Por que e como os trabalhadores pagam a conta da crise econômica na Grécia? Prof. Fábio San Matrix
<ul><li>Parte I – Por que o “mercado” vê como solução para a crise na Grécia redução nos direitos trabalhistas? </li></ul>...
<ul><li>Quadro 1: Taxa de crescimento anual do comércio e do produto mundiais </li></ul>Quadro 2 : Conta de comércio exter...
<ul><li>Após o estouro da crise no mercado mundial e a secura de financiamentos e investimentos alemães, a Grécia é obriga...
<ul><li>Recomendações dos economistas do mercado financeiro internacional e dos organismos multilaterais (FMI e Banco Mund...
<ul><li>“  A (...) alternativa é o governo assumir um papel mais ativo, cortando os gastos e adotando medidas (...) para i...
<ul><li>Duas questões devem ser colocadas: </li></ul><ul><li>1º Questão :  </li></ul><ul><li>É verdade que os trabalhadore...
1$  100  100$  10%  99$  Grécia  0,10$ 1000  100$  10%  99$  Alemanha  Custo Unitário de mão de obra   Produção total   Cu...
<ul><li>O que está por trás da defesa dos economistas dos “mercados” por “reformas trabalhistas”?  </li></ul><ul><li>Por q...
Parte II- Por que o governo brasileiro não aplicou à crise brasileira recente a solução grega de corte nos direitos trabal...
No decorrer do segundo semestre de 2008  Aplicação das brechas na legislação trabalhista criadas com as reformas de 1998/2...
No decorrer do segundo semestre de 2008  Aplicação das brechas na legislação trabalhista criadas com as reformas de 1998/2...
Por que o Governo Lula não aplicou o receituário grego de combate à crise de reduzir direitos trabalhistas como recomendav...
Quais medidas foram tomadas para enfrentar os efeitos da crise do mercado mundial sobre a economia brasileira? <ul><li>Ref...
A partir do segundo trimestre de 2009 Início da Recuperação da Atividade Econômica   <ul><li>Os ventos voltaram a favorece...
Junho de 2009  Exame na Câmara Federal da proposta de redução da jornada de trabalho sem diminuição de salários para 40 ho...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Os trabalhadores são os verdadeiros penalizados na crise

807 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre o mercado de trabalho Eropeio e a crise dos PIIGS.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
807
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os trabalhadores são os verdadeiros penalizados na crise

  1. 1. Por que e como os trabalhadores pagam a conta da crise econômica na Grécia? Prof. Fábio San Matrix
  2. 2. <ul><li>Parte I – Por que o “mercado” vê como solução para a crise na Grécia redução nos direitos trabalhistas? </li></ul><ul><li>Parte II- Por que o governo brasileiro não aplicou à crise brasileira recente a solução grega de corte nos direitos trabalhistas? </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Quadro 1: Taxa de crescimento anual do comércio e do produto mundiais </li></ul>Quadro 2 : Conta de comércio exterior da Grécia e da Alemanha Fonte: Relatório do FMI - outubro/2008
  4. 4. <ul><li>Após o estouro da crise no mercado mundial e a secura de financiamentos e investimentos alemães, a Grécia é obrigada a cobrir o rombo nas suas transações comerciais com o exterior ajustando sua balança comercial </li></ul><ul><li>Importações Saída de moeda internacional </li></ul><ul><li>A crise econômica na economia grega favorece a queda na compra de mercadorias estrangeiras </li></ul><ul><li>Exportações Entrada de moeda internacional </li></ul><ul><li>1º Alternativa) Desvalorizar o euro frente ao dólar e baratear em dólar as mercadorias gregas no comércio mundial </li></ul><ul><li>2º Alternativa) Elevar a competitividade estrutural da indústria grega </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Recomendações dos economistas do mercado financeiro internacional e dos organismos multilaterais (FMI e Banco Mundial)? </li></ul><ul><li>“ A melhor opção para a Grécia seria implementar uma contração fiscal substancial... Reformas estruturais seriam necessárias para melhorar a competitividade grega e aumentariam a credibilidade do esforço ” Armínio Fraga, Gávea Investimentos, Valor Econômico, 17/02/2010 </li></ul><ul><li>“ Assim, restaurar a competitividade (...) é necessário para a retomada...Acelerar as reformas estruturais que estimulem a produtividade e manter sob o controle o crescimento dos salários no setor privado ...” Roubini, Folha de São Paulo, 16/02/2010 </li></ul>
  6. 6. <ul><li>“ A (...) alternativa é o governo assumir um papel mais ativo, cortando os gastos e adotando medidas (...) para impulsionar a oferta na economia, como reformar as rígidas leis trabalhistas...” The Wall Street Journal, Valor Econômico, 03/03/2010 </li></ul><ul><li>“ A outra receita (...) é começar a enxugar o ‘modelo social’. Isso significaria (...) eliminar leis empresariais e trabalhistas que detêm o empreendimento e a cria cão de empregos ” The Wall Street Journal, Valor Econômico, 26/03/2010 </li></ul><ul><li>“ Os preços e os salários na Grécia (...) são altos demais para concorrer com o resto do mundo. ..Então salários e preços precisam cair...” The Wall Street Journal, Valor Econômico, 26/03/2010 </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Duas questões devem ser colocadas: </li></ul><ul><li>1º Questão : </li></ul><ul><li>É verdade que os trabalhadores alemães desfrutam de menos proteção trabalhista que seus companheiros gregos? </li></ul><ul><li>2º Questão </li></ul><ul><li>É verdade que a indústria exportadora alemã é competitiva por causa do baixo custo de mão de obra? </li></ul>
  8. 8. 1$ 100 100$ 10% 99$ Grécia 0,10$ 1000 100$ 10% 99$ Alemanha Custo Unitário de mão de obra Produção total Custo total de mão de obra Encargos Trabalhistas Salário Países Coluna F Coluna E Coluna D Coluna C Coluna B Coluna A
  9. 9. <ul><li>O que está por trás da defesa dos economistas dos “mercados” por “reformas trabalhistas”? </li></ul><ul><li>Por que a solução da crise grega passa pela redução e supressão de direitos trabalhistas? </li></ul>
  10. 10. Parte II- Por que o governo brasileiro não aplicou à crise brasileira recente a solução grega de corte nos direitos trabalhistas? Quebra de banco de Investimento Americano. Paralisação da circulação de mercadorias e de dinheiro no mercado mundial setembro de 2008 1) Conjuntura de expansão da economia mundial 2) Queda do dólar e aplicação do Sistema de metas de inflação: queda das taxas de inflação e de juros básicos 3) Crescimento do mercado interno: inflação baixa, investimentos privados e públicos, política social ativa Último trimestre de 2003 ao segundo semestre de 2008 Acontecimentos econômicos e sociais Fatos históricos
  11. 11. No decorrer do segundo semestre de 2008 Aplicação das brechas na legislação trabalhista criadas com as reformas de 1998/2001 <ul><li>“ Na reunião que Lula teve com 29 empresários, na quinta-feira, o representante do grupo Votorantim, Carlos Ermírio de Moraes, defendeu a adaptação da legislação trabalhista para os períodos excepcionais como o atual. O secretário de Trabalho de São Paulo, Guilherme Afif Domingos, vem há tempos defendendo medidas neste campo, e o presidente da Vale, Roger Agnelli, que não foi à reunião, argumentou no mesmo sentido” 16/12/2008, Valor Econômico </li></ul>
  12. 12. No decorrer do segundo semestre de 2008 Aplicação das brechas na legislação trabalhista criadas com as reformas de 1998/2001 <ul><li>“ Que medida de exceção? Eu tenho conversado com o presidente Lula no sentido de flexibilizar um pouco as leis trabalhistas. Seria algo temporário, para ajudar a ganhar tempo enquanto essa fase difícil não passa. Quando o sr. conversou sobre isso com o presidente? Falei disso na semana passada, ontem falei de novo. Estamos conversando com os sindicatos também. O governo e os sindicatos precisam se convencer da necessidade de flexibilizar um pouco as leis trabalhistas: suspensão de contrato de trabalho, redução da jornada com redução de salário, coisas assim, em caráter temporário. Qual foi a reação do presidente? Ele só ouviu .” O Estado de São Paulo, 14/12/2008 </li></ul>
  13. 13. Por que o Governo Lula não aplicou o receituário grego de combate à crise de reduzir direitos trabalhistas como recomendavam importantes representantes empresariais? <ul><li>1º Motivo: Político </li></ul><ul><li>2º Motivo: Econômico </li></ul><ul><li>“ O determinante do emprego não é o custo de contratação que normalmente é repassado para os preços... As empresas vão contratar se houver mais demanda por seus produtos e serviços ” Depoimento de Pochmann ao Estado de São Paulo , 14/03/2010 </li></ul>
  14. 14. Quais medidas foram tomadas para enfrentar os efeitos da crise do mercado mundial sobre a economia brasileira? <ul><li>Reforçar a demanda interna </li></ul><ul><li>Redução de tributos, Aumento de gastos sociais, Programa de sustentação do Investimento (BNDES), redução de juros básicos na economia, Programa de Estímulo à Construção Residencial (“Minha Casa Minha Vida) </li></ul>
  15. 15. A partir do segundo trimestre de 2009 Início da Recuperação da Atividade Econômica <ul><li>Os ventos voltaram a favorecer os trabalhadores brasileiros a partir do início da recuperação econômica </li></ul><ul><li>“ Economia reage. E as greves volta: categorias como a dos metalúrgicos e a dos bancários se mobilizam por reajustes salariais acima da inflação” O Estado de São Paulo, 13/09/2009 </li></ul><ul><li>“ Montadoras concedem reajustes salariais bastante acima da média ” Valor Econômico,17/09/2009 </li></ul><ul><li>“ Greves afetam parcialmente as montadoras ” Valor Econômico, Valor Econômico, 14/09/2009 </li></ul><ul><li>“ Acordos salariais estão mais fáceis e com ganho real maior ” Valor Econômico, 02/03/2010 </li></ul>
  16. 16. Junho de 2009 Exame na Câmara Federal da proposta de redução da jornada de trabalho sem diminuição de salários para 40 horas semanais 0,11$ 91 u 40 horas 10$ 1 10$ 910 u 40 horas 100$ 10 10$ 0,1$ 1000 u 44 horas 100$ 10 10$ Custo salarial unitário Produção Jornada Trabalho Salário total Número De Trabalhadores Salário Individual

×