Aula 03 rev_13_08_12_adm_prod_tgpi

1.188 visualizações

Publicada em

Aula 03 Administração da Produção - UMC

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.188
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
44
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 03 rev_13_08_12_adm_prod_tgpi

  1. 1. ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO TGPI - TAI AULA -3 1Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino
  2. 2. Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 2 O que veremos nessa aula?  Como Implementar, Apoiar e Impulsionar a função produção?  Estratégia em Administração da Produção  Continuação da aula 02...
  3. 3. IMPLEMENTAÇÃO, APOIO E IMPULSIONAMENTO (SLACK, 2008)  Tratando-se de administração da produção, espera-se que ao longo do tempo tanto as operações quanto os gerentes de produção de uma empresa melhorem.  Ao passar pelo estágio de aprimoramento, no qual ele adquirem conhecimentos, eles deveriam evoluir da seguinte maneira: Estado em que contribuem muito pouco para o sucesso competitivo da empresa Ponto onde são responsáveis diretamente pelo sucesso competitivo. Dominar as habilidades de implementar e apoiar as estratégias de operações SUCESSO COMPETITIVO Habilidade para impulsionar a estratégia de operações
  4. 4. ESTRATÉGIA (SLACK, 2008)  O QUE É ESTRATÉGIA?  O QUE É ESTRATÉGIA EM OPERAÇÕES?  Decisões estratégicas geralmente são decisões que:  Tem efeito abrangente na organização à qual a estratégia se refere;  Definem a posição da organização relativamente ao seu ambiente;  Aproximam a organização de seus objetivos de longo prazo;  A estratégia em suma é mais do que uma só decisão;  Estratégia é o padrão global de decisões e ações que influenciam a direção de longo prazo de uma organização.;
  5. 5. ESTRATÉGIA (SLACK, 2008)  Definir Estratégia como um padrão de decisões, nos ajuda a discutir uma estratégia de produção mesmo quando ela não está expressa.  E a observação do padrão geral das decisões nos dá uma indicação do comportamento estratégico real.  A estratégia da produção está relacionada ao padrão de decisões e ações estratégicas que definem o papel, os objetivos e as atividades da produção;  O termo estratégia da produção por muitos pode, a primeira vista, soar como uma contradição!  Como podemos considerar estratégico, um assunto ligado a criação e entrega diária de bens e serviço?
  6. 6. ESTRATÉGIA (SLACK, 2008)  Pois a Estratégia é vista geralmente como oposta a atividades de rotinas diárias!  Entretanto, é preciso ter a consciência de que os termos “produção” ou “operação” não são sinônimos de “operacional”.  “Produção” ou “Operação” dizem respeito aos recursos que criam produtos e serviços.  “Operacional” é o oposto de “Estratégico”, e denota as atividades diárias e detalhadas.  Dessa forma pode-se, em administração da produção, examinar tanto os aspectos operacionais quanto os estratégicos das operações.
  7. 7. ESTRATÉGIA (SLACK, 2008)  É de extrema importância deixarmos claro também as diferenças entre os termos “conteúdo” e “processo” no contexto de estratégia da produção:  O conteúdo: envolve ações e decisões específicas, que estabelecem o papel, os objetivos e as atividades da produção.  O processo: é o método utilizado para produzir as decisões específicas de conteúdo.  Não há uma regra estabelecida para universalmente descrever a forma com a qual a estratégia da produção deve ser descrita.  Diferentes autores demonstram visões discretamente diferentes sobre o assunto.
  8. 8. ESTRATÉGIA (SLACK, 2008)  Segue abaixo quatro perspectivas sobre estratégia de produção:  A estratégia da produção é um reflexo “de cima para baixo” (top- down) do que o grupo ou negócio todo deseja fazer;  A estratégia da produção é uma atividade “de baixo para cima” (bottom-up), em que as melhorias da produção cumulativamente constroem a estratégia;  A estratégia da produção envolve a tradução dos requisitos do mercado em decisões da produção;  A estratégia da produção envolve a exploração das capacidades dos recursos da produção em mercados eleitos;
  9. 9. ESTRATÉGIA (SLACK, 2008)  Nenhuma das perspectivas apresentadas apresenta uma visão geral do que seja estratégia da produção.  Mas analisando-as juntamente, conseguimos ter uma ideia das pressões que circundam o conteúdo da estratégia da produção. Perspectiva top-down O que a empresa deseja que as operações façam O que a experiência diária sugere que as operações deveriam fazer. Perspectiva bottom-up Perspectiva dos recursos de operações O que os recursos de operações podem fazer Perspectiva das exigências do mercado O que o posicionamento de mercado requer que as operações façam. Estratégia de operações
  10. 10. IMPLEMENTAÇÃO, APOIO E IMPULSIONAMENTO (SLACK, 2008)  Após a definição do conceito de estratégia relacionada a produção, voltamos a questão implementação, apoio e impulsionamento dessa estratégia nas organizações em busca do sucesso competitivo. Estado em que contribuem muito pouco para o sucesso competitivo da empresa Ponto onde são responsáveis diretamente pelo sucesso competitivo. Dominar as habilidades de implementar e apoiar as estratégias de operações SUCESSO COMPETITIVO Habilidade para impulsionar a estratégia de operações
  11. 11. IMPLEMENTAÇÃO (SLACK, 2008)  O papel básico da produção é implementar a estratégia;  Grande parte das empresas possuem algum tipo de estratégia, e é a produção que a coloca em prática;  A estratégia não pode ser tocada;  A estratégia não pode vista;  O que pode ser visto é como a produção se comporta na prática.
  12. 12. IMPLEMENTAÇÃO (SLACK, 2008)  Exemplo:  Uma empresa de seguros tem como estratégia migra para um serviço “on- line” inteiramente novo;  A operação de marketing da empresa, necessita organizar as atividades promocionais adequadas;  A operação de tecnologia da informação da empresa, deve suprir todo o processo com sistemas apropriados;  A operação de produção da empresa, com ação mais significativa, terá que Supervisionar o projeto de todos os processos que permitam aos consumidores acesso à informação “on-line”: o Elaboração de cotações; o Pedidos de informações adicionais; o Detalhes de checagem de crédito; o Envio de documentações; o etc;.
  13. 13. IMPLEMENTAÇÃO (SLACK, 2008) Sem a efetiva implementação, mesmo a estratégia mais original e brilhante pode se tornar totalmente ineficaz.
  14. 14. APOIO (SLACK, 2008)  Apoiar a estratégia da produção vai além da sua implementação  A questão do APOIO da estratégia da produção significa:  Desenvolver as capacitações da produção;  Permitir o aprimoramento e refino dos objetivos definidos pela estratégia;
  15. 15. APOIO (SLACK, 2008)  Exemplo  Uma empresa fabricante de telefones celulares definiu como estratégia para sua operação ser o primeiro no mercado com produtos inovadores.  Com isso, sua operação, precisa obrigatoriamente ser capaz de enfrentar a inovação constante.  Para isso, ela deve desenvolver processos que sejam flexíveis o suficientes para:  Quanto melhor for o desempenho da produção na realização dessas atividades, maior será o apoio em relação a estratégia da empresa. • Fabricar novos componentes; • Organizar seus funcionários no sentido de entender as novas tecnologias; • Desenvolver relacionamento com os fornecedores (para suprir a necessidade de resposta a fabricação de novos componentes).
  16. 16. IMPULSIONAMENTO (SLACK, 2008)  A parte mais difícil desse processo é o impulsionamento da estratégia.  Pois esse processo gera resultados a organização somente se aplicado a longo prazo. Exemplo:  Uma empresa de serviços de alimentação fornece peixes, congelados e produtos do mar a restaurantes.  Ao longo dos anos, essa empresa desenvolveu um relacionamento próximo com seus clientes ( os chefs), assim como com os seus fornecedores ao redor do mundo (empresas de pesca e fazendas de criação de peixes).  Além disso, a empresa possui um pequena fábrica onde produz um contínuo fluxo de produtos novos e excitantes aos seus consumidores.
  17. 17. IMPULSIONAMENTO (SLACK, 2008) Exemplo (continuação):  Essa empresa possui uma posição única no mercado devido a:  Relacionamento entre clientes e fornecedores;  Aliado a constante busca no desenvolvimento de novos produtos.  Esse fatores são extremamente difíceis de serem copiados pelos seus concorrentes e por isso baseiam o sucesso da empresa.  Com isso, podemos concluir que a excelência na capacitação das operações em uma organização, impulsionam a estratégia da empresa em busca do sucesso competitivo.
  18. 18. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008) Conceito desenvolvido pelos Profs. Hayes e Wheelwright da Harvard University.  Modelo para avaliar o papel e a contribuição da função produção dentro de uma organização.  Esse modelo traça a progressão da função produção desde o papel negativo que ela exerce no Estagio 1 de produção até tornar-se como elemento central na estratégia competitiva no Estágio 4.
  19. 19. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008) Conceito desenvolvido pelos Profs. Hayes e Wheelwright da Harvard University. AumentodeImpactoestratégico Aumento de capacitações em operações Estágio 1 Corrigir os piores problemas Internamente neutro Impedindo o desenvolvimento da organização
  20. 20. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008)  Estágio 1 – Neutralidade Interna  É o nível mais fraco de contribuição da função produção  A função produção segura a empresa quanto a sua eficácia produtiva  A função produção mantém-se voltada para dentro e reage somente às mudanças dos ambientes internos e externos (reclamações), contribuindo pouco para o sucesso competitivo.  Paradoxalmente o objetivo da função produção, nesse estágio, é passar desapercebida (internamente neutra).  O restante da organização não vê a produção como originalidade, talento ou impulso competitivo  As ações de melhoria são limitadas a evitar erros.
  21. 21. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008) AumentodeImpactoestratégico Aumento de capacitações em operações Estágio 1 Corrigir os piores problemas Estágio 2 Adotar a melhor prática Internamente neutro Externamente neutro Impedindo o desenvolvimento da organização Tão boa quanto os concorrentes
  22. 22. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008)  Estágio 2 – Neutralidade Externa  Início do rompimento do Estágio 1, implementação da estratégia.  Comparação da função produção com empresas similares mas fora do seu mercado de atuação (neutralidade externa).  Com o intuito de comparar seu desempenho ao do concorrente e tentar adotar as melhores práticas
  23. 23. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008) AumentodeImpactoestratégico Aumento de capacitações em operações Estágio 1 Corrigir os piores problemas Estágio 2 Adotar a melhor prática Estágio 3 Ligar a estratégia com operações Internamente neutro Externamente neutro Internamente apoiado Impedindo o desenvolvimento da organização Tão boa quanto os concorrentes Claramente melhor no setor
  24. 24. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008)  Estágio 3 – Apoio Interno  Nesse estágio, a empresa está entre as melhores de seu mercado  Mas aspira ser a melhor  Para isso é necessário manter uma visão clara da concorrência.  Entender os objetivos estratégicos da empresa  Desenvolver os recursos de produção de maneira apropriada  O apoio interno é conseguido por meio de uma estratégia de operações respeitável praticada pela função produção.
  25. 25. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008) AumentodeImpactoestratégico Aumento de capacitações em operações Estágio 1 Corrigir os piores problemas Estágio 2 Adotar a melhor prática Estágio 3 Ligar a estratégia com operações Estágio 4 Dar vantagem para a operação Internamente neutro Externamente neutro Internamente apoiado Externamente apoiado Impedindo o desenvolvimento da organização Tão boa quanto os concorrentes Claramente melhor no setor Redefinir as expectativas da Indústria
  26. 26. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008)  Estágio 4 – Apoio Externo  A diferença entre o estágio 3 e o 4 é sútil, embora muito importante.  No estágio 4 a função produção é vista pela empresa como provedora para o sucesso competitivo  A produção tem visão de longo prazo.  A produção é inovadora, proativa e está impulsionando a estratégia da empresa ao manter-se sempre a frente dos concorrentes.  A produção prevê prováveis mudanças nos mercados e ou na oferta de insumos e se desenvolve para suprir as novas exigências e continuar competindo com as novas exigências do mercado  O apoio interno é conseguido por meio de uma estratégia de operações respeitável praticada pela função produção.
  27. 27. Quatro estágios da contribuição da produção (SLACK, 2008) AumentodeImpactoestratégico Aumento de capacitações em operações Estágio 1 Corrigir os piores problemas Estágio 2 Adotar a melhor prática Estágio 3 Ligar a estratégia com operações Estágio 4 Dar vantagem para a operação Internamente neutro Externamente neutro Internamente apoiado Externamente apoiado Impedindo o desenvolvimento da organização Tão boa quanto os concorrentes Claramente melhor no setor Redefinir as expectativas da Indústria
  28. 28. Prof. Me. Henrique dos Prazeres Marcelino 28 REFERÊNCIAS SLACK, N.; CHAMBERS, S.; JOHNSTON, R. Administração da Produção. São Paulo: Atlas, 2009

×