SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA            ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA            ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                        NÚC...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                   NÚCLEO D...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                    NÚCLEO ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                     NÚCLEO...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                      NÚCLE...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA            ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                  NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA          ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                    NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PE...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                     NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO P...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                    NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PE...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                   NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PED...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                  NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA          ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA            ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                  NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA          ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                        NÚC...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                       NÚCL...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                        NÚC...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                     NÚCLEO...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                        NÚC...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                         NÚ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                       NÚCL...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                      NÚCLE...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                         NÚ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                      NÚCLE...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                        NÚC...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA            ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                               NÚCLEO DE OR...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                           NÚCLEO DE ORIENT...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                          NÚCLEO DE ORIENTA...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                          NÚCLEO DE ORIENTA...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                NÚCLEO DE O...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                               NÚCLEO DE OR...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                NÚCLEO DE O...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA            ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                    NÚCLEO ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                     NÚCLEO...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                 NÚCLEO DE ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                 NÚCLEO DE ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                        NÚC...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                 NÚCLEO DE ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                NÚCLEO DE O...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                 NÚCLEO DE ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                       NÚCL...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                 NÚCLEO DE ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                    NÚCLEO ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                       NÚCL...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA            ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                           ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                           ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                          N...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                         NÚ...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                          N...
SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS                                                          N...
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual   ensino médio
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual ensino médio

2.840 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.840
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Versão preliminar do currículo referencia da rede estadual ensino médio

  1. 1. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR
  2. 2. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR
  3. 3. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EIXO TEMÁTICO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGENS CONTEÚDO Reconhecer as teorias da origem da vida Origem da vida na Terra1º BIMESTRE relacionando-as com os conhecimentos de Física e Teorias modernas sobre a origem da vida Química; Base molecular da vida A ORGANIZAÇÃO Identificar as moléculas e substâncias químicas Constituintes da vida (água, sais minerais, carboidratos, lipídios, BIOLÓGICA DOS SERES fundamentais dos seres vivos e compreender as proteínas, vitaminas e ácidos nucléicos). VIVOS características físicas e químicas das mesmas; Introdução a Anatomia e Fisiologia da Célula Reconhecer a célula como estrutura fundamental de todas as formas de vida Reconhecer a os diferentes tipos de célula e Anatomia e Fisiologia da Célula2º BIMESTRE identificar a organização e os mecanismos Divisão celular: mitose e meiose A ORGANIZAÇÃO bioquímicos e biofísicos. BIOLÓGICA DOS SERES Compreender as diferentes formas das células se VIVOS dividirem, relacionando-as com o desenvolvimento, reprodução dos seres vivos e manutenção da diversidade vida. 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EIXO TEMÁTICO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGENS CONTEÚDO Identificar os diferentes mecanismos de reprodução Tipos de reprodução nos seres vivos3º BIMESTRE dos seres vivos, reconhecendo-a como forma de Desenvolvimento embrionário nos seres vivos perpetuação das espécies. Desenvolvimento embrionário humano A INTERDEPENDÊNCIA Reconhecer como se desenvolvem os embriões dos Reprodução humana ENTRE OS SERES VIVOS seres vivos. Identificar o desenvolvimento do embrião humano, relacionando-o com as malformações e suas causas. Reconhecer as formas de obtenção de energia em Metabolismo energético (fotossíntese, quimiossíntese, respiração4º BIMESTRE nível celular; celular e fermentação,) Identificar os tipos de tecido que compõem os Histologia (Tecidos epiteliais, conjuntivos, musclares e nervoso) A INTERDEPENDÊNCIA animais e suas funções. ENTRE OS SERES VIVOS
  4. 4. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EIXO TEMÁTICO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGENS CONTEÚDO Reconhecer as regras de se classificar e nomear os Principais critérios de classificação, regras de nomenclatura e seres vivos. categorias taxonômicas reconhecidas atualmente.1º BIMESTRE Reconhecer estruturas e ciclos de vida de vírus, Microbiologia (Vírus, Bactérias, Protozoários e Fungos). A VIDA E SUA bactérias, protozoários e fungos como seres micro e Programa de Saúde (Viroses, Bacterioses, Protozooses e Micoses) DIVERSIDADE macroscópicos relacionando todo esse Tipos de doenças: infectocontagiosas e provocadas por toxinas BIOLÓGICA conhecimento com as doenças de interesse social. ambientais. Reconhecer as doenças infectocontagiosas e aquelas provocadas por toxinas ambientais, bem como suas profilaxias e tratamento. Identificar a forma científica de classificação dos Bases Biológicas de Classificação de Plantas vegetais. Estudo de Algas e Plantas (Briófitas, Pteridófitas e2º BIMESTRE Reconhecer as estruturas e os mecanismos de vida Gimnospermas); A VIDA E SUA ereprodução dos vegetais, relacionando sua Morfologia e Fisiologia das Angiospermas; DIVERSIDADE importância para outros seres vivos. Diversidade de Invertebrados (Poríferos, Cnidários, Helmintos, BIOLÓGICA Identificar as estruturas e os mecanismos do ciclo Anelídeos e Moluscos). de vida dos Poríferos, Cnidários, Helmintos, Anelídeos e Moluscos
  5. 5. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EIXO TEMÁTICO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGENS CONTEÚDO Reconhecer as estruturas e os mecanismos do ciclo Diversidade de Invertebrados (Artrópodes, Equinodermos e3º BIMESTRE de vida dos Artrópodes, Equinodermos e Cordados. Cordados Inferiores). ASPECTOS Identificar os animais que vivem no Cerrado Diversidade de Vertebrados (Peixes, Anfíbios, Répteis, Aves e FISIOLÓGICOS DOS relacionando ao ambiente em que vivem. Mamíferos). SERES VIVOS Conhecendo a Fauna do Cerrado. Compreender a organização e o funcionamento Anatomia e Fisiologia Humana integrado dos sistemas que compõem o corpo  Padrões de reprodução, crescimento e desenvolvimento; humano.  Funções vitais do organismo humano;4º BIMESTRE Distinguir entre as principais doenças, as  Nutrição e Metabolismo; ASPECTOS infectocontagiosas, parasitárias, as degenerativas,  Respiração, Circulação e Excreção; FISIOLÓGICOS DOS ocupacionais, as sexualmente transmissíveis as  Sistemas de Controle Nervoso e Hormonal; SERES VIVOS provocadas por toxinas ambientais e as causadas Medidas de promoção da saúde e de prevenção das principais pelo uso de drogas, correlacionando-as ao ambiente doenças e ao uso de drogas; e qualidade de vida e indicando medidas A melhoria da qualidade da saúde das populações (medicamentos, profiláticas. exames diagnósticos, alimentos enriquecidos, o uso de adoçantes etc.).
  6. 6. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EIXO TEMÁTICO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGENS CONTEÚDO Identificar as teorias e os conceitos básicos da Conceitos Básicos de Genética Genética, relacionando com a “revolução” do 1ª Lei de Mendel1º BIMESTRE conhecimento. Probabilidade aplicada a Genética A GENÉTICA, Reconhecer a hereditariedade das características 2ª Lei de Mendel MANNIPULAÇÃO físicas e fisiológicas e suas prováveis formas de GENÉTICA E SUAS ocorrências, relacionando-as com a diversidade das TECNOLOGIAS espécies. Reconhecer a ocorrência de características transmitidas por mais de um par de genes. Identificar os genes que influenciam e aqueles que Alelos Múltiplos – Polialelia são influenciados na transmissão dos caracteres. Herança do Sexo2º BIMESTRE A GENÉTICA, Relacionar a transmissão de caracteres com a Interação Gênica MANNIPULAÇÃO diversidades dos seres vivos e manutenção das Mapeamento genético e Linkage GENÉTICA E SUAS espécies. Temas atuais (Engenharia Genética, Clonagem, Silenciamento TECNOLOGIAS Reconhecer o a engenharia genética como um Gênico, etc.). grande avanço para a humanidade, relacionando-a Genética de Populações com as linhas de acusação e defesa da mesma.
  7. 7. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EIXO TEMÁTICO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGENS CONTEÚDO Identificar as era geológicas correlacionando-a com Eras Geológicas as teorias evolucionistas e seus mecanismos de Evolução e diversidade da vida3º BIMESTRE evolução. Mecanismo evolutivo EVOLUÇÃO E Reconhecera interação entre seres abióticos com Conceitos: Evolução e Adaptação ECOLOGIA DOS SERES seres bióticos e desses últimos com eles mesmos, Teorias evolucionistas VIVOS correlacionando o equilíbrio entre essas relações. Introdução a Ecologia Identificar o caminho da energia nos seres vivos. Composição de um Ecossistema Cadeias Alimentares Compreender a relação das diferentes populações Ecologia de Populações que compõem um mesmo ecossistema. Relações Ecológicas Identificar sucessão de eventos ecológicos que Sucessões Ecológicas culminam com o estabelecimento de um Ciclos Biogeoquímicos4º BIMESTRE ecossistema. Divisões e diversidade da Biosfera EVOLUÇÃO E Compreender o ciclo das principais substâncias que Desequilíbrios ambientais ECOLOGIA DOS SERES compõem a vida (ciclos biogeoquímicos) VIVOS Identificar biosfera como conjunto de todos ecossistemas do planeta, caracterizando e diferenciando os principais ecossistemas da Terra. Reconhecer a ocorrência das diversas formas de desequilíbrio ambiental, distinguindo causas naturais e consequência das atividades humanas.
  8. 8. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR
  9. 9. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULARREFERENCIAL CURRICULAR DE ENSINO RELIGIOSO PARA O ENSINO MÉDIO Em conformidade com o Capítulo II Art. 4º e 5º da Resolução do CEE 285/05, osconteúdos programáticos do componente curricular Ensino Religioso na rede pública do Estadode Goiás, devem ser organizados dentro dos seguintes eixos: I – Antropologia das Religiões: o fenômeno religioso é entendido como construção cultural da humanidade, manifestada por meio de crenças e religiões, que interagem com o cotidiano por ela vivido e produzido. II - Sociologia das Religiões: o fenômeno religioso é estudado do ponto de vista dos aportes e conflitos civilizatórios, criados por sociedades humanas, formados por experiências de diferentes crenças. III- Filosofia das Religiões: o fenômeno religioso é tratado como manifestação ética da humanidade e como forma de compreensão do vivido, assim como da destinação humana, por meio das divindades, dos textos sagrados, das espiritualidades. IV - Literatura sagrada e símbolos religiosos: refere-se aos livros sagrados das religiões monoteístas e também orais, culturais e simbólicas, dos cultos afro-brasileiros de matriz africana e dos indígenas brasileiros.Tais eixos constituem parâmetros para a estruturação das Expectativas de Aprendizagemdispostas neste referencial curricular, cuja proposta está voltada para as juventudes do EnsinoMédio, a fim de contribuir para a formação de cidadãos(ãs) na sociedade marcada pelamulticulturalidade. Tal sociedade exige dos(as) jovens habilidades para atuarem como sujeitosde sua aprendizagem, bem como contribuírem para a construção de um mundo mais humanoonde as diferenças são respeitadas.
  10. 10. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de AprendizagemO ser humano é um ser em construção. Compreender-se como ser em construção na relação comO ser humano é um ser de transcendência. Cultura e Transcendência o “outro”, com a natureza e com o Transcendente noO ser humano constrói a cultura na relação Tema: Visão antropológica, processo dialético da existência humana.com a natureza, com o outro e com o Filosófica e sociológica doTranscendente. ser humano.A religião e cultura são indissociáveis.O ser humanao investiga a razão da sua Investigar e argumentar sobre os questionamentosexistência: Quem sou? De onde vim? Para existenciais relacionando-os com as crenças religiosas..onde vou? Culturas e Tradições ReligiosasAs Tradições Religiosas e suas respostasàs questões existenciais. Tema: Filosofia da Tradição Religiosa.O respeito à diversidade religiosa e às suasrespostas para os questionamentosexistenciais..
  11. 11. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de AprendizagemComo a religião se organiza e sua Conhecer e inferir sobre a função política e social dasevolução histórica. Tradições Religiosas e as exigências da sociedadeO Papel dos líderes religiosos na democrática.estruturação das religiões.A importância dos textos Sagrados e/ou Textos Sagrados e/ouculturas orais na construção das ideologias Culturas Oraisreligiosas. Tema: Sociologia daA função política das ideologias religiosas Tradição Religiosa.e a construção da cidadania.O fanatismo, radicalismo,fundamentalismo e a intolerância ferem orespeito à diversidade religiosa e aconvivência democrática.
  12. 12. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de AprendizagemAs Tradições Religiosas e seus sistemas de Discernir e argumentar sobre os sistemas de valores dasvalores. tradições e crenças religiosas.A diversidade cultural religiosa e asquestões ambientais. EthosA família e a construção de valores. Tema: Diversidade religiosaDiversidade religiosa e os princípios da e cidadania.tolerância e da solidariedade humana.A influência dos valores religiosos naconstrução da sociedade democráticabrasileira.
  13. 13. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de AprendizagemO fenômeno religioso radica-se nas Investigar e inferir sobre o processo do fenômenoculturas. religioso na diversidade cultural brasileira. Culturas e TradiçõesCaracterísticas do fenômeno religioso na Religiosasdiversidade cultural brasileira.Características do fenômeno religioso na Tema: O Fenômenodiversidade cultural regional e local. religioso na pluralidadeO sincretismo religioso na pluralidade cultural brasileira.cultural do Brasil: afro-brasileira, indígenae outros.A convivência respeitosa com o diferente Valores religiosos na construção da sociedadeRespeito às gerações para dirimir conflitos democrática.(jovens/idosos e outros). A convivência respeitosa com o diferente. EthosOs imperativos éticos para a construção dacultura de paz frente à cultura de morte: Tema: Princípios religiososnarcotráfico, violência, corrupção, dentre e exercício da cidadania.outras.O direito e o respeito à vida em todas assuas dimensões.
  14. 14. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULARConsiderações: No trabalho com os conteúdos elencados para o desenvolvimento dasExpectativas de aprendizagem, faz-se necessário levar em conta o quantitativo de aulasdispostas na matriz da escola e o contexto das juventudes do Ensino Médio. A equipe pedagógica tem autonomia para fazer adequações aos conteúdos deacordo com a realidade local, assegurando sempre orespeito à diversidade cultural ereligiosa, exigências fundamentais na construção da cidadania na sociedadedemocrática. Cabe ressaltar que as Expectativas de Aprendizagem e osconteúdos apresentadosnesta proposta, estão elencados no caderno de Ensino Religioso – ReferenciaisCurriculares para o Ensino Médio da Secretaria de Estado da Educação - 2010.Vale lembrarque, conforme a matriz atual para o Ensino Médio, o Ensino Religioso étrabalhado em apenas uma das séries. Assim seus conteúdos foram organizados deforma sintética e não serão bimestralizados.
  15. 15. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR
  16. 16. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR FILOSOFIA As análises das sugestões para as adequações ao currículo de Filosofia da redeestadual de ensino permitiram observar três indicações para a estruturação do referidocurrículo: Proposta Temática; Abordagem Histórica da Filosofia e Abordagem a partirdos Pensadores. Mediante tais indicações, e, tendo em vista as orientações do MEC paraeste componente curricular no Ensino Médio, apresentamos a versão preliminar docurrículo de Filosofia. Tal proposta contempla as solicitações de abordagens daFilosofia solicitadas, bem como conteúdos dos Referenciais Curriculares para o EnsinoMédio – Seduc 2010. A proposta que apresentamos não está finalizada e sim aberta àsadequações conforme o cronograma de análises enviado pelo NUOP às SREs.Lembramos que ao fazer alguma adequação aos conteúdos, apresentem também asexpectativas de aprendizagem. Assim espera-se que o currículo mínimo de Filosofia seja entendido comoponto de partida para se iniciar os(as) estudantes no processo do filosofar, o qual nãopode ser aplicado como um roteiro de conteúdos fixos a serem transmitidos em sala deaula. Desse modo, espera-se que o ensino e a aprendizagem de tais conteúdoscontribuam para que os(as) estudantes desenvolvam uma reflexão crítica sobre asociedade onde estão inseridos(as), bem como do mundo em sua complexidade, e,saibam exercer a sua cidadania fortalecendo a democracia.
  17. 17. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Caracterizar o discurso mítico O significado do termo Identificar a origem do filosofar e do que leva o homem a filosofar. filosofia:1º bimestre Argumentar sobre a relação entre a Filosofia e o surgimento da polis O mito e o logos FILOSOFIA Identificar a hipótese aristotélica do surgimento da filosofia a partir do espanto. O nascimento da GREGA filosofia. O surgimento da polis. O espanto. 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Definir o pensamento de Heráclito acerca do conhecimento a partir da multiplicidade e Pré-socráticos: a unidade. Heráclito: eterno Identificar o pensamento de Parmênides sobre a imobilidade do ser e a identidade entre fluxo, multiplicidade e FILOSOFIA o ser e o pensar. unidade.2º bimestre GREGA Parmênides: imobilidade do ser e aparência.
  18. 18. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Sócrates: Argumentar sobre os fundamentos do pensamento socrático O oráculo de Delfos e Identificar a relação entre conhecimento e reminiscência o julgamento. Elaborar a partir do pensamento platônico, a diferença entre o verdadeiro saber Ironia, aporia e (episteme) e o falso saber (doxa). maiêutica: Ética e3º bimestre Conhecimento. FILOSOFIA Platão: GREGA A alegoria da caverna. A relação entre o sensível e o inteligível. Reminiscência e conhecimento.
  19. 19. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Caracterizar as indagações básicas da Metafísica. Aristóteles: Sistematizar as principais características do pensamento de Aristóteles. Metafísica.4º bimestre Desenvolver o raciocínio lógico e a argumentação. As categorias: FILOSOFIA substância e acidentes. GREGA Teoria das quatro causas. Noções de lógica.
  20. 20. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Compatibilidade ou Argumentar sobre as convergências e divergências da filosofia grega e a fé cristã. incompatibilidade Caracterizar a influência do neoplatonismo no pensamento cristão e as marcar de ambos entre fé cristã e no pensamento ocidental. filosofia grega. FILOSOFIA1º bimestre A patrística: CRISTÃ – Agostinho. PATRÍSTICA E A doutrina da ESCOLÁSTICA reminiscência. A doutrina da Iluminação divina: Deus como origem e fim do conhecimento.
  21. 21. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem A escolástica: Saber argumentar sobre a existência ou ausência de conceitos universais. O problema dos Caracterizar o pensamento tomista e suas proposições para intercalar a fé cristã e o universais. pensamento aristotélico. A posição realista. FILOSOFIA Definir as marcas do pensamento tomista na civilização ocidental.2º bimestre A posição nominalista CRISTÃ – Tomás de Aquino: PATRÍSTICA E A teoria da abstração: a relação entre o ESCOLÁSTICA intelecto e a realidade sensível. As provas da existência de Deus.
  22. 22. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Descartes: Sistematizar as regras do método cartesiano. As regras do método. Estabelecer as diferenças entre empirismo e inatismo em relação à origem das ideias. A teoria das ideias: Definir os parâmetros da teoria do conhecimento segundo David Hume. adventícias, fictícias e inatas. FILOSOFIA3º bimestre Hume: CRISTÃ – Impressões e ideias. PATRÍSTICA E Princípios de associação: ESCOLÁSTICA semelhança, contiguidade, causa e efeito. Hábito e conhecimento.
  23. 23. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Kant: Identificar as proposições Kantianas em relação à teoria do conhecimento. A revolução Sistematizar as influências Kantianas no pensamentocontemporâneo. copernicana. Compreender a relação: revolução copernicana/pensamento kantiano. Intuição (pura e FILOSOFIA4º bimestre empírica) e conceito CRISTÃ – (puro e empírico). PATRÍSTICA E A priori e a poste ESCOLÁSTICA Transcendental e transcendente. Juízos analíticos e juízos sintéticos.
  24. 24. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Maquiavel: Identificar nos sistemas políticos da atualidade proposições do pensamento político de O uso da força e da Maquiavel. astúcia, por parte do Sistematizar as propostas políticas de Hobbes, Lock e Rousseau para a estruturação do Príncipe, para a Estado. conquista e a Argumentar sobre as exigências da sociedade democrática hoje, construção da manutenção do poder. cidadania, defesa dos direitos humanos e as proposições políticas dos referidos Relações entre fortuna pensadores.1º bimestre e virtù. POLÍTICA Hobbes, Locke e Rousseau: Estado de natureza e direitos naturais. Contrato Social, sociedade civil e Estado. Constituição do Poder Soberano e limites da soberania.
  25. 25. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Hegel: Caracterizar o idealismo e dialética no pensamento hegeliano. Definir as causas da crítica de Marx ao idealismo hegeliano. Dialética e idealismo. Argumentar sobre as forças e fraquezas da concepção dialética de Marx na sociedade Estado moderno e atual. liberdade. Marx:2º bimestre Dialética e materialismo POLÍTICA histórico. Modo de produção capitalista: forças produtivas e relações sociais de produção. Infraestrutura e superestrutura. A concepção do Estado.
  26. 26. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Aristóteles: Identificar as fundamentações da Ética aristotélica. Teoria do meio termo Argumentar sobre as proposições da Ética aristotélica e as concepções da Ética na e prudência. sociedade atual.3º bimestre Kant: Problematizar a Ética kantiana Ação por dever, ÉTICA conforme ao dever e por inclinação. Autonomia e Esclarecimento.
  27. 27. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Conteúdos Eixos Temáticos Expectativas de Aprendizagem Nietzsche: Sistematizar as fundamentações da transvaloração dos valores segundo A transvaloração dos Nietzsche. valores. Argumentar sobre as concepções do ser humano propostas por Sartre. A moral do senhor Identificar na sociedade atual marcas do pensamento de Sartre . versus a moral do4º bimestre escravo. ÉTICA Sartre: Existência e essência. Liberdade, escolha, angústia e má-fé. Responsabilidade e engajamento político- social.
  28. 28. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR
  29. 29. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EIXO COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CONTEÚDOS História e Compreender as ciências como construção da humanidade, relacionando a história da física com História da Física Evolução da o desenvolvimento Científico e a transformação da sociedade. Evolução da Física Física Sintetizar a atividade científica como produção Humana, condicionada por fatores externos de Ramos da Física caráter cultural, social, econômico histórico epolítico. Linguagens da Física1º BIMESTRE Medidas e seus Compreender o caráter aleatório e não determinístico dos fenômenos naturais e sociais e utilizar Grandezas Físicas Instrumentos instrumentos adequados para medidas. Identificar variáveis relevantes e selecionar os Padrões de medidas procedimentos necessários para a produção, análise e interpretação de resultados de processos antigos ou experimentos científicos e tecnológicos. Sistema Internacional de Unidades Força e Compreender os conceitos físicos de movimento e repouso Velocidade Movimentos Aceleração2º BIMESTRE Reconhecer as caracteristicas de um movimento. Diferenciar movimentos uniforme e uniformemente variado Movimento Uniforme Identificar diferentes modalidades de movimento Movimentos acelerados Característica vetorial dos movimentos
  30. 30. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Força e Compreender o conceito de força, suas unidades de medida e sua representação vetorial. Leis de Newton; Movimentos Compreender o conceito de peso de um corpo como a força com que a Terra o atrai. Quantidade de Compreender o conceito de inércia. movimento, força e3º BIMESTRE Saber explicar como as forças de atrito e a resistência do ar afetam o movimento. impulso; Saber que existem quatro tipos de forças na natureza: força gravitacional, força eletromagnética, força nuclear forte e força nuclear fraca. Compreender o conceito de resultante de forças que atuam numa partícula. Saber construir diagramas de forças que atuam em corpos em equilíbrio. Compreender a relação entre os conceitos de impulso e de quantidade de Movimento. Energia na Apropriar-se dos conhecimentos de Física, Química e Biologia, e aplicar esses conhecimentos Energia Terra para explicar o funcionamento do mundo natural, planejar, executar e avaliar ações de Energia mecânica intervenção na realidade natural. Processos de Saber que na ciência o termo energia tem um sentido específico, nem sempre coincidente com transformação de energia. aqueles utilizados na linguagem comum. Energia e Movimento4º BIMESTRE Identificar diferentes significados para a palavra energia dando também exemplos de outras palavras que tem diferentes sentidos na linguagem comum e nas ciências. Ex.: célula, força, potência. Compreender a evolução do uso de energia pelo ser humano ao longo de sua história, identificando as diversas fontes, relacionando-as ao desenvolvimento econômico, tecnológico e à qualidade de vida. Reconhecer as principais fontes e tipos de energia utilizados na vida cotidiana, e os riscos que podem oferecer à saúde e ao meio ambiente.
  31. 31. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EIXO COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CONTEÚDOS Calor Enfocar as diferentes fontes e transformações da energia, relacionando; Temperatura e Energias hidrelétrica e mecânica a energias nuclear e potencial e ainda, à energia térmica como a Termômetro todas as outras, considerando omeio ambiente em seus aspectos físicos, as suas grandezas Calor, equilíbrio térmico mensuráveis e o significado da intervenção humana. e Radiação1º BIMESTRE Explicar o funcionamento e utilizar os termômetros como medidores de temperatura. Leis da Termodinâmica, Interpretar textos em que conceitos de termodinâmica sejam relevantes. entropia Aplicar métodos e procedimentos das ciências naturais. Teoria cinética Explicar o funcionamento do mundo natural. Máquinas Térmicas. Analisar qualitativamente dados quantitativos, relacionados a contextos científicos ou cotidianos. Som e Luz Compreender como ondas transferem energia sem transferir matéria; O som e suas Saber explicar o que significa a frequência, o período, o comprimento de ondas e a amplitude de propriedades uma onda. Ondas e seus fenômenos.2º BIMESTRE Conhecer e saber usar na solução de problemas simples a relação entre velocidade, frequência e (Efeito Doopler, eco, comprimento de onda. reverbação, etc.). Saber explicar como as ondas podem ser refletidas e refratadas. Acústica – Oscilações Saber explicar os fenômenos de difração, interferência e polarização. Harmônicas Cordas Vibrantes
  32. 32. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Luz e Som Compreender que a luz em um meio uniforme desloca em linha reta e com; A interação luz-matéria e Saber explicar como objetos não luminosos podem ser vistos. o seu percurso nos Compreender que a luz pode ser refratada e saber representar graficamente a refração da luz. colocam diante de duas Compreender a formação de imagens em lentes. óticas: a física e a Compreender o funcionamento básico dos instrumentos óticos simples: lupa, olho, microscópio geométrica A física das cores,3º BIMESTRE e telescópio. fenômenos relacionados à luz visível como: reflexão, refração, absorção, dispersão, interferência, difração e polarização; Dualidade onda – partícula
  33. 33. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Transferência, Compreender que, nos processos de transformação que ocorrem na natureza, certas grandezas se O Conceito de Transformação e conservam; ou seja, a quantidade observada antes é igual à quantidade observada depois. Conservação; Conservação da Compreender que a ideia de conservação é fundamental nas Ciências Naturais, sendo expressa O efeito estufa e o clima Energia pelos. na Terra Princípios de Conservação: da Massa (Princípio de Lavoisier), da Energia, da Carga Elétrica e Propriedades de4º BIMESTRE da Quantidade de Movimento. transformação e Compreender que a energia pode ser armazenada em sistemas como energia potencial conservação de energia (gravitacional, elástica, elétrica e química). Conservação da energia mecânica e princípios de funcionamento de algumas fontes de energia.
  34. 34. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO EIXO COMPETÊNCIAS E HABILIDADES CONTEÚDOS Eletricidade e Compreender conceitos da eletrostática, procedimentos e estratégias matemáticas, e aplicá-las a História da eletricidade, Magnetismo situações diversas no contexto das ciências, da tecnologia e das atividades cotidianas. Definições de carga – campo, campo elétrico,1º BIMESTRE imãs, campo magnético e bobinas, Da produção ao consumo de energia elétrica. Eletricidade e Compreender o conceito de eletricidade, condutores, isolantes, corrente elétrica e suas Condutores e isolantes;2º BIMESTRE Magnetismo aplicações. Resistência, corrente Compreender os diversos tipos de circuitos elétricos e suas aplicações. elétrica, tensão, potência Compreender o conceito de potência elétrica e suas aplicações. e circuitos.
  35. 35. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIE DO ENSINO MÉDIO Eletricidade e Compreender o princípio de produção de eletricidade a partir do magnetismo e suas aplicações. Campo, força e indução magnética3º BIMESTRE Magnetismo Compreender o conceito de onda eletromagnética e suas aplicações. Avaliar os impactos em ambientes naturais decorrentes de atividades sociais ou econômicas. Física Moderna Compreender a física quântica do ponto de vista de sua história. Radiação do corpo negro Identificar as aplicações tecnológicas da física quântica. Quanta da matéria Reconhecer a importância do estudo de teorias físicas para o desenvolvimento da percepção do Natureza ondulatória da mundo. matéria4º BIMESTRE Utilizar o conceito de relatividade do movimento em situações do cotidiano. Teoria da mecânica quântica Princípio da relatividade clássica Teoria eletromagnética de Maxwell
  36. 36. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR
  37. 37. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: CARTA DE LEITOR/NOTÍCIAS EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler cartas de leitor e notícias utilizando as diferentes estratégias de leitura. Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais.1º BIMESTRE Inferir informações implícitas. Escutar e compreender perguntas, orientações, comandos, histórias, etc. Escutar cartas de leitor e notícias para retirar informações gerais e específicas. Produção oral e escrita Escrever notícias sobre acontecimentos diversos. Escrever cartas de leitor tendo como base uma notícia sobre o Brasil veiculada em jornal internacional. Reescrever o texto produzido visando a clareza, a ampliação de ideias e a presença dos elementos característicos do gênero textual produzido. A língua em foco
  38. 38. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: HISTÓRIAS EM QUADRINHO EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler histórias em quadrinho utilizando as diferentes estratégias de leitura. Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais. Inferir informações implícitas.2º BIMESTRE Escutar e compreender perguntas, orientações, comandos, histórias, etc. Escutar histórias em quadrinho para retirar informações gerais e específicas. Produção oral e escrita Produzir histórias em quadrinho observando as características e os elementos dos gêneros e as estruturas da língua já aprendidas. Reescrever o texto produzido visando a clareza, a ampliação de ideias e a presença dos elementos característicos do gênero textual produzido. A língua em foco
  39. 39. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: POEMAS EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler poemas utilizando as diferentes estratégias de leitura.3º BIMESTRE Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais. Inferir informações implícitas. Escutar e compreender perguntas, orientações, comandos, histórias, etc. Produção oral e escrita Produzir pequenos versos poéticos. Reescrever os versos produzidos visando a clareza, a ampliação de ideias e a presença dos elementos característicos do gênero textual produzido. Vocalizar os poemas trabalhados em sala de aula. A língua em foco
  40. 40. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: FILMES EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO4º BIMESTRE Compreensão oral e escrita Assistir filmes observando as imagens, o uso da linguagem informal nos diferentes diálogos. Assistir filmes para retirar informações gerais e específicas. Escutar e compreender perguntas, orientações, comandos, histórias, etc. Produção oral e escrita Produzir um curta metragem. A língua em foco
  41. 41. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: E-MAIL/PERFIL (REDES SOCIAIS) EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler e-mails e perfis de redes sociais utilizando as diferentes estratégias de leitura. Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais. Inferir informações implícitas.1º BIMESTRE Escutar e compreender orientações, comandos, conversas, histórias, etc. Escutar e-mails e perfis para retirar informações diversas. Produção oral e escrita Escrever e-mails sobre assuntos diversos para falantes nativos da língua estrangeira em estudo. Produzir um perfil com informações como nome, hobbies, escolaridade e interesses. Reescrever os textos produzidos visando a clareza, a ampliação de ideias e a presença dos elementos característicos do gênero textual produzido. A língua em foco
  42. 42. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: CONTOS CURTOS EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler contos utilizando diferentes estratégias de leitura.2º BIMESTRE Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais. Inferir informações implícitas. Escutar as narrativas dos contos trabalhados para retirar informações diversas. Escutar e compreender orientações, comandos, conversas, histórias, etc. Produção oral e escrita Vocalizar as narrativas dos contos lidos. Reescrever um conto lido dando à história um desfecho diferente. A língua em foco
  43. 43. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: MÚSICA EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler letras de música utilizando as diferentes estratégias de leitura. Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais.3º BIMESTRE Inferir informações implícitas. Perceber as contrações de itens gramaticais e lexicais, bem como perceber o uso de construções próprias da oralidade presentes nas várias letras de música. Escutar e compreender orientações, comandos, conversas, histórias, etc. Produção oral e escrita Vocalizar as músicas trabalhadas. A língua em foco
  44. 44. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: PUBLICIDADE EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler panfletos, anúncios, folhetos utilizando as diferentes estratégias de leitura. Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais.4º BIMESTRE Inferir informações implícitas. Escutar os comerciais televisivos e de rádio para retirar informações diversas. Escutar e compreender orientações, comandos, conversas, histórias, etc. Produção oral e escrita Produzir um panfleto ou folheto ou anúncio para uma campanha contra o tráfico de drogas. Produzir e a apresentar uma versão oral de um anúncio para ser veiculado no rádio ou na televisão. Reescrever os textos produzidos visando a clareza, a ampliação de ideias e a presença dos elementos característicos do gênero textual produzido. A língua em foco
  45. 45. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: CADASTROS/SINOPSES EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler cadastros e sinopses de livro ou filmes utilizando as diferentes estratégias de leitura.1º BIMESTRE Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais. Inferir informações implícitas. Escutar sinopses e cadastros para retirar informações diversas. Escutar e compreender orientações, comandos, conversas, histórias, etc. Produção oral e escrita Preencher cadastros de hospedagem, de consulta médica, de cursos, etc. Escrever uma sinopse sobre algum livro ou filme. Reescrever os textos produzidos visando a clareza, a ampliação de ideias e a presença dos elementos característicos do gênero textual produzido. A língua em foco
  46. 46. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: REPORTAGENS EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler reportagens utilizando as diferentes estratégias de leitura.2º BIMESTRE Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais. Inferir informações implícitas. Escutar reportagens para retirar informações diversas. Escutar e compreender orientações, comandos, conversas, histórias, etc. Produção oral e escrita Escrever uma pequena reportagem sobre um aspecto cultural relevante do município. Reescrever os textos produzidos visando a clareza, a ampliação de ideias e a presença dos elementos característicos do gênero textual produzido. A língua em foco
  47. 47. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: TEXTOS DRAMÁTICOS EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita Ler textos dramáticos utilizando as diferentes estratégias de leitura.3º BIMESTRE Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais. Inferir informações implícitas. Escutar e compreender pequenostextos dramáticos. Escutar e compreender orientações, comandos, conversas, histórias, etc. Produção oral e escrita Dramatizar um pequeno texto dramático estudado em sala de aula. A língua em foco
  48. 48. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 3ª SÉRIEDO ENSINO MÉDIO GÊNEROS TEXTUAIS: ARTIGOS DE OPINIÃO EIXO EXPECTATIVAS DE APRENDIZAGEM TEMÁTICO Compreensão oral e escrita4º BIMESTRE Ler artigos de opinião utilizando as diferentes estratégias de leitura. Inferir o sentido de palavras, expressões e de estruturas gramaticais. Inferir informações implícitas. Escutar e compreender orientações, comandos, conversas, histórias, etc. Produção oral e escrita Escrever um pequeno artigo de opinião a partir de um tema polêmico da comunidade. Reescrever o texto produzido visando a clareza, a ampliação de ideias e a presença dos elementos característicos do gênero textual produzido. A língua em foco
  49. 49. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR
  50. 50. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE /ENSINO MÉDIO Gêneros Notícias, Relatos e Sermões PRÁTICA DE ORALIDADE Escutar notícias, relatos e sermões Dialogar sobre relatos e sermões Apresentar e escutarrelatos. Refletir sobre as formas particulares do oral, do falar cotidiano, das marcas da goianidade nos relatos. Produzir oralmente diferentes tipos de sermão. PRÁTICA DE LEITURA Ler notícias, relatos e sermões,utilizando as estratégias de leitura como mecanismos de interpretação de textos: Formular hipóteses (antecipação e inferência); Verificar hipóteses (seleção e checagem). Ler comparativa e associativamente os gêneros em estudo, observando forma, conteúdo, estilo e função social. PRÁTICA DE ESCRITA1º Bimestre Produzirtextos, observando as funções da linguagem predominante em cada gênero estudado. Expectativas PRÁTICA DE ANÁLISE DA LÍNGUA de Refletir sobre a linguagem e suas representações (língua, fala, símbolos etc.) nos gêneros em estudo. Aprendizagem Refletir sobre textos literários e não literários nos gêneros em estudo. Refletir sobre textos literários em prosa e em verso nos gêneros em estudo. Refletir sobre o valor dos recursos de estilo empregados nos gêneros em estudo, observando nos textos literários as principais figuras de linguagem (metáfora,comparação, eufemismo, metonímia, antítese, etc.) Refletir sobre o processo de formação de palavras nos gêneros em estudo. Refletir sobre o uso de substantivos, adjetivos, advérbios etc. em diferentes posições e situações nos gêneros em estudo. Refletir sobre o emprego das flexões verbais nos gêneros em estudo. Refletir sobre a variação linguística nos gêneros em estudo. Refletir sobre o uso da pontuação, ortografia, acentos gr nos gêneros em estudo. Refletir sobre a ortografia nos gêneros em estudo. Refletir sobre o emprego dos acentos gráficos e da crase nos gêneros em estudo. Refletir sobre o emprego das classes gramaticais (substantivo, artigo, adjetivo, numeral, advérbio, verbo, preposição, conjunção e interjeição) nos gêneros em estudo Refletir sobre os elementos do relato (narração de fatos e descrição minuciosa de ambientes). Refletir sobre o Quinhentismo em suas dimensões histórica, linguística e social. Refletir sobre a estruturação de período e parágrafo nos sermões.
  51. 51. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE /ENSINO MÉDIO Gêneros Crônicas, Sonetos PRÁTICA DE ORALIDADE Declamar sonetos. Escutar sonetos e crônicas. PRÁTICA DE LEITURA Ler poemasde cordel, sonetos, cantigas, notícias e crônicas, utilizando as estratégias de leitura como mecanismos de interpretação de textos: Formular hipóteses (antecipação e inferência); Verificar hipóteses (seleção e checagem). Ler comparativa e associativamente os gêneros em estudo, observando forma, conteúdo, estilo e função social.2º Bimestre Expectativas de PRÁTICA DE ESCRITA Aprendizagem Produzir textos, observando as funções da linguagem predominante em cada tipologia textual. Produzir crônicas, observando os elementos constitutivos do gênero (forma, estilo, conteúdo e função social). Reescrever as crônicas produzidas (coletiva e individual) PRÁTICA DE ANÁLISE DA LÍNGUA Refletir sobre a função da crônica: deflagrar uma profunda visão das relações entre o fato e as pessoas, as pessoas e o mundo em que vivem; buscar a essência dos seres e das coisas. Refletir sobre o emprego dos discursos direto, indireto e indireto livre nas crônicas. Refletir sobre o emprego de adjetivos e locuções adjetivas na caracterização das personagens e dos espaços nas crônicas. Refletir sobre o Barroco em suas dimensões histórica, linguística e social.
  52. 52. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE / ENSINO MÉDIO Gêneros Poemas, Epopeias, Editoriais PRÁTICA DE ORALIDADE Apresentar e escutar epopeias. Declamar poemas. Discutir sobre a finalidade dos editoriais de diferentes jornais, revistas, TV etc. Discutir sobre a intencionalidade e a ideologia dos editoriais. PRÁTICA DE LEITURA Ler poemas, epopeias e editoriais,utilizando as estratégias de leitura como mecanismos de interpretação de textos: Formular hipóteses (antecipação e inferência);3º Bimestre Verificar hipóteses (seleção e checagem). Ler comparativa e associativamente os gêneros em estudo, observando forma, conteúdo, estilo e função social. Expectativas de Aprendizagem PRÁTICA DE ESCRITA Produzirpoemas e editoriais, observando os elementos constitutivos dos gêneros em estudo (forma, estilo, conteúdo e função social). PRÁTICA DE ANÁLISE DA LÍNGUA Refletirsobre complementos verbais e nominais nos gêneros em estudo. Refletir sobre o processo de formação de palavras nos gêneros em estudo. Refletir sobre a variação linguística nos gêneros em estudo. Reflexão sobre a ortografia, acentuação e o uso da pontuação nos gêneros em estudo. Reflexão sobre o editorial. Refletir sobre o Arcadismo/ Neoclassicismo.
  53. 53. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 1ª SÉRIE / ENSINO MÉDIO Gêneros Poemasde Cordel e Improvisos PRÁTICA DE ORALIDADE Declamar poemas de cordel. Dialogar sobre improvisos. Escutar poemas de cordel e improvisos. PRÁTICA DE LEITURA Ler poemasde cordel e improvisos, utilizando as estratégias de leitura como mecanismos de interpretação de textos:4º Bimestre Formular hipóteses (antecipação e inferência); Verificar hipóteses (seleção e checagem). Expectativas Ler comparativa e associativamente os gêneros em estudo, observando forma, conteúdo, estilo e função social. de Aprendizagem PRÁTICA DE ESCRITA Produzir poemas de cordel e improvisos, observando as funções da linguagem predominante em cada tipologia textual. PRÁTICA DE ANÁLISE DA LÍNGUA Refletir sobre complementos verbais e nominais nos gêneros em estudo. Refletir sobre o processo de formação de palavras nos gêneros em estudo. Refletir sobre a variação linguística nos gêneros em estudo. Refletir sobre o valor dos recursos de estilo empregados nos gêneros em estudo.
  54. 54. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE /ENSINO MÉDIO Gêneros Poemas, Romances, Comentários (blog, facebooketc) PRÁTICA DE ORALIDADE Declamar Poemas Ouvir Poemas Ouvir e fazer comentários sobre assuntos e temas atuais de circulação local e nacional, apresentando ideias e opiniões, refletindo, questionando e argumentando. PRÁTICA DE LEITURA Ler romances, poemas e comentários, utilizando diferentes estratégias de leitura como mecanismos de interpretação de texto. Formular hipóteses (antecipação e inferência) Verificar hipóteses (seleção e checagem) Ler comparativa e associativamente os gêneros em estudo, observando forma, conteúdo, estilo e função social. Ler comentários sobre assuntos e temas de interesse do grupo em diferentes suportes: jornais, revistas, internet.1º Bimestre PRÁTICA DE ESCRITA Expectativas Produzirpoemas, observando os elementos constitutivo dos gêneros em estudo ( forma, estilo, conteúdo e função social) de Produzir comentários sobre romances lidos. Aprendizagem Reescrever poemas produzidos coletiva e individualmente. PRÁTICA DE ANÁLISE DA LÍNGUA Refletir sobre textos literários e não literários dos gêneros em estudo. Refletir sobre textos em prosa e em verso nos Gêneros em estudo. Refletir sobre o uso da pontuação nos gêneros em estudo. Refletir sobre a avaliação linguística do gênero em estudo. Refletir sobre ortografia nos gêneros em estudo Refletir sobre a colocação pronominal nos gêneros em estudo. Refletir sobre o emprego dos assentos gráficos e da crase nos gêneros em estudo. Refletir sobre a transitividade verbal nos gêneros em estudo. Refletir sobre o romantismo (prova e verso) em suas dimensões históricas, linguística e social. Refletir sobre figuras de sintaxe: paralelismo, comparação, anáfora,hiponímia e hiperonímia nos textos poéticos.
  55. 55. SUPERINTENDÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DOS PROGRAMAS INSTITUCIONAIS NÚCLEO DE ORIENTAÇÃO PEDAGÓGICA GERÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR 2ª SÉRIE /ENSINO MÉDIO Gêneros Artigos de Opinião e Contos Literários PRÁTICA DE ORALIDADE Apreciar artigos de opinião e contos literários diversos. Recontar o gênero literário em estudo, utilizando, autonomamente, as estratégias de interação com textos narrativos, como “O Ritmo”, “ A Entonação”, “As Pausas”, “Os efeitos de sentido” PRÁTICA DE LEITURA Ler artigos de opinião e contos literários, utilizando diferentes estratégias de leitura como mecanismos de interpretação de textos. Formular hipóteses (antecipação e inferência) Verificar hipóteses (seleção e checagem) Ler contos literários identificando, na comparação de contos do mesmo autos, as características de sua obra Ler associativa e comparativamente os gêneros em estudo, observando forma. conteúdo, estilo e função social PRÁTICA DE ESCRITA Produzir artigos de opinião e de contos literários, observando os elementos constitutivos dos gêneros em estudo (forma, estilo, conteúdo e função social).2ºBimestre Reescrever artigos de opinião e contos literários produzidos (coletiva e individual) Expectativas de PRÁTICA DE ANÁLISE DA LÍNGUA Aprendizagem Refletir sobre predicado verbal e verbo-nominal nos gêneros em estudo Refletir sobre as funções sintáticas dos adjetivos (adjunto adnominal e predicativo) nos gêneros em estudo. Refletir sobre a variação linguística nos gêneros em estudo. Refletir sobre o uso da pontuação nos gêneros em estudo. Refletir sobre a ortografia no gênero em estudo Refletir sobre o emprego dos acentos gráficos e da crase nos gêneros em estudo. Refletir sobre o emprego do adjetivo na caracterização das personagens e dos espaços no conto literário. Refletir sobre o emprego dos discursos direto, indireto eindireto livre, distinguindo as falas do narrador e nas personagens no conto literário. Refletir sobre os elementos do conto literário ( enredo, enxuto, poucos personagens, ação em um único espaço ou em número reduzido de lugares). Refletir sobre o emprego de palavras ou expressões que articulem o artigo de opinião (conjunções, pronomes relativos, advérbios e outras expressões que indicam tomada de posição, indicação de certeza ou probabilidade, acréscimo de argumentos). Refletir sobre o tom de convencimento do artigo de opinião e a utilização de diferentes argumentos (fundamentados em dados de pesquisa, exemplos, opiniões de autoridade, princípio ou crença pessoal) para defender uma posição. Refletir sobre o Realismo/Naturalismo em suas dimensões histórica, linguística e social.

×