Elementos Constituintes da Oração

16.408 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Espiritual, Tecnologia
1 comentário
2 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
16.408
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
132
Comentários
1
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Elementos Constituintes da Oração

  1. 1. Trabalho realizado por: André Costa nº1 9ºA Helena Costa nº7 9ºA João Gonçalves nº10 9ºA
  2. 2. --------------------------------------------------------------------------------------------- O Sujeito é o ser acerca do qual se faz uma declaração. Tem a característica de concordar com o verbo, salvo raríssimas excepções. O Hugo joga computador. O João e a Ana saltam à corda. O José toca guitarra.
  3. 3. --------------------------------------------------------------------------------------------- Sujeito Simples Há casos em que a oração não tem sujeito; falamos É aquele que, sendo conhecido, não está então em sujeito inexistente. expresso na oração. É aquele queSujeito Composto ser ou um designa um só O António de muito são irmãos e estudam conjunto e a seres. Ontem, choveu Sofia juntos. Sujeito Indeterminado É amanhã que fazemos teste. É aquele que designa dois ou mais seres oucarro é meu. seres, considerados O conjuntos de conhece ou não se quer Aquele que não se Inexistente Sujeito independentemente. praia. As crianças gostam de identificar. Normalmente implica a colocação doManuel eSujeito Subentendido na 3ª do O verbo na 3ª pessoasão plural ou o João do irmãos. singular acompanhado do pronome se. Dizem que vai haver eleições. Diz-se que vai haver eleições.
  4. 4. --------------------------------------------------------------------------------------------- O Predicado é aquilo que se declara a respeito do sujeito. É constituído pelo verbo e seus complementos. A empreiteira demoliu o nosso antigo prédio. O João e a Ana saltam à corda. O Hugo joga computador.
  5. 5. --------------------------------------------------------------------------------------------- É a função sintáctica desempenhada pela palavra ou expressão que se junta aos verbos copulativos. O Paulo parece triste. Verbo Predicativo copulativo do sujeito
  6. 6. --------------------------------------------------------------------------------------------- O complemento directo indica o ser sobre o qual recai directamente a acção expressa pelo verbo e responde à pergunta “o quê”. O meu pai comprou um carro. Complemento O quê? Directo
  7. 7. --------------------------------------------------------------------------------------------- O cavalo puxa a carroça. O quê? Complemento Directo Pesquei uma truta. O quê? Complemento Directo
  8. 8. --------------------------------------------------------------------------------------------- O complemento indirecto designa sobre quem recai o resultado da acção e responde à pergunta quot;a quem?quot;. O Hugo telefonou à madrinha. Complemento Indirecto A quem?
  9. 9. --------------------------------------------------------------------------------------------- O professor explica as regras gramaticais aos alunos. A quem? Complemento Indirecto A Isabel comprou uma flor à mãe. A quem? Complemento Indirecto
  10. 10. --------------------------------------------------------------------------------------------- Conjugação Pronominal directo quer o complemento indirecto podem 1. Quer o complemento ser expressos por meio das formas pronominais. Reflexa – Eu levantei-me. Recíproca – Nós olhámo-nos. Exemplos: O aluno fê-los. A Ana comeu-a. Eu telefonei-lhe.
  11. 11. --------------------------------------------------------------------------------------------- 2. Com certos verbos pode-se utilizar o complemento directo (CD) e o indirecto (CI) ao mesmo tempo. Exemplo: A Glória comprou uma camisola ao Bruno. CD (o quê?) CI (a quem?)
  12. 12. --------------------------------------------------------------------------------------------- O agente da passiva só existe nas frases com a forma passiva. Nessas frases o sujeito não pratica a acção — sofre a acção —, por isso, é necessário um complemento especial que indique o ser responsável pela acção sofrida pelo sujeito. Forma activa - O gato comeu o rato. (Sujeito) Forma passiva - O rato foi comido pelo gato. (Agente da passiva)
  13. 13. --------------------------------------------------------------------------------------------- É o complemento introduzido pela preposição de, que acrescenta alguma indicação ao nome que o precede. O livro de Ciências tem imagens lindas. O caderno de Matemática é aos quadradinhos.
  14. 14. --------------------------------------------------------------------------------------------- Designa uma circunstância ocasional da acção do verbo. Modo Lê com atenção Lugar Nasceu em Lisboa. Fim Trabalha para viver. Tempo Chegou a casa ontem. Companhia Vive com a família. Meio Viaja de comboio. Causa Caiu de fraqueza.
  15. 15. --------------------------------------------------------------------------------------------- Junto do sujeito, pode aparecer um adjectivo que qualifica o nome e desempenha a função de atributo. Exemplos: O vestido azul fica-te melhor do que esse. As crianças malcriadas ficam de castigo. O cavalo branco partiu a galope.
  16. 16. --------------------------------------------------------------------------------------------- Por vezes, para melhor explicação do nome, surge um elemento, sempre entre vírgulas, que desempenha a função de aposto. Exemplo: O cavalo de D. Quixote, Rocinante, partiu a galope.
  17. 17. --------------------------------------------------------------------------------------------- Para chamarmos a atenção do receptor, utilizamos elementos que nomeiam a pessoa à qual nos referimos. Pode ser um nome isolado ou acompanhado de um determinante e exerce a função do vocativo. Exemplos: Pedro, não me ouviste? Meu amor, compra-me este anel! Ó Joana, comeste o bolo?

×