Lógica informal argumentação

17.397 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Negócios, Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
17.397
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.364
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
182
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Lógica informal argumentação

  1. 1. Lógica informal -Lógica informal - ArgumentaçãoArgumentação Estuda os argumentos não apenas doEstuda os argumentos não apenas do ponto de vista da sua validade formalponto de vista da sua validade formal mas também do ponto de vista do seumas também do ponto de vista do seu conteúdo.conteúdo.
  2. 2. Distinção entre dois tipos deDistinção entre dois tipos de argumentosargumentos ► Argumentos dedutivos.Argumentos dedutivos. ► A validade depende daA validade depende da sua forma.sua forma. ► A conclusão segueA conclusão segue necessariamente asnecessariamente as premissaspremissas No argumento válido, se asNo argumento válido, se as premissa são verdadeiraspremissa são verdadeiras a conclusão também éa conclusão também é verdadeira.verdadeira. ► Argumentos nãoArgumentos não dedutivos.dedutivos. ► Não têm forma lógica.Não têm forma lógica. ► A conclusão não segueA conclusão não segue necessariamente asnecessariamente as premissas.premissas. ► A conclusão é provável eA conclusão é provável e não necessariamentenão necessariamente verdadeira.verdadeira.
  3. 3. Distinção entre o plano da lógicaDistinção entre o plano da lógica formal e informalformal e informal ► A Lógica formalA Lógica formal ► Distingue argumentosDistingue argumentos válidos ou inválidosválidos ou inválidos segundo a sua forma.segundo a sua forma. ► Prescinde das referênciasPrescinde das referências ao auditório e ao contextoao auditório e ao contexto ► Impessoal, não implica aImpessoal, não implica a discussão de pontos dediscussão de pontos de vista. Pretendevista. Pretende demonstrar.demonstrar. ► Lógica informalLógica informal ► A validade depende doA validade depende do conteúdo das premissas econteúdo das premissas e da conclusão.da conclusão. ► Não prescinde dasNão prescinde das referências ao auditório ereferências ao auditório e ao contexto.ao contexto. ► Destina-se a persuadir umDestina-se a persuadir um auditório sem que esteauditório sem que este seja forçado a aceitarseja forçado a aceitar
  4. 4. Argumentação.Argumentação. ►O plano da argumentação é o plano daO plano da argumentação é o plano da discussão.discussão. ►Onde se discute a plausibilidade das razõesOnde se discute a plausibilidade das razões apresentadas.apresentadas. ►Um bom argumento tem premissasUm bom argumento tem premissas verdadeiras e plausíveis mas em caso deverdadeiras e plausíveis mas em caso de não sabermos a verdade, podemos aceitarnão sabermos a verdade, podemos aceitar o mais plausível. O auditório e o contextoo mais plausível. O auditório e o contexto são importantes.são importantes.
  5. 5. Argumentos:Argumentos: ►Indutivo: Pode ser uma generalização eIndutivo: Pode ser uma generalização e uma previsão. A partir de certos casos,uma previsão. A partir de certos casos, conclui-se para todos ou para a maioria.conclui-se para todos ou para a maioria. ►O vírus da gripe o ano passado fez 9O vírus da gripe o ano passado fez 9 vítimas em Portugalvítimas em Portugal ►Dessas 9 vítimas 8 estavam hospitalizadasDessas 9 vítimas 8 estavam hospitalizadas ou em lares de terceira idade.ou em lares de terceira idade. ►Logo, os idosos em lares são maisLogo, os idosos em lares são mais vulneráveis ao vírus e devem servulneráveis ao vírus e devem ser vacinados.vacinados.
  6. 6. ►A arma doA arma do Batman foiBatman foi destruída,destruída, assim como oassim como o seu carro e oseu carro e o seu poder.seu poder. ►Logo, BatmanLogo, Batman estáestá desarmadodesarmado
  7. 7. Regras para uma indução ser válidaRegras para uma indução ser válida ►Ter uma amostra amplaTer uma amostra ampla ►Os casos têm que ser representativos.Os casos têm que ser representativos. ►Não pode haver contra exemplos fortes.Não pode haver contra exemplos fortes.
  8. 8. AnalogiaAnalogia ►Uma analogia é uma comparação entreUma analogia é uma comparação entre elementos diferentes que têm semelhançaselementos diferentes que têm semelhanças fortes e evidentes para o tópico que se querfortes e evidentes para o tópico que se quer concluir.concluir. ►Sócrates: A educação dos cavalos é comoSócrates: A educação dos cavalos é como a das pessoas. Poucos sabem educar, aa das pessoas. Poucos sabem educar, a maioria limita-se a servir-se deles.maioria limita-se a servir-se deles.
  9. 9. AnalogiaAnalogia ►Catwoman:Para queCatwoman:Para que queres tu o teuqueres tu o teu mordomo? Nãomordomo? Não precisas dele.precisas dele. ►Batman: TuBatman: Tu também nãotambém não precisas de jóiasprecisas de jóias mas não podesmas não podes passar sem elas.passar sem elas.
  10. 10. Regras para uma analogiaRegras para uma analogia válida/forteválida/forte ►Não haver diferenças relevantes.Não haver diferenças relevantes. ►Haver muitas semelhanças relevantesHaver muitas semelhanças relevantes
  11. 11. AutoridadeAutoridade ►Recorre-se a uma autoridade reconhecidaRecorre-se a uma autoridade reconhecida em assunto que receba a unanimidade noem assunto que receba a unanimidade no meio.meio. ►A autoridade tem de ser reconhecida pelosA autoridade tem de ser reconhecida pelos seus paresseus pares ►Não pode haver divergências relevantes.Não pode haver divergências relevantes. ►São argumentos geralmente falaciosos noSão argumentos geralmente falaciosos no caso da Filosofiacaso da Filosofia
  12. 12. ►O mayor e aO mayor e a assembleia deassembleia de cidadãoscidadãos aprovaramaprovaram regras muitoregras muito claras contra aclaras contra a criminalidade.criminalidade. Logo, aLogo, a criminalidadecriminalidade deve serdeve ser castigadacastigada
  13. 13. Retórica a arte de persuadirRetórica a arte de persuadir ►Persuadir significa poder encaminharPersuadir significa poder encaminhar alguém a aceitar uma ideia que não tinhaalguém a aceitar uma ideia que não tinha ou que rejeitava através de razões que sãoou que rejeitava através de razões que são relevantes para o interlocutor.relevantes para o interlocutor. ►Podemos persuadir com ou semPodemos persuadir com ou sem manipulação. Em geral as falácias sãomanipulação. Em geral as falácias são persuasivas no sentido manipulador.persuasivas no sentido manipulador.
  14. 14. ►Quem não faz greveQuem não faz greve está a provocar aestá a provocar a continuação da mácontinuação da má política do governo.política do governo.
  15. 15. Os elementos da persuasão:Os elementos da persuasão: ► LOGOSLOGOS (o discurso e a(o discurso e a argumentaçãoargumentação utilizada)utilizada) O PATHOSO PATHOS (O estado emocional do(O estado emocional do auditório)auditório) O ETHOSO ETHOS (O comportamento do(O comportamento do orador)orador)

×