Obrigado, kardec!

91 visualizações

Publicada em

Mensagem espírita

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
91
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Obrigado, kardec!

  1. 1. Você sabe quem foi Hippolyte Léon Denizard Rivail? E Allan Kardec? Trata-se do Codificador da Doutrina Espírita O mês de outubro, para nós, espíritas, é conhecido como o “mês de Kardec”. Foi em outubro de 1804, mais precisamente no dia 3, em Lião, na França, que reencarnou na Terra o mensageiro divino que recebeu o nome de Hippolyte Léon Denizard Rivail, como consta em sua certidão de batismo ou Denizard Hippolyte Léon Rivail, como constante em seu registro civil.
  2. 2. Com o pseudônimo de Allan Kardec, este missionário fez com que a luz do Consolador se acendesse por toda a Terra, trazendo de volta os ensinamentos deixados pelo Cristo. E, mais do que isto, Kardec trouxe para o domínio da razão e da ciência os fenômenos que envolvem o mundo dos espíritos, e que até então estavam restritos ao campo das superstições e do sobrenatural. Foi um homem de ciência, na acepção mais rigorosa do termo, pois não descartava nem aceitava qualquer dado novo que lhe chegava sem antes submetê-lo ao crivo da razão e da crítica experimental. Certamente, foi preparado pela Espiritualidade Superior, ao longo da sua trajetória como espírito imortal, para a missão que se lhe estava reservada.
  3. 3. Desempenhou-se da missão com a altivez e a humildade dos sábios, sempre defendendo, perante aqueles que o combatiam, de forma elegante e respeitosa, as novas ideias de que se fizera propagador. Numa época em que ainda ressoavam os ecos da Inquisição e as doutrinas positivistas e materialistas mostravam-se ao mundo, ante um pensamento religioso que já não atendia aos anseios do homem, coube a Kardec a tarefa de contê-las, não através de um proselitismo fácil, mas de um corpo doutrinário vindo do Alto e para o qual contribuiu com o ordenamento de seus ensinamentos e com toda a parte experimental.
  4. 4. Demonstrou a certeza da vida futura, acenando com uma nova era de progresso e esperança. Também, no mês de outubro de 1861, há um fato importante ocorrido no dia 09, o Auto de fé de Barcelona, na Espanha, ocasião em que teve seus livros queimados (mais de 300 obras espíritas) pela intolerância religiosa, por ordem do Bispo Don Palaú Y Termens, que insistia em resistir, mas em momento nenhum esmoreceu, dedicando-se de corpo e alma à missão confiada, mesmo com prejuízo da própria saúde, conforme fora previamente advertido pelos Espíritos.
  5. 5. Kardec iniciou-se no intercâmbio com o além; constatou a realidade da vida além-túmulo e da manifestação dos espíritos; propôs milhares de indagações aos mentores espirituais que o assistiam; catalogou, classificou, comparou e selecionou respostas; colocou-as em ordem, dando corpo de doutrina à ideias que, isoladamente, arranhavam a realidade, mas em conjunto consubstanciavam autêntica revelação. Assim, sendo, publicou em 18 de abril de 1857 O Livro dos Espíritos, a obra fundamental da Doutrina Espírita, com menos de dois anos de pesquisas.
  6. 6. Fez tudo isso sem um computador, sem Internet, sem demais confortos como, por exemplo, a luz elétrica. Não dispunha nem mesmo de máquina de escrever. Foi tudo compilado, desenvolvido, organizado, de forma manuscrita, em longas horas de estudo e reflexão, que se estendiam madrugada adentro. Depois, a composição tipográfica, as revisões cuidadosas e os acertos. Por tudo isso, não podemos lhe negar fidelidade. A esse grande missionário do Cristo, o nosso preito de gratidão pela obra que nos foi legada. Tratemo-la como um precioso tesouro de toda a Humanidade; estudando-a e levando sua mensagem aos corações carentes de esclarecimento e de consolo.
  7. 7. Esta, parece-me, deve ser a mais expressiva demonstração de respeito a quem tanto se sacrificou para que tivéssemos hoje todos os recursos para trilharmos um outro caminho, aquele que nos conduzirá ao aprisco de Jesus. Muita Paz! Meu Blog: http://espiritual-espiritual.blogspot.com.br Com estudos comentados de O Livro dos Espíritos e de O Evangelho Segundo o Espiritismo. Nova página: Espiritismo com humor.

×