Linguagens, Códigos e suas Tecnologias 
Helio de Sant’Anna dos Santos 
Professor do Colégio Pedro II
Questão 98 – prova amarela 
Texto: Querô 
DELEGADO – Então desce ele. Vê o que arrancam desse 
sacana. 
SARARÁ – Só que te...
No discurso do repórter, a repetição causa um 
efeito de sentido de intensificação, construindo a 
ideia de 
a)opressão fí...
No discurso do repórter, a repetição causa um 
efeito de sentido de intensificação, construindo a 
ideia de 
a)opressão fí...
REPÓRTER – E o Querô foi espremido, 
empilhado, esmagado de corpo e alma num 
cubículo imundo, com outros meninos. Meninos...
Questão 99 – prova amarela 
Texto: Mal secreto 
Se a cólera que espuma, a dor que mora 
N’alma, e destrói cada ilusão que ...
Quanta gente que ri, talvez, consigo 
Guarda um atroz, recôndito inimigo, 
Como invisível chaga cancerosa! 
Quanta gente q...
Coerente com a proposta parnasiana de cuidado 
formal e racionalidade na condução temática, o 
soneto de Raimundo Correia ...
Coerente com a proposta parnasiana de cuidado 
formal e racionalidade na condução temática, o 
soneto de Raimundo Correia ...
Texto: Mal secreto 
Se a cólera que espuma, a dor que mora 
N’alma, e destrói cada ilusão que nasce, 
Tudo o que punge, tu...
Questão 102 prova amarela 
KUCZYNSKIEGO, P. Ilustração, 2008. Disponível em: http://capu.pl. Acesso 
em 3 ago. 2012.
O artista gráfico polonês Pawla Kuczynskiego nasceu 
em 1976 e recebeu diversos prêmios por suas 
ilustrações. 
Nessa obra...
O artista gráfico polonês Pawla Kuczynskiego nasceu 
em 1976 e recebeu diversos prêmios por suas 
ilustrações. 
Nessa obra...
Questão 125 prova amarela 
CURY, C. Disponível em: http://tirasnacionais.blogspot.com. Acesso em: 13 nov. 2011.
A tirinha denota a postura assumida por seu 
produtor frente ao uso social da tecnologia para fins 
de interação e de info...
A tirinha denota a postura assumida por seu 
produtor frente ao uso social da tecnologia para fins 
de interação e de info...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Enem Português_questões comentadas Aulão Enem 2014 Professor Helio Colégio Pedro II

1.649 visualizações

Publicada em

Questões de Português com comentários.
Aulão ENEM 2014.
Revisão ENEM - Português
Professor do Colégio Pedro II

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.649
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
22
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
383
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Enem Português_questões comentadas Aulão Enem 2014 Professor Helio Colégio Pedro II

  1. 1. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias Helio de Sant’Anna dos Santos Professor do Colégio Pedro II
  2. 2. Questão 98 – prova amarela Texto: Querô DELEGADO – Então desce ele. Vê o que arrancam desse sacana. SARARÁ – Só que tem um porém. Ele é menor. DELEGADO – Então vai com jeito. Depois a gente entrega pro juiz. (Luz apaga no delegado e acende no repórter, que se dirige ao público.) REPÓRTER – E o Querô foi espremido, empilhado, esmagado de corpo e alma num cubículo imundo, com outros meninos. Meninos todos espremidos, empilhados, esmagados de corpo e alma, alucinados pelos seus desesperos, cegados por muitas aflições. Muitos meninos, com seus desesperos e seus ódios, empilhados, espremidos, esmagados de corpo e alma no imundo cubículo do reformatório. E foi lá que o Querô cresceu. MARCOS, P. Melhor teatro. São Paulo:. Global, 2003 (fragmento).
  3. 3. No discurso do repórter, a repetição causa um efeito de sentido de intensificação, construindo a ideia de a)opressão física e moral, que gera rancor nos meninos. b)repressão policial e social, que gera apatia nos meninos. c)polêmica judicial e midiática, que gera confusão entre os meninos. d)concepção educacional e carcerária, que gera comoção nos meninos. e)informação crítica e jornalística, que gera indignação entre os meninos.
  4. 4. No discurso do repórter, a repetição causa um efeito de sentido de intensificação, construindo a ideia de a)opressão física e moral, que gera rancor nos meninos. b)repressão policial e social, que gera apatia nos meninos. c)polêmica judicial e midiática, que gera confusão entre os meninos. d)concepção educacional e carcerária, que gera comoção nos meninos. e)informação crítica e jornalística, que gera indignação entre os meninos.
  5. 5. REPÓRTER – E o Querô foi espremido, empilhado, esmagado de corpo e alma num cubículo imundo, com outros meninos. Meninos todos espremidos, empilhados, esmagados de corpo e alma, alucinados pelos seus desesperos, cegados por muitas aflições. Muitos meninos, com seus desesperos e seus ódios, empilhados, espremidos, esmagados de corpo e alma no imundo cubículo do reformatório. E foi lá que o Querô cresceu. É preciso treinar a observação, a leitura, para compreender o que se quer de fato na questão. Neste caso, é importante identificar explicitamente os elementos repetidos.
  6. 6. Questão 99 – prova amarela Texto: Mal secreto Se a cólera que espuma, a dor que mora N’alma, e destrói cada ilusão que nasce, Tudo o que punge, tudo o que devora O coração, no rosto se estampasse; Se se pudesse, o espírito que chora, Ver através da máscara da face, Quanta gente, talvez, que inveja agora Nos causa, então piedade nos causasse!
  7. 7. Quanta gente que ri, talvez, consigo Guarda um atroz, recôndito inimigo, Como invisível chaga cancerosa! Quanta gente que ri, talvez existe, Cuja ventura única consiste Em parecer aos outros venturosa! CORREIA, R. In: PATRIOTA, M. Para compreender Raimundo Correia. Brasília: Alhambra, 1995.
  8. 8. Coerente com a proposta parnasiana de cuidado formal e racionalidade na condução temática, o soneto de Raimundo Correia reflete sobre a forma como as emoções do indivíduo são julgadas em sociedade. Na concepção do eu lírico, esse julgamento revela que a)a necessidade de ser socialmente aceito leva o indivíduo a agir de forma dissimulada. b)o sofrimento íntimo torna-se mais ameno quando compartilhado por um grupo social. c)a capacidade de perdoar e aceitar as diferenças neutraliza o sentimento de inveja. d)o instinto de solidariedade conduz o indivíduo a apiedar-se do próximo. e)a transfiguração da angústia em alegria é um artifício nocivo ao convívio social.
  9. 9. Coerente com a proposta parnasiana de cuidado formal e racionalidade na condução temática, o soneto de Raimundo Correia reflete sobre a forma como as emoções do indivíduo são julgadas em sociedade. Na concepção do eu lírico, esse julgamento revela que a)a necessidade de ser socialmente aceito leva o indivíduo a agir de forma dissimulada. b)o sofrimento íntimo torna-se mais ameno quando compartilhado por um grupo social. c)a capacidade de perdoar e aceitar as diferenças neutraliza o sentimento de inveja. d)o instinto de solidariedade conduz o indivíduo a apiedar-se do próximo. e)a transfiguração da angústia em alegria é um artifício nocivo ao convívio social.
  10. 10. Texto: Mal secreto Se a cólera que espuma, a dor que mora N’alma, e destrói cada ilusão que nasce, Tudo o que punge, tudo o que devora O coração, no rosto se estampasse; Se se pudesse, o espírito que chora, Ver através da máscara da face, Quanta gente, talvez, que inveja agora Nos causa, então piedade nos causasse! Quanta gente que ri, talvez, consigo Guarda um atroz, recôndito inimigo, Como invisível chaga cancerosa! Quanta gente que ri, talvez existe, Cuja ventura única consiste Em parecer aos outros venturosa! Mais uma vez, exercitar o comando da questão é indispensável, para acertar a resposta de modo preciso e rápido. No soneto, além de se fazer a leitura adequada, observando-se a pontuação e não simplesmente a sequência de versos, é determinante reconhecer os termos que remetem à dissimulação.
  11. 11. Questão 102 prova amarela KUCZYNSKIEGO, P. Ilustração, 2008. Disponível em: http://capu.pl. Acesso em 3 ago. 2012.
  12. 12. O artista gráfico polonês Pawla Kuczynskiego nasceu em 1976 e recebeu diversos prêmios por suas ilustrações. Nessa obra, ao abordar o trabalho infantil, Kuczynskiego usa sua arte para a) difundir a origem de marcantes diferenças sociais. b) estabelecer uma postura proativa da sociedade. c) provocar a reflexão sobre essa realidade. d) propor alternativas para solucionar esse problema. e) retratar como a questão é enfrentada em vários países do mundo.
  13. 13. O artista gráfico polonês Pawla Kuczynskiego nasceu em 1976 e recebeu diversos prêmios por suas ilustrações. Nessa obra, ao abordar o trabalho infantil, Kuczynskiego usa sua arte para a) difundir a origem de marcantes diferenças sociais. b) estabelecer uma postura proativa da sociedade. c) provocar a reflexão sobre essa realidade. d) propor alternativas para solucionar esse problema. e) retratar como a questão é enfrentada em vários países do mundo. Muito importante aqui é não extrapolar os sentidos sugeridos pela imagem. É preciso atentar para a oposição entre puxar o carrinho como uma brincadeira e como um trabalho como provocação de reflexão.
  14. 14. Questão 125 prova amarela CURY, C. Disponível em: http://tirasnacionais.blogspot.com. Acesso em: 13 nov. 2011.
  15. 15. A tirinha denota a postura assumida por seu produtor frente ao uso social da tecnologia para fins de interação e de informação. Tal posicionamento é expresso, de forma argumentativa, por meio de uma atitude a) crítica, expressa pelas ironias. b) resignada, expressa pelas enumerações. c) indignada, expressa pelos discursos diretos. d) agressiva, expressa pela contra-argumentação. e) alienada, expressa pela negação da realidade.
  16. 16. A tirinha denota a postura assumida por seu produtor frente ao uso social da tecnologia para fins de interação e de informação. Tal posicionamento é expresso, de forma argumentativa, por meio de uma atitude a) crítica, expressa pelas ironias. b) resignada, expressa pelas enumerações. c) indignada, expressa pelos discursos diretos. d) agressiva, expressa pela contra-argumentação. e) alienada, expressa pela negação da realidade. Nesta questão, é importante, dentre outros aspectos, reconhecer a ironia como recurso. As declarações sobre as redes sociais, confrontadas com os personagens que representariam a realidade sugerida pelo autor, dão o tom irônico e crítico.

×