molecular é semelhante as demais membranas celulares. Entre essas duas membranas existe um estreito espaço, chamado cavidade perinuclear. A face externa da carioteca, em algumas partes, se comunica com o retículo endoplasmático e, muitas vezes, apresenta ribossomos aderidos à sua superfície. Neste caso, o espaço entre as duas membranas nucleares é uma continuação do espaço interno do retículo endoplasmático.
  14. 14. Célula Animal As células animais apresentam o núcleo – local onde encontramos o material genético – separado do citoplasma pela presença de um envoltório que denominamos de carioteca, além de outras estruturas presentes no citoplasma que não encontramos em células procarióticas. Esquema de uma célula animal e suas organelas. Esquema de uma célula animal e suas organelas. O citoplasma das células eucarióticas (onde estão incluídas as células animais) corresponde à região localizada entre a membrana plasmática e a carioteca, sendo constituído por um fluido que chamamos de citosol (ou citossol, ou citoplasma fundamental, ou ainda de hialoplasma) – composto por íons, água e substâncias importantes para a síntese de moléculas orgânicas – e compreende diversos tipos de estruturas, tais como as descritas a seguir: Ribossomos: participam do processo de síntese protéica. Inclusões Citoplasmáticas: são estruturas não membranosas e temporárias que representam formas de reservas de substâncias na célula. Citoesqueleto: responsável pelos movimentos celulares e composto por uma rede de finos tubos protéicos – microtúbulos – que sustentam o citoplasma. Organelas membranosas: cada qual com funções específicas. As organelas presentes em praticamente todas as células eucarióticas são: complexo de Golgi, retículo endoplasmático, peroxissomos, mitocôndrias e lisossomos.
  15. 15. Célula Vegetal A célula vegetal é bastante semelhante à célula animal, porém contém algumas diferenças, como a parede celular e os cloroplastos. Na maturidade, tais células podem diferir muito uma das outras quanto as estruturas. A célula vegetal tipicamente consiste em uma parede celular rígida, e um protoplasto que é composto pelo citoplasma e núcleo. O citoplasma que é limitado externamente pela membrana plasmática, contém organelas, sistemas de membranas e estruturas não membranosas, como por exemplo, ribossomos. O restante do citoplasma, onde vários sistemas de membranas e corpos estão imersos, é conhecido como matriz citoplasmática ou citosol. Na célula vegetal viva, o citoplasma está frequentemente em movimento. As organelas podem ser observadas deslizando de uma maneira ordenada no movimento em curso. :
  16. 16. Cada organela da célula vegetal desempenha uma função: Parede celular: confere a distensão do protoplasto configurando à célula, adulta, tamanho e formas fixos, oferecendo também proteção aos componentes do protoplasto. Vacúolo: É delimitado por uma membrana chamada tonoplasto. Possui diversas funções como, armazenamento de substâncias, atua também no processo lisossômico e nos processos metabólicos. Plastos: São formadas por duas membranas unitárias, contendo o estroma, onde se situa um sistema de membranas chamadas, chamados de tilacoides. Os plastos são divididos em três grandes grupos: cloroplastos (organela fotossintetizadora), cromoplasto (responsável pela pigmentação de certos frutos) e os leucoplastos (armazenam substâncias)
  17. 17. As células vegetais possuem também organelas em comum com as células animais, que são:Célula Núcleo: Possui duas funções básicas, uma delas é regular as reações químicas que ocorrem dentro da célula, e sua segunda função é de armazenar informações genéticas (DNA); Complexo de Golgi: Este complexo está associado aos processos de secreção, inclusive a secreção da primeira parede que separa duas células vegetais em divisão. Ribossomos: os ribossomos juntam os aminoácidos do citoplasma para formar cadeias de proteínas. Retículo endoplasmático liso: tem a função de facilitar reações enzimáticas, podendo também regular a pressão osmótica e atuar no transporte de substâncias. Retículo endoplasmático rugoso: realiza todas as funções do liso porém ainda possui a função de sintetizar proteínas, devido a presença de ribossomos. Mitocôndrias: a função principal de uma mitocôndria é produzir energia para o trabalho celular. Peroxissomos: participam do processo de fotorrespiração e auxiliam no metabolismo lipídico. A célula vegetal ainda conta com centríolos que participam da divisão celular da célula vegetal e os lisossomos que fazem a digestão intracelular.
  18. 18. Bibliografia: ● WWW.sobiologia.com.br ● WWW.infoescola.com.br

×