INTERVENÇÃO EDUCATIVA:

GÉNERO E AS PERSONAGENS NA
LITERATURA

CONTOS ANTIGOS
VERSÕES MODERNAS
As atividades e os campos de ação destinados
ao homem e à mulher, na literatura tradicional
As caraterísticas psicológicas...
AS ORELHAS DO ABADE

Um sujeito bom caçador convidou o abade da sua freguesia
para ir comer com ele duas perdizes guisadas...
Texto de Maria Teresa dos Santos Silva; ilustrações de José Miguel Ribeiro
ATIVIDADES DESEMPENHADAS
PELO HOMEM
(exterior - fora de casa)

ATIVIDADES DESEMPENHADAS
PELA MULHER
(interior – dentro de ...
LOCAL DE REFEIÇÃO
HOMEM
(sala de jantar)

LOCAL DE REFEIÇÃO
MULHER
(cozinha)
Conclusões (dos alunos):
-As personagens são marido e mulher – “o meu marido”
-A mulher movimenta-se sempre no interior de...
-A mesa aparece posta na sala para o homem comer com o
abade, a mulher permanece na cozinha, onde trabalha.

-Porque é que...
A mulher cozinhou as perdizes e comeu-as sozinha.
Porque é que achas que
ela tomou esta atitude?

Achas que foi a atitude
...
Após a apresentação dos trabalhos de grupo e
respetivo diálogo, as docentes concluíram:

Os alunos revelam que as suas fam...
Relativamente à atitude da mulher, a maioria dos alunos sugere que o
casal deveria ter conversado sobre o assunto e a mulh...
Linhas de ação futura
- Recolha de contos tradicionais em que são mais visíveis os estereótipos dos
papéis do homem e da m...
Vila de Prado, 2 de novembro de 2013

Beatriz Novais - 5º C
Helena Rodrigues – 6º B
As orelhas de abade
As orelhas de abade
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

As orelhas de abade

794 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
794
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
57
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As orelhas de abade

  1. 1. INTERVENÇÃO EDUCATIVA: GÉNERO E AS PERSONAGENS NA LITERATURA CONTOS ANTIGOS VERSÕES MODERNAS
  2. 2. As atividades e os campos de ação destinados ao homem e à mulher, na literatura tradicional As caraterísticas psicológicas atribuídas ao homem e à mulher, neste contexto de literatura tradicional, e sua evolução até aos nossos dias
  3. 3. AS ORELHAS DO ABADE Um sujeito bom caçador convidou o abade da sua freguesia para ir comer com ele duas perdizes guisadas, e deu-as à mulher para as cozinhar. A mulher, raivosa por não contarem com ela, cozinhou as perdizes e comeu-as. Nisto chega o abade muito contente, e diz-lhe a mulher: -Fuja, senhor abade, que o meu homem jurou que lhe havia de cortar as orelhas, e isto das perdizes foi um pretexto para cá o pilhar. - O abade não quis ouvir mais, e ele por aqui me sirvo. O marido chega, e diz-lhe a mulher: - O abade aí veio, viu as perdizes, e não queria esperar mais por ti, pegou nelas ambas e foi-se embora. - O homem vem à porta da rua, e ainda vê o abade fugindo, e começa de cá a gritar: - Ó senhor abade! Pelo menos deixe-me uma. - Nem uma, nem duas! – respondeu ele lá de longe. Teófilo Braga, In Contos tradicionais portugueses
  4. 4. Texto de Maria Teresa dos Santos Silva; ilustrações de José Miguel Ribeiro
  5. 5. ATIVIDADES DESEMPENHADAS PELO HOMEM (exterior - fora de casa) ATIVIDADES DESEMPENHADAS PELA MULHER (interior – dentro de casa)
  6. 6. LOCAL DE REFEIÇÃO HOMEM (sala de jantar) LOCAL DE REFEIÇÃO MULHER (cozinha)
  7. 7. Conclusões (dos alunos): -As personagens são marido e mulher – “o meu marido” -A mulher movimenta-se sempre no interior de casa (trabalhos domésticos), o homem no exterior (caçador, lenhador). -A mulher está de avental – símbolo de subserviência e de trabalhos domésticos. - Nenhum dos homens esteve na cozinha. Porquê? - “Porque a mulher é que cozinhava, não o homem”. - “Porque o trabalho da cozinha é para a mulher”. - “Porque os homens antigamente não faziam nada em casa”.
  8. 8. -A mesa aparece posta na sala para o homem comer com o abade, a mulher permanece na cozinha, onde trabalha. -Porque é que o caçador não contava com a mulher para comer as perdizes, na sua companhia e na do abade? E porque é que só pensou nela para cozinhar? - “Porque os homens naquela altura tratavam as mulheres como um objeto” - “Porque naquele tempo a mulher só servia para as tarefas domésticas.” - “Porque ela era como se fosse uma empregada doméstica.” - “Porque ele só pensou em si e no abade e não na mulher”. - “Porque a mulher para o caçador só servia para cozinhar.”
  9. 9. A mulher cozinhou as perdizes e comeu-as sozinha. Porque é que achas que ela tomou esta atitude? Achas que foi a atitude mais acertada? Tu terias tomado esta opção? Dá a tua opinião. “Ficou zangada, enraiveceu e queria vingar-se.” “Não, ela devia ter falado com o marido.” “Ela mentiu e não se deve mentir.” “Deviam conversar sobre o assunto .” “Não, porque o que ela fez não é correto, deviam falar sobre o assunto e comer os três, na sala.” “Sim, porque o homem foi egoísta. Ele devia ter contado com a mulher para comer.” “Sim. Porque a mulher tinha sido maltratada.” A atitude mais inteligente foi a da mulher, porque foi ela que comeu as perdizes, enganando o marido e o abade.
  10. 10. Após a apresentação dos trabalhos de grupo e respetivo diálogo, as docentes concluíram: Os alunos revelam que as suas famílias têm mentalidades mais abertas, com colaboração e partilha dos espaços / atividades entre todos os membros, mas ainda há alguns que acham normal que a mulher se movimente na cozinha e o homem não, só esporadicamente.
  11. 11. Relativamente à atitude da mulher, a maioria dos alunos sugere que o casal deveria ter conversado sobre o assunto e a mulher teria que reclamar o seu lugar na sala, junto do marido e do abade, a saborear as perdizes. Foi necessário contextualizá-los, para perceberem que, em tempos mais antigos, a mulher não tinha direito a dar a sua opinião, o homem é que tinha o poder de decisão, conferido pela sociedade. Mesmo assim, todos consideraram que a atitude mais inteligente foi a da mulher. Atualmente, os papéis são mais equitativos e por isso os alunos têm mais dificuldade em apoiar a atitude da mulher que foi mentirosa e vingativa e em vez disso, deveria ter reivindicado a igualdade de tratamento a que tinha direito.
  12. 12. Linhas de ação futura - Recolha de contos tradicionais em que são mais visíveis os estereótipos dos papéis do homem e da mulher – já foram recolhidos e apresentados na BE alguns (no âmbito da comemoração do Mês internacional da BE): “Os dez anõezinhos da tia verde-água”,… Os alunos estão a recolher depoimentos junto de familiares e professores relativamente a hábitos antigos de discriminação sexual que têm vindo a atenuar-se ao longo das várias gerações. Exs – A escolha do melhor bocado da refeição para o homem, as refeições com os amigos, sem a mulher se sentar à mesa (apenas os servia),…. - Implementação da atividade m dos guiões “Meninas e Meninos: todos iguais”, com a utilização dos livros de aventuras “O clube das chaves”. Objetivos: Reconhecer os estereótipos ainda vigentes em relação aos papéis desempenhados pelo homem e pela mulher; Desconstruir os diferentes papéis que a sociedade tradicionalmente atribui ao homem e à mulher.
  13. 13. Vila de Prado, 2 de novembro de 2013 Beatriz Novais - 5º C Helena Rodrigues – 6º B

×