Os desafios pedagogicos da eja

4.850 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.850
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
92
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
92
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Os desafios pedagogicos da eja

  1. 1. Os desafios pedagógicos da Educação de Jovens e Adultos. Pálmula Fernandes Matos Assessora Pedagógica Editora FTD/SA . palmula,.matos@ftd.com.br
  2. 2. “ Ler e escrever não são suficientes para perfilar a plenitude da cidadania”. Paulo Freire
  3. 3. Sujeitos da EJA 1. Diante do quadro diagnóstico, muitos desafios devem ser enfrentados.Formular políticas públicas de Estado.
  4. 4. Sujeitos da EJA <ul><li>2 . Concepção ampliada de educação de jovens e adultos. Entende educação como direito de aprender, de ampliar conhecimentos ao longo da vida e não apenas de se escolarizar . </li></ul>
  5. 5. Sujeitos da EJA <ul><li>3 . EJA como direito </li></ul><ul><li>Declaração Universal dos Direitos Humanos de 1948 </li></ul><ul><li>Constituição Federal de 1988 </li></ul>
  6. 6. Sujeitos da EJA <ul><li>4. EJA Espaço de tensão e aprendizado </li></ul><ul><li>Formação de jovens e adultos como sujeitos da história </li></ul><ul><li>Negros, brancos, indígenas, pescadores, ribeirinhos, mulheres, idosos, trabalhadores empregados ou desempregados, livres ou em privação de liberdade, pessoas com necessidades educacionais especiais... </li></ul>
  7. 7. Sujeitos da EJA <ul><li>Quem são os sujeitos da EJA? </li></ul><ul><li>Como se expressam no mundo? </li></ul><ul><li>Onde estão no território brasileiro? </li></ul><ul><li>O que fazem? </li></ul><ul><li>Como produzem a existência? </li></ul><ul><li>Quais são seus desejos e expectativas? </li></ul><ul><li>Que projetos de vida manifestam? </li></ul>
  8. 8. Sujeitos da EJA <ul><li>Pensar sujeitos da EJA é trabalhar com e na </li></ul><ul><li>Diversidade </li></ul>
  9. 9. Sujeitos da EJA <ul><li>7. A desigualdade tem sido a marca da diversidade em nosso país. </li></ul><ul><li>8. Desafio a ser superado pela sociedade brasileira. </li></ul><ul><li>9. Há exigência de políticas de Estado para superar a desigualdade . </li></ul>
  10. 10. Sujeitos da EJA <ul><li>10 . Produção de uma política pública de Estado para a EJA, centrada em sujeitos jovens e adultos com a expressão de toda a diversidade. </li></ul><ul><li>11. A EJA, como espaço de relações intergeracionais, de diálogo entre saberes, de compreensão e de reconhecimento da experiência e da sabedoria, tensionadas pelas culturas de jovens,adultos e idosos. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>12. O reconhecimento de maciça presença de grupos etários integrantes da categoria histórica jovem, de juventudes nos processos educacionais, tem sido denominado de juvenilização da EJA, imprimindo também a necessidade de foco sobre esses sujeitos nas ofertas educativas. </li></ul>
  12. 12. Sujeitos da EJA <ul><li>13. A existência de idosos que não se </li></ul><ul><li>escolarizaram, ou nem se alfabetizaram ainda responde por grande parte do contingente não-alfabetizado. </li></ul><ul><li>14. A EJA também é constituída predominantemente por jovens e adultos residentes nas periferias urbanas. </li></ul>
  13. 13. Sujeitos da EJA <ul><li>15. Encarar na EJA a diversidade exige reeducar as relações étnico raciais tal como prevê a atual legislação. </li></ul><ul><li>16. São conhecidas as discriminações que sofrem indígenas e negros, em virtude de seu pertencimento étnico-racial. </li></ul>
  14. 14. Sujeitos da EJA <ul><li>17 . As relações de gênero no país têm sofrido mudanças consideráveis nas últimas décadas e as mulheres avançaram em direitos nos muitos aspectos da vida cotidiana – trabalho, educação, saúde, moradia, segurança, mas com muitas questões a enfrentar – desigualdade salarial </li></ul>
  15. 15. Sujeitos da EJA <ul><li>18 . As lutas pelo direito à educação se articulam às lutas pela terra e pela preservação da cultura camponesa, afirmadas nas conferências nacionais e nas diretrizes da educação do campo. Não mais a educação no campo, mas a educação do campo, vista como espaço de vida, culturas, saberes e identidades. </li></ul>
  16. 16. Sujeitos da EJA <ul><li>19. No que concerne aos direitos das pessoas com necessidades educativas especiais, à defesa da educação inclusiva e ao direito à Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS). </li></ul>
  17. 17. Sujeitos da EJA <ul><li>20 . Contemporaneamente, as organizações de povos indígenas têm ocupado lugar no cenário brasileiro, especialmente no que diz respeito à educação de sua gente e à formação de seus educadores. Buscam garantir o direito a manter e disseminar a herança educativo-cultural que os forma como grupo humano diverso. </li></ul>
  18. 18. Sujeitos da EJA <ul><li>21 . Educação em áreas de remanescentes de quilombos que busque preservar e valorizar marcas de suas culturas. </li></ul><ul><li>22. Durante o tempo de privação da liberdade, a educação pode ser alternativa real de vida, consolidando um dos muitos direitos não garantidos à maioria dos sujeitos presos . </li></ul>
  19. 19. Intersetorialidade da EJA <ul><li>42. Reconhecer a intersetorialidade da EJA </li></ul><ul><li>dialogar com o campo do trabalho, da saúde, do meio ambiente, das culturas da comunicação, entre outros aspectos. </li></ul>
  20. 20. Intersetorialidade da EJA <ul><li>43. EJA e mundo do trabalho </li></ul><ul><li>Iniciativas como organização de associações e cooperativas de produção e venda, revitalização da agricultura familiar e descoberta de novos campos produtivos que respeitem a vocação local e condições ambientais são desafios para jovens e adultos trabalhadores . </li></ul>
  21. 21. Intersetorialidade da EJA <ul><li>44 . EJA e saúde </li></ul><ul><li>A relação EJA/saúde também aponta a necessidade de desconstrução de uma lógica que se materializou nas últimas décadas por meio do binômio saúde/doença, que reduziu a saúde ao “combate a doenças”. </li></ul>
  22. 22. Intersetorialidade da EJA <ul><li>45 . EJA e ambiente </li></ul><ul><li>O sentido de preservação humana relacionado à consciência de respeito aos limites e às possibilidades impostos pelas condições físicas e biológicas do planeta constituem a ética do tempo presente . </li></ul>
  23. 23. Intersetorialidade da EJA <ul><li>EJA e cultura </li></ul><ul><li>O desafio nesse campo é dar visibilidade ao já produzido e ao que se continua a produzir como representação ou visão da realidade, por meio da música, da expressão corporal, da dramaturgia, da produção textual, da produção artesanal, da ciberarte,entre outras. </li></ul>
  24. 24. Intersetorialidade da EJA <ul><li>47. EJA e articulação entre entes governamentais </li></ul><ul><li>Governo federal, governos estaduais e governos municipais </li></ul>
  25. 25. Intersetorialidade da EJA <ul><li>48. Articulação com a sociedade </li></ul><ul><li>Fóruns de EJA e demais movimentos ligados à luta pela terra, à luta sindical, aos direitos de mulheres, de afrodescendentes, de indígenas ... </li></ul>
  26. 26. Intersetorialidade da EJA <ul><li>49 . Articulação intergovernamental </li></ul><ul><li>Necessária articulação entre as ações governamentais . </li></ul>
  27. 27. <ul><li>“ O cuidado somente surge quando a existência </li></ul><ul><li>de alguém tem importância para mim. Passo então a dedicar-me a ele. Disponho-me a participar de seu destino, de suas buscas, </li></ul><ul><li>de seu sofrimento e de seus sucessos, enfim de sua vida. </li></ul><ul><li>Cuidado significa desvelo, solicitude, diligência, zelo, atenção, bom trato. Como dizíamos, estamos diante de uma atitude </li></ul><ul><li>fundamental, de um modo de ser mediante o qual a pessoa sai </li></ul><ul><li>de si e centra-se no outro com desvelo e solicitude.” </li></ul><ul><li>(BOFF, l. 1999, p.91) </li></ul>
  28. 28. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS <ul><li>BRASIL. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Programa de Integração da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrada ao Ensino Médio na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos - PROEJA. Documento Base. Disponível em < http://portal.mec.gov.br/setec >. Acesso 07.04.2006. </li></ul><ul><li>BRASIL . Decreto nº 5.840, de 13 de julho de 2006. Institui, no âmbito federal, o Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na Modalidade de Educação de Jovens e Adultos - PROEJA, e dá outras providências. Brasília, DF: 13 de julho de 2006. </li></ul><ul><li>FREITAG, Bárbara. Escola, Estado e sociedade . 6.ed. São Paulo: Moraes, 1986. </li></ul><ul><li>FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A gênese do Decreto n. 5.154/2004: um debate no contexto controverso da democracia restrita. In: FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise (orgs.). Ensino médio integrado : concepções e contradições. São Paulo: Cortez, 2005. </li></ul><ul><li>FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATTA, Maria; RAMOS, Marise. A política de educação profissional no Governo Lula: um percurso histórico controvertido. Educ. Soc. , Campinas,  v. 26,  n. 92,  2005.  Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-73302005000300017&lng=pt&nrm=iso> . Acesso em: 27.09.2006. </li></ul><ul><li>HADDAD, Sérgio. A educação de pessoas jovens e adultas e a nova LDB. In: BRZEZINSKI, Iria. (Org.) LDB interpretada : diversos olhares se entrecruzam. 9. ed. São Paulo: Cortez, 2005. </li></ul><ul><li>GADOTTI, Moacir. História das idéias pedagógicas . São Paulo: Ática, 1996. </li></ul><ul><li>KUENZER, Acácia. Ensino médio e profissional : as políticas do Estado neoliberal. São Paulo: Cortez, 1997. </li></ul><ul><li>MOURA, Dante Henrique. Algumas considerações críticas ao programa de integração da Educação Profissional ao Ensino Médio na modalidade de Educação de Jovens e Adultos – PROEJA. In: II Colóquio Internacional de Políticas e Práticas Curriculares: impasses, tendências e perspectivas. Anais... João Pessoa: UFPB, 2005. </li></ul><ul><li>MOURA, Dante Henrique. O PROEJA e a Rede Federal de Educação Tecnológica. In: EJA: formação técnica integrada ao Ensino Médio . Boletim 16. Setembro de 2006. Disponível em: < http://www.tvebrasil.com.br/salto/ >. Acesso em: 24.09.2006. </li></ul><ul><li>SANTOS, Simone Valdete dos. O PROEJA e o desafio das heterogeneidades. In: EJA: formação técnica integrada ao Ensino Médio . Boletim 16. Setembro de 2006. Disponível em: < http://www.tvebrasil.com.br/salto/ >. Acesso em: 24.09.2006. </li></ul>
  29. 29. <ul><li>Pálmula Fernandes Matos Assessora Pedagógica [email_address] (62)9135-8941/3605-5228 </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>(62)3605-5200 </li></ul><ul><li>www.ftd.com.br </li></ul>

×