Alfabetização e letramento

18.565 visualizações

Publicada em

0 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
18.565
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.417
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
443
Comentários
0
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Alfabetização e letramento

  1. 1. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO Coordenadoras: Helena Zanotto e Joelma Almeida Centro Municipal de Assistência Pedagógica e Aperfeiçoamento Permanente de Professores – CEMAP
  2. 2. ALFABETIZAÇÃO: <ul><li>É um processo dentro do letramento e, segundo Magda Soares, é a ação de ensinar/aprender a ler e a escrever. </li></ul><ul><li>O conceito de alfabetização para Magda Soares é restrito, refere-se apenas ao aprender/ensinar a ler e escrever. Já Emília Ferreiro coloca que não precisa usar outro termo (no caso letramento) para designar algo que já deveria estar dentro do processo de alfabetização. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Processo específico e indispensável de apropriação do sistema da escrita, a conquista dos princípios alfabético e ortográfico que possibilitem ao aluno ler e escrever com autonomia” (VAL, 2006, p. 19). </li></ul><ul><li>             “ A alfabetização diz respeito à compreensão e ao domínio do chamado código escrito, que se organiza em torno de relações entre a pauta sonora da fala e as letras (e outras convenções) usadas para representá-la, a pauta, na escrita” (VAL, 2006, p. 19). </li></ul><ul><li>                                                         “ A alfabetização se ocupa da aquisição da escrita por um indivíduo ou grupo” (BATISTA, 006) </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  4. 4. LETRAMENTO: <ul><li>É o conjunto de práticas que denotam a capacidade de uso de diferentes tipos de material escrito. HOUAISS, 2004 </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Do ponto de vista social, o letramento é um fenômeno cultural relativo às atividades que envolvem a língua escrita.  A ênfase recai nos “usos, funções e propósitos da língua escrita no contexto social” (SOARES, 2006). </li></ul><ul><li>                            </li></ul><ul><li>                       “ Processo de inserção e participação na cultura escrita”. (VAL, 2006) </li></ul><ul><li>            “ Compreensão e uso efetivo da língua escrita em práticas sociais diversificadas”. (Ibid) </li></ul><ul><li>             “ Possibilidades de participação nas práticas sociais que envolvem a língua escrita” (Ibid) </li></ul><ul><li>                  </li></ul>
  6. 6. <ul><li>“ Saber utilizar a língua escrita nas situações em que esta é necessária, lendo e produzindo textos” (BATISTA, 2003 in VAL, 2006, p. 19). </li></ul><ul><li>             “ Conjunto de conhecimentos, atitudes e capacidades, necessário para usar a língua nas práticas sociais” (BATISTA, 2003 in VAL, 2006, p. 19). </li></ul><ul><li>                           “ ... entendido como o desenvolvimento de comportamentos e habilidades de uso competente da leitura e da escrita em práticas sociais” (SOARES, 2004).                           </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Essa imagem ilustra bem o conceito de letramento. É abrir as portas e janelas do mundo por meio da leitura, da oralidade e ser capaz de se relacionar bem nas diversas práticas sociais. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>&quot;Letramento é, sobretudo, um mapa do coração do homem, um mapa de quem você é, e de tudo que pode ser. &quot;                                Magda Soares </li></ul>
  9. 9. PARA QUE SERVE A ESCRITA ENTÃO? <ul><li>Segundo a professora Rosineide Magalhães, no texto “Letramento como Prática Social”, a escrita e a leitura são consumidas, hoje, pelas pessoas como meio de sobrevivência, com o objetivo de formação acadêmica, profissional, integração e interação social, resolução de problemas cotidianos, condição de entender o mundo e suas tecnologias. </li></ul>
  10. 10. FACETAS DA APRENDIZAGEM DA LEITURA E DA ESCRITA: <ul><li>1 - Faceta fônica: envolve o desenvolvimento da consciência fonológica, imprescindível para que a criança tome consciência da fala como um sistema de sons e compreenda o sistema de escrita como um sistema de representação desses sons, e a aprendizagem das relações fonema-grafema e demais convenções de transferência da forma sonora da fala para a forma gráfica da escrita. </li></ul><ul><li>. </li></ul>
  11. 11. <ul><li>2 - Faceta da leitura fluente: exige o reconhecimento holístico de palavras e sentenças. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>3 - Faceta da leitura compreensiva: supõe ampliação de vocabulário e desenvolvimento de habilidades como interpretação, avaliação, inferência, entre outras </li></ul>
  13. 13. <ul><li>4 - Faceta da identificação e uso adequado das diferentes funções da escrita, dos diferentes portadores de texto, dos diferentes tipos e gêneros de texto. </li></ul>

×