Ppp 2014 cee

521 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
521
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ppp 2014 cee

  1. 1. SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE MATO GROSSO ESCOLA ESTADUAL “ADOLFO AUGUSTO DE MORAES” PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO Rondonópolis-MT 2014
  2. 2. CARACATERIZAÇÃO /DIAGNÓSTICO A Escola Estadual Adolfo Augusto de Moraes está localizada em Rondonópolis – MT, no Bairro Vila Aurora, Avenida Padre Anchieta nº. 937, em um terreno de 10.000 m². Foi fundada em 27/02/1969, conforme Decreto nº.824 de 27/02/69, com a denominação de Grupo Escolar Dr. José Trancucci, criado pelo Decreto nº. 1462 de 08/03/1971, que funcionava na Cohab como grupo escolar “Adolfo Augusto de Moraes. A Escola iniciou suas atividades no dia 10 de maio de 1975, sendo oficialmente criada pelo Decreto nº. 63 C.E.E./ MT de 04 de junho de 1975, com o nome de “Escola Estadual de I e II graus “Adolfo Augusto de Moraes”, em homenagem ao pai do Sr. William de Moraes, doador do terreno onde a mesma foi construída. A Escola Estadual Adolfo Augusto de Moraes está localizada em Rondonópolis – MT, no Bairro Vila Aurora, Avenida Padre Anchieta nº. 937, em um terreno de 10.000 m². Foi fundada em 27/02/1969, conforme Decreto nº.824 de 27/02/69, com a denominação de Grupo Escolar Dr. José Trancucci, criado pelo Decreto nº. 1462 de 08/03/1971, que funcionava na Cohab como grupo escolar “Adolfo Augusto de Moraes. A Escola iniciou suas atividades no dia 10 de maio de 1975, sendo oficialmente criada pelo Decreto nº. 63 C.E.E./ MT de 04 de junho de 1975, com o nome de “Escola Estadual de I e II graus “Adolfo Augusto de Moraes”, em homenagem ao pais do Sr. William de Moraes, doador do terreno onde a mesma foi construída. EM 2001, mudou-se de denominação, ficando como Escola Estadual Adolfo Augusto de Moraes, por força do Decreto publicado pela SEDUC. É reconhecida conforme Portaria 3277/92- C.E.E.MT de 15/12/1992. Credenciada pela Portaria 184/2007- CEE/MT, publicada no Diário Oficial 04/07/2007 pg. 28 e Autorizada pela Resolução 276/07CEE-MT. Tendo como CNPJ. 03.945.490/0001.97. A escola é uma instituição de ensino da Rede Pública Estadual de Ensino do Estado de Mato Grosso, tendo como mantenedora a Secretaria de Estado de Educação – SEDUC - MT, com sede no município de Cuiabá. A Escola Estadual Adolfo Augusto de Moraes oferece ensino público gratuito, assim discriminado: Ensino Fundamental na modalidade Ciclo de Formação
  3. 3. Humana com nove anos de duração, nos períodos matutinos e vespertinos; Ensino Médio Regular não profissionalizante com duração de três anos, em regime de externato nos turnos matutino, vespertino e noturno (em salas anexas na Escola do Parque São Jorge). O direito ao ingresso na instituição escolar será assegurado a todos, sem privilégios ou prejuízos em razão do local de nascimento, raça, cor, sexo, estado civil, natureza do seu trabalho, idade, religião, orientação sexual, convicções políticas ou filosóficas, deficiência física ou mental e quaisquer particularidades relacionadas à condição social. Nossa clientela é proveniente de vários bairros da cidade: Vila Aurora I, Vila Aurora II, Bairro Jardim Atlântico, Jardim Europa, Cidade de Deus, Parque São Jorge, Sagrada Família, Altamirando, Ananias, Alfredo de Castro, Vila Paulista, Margarida, Azaléia, Bairro Farias, entre outros. Atualmente tem a escola 1255 alunos matriculados. As modalidades atendidas são: Ensino Fundamental, organizado por ciclos de Formação Humana e ensino Médio Regular. O quadro de profissionais que atuam na escola é de 44 professores efetivos, 20 professores interinos, 08 funcionários Técnico Administrativo Educacional (TAE) e 16 funcionários de Apoio Administrativo Educacional e no atendimento pedagógico para subsidiar os professores a escola conta com três Coordenadoras Pedagógicas e duas articuladoras. No início do ano letivo foi realizada uma pesquisa com toda comunidade escolar para podermos avaliar as ações que a escola vem desenvolvendo e na oportunidade fora aplicada questionários que traduziram os anseios de cada um dos segmentos com isso sinalizando para a escola as demandas que estão explicitadas nas metas para 2014.
  4. 4. Os dados obtidos na pesquisa diagnóstica levantaram aspectos que precisam ser observados e encaminhados para melhorar o ensino aprendizagem e também reforça a necessidade de uma maior participação dos pais na vida escolar de seus filhos. Outro ponto bastante evidenciado foi as condições do prédio escolar que, para todos os segmentos, a escola necessita com urgência de reforma geral e equipar os espaços de trabalho-aprendizagem e melhorar o acervo bibliográfico. É preciso ainda reforçar a participação de todos nas diferentes instâncias deliberativas da escola seja por parte de pais, alunos, professores e equipe gestora. Para reduzir a evasão escolar foram sinalizadas atividades acompanhadas de projetos pedagógicos. FILOSOFIA DA ESCOLA A educação é dever da família e do Estado, inspirada nos princípios de liberdade e nos ideais de solidariedade humana, tem por finalidade o pleno desenvolvimento dos alunos, o preparo para o exercício pleno da cidadania, ética e qualificação para o mundo do trabalho. OBJETIVOS E METAS  OBJETIVO GERAL A escola tem por objetivo geral desenvolver no educando a capacidade para assimilar o conhecimento, de forma autônoma e crítica, formar cidadãos éticos, oportunizar aos alunos o acesso aos recursos tecnológicos, promover a inclusão, valorizar a bagagem cultural de cada um articulando as experiências e estudos para o mundo do trabalho, para o desenvolvimento social, justo e sustentável.
  5. 5.  OBJETIVOS ESPECÍFICOS Propiciar aos alunos e profissionais que atuam em nossa escola condições de melhoria dos processos educacionais enquanto relações qualitativas de ensino e de aprendizagem nas quais os educandos possam:  Pensar o cotidiano escolar a partir de uma abordagem significativa e colaborativa de trabalho com vistas a promover o desenvolvimento profissional de todos que atuam na escola.  Ser, conviver e aprender na escola, como instituição de cultura que considera relevante recriar e socializar os saberes e conhecimentos produzidos socialmente das artes, das ciências, da técnica como instrumentos necessários á compreensão do mundo e qualidade de vida;  Perceber-se enquanto construtor de sua própria história, ser social e indivíduo capaz de legislar sobre seus próprios atos com autonomia e dignidade, superando o que está pronto para produzir o novo, o mais significativo para si e para a sociedade;  Compreender a escola como não sendo o único espaço de formação, mas a partir dela potencializar todas as condições de participação via posicionamentos e atitudes cidadãs.  Compreender a importância de viver participativamente, contribuindo para realizar propostas coletivas em diferentes contextos sociais, construindo laços baseados no respeito, no afeto e na solidariedade e organização coletiva;  Posicionar-se enquanto cidadão ativo, engajando-se em movimentos sociais por um mundo melhor, defendendo na escola e fora dela seus projetos de vida, incluindo os de uma escolarização cidadã.  METAS Toda escola deve planejar metas a curto prazo para depois ir
  6. 6. percorrendo seu caminho em busca da realização de seus objetivos. Dessa forma, pretendemos desenvolver em nossa escola as seguintes metas: 1. Promover atividades diversificadas tais como:  Sarau Infantil;  Sarau Juvenil;  Festival da Música e Dança;  Desafios da Geografia;  Pedalada pela vida;  Festa da Primavera;  Feira do Conhecimento;  Retomar Horta Geométrica e Pedagógica;  Projeto de Leitura;  Outros Projetos. 2. Reduzir a evasão escolar:  Promovendo atividades culturais extraclasses;  Estimulando práticas corporais e esportivas;  Qualificando o fazer pedagógico;  Avaliando as práticas educativas produzidas e em produção;  Analisando os indicadores de aprendizagens da escola;  Avaliando os resultados educacionais das avaliações externas. 3. Implantar e Implementar os Projetos de Trabalhos:  Pensar e recriar a escola, repondo a gestão do espaço e do tempo;  Redefinir o discurso e a prática acerca do conhecimento escolar em todos os espaços e tempo promovendo a aproximação atualizada dos conteúdos das disciplinas dos saberes a serem produzidos;  Trabalhar a cultura contemporânea, por ser uma questão fundamental para que o indivíduo possa compreender o mundo no qual vive e que saiba como acenar, analisar e interpretar a informação;  Desenvolver atividades individuais, grupais e coletivas;  Definir uma prática de avaliação enquanto proposta pedagógica da escola como um todo; 4. Incentivar a participação dos pais, através de:  Reuniões bimestrais;  Assembleias;  Participação em projetos como o “Pensando em família”, “Cidadania e meio ambiente”, dentre outras;  Comunicados diários e emergenciais;  Convites e promoção de atividades coletivas;  Datas comemorativas, tais como: dia das mães e dia dos pais. 5. Reforma da Unidade Escolar Nossa escola precisa urgentemente de uma reforma geral que, segundo a SEDUC-MT ocorrerá nos próximos meses. Essa reforma oportunizará
  7. 7. muitas mudanças no prédio da escola para melhor. Dentre elas, citamos:  Iluminação e pintura das salas de aulas;  Instalação de janelas nas salas de aulas;  Instalação de pisos em salas de aulas;  Ar-condicionado nas salas de aula;  Reformar a biblioteca para melhor atender aos alunos;  Construção de vestiários e sanitários próximos à quadra coberta;  Construir um auditório para apresentações dos alunos;  Construir laboratório de ciências e Biologia.  Construção de banheiros adequados ao banho para o Projeto Mais Educação; 6. Equipar com materiais apropriados para o atendimento da comunidade escolar para os ambientes:  Equipar a biblioteca com computadores ligados à Internet, disponibilizando um profissional para funcionamento e atendimento à comunidade escolar.  Equipar sala de professores com mobiliários para guardar materiais (armários);  Instalação de bebedouros na quadra;
  8. 8. PROPOSTA CURRICULAR ENSINO FUNDAMENTAL ÁREA– LINGUAGENS - 2º CICLO EIXOS ARTICULADOS CAPACIDADES DESCRITORES  Linguagens e processos de interação, representação, leitura e prática.  Apropriação dos sistemas de representação das linguagens.  Formação sociocultural nas diferentes linguagens  Fazer uso das linguagens como elementos integradores dos sistemas de comunicação;  Ler, compreender e construir diferentes textos.  Codificar e decodificar sistemas das diferentes linguagens;  Fazer uso social das diversas linguagens em diferentes situações de fruição e interação.  Ressignificar as diversas práticas de linguagens;  Compreender e valorizar a diversidade manifestada nas diferentes linguagens  Expõe opiniões e apresenta argumentos em situações dialógicas;  Conhece formas artísticas culturais em seus diferentes produtos/obras/manifestações nas linguagens;  Aprecia, lê, expressa e cria produções artísticas;  Concebe a arte como expressão e comunicação entre sujeitos;  Reconhece-se enquanto sujeito integrante de sua cultura.  Percebe o encadeamento lógico em textos escritos;  Reconhece os objetivos, finalidades e uso social da leitura;  Estabelece relações de intertextualidade;  Escreve textos seguindo as convenções gráficas  Planeja o texto a ser escrito, considerando o assunto central, seus tópicos e subtópicos;  Utiliza as hipóteses na construção da escrita, adequando-as às informações que recebe na interação com o contexto;  Compreende a estrutura/funções do modo de representação da escrita;  Desenvolve, correlaciona e (re)significa sistema sígnicos de representações e expressões;  Desenvolve as potencialidades perceptivas (pessoal/de mundo), imaginativas e expressivas na natureza e cultura;
  9. 9.  Percebe a produção cultural local e universal como produção histórica, contextualizando-as nas diferentes culturas;  Valoriza sua produção artística individual e/ou coletiva como produtor/fruidor/aprendiz;  Usa a variedade linguística apropriada à situação de produção e de circulação;  Revisa e reelabora os próprios textos, considerando gênero, objetivo, leitor, suporte e contexto de circulação;  Distingue os diversos recursos das linguagens, utilizados em diferentes sistemas de comunicação;  Conhece e valoriza os usos e funções sociais da escrita;  Progride nos saberes sensíveis, inventivos, técnicos, representacionais, ex- pressivos/comunicativos e reflexivos;  Conhece e reconhece as formas culturais, variedade de produtos e obras de arte, assim como produtores apreciadores, numa perspectiva histórica das obras/artistas e os modos de comunicação/publicação/uso da arte;  Aprecia e ressignifica as diferentes manifestações artísticas e culturais;  Reconhece e se apropria dos elementos básicos das formas artísticas, modos de articulação formal, técnicas, materiais e procedimentos na criação em artes.  Experiencia o processo criativo por meio de diversos suportes nas linguagens artísticas: (teatro, dança, artes visuais, música, cinema e arte midiática entre outros);  Vivencia os diferentes efeitos de
  10. 10. ÁREA– LINGUAGENS - 3º CICLO EIXOS ARTICULADOS CAPACIDADES DESCRITORES  Linguagens e processos de interação, re- presentação, leitura e prática.  Apropriação dos sistemas de representa- ção das linguagens.  Formação sociocultural nas diferentes  Compreender e utilizar as lin- guagens.  Ler, compreender e construir diferentes textos, considerando as condições de produção, recepção e circulação  Codificar, decodificar e res-  Reconhece a arte como produção his- tórica cultural da humanidade, respei- tando sua diversidade;  Reconhece o corpo em todas as suas dimensões;  Usufrui do corpo enquanto movimento;  Conscientiza-se do corpo e de suas possibilidades de movimento;  Reconhece as manifestações corporais sistematizadas;  Produz significado por meio das mani- festações corporais;  Respeita e ressignifica as práticas corporais;  Vivencia com autonomia as possibilida- des de movimentos; sentido pelos diferentes usos das linguagens;  Reconhece os discursos construídos pelas/ nas linguagens  Utiliza as manifestações das linguagens no seu cotidiano;  Amplia a compreensão dos processos históricos artísticos/culturais;  Observa, respeita e preserva o patrimônio cultural e natural identificando e diferenciando as características artísticas e estéticas.
  11. 11. linguagens. significar sistemas das diferentes linguagens.  Fazer uso social das diversas linguagens em diferentes situações de fruição e intera- ção.  Vivenciar e ressignificar as di- versas práticas de linguagens.  Compreender e valorizar a diversidade manifestada nas diferentes linguagens  Estabelece relações apropriando-se dos diferentes significados das práticas corporais;  Amplia os conhecimentos relacionados ao corpo e às suas possibilidades de movimento;  Associa palavras e expressões de um texto em LEM ao seu tema.  Expressa-se usando pronúncia e ento- nação apropriadas em LEM;  Entende, avalia e responde a instruções ligadas a situações de sala de aula;  Compreende regra e instruções (manu- ais, rótulos. em língua portuguesa e em LEM;  EEntende as informações em situações informais em LEM;  Compreende a linguagem como meio privilegiado de ter acesso aos conhe- cimentos indispensáveis para sua for- mação, bem como produzi-los sempre que necessário;  Articula informações textuais e conhe- cimentos prévios;  Reconhece-se como sujeito leitor e produtor de textos;  Faz uso proficiente da língua escrita e falada;  Valoriza a leitura como fonte de in- formação, via de acesso aos mundos criados pela literatura e possibilidade de fruição estética, sendo capazes de recorrer aos materiais escritos em fun- ção de diferentes objetivos;  Usa os conhecimentos adquiridos por meio da prática de reflexão sobre a lín- gua para expandirem as possibilidades de uso da linguagem e a capacidade de análise crítica;  Relaciona a produção cultural local e universal em sua produção histórica, contextualizando-as nas diferentes cul- turas.  Valoriza sua produção artística indivi- dual e/ou coletiva como produtor/frui- dor/aprendiz;  Amplia os conhecimentos sobre as possibilidades de movimento;  Usufrui conscientemente das práticas corporais;
  12. 12.  Inventa e reinventa novas práticas cor- porais de forma crítica e reflexiva;  Constrói novas possibilidades para a resolução de problemas relacionados ao movimento pertinente às práticas corporais;  Relaciona imagem ao texto em LEM;  Seleciona palavras-chave para reco- nhecer significados e inferir o sentido de expressões com base no contexto;  Aprecia texto literário escrito em Língua Estrangeira ou Língua Portuguesa.  Distingue os diferentes recursos das linguagens, utilizados em diferentes sistemas de comunicação;  Produz textos respeitando as caracte- rísticas do gênero a ser escrito: o tra- tamento do tema, a composição e o estilo;  Reconhece diferentes formas de tratar uma informação na comparação de textos do mesmo tema, em função das condições de produção e recepção;  Infere informações explícitas e implíci- tas.  Identifica as marcas linguísticas que evidenciam o locutor e o interlocutor de um texto;  Cria novas formas de representações de sistema sígnicos ao desconstruir e reconstruir o fazer artístico;  Vivencia os gestos que caracterizam cada elemento da Cultura Corporal de Movimento (dança, jogos, lutas, espor- tes, ginástica e conhecimento sobre o corpo);  Reinventa, a partir das práticas viven- ciadas, novos gestos-motores;  Reconhece os valores culturais repre- sentados em outras línguas e suas re- lações com a Língua Portuguesa;  Ler, de maneira autônoma, textos de gêneros variados;  Identifica o efeito de sentido produzido pela exploração de recursos linguisticos;  Estabelece relação entre o texto verbal e recursos gráfico-visuais;  Identifica a finalidade de um texto;  Reconhece as nuances de sentido que o emprego de palavras com propriedades
  13. 13. semânticas aproximadas provoca no contexto, observando a adequação aos objetivos do autor.  Utiliza os conceitos e procedimentos constituídos na prática de análise lin- guística;  Confirma antecipações e inferências realizadas antes e durante a leitura;  Percebe o valor dos sinais de pontuação para a obtenção dos efeitos de sentido pretendidos;  Apropria-se dos instrumentos de natu- reza procedimental e conceitual neces- sários para a análise e reflexão linguís- tica;  Cria produtos artísticos contextualiza- dos com a sua realidade;  Considera a influência das mídias na produção artística estética e poética;  Cria novos movimentos para as práticas vivenciadas, até mesmo novas práticas;  Aprofunda-se conceitualmente nos co- nhecimentos relacionados a Cultura Corporal de Movimento;  Organiza momentos para a realização de práticas corporais dos elementos da Cultura Corporal de Movimento (jogos, lutas, danças, esportes e ginásticas);  Infere o efeito de humor ou ironia em textos;  Identifica recursos linguísticos, proce- dimentos e estratégias discursivos.  Identifica diferenças ou semelhanças observadas no tratamento dado a uma mesma informação veiculada em dife- rentes gêneros discursivos;  Planeja o discurso oral levando em consideração as condições de produção, circulação e recepção;  Refleti sobre o emprego dos recursos linguísticos/gramaticais adequados à produção dos gêneros solicitados;  Seleciona procedimentos de leitura adequados a diferentes objetivos, inte- resses e gêneros;  Conhece e usa a língua estrangeira moderna como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais;  Aprofunda os saberes artísticos/esté- ticos produzidos historicamente e na
  14. 14. atualidade nas diversas linguagens;  Apropria-se dos meios tecnológicos para a construção do conhecimento em artes;  Adota atitudes de valorização das di- ferentes culturas: reconhecer a signi- ficância da Cultura Corporal de Movi- mento para a construção das diferentes identidades culturais;  Conhece o processo histórico da arte, reconhecendo as soluções estéticas encontradas pela humanidade nas pro- duções artísticas.  Identifica diferenças ou semelhanças observadas no tratamento dado a uma mesma informação veiculada em dife- rentes gêneros discursivos;  Planeja o discurso oral levando em consideração as condições de produção, circulação e recepção;  Refleti sobre o emprego dos recursos linguísticos/gramaticais adequados à produção dos gêneros solicitados;  Seleciona procedimentos de leitura adequados a diferentes objetivos, inte- resses e gêneros;  Conhece e usa a língua estrangeira moderna como instrumento de acesso a informações e a outras culturas e gru- pos sociais;  Aprofunda os saberes artísticos/esté- ticos produzidos historicamente e na atualidade nas diversas linguagens;  Apropria-se dos meios tecnológicos para a construção do conhecimento em artes;  Adota atitudes de valorização das di- ferentes culturas: reconhecer a signi- ficância da Cultura Corporal de Movi- mento para a construção das diferentes identidades culturais;  Conhece o processo histórico da arte, reconhecendo as soluções estéticas encontradas pela humanidade nas pro- duções artísticas.  Percebe-se e situa-se como leitor/pro- dutor de linguagens;  Entende uma proposta de produção textual, atendo-se à temática na cons-
  15. 15. trução de seu texto;  Monitora a própria escrita durante a produção de texto e revisa os próprios textos;  Reconhece e apropria-se das diversas manifestações artísticas e estéticas da cultura, regional, nacional e global;  Amplia a capacidade de reconhecer as intenções do enunciador;  Adere a ou recusa as posições ideoló- gicas sustentadas no discurso do outro;  Reconhece e atribui sentido aos recur- sos semânticos expressivos em textos;  Entende os gêneros literários como uma manifestação artística do ser humano;  Seleciona textos segundo seu interesse e necessidade.
  16. 16. ÁREA DAS CIÊNCIAS HUMANAS 1º CICLO EIXOS ARTICULADOS CAPACIDADES DESCRITORES  Cultura e Diversidade  Identidade  Temporalidade e Espacialidade  Paisagem e Lugar.  Alfabetização cartográfica  Reconhecer as formas e regras de convívio social nos diferentes grupos culturais e religiosos que compõem a sociedade.  Compreender as manifestações culturais como elementos de construção da identidade.  Desenvolver/construir noções de ética e cidadania.  Compreender a organização política da sociedade a partir de referenciais do contexto em que se insere.  Compreender as manifestações culturais e religiosas como conjunto de significado produzido pela ação do grupo social.  Construir conceitos de identidade e grupo social, desenvolvendo noções de respeito às diferenças socioculturais e religiosas.  Compreender o tempo como construção individual e coletiva e sociocultural  Estabelecer relações entre tempo, espaço geográfico e modos de vida  Estabelecer relações temporais, buscando referenciar no tempo os acontecimentos individuais e coletivos.  Registrar acontecimentos.  Reconhecer as relações existentes entre o mundo urbano, rural e urbano e  Estabelecer relação, comparando seme- lhanças e diferenças, entre os sujeitos do seu grupo social de convívio, valorizando a identidade cultural e social;  Reconhecer e respeitar a diversidade de hábitos culturais vivenciados por sua turma;  Identificar, em imagens, populações tradi- cionais e elementos de sua cultura e conhe- cimento;  Perceber semelhanças e diferenças culturais entre sua comunidade e outras comuni- dades, reconhecendo e valorizando a iden- tidade cultural e social;  Reconhecer e respeitar diferentes formas de organização das famílias;  Identificar bens materiais do patrimônio histórico-cultural, de sua cultura e de outros grupos;  Identificar, em imagens, pela forma de vestir e de se alimentar, diferenças culturais em cotidianos de crianças e religião e demons- trar interesse em conhecer outras formas de religiosidade;  Demonstrar atitudes de respeito à expressão e diversidade cultural religiosa no município e no estado de Mato Grosso;  Interpretar diferentes manifestações cultu- rais e religiosas por meio da leitura de textos narrativos poéticos, informativos, mapas, fotos, gravuras, obras de arte, música, cinema, desenhos, gráficos e tabelas entre outros;  Respeitar e valorizar as diferenças culturais do povo brasileiro, principalmente as herda- das dos africanos e dos indígenas, em co- mentários e desenhos;  Identificar as brincadeiras preferidas e com- parar com as brincadeiras de seus pais e familiares, fazendo a representação gráfica;  Estabelecer relação, comparando seme- lhanças e diferenças, entre os demais su- jeitos sociais de convívio, expressando-se por meio da linguagem musical, gestual, corporal
  17. 17. as interações que a sua coletividade estabelece com coletividades de outros lugares;  Construir noções sobre o conceito de paisagem e lugar como elementos constituintes da iden- tidade cultural (local e regional)  Compreender as transformações ocorridas ao longo do tempo no meio ambiente como ação tanto do homem como da natureza  Identificar elementos constituintes da paisagem local e regional: relevo, hidrografia, vegetação, fauna, população e outros. Conhecer as relações sociais municipais existentes entre mundo urbano, rural e urbano.  Estabelecer relações topológicas elementares, localizando elementos no espaço geográfico a partir de diferentes pontos de referência.  Desenvolver noções de escala de mapa, lateralidade e localização no espaço geográfico.  Demonstrar noções espaciais topológicas, projetivas e euclidianas e oral;  Representar oralmente ou por imagens os conhecimentos que tem sobre o lugar em que vive, outros lugares e a relação entre eles;  Reconhecer instrumentos de marcação e datação do tempo, tais como calendários, relógio, linhas do tempo e outros;  Observar, em sua própria comunidade, a permanência e mudança no cotidiano, on- tem, hoje e amanhã, percebendo a duração das atividades rotineiras e reconhecendo os agentes dessas mudanças;  Relacionar-se com nomenclaturas próprias e com diferentes formas de marcação tem- poral, compreendendo outras dimensões culturais como tempo virtual e ideia de si- multaneidade;  Compreender os registros como instrumen- tos fundamentais na socialização da memória social e das diversas experiências humanas no tempo;  Iniciar-se na produção de registros de con- teúdo histórico, em suas variadas formas, como textos escritos, desenhos, mapas, ro- teiros, fotografia, etc.  Conhecer diferentes fontes históricas, de naturezas diversas e que se apresentem por meio de linguagens e mídias variadas, iniciando-se em sua leitura e interpretação.  Utilizar o próprio corpo como ponto ao ex- plorar conceitos como longe e perto, ao lado, em cima e embaixo.  Reconhecer sua cidade e identificar seus traçados: ruas, viadutos, esquinas, avenidas, bairros, centro, sinais de trânsito e meios de transporte urbano;  Saber seu endereço e reconhecer a impor- tância social da moradia;  Descrever elementos de paisagens urbanas, rurais e urbanas;  Valorizar e respeitar a cultura urbana, rural e urbana, identificando em diferentes lin- guagens elementos que caracterizam esses espaços;  Identificar e descrever, em diferentes lingua- gens, os conceitos pertinentes à paisagem física: rio, bacia hidrográfica, rede hidrográ- fica, vegetação e clima;
  18. 18. ÁREA DAS CIÊNCIAS HUMANAS 2º CICLO EIXOS ARTICULADOS CAPACIDADES DESCRITORES  Identidade  Temporalida des e espacialidade s  Trabalho, Cultura e Sociedade  Natureza e sociedade: a construção do espaço geográfico, histórico e cultural de Mato Grosso.  Processos de formação histórico- social e econômica das regiões brasileiras.  Reconhecer-se e valorizar-se como sujeito de pertencimento histórico e sociocultural que interage e intervém em diferentes grupos.  Reconhecer lugares e tempos de vivências, suas representações no processo de formação e organização nos aspectos (culturais, políticos, econômicos, éticos e religiosos) em diversos âmbitos regionais (município, Estado, país).  Desenvolver a compreensão do significado do fenômeno religioso na construção da identidade do ser humano no contexto sócio-histórico e cultural  Construir conceitos de identidade e grupo social, desenvolvendo atitudes de respeito às di- ferenças;  Reconhecer as características identitárias dos diversos grupos – cidade, região, Estado – per- cebendo semelhanças e diferenças;  Reconhecer-se ao grupo de convívio como sujeito da História, além do reconhecimento de outros grupos em sua historicidade;  Identificar as características dos diversos grupos sociais, nos diferentes tempos e espaços – hábitos, costumes e manifestações artísticas e sociais;  Reconhecer as formas e regras de convívio social nos diversos grupos, culturais e religiosos, que compõem a sociedade;  Identificar e localizar a distribuição das populações  Estabelecer relações entre as atividades econômicas e a transformação da paisagem natural;  Evidenciar atitudes de proteção ao meio ambiente.  Utilizar desenhos (espaço bidimensional) ao representar conceitos como longe e perto, ao lado, em cima e embaixo;  Utilizar referenciais espaciais: ao lado de esquerda, direita, sobre, sob, atrás, à frente, ao lado, etc., estabelecendo relações a partir do próprio corpo;  Observar o espaço real, olhando as pessoas e objetos, explorando a imagem tridi- mensional;  Explorar a imagem do espaço bidimensional, através do desenho e recorte e da com- posição;
  19. 19.  Alfabetização cartográfica mato-grossense e brasileiro. Estabelecer e compreender as relações entre trabalho e a produção da cultura e transformação da sociedade, em seu processo de manifesta- ção humana.  Desenvolver as primeiras noções científicas relativas à astronomia;  Analisar e compreender os processos históricos e espaciais de ocupação, formação e transformação do território mato- grossense, tendo em vista as relações de trabalho, a incorporação de tecnologias e a qualidade de vida da população.  Compreender as interações entre ação humana com o meio natural, para que o es- tudante possa perceber- se como sujeito nesse processo com responsabilidade em re- lação ao meio ambiente.  Compreender os processos de formação socioeconômica, cultural e territorial do Brasil e sua regionalização.  Identificar os problemas ambientais relacionados à formação histórica do município, da região e do Estado.  Compreender e representar códigos e símbolos expressos em mapas, gráficos, textos, imagens, esquemas, cro- quis, tabelas e diagramas. tradicionais no território mato- grossense e brasileiro, reconhecendo seus direitos de cidadania;  Reconhecer e respeitar as práticas culturais das populações tradicionais (quilombolas, indí- genas e caiçaras, entre outros);  Compreender o fenômeno religioso na construção da identidade do ser humano no contexto sócio-histórico e cultural mato-grossense e bra- sileiro.  Compreender a historicidade presente em aspectos diversos da vida social, promovendo o processo de desnaturalização do mundo à sua volta;  Compreender o tempo cronológico, utilizando instrumentos de marcação e datação do tempo passado, presente, futuro, sucessão, simultaneidade, mudanças, permanências, semelhanças e diferenças; Compreender o tempo como construção social e a temporalidade histórica em suas várias dimensões: cronológica, de durações e de diferentes ritmos de tempo vivenciados socialmente, reconhecendo outras dimensões culturais como, por exemplo, o tempo virtual;  Distinguir práticas sociais e bens culturais como construções coletivas, que resultam das experiências de diferentes grupos sociais espacialmente situados, por meio dos tempos;  Analisar a historicidade presente em aspectos diversos da vida social, promovendo o processo de desnaturalização do mundo à sua volta;  Demonstrar compreensões de que o saber histórico é um processo de construção permeado de conflitos, relações de poder, abordagens e pontos de vista diferenciados que envolvem os sujeitos em suas temporalidades;  Compreender e reconhecer a luta das populações tradicionais em defesa de seus direitos e da
  20. 20. própria construção de sua cultura;  Demonstrar atitudes de respeito à expressão e diversidade cultural religiosa na cidade, no Estado de Mato Grosso, no Brasil e no mundo, vedadas quaisquer formas de proselitismo;  Analisar e comparar questões relativas à astronomia partindo do senso comum às primeiras noções científicas;  Identificar os movimentos realizados pelos corpos celestes no sistema solar;  Reconhecer, valorizar e respeitar a sociodiversidade como patrimônio cultural dos seres humanos;  Identificar as paisagens dos domínios morfoclimáticos brasileiros, reconhecendo sua tropicalidade e a forma de territorialização da natureza pelas culturas locais;  Compreender os processos de interação dos seres humanos e meio ambiente, conhecendo os impactos ambientais que resultam dessa interação, desenvolvendo atitudes de preservação e conservação ambiental;  Identificar a ação da sociedade e da natureza na construção das diferentes paisagens;  Entender a problemática socioambiental como decorrência das relações entre sociedade e natureza, e das relações entre as pessoas, sob determinadas formas de organização socioespacial;  Identificar e comparar características de seu entorno local: o clima, as características da superfície e as atividades exercidas por seus habitantes que envolvam relações espaciais e ambientais;  Participar de discussões e ações acerca dos limites de uso dos bens naturais pela sociedade;  Compreender a relação entre o crescimento urbano e as mudanças
  21. 21. na vida da cidade e do campo;  Relacionar diferentes tipos de atividades humanas em sua cidade e regiões rurais e associá-las com outros lugares;  Compreender as relações existentes entre práticas culturais e econômicas, de modo a desenvolver noções de responsabilidade social e coletiva quanto à preservação e conservação do ambiente;  Descrever as relações campo e cidade, tendo como referência o lugar em que vive e o espaço brasileiro;  Compreender que os produtos agropecuários ou industrializados e outros são provenientes de diferentes regiões e que chegam ao nosso cotidiano pela interligação dos lugares por intermédio da rede de transportes;  Comparar diferentes lugares do planeta Terra, em textos e em imagens, tendo como referência o seu lugar no mundo;  Comparar diferentes modelos de ocupação urbana e rural;  Interpretar, nas paisagens rurais e urbanas, a espacialidade socialmente construída e as múltiplas tem- poralidades que elas contêm;  Conhecer as relações existentes entre o mundo urbano, rural e rurbano e as interações que sua coletividade estabelece com coletividades de outros lugares.  Identificar as atividades econômicas envolvidas nos produtos de seu cotidiano: comercialização, indústria, agricultura, pecuária e serviços;  Problematizar e arguir sobre práticas relacionadas ao acondicionamento e transporte de produtos, ao rea- proveitamento de materiais e à coleta seletiva de lixo;  Argumentar sobre os impactos que o estilo de vida e os hábitos de consumo exercem sobre os ecossistemas naturais, demonstrando proposições de ações interventivas;  Conhecer e discutir a interdependência entre os ele- mentos naturais;  Identificar nas paisagens da cidade e do campo os arranjos que explicam o lugar, o território e o tempo em relação à qualidade de vida e justiça social;  Problematizar os valores que têm norteado os padrões de produção e consumo na sociedade atual;
  22. 22.  Problematizar a sociedade de consumo e o esbanjamento dos recursos naturais, estabelecendo relação entre consumismo e desperdício;  Relacionar os atuais padrões de produção e consumo insustentáveis com os tipos de poluição (ar, água e solo), o aquecimento do planeta (efeito estufa), o lixo e as desigualdades sociais;  Compreender a dimensão social da relação entre sociedade e natureza e os problemas socioambientais decorrentes do uso/abuso dos bens naturais pela sociedade urbano- industrial;  Propor projetos de intervenção na realidade socioespacial que envolvam ações de conservação das paisagens urbanas e rurais;  Propor atitudes conservacionistas em relação aos resíduos sólidos, ao saneamento básico, ao abaste- cimento de água, à produção de alimentos, às áreas de lazer e aos bens públicos do patrimônio comum;  Participar de discussões e ações acerca dos limites de uso dos bens naturais pela sociedade.  Usar a construção de maquetes para representar diferentes fenômenos da dinâmica terrestre e das realidades socioespaciais.  Ler mapas temáticos a partir de indicadores econômicos e Sociais. ÁREA DAS CIÊNCIAS HUMANAS – 3º CICLO EIXOS ARTICULADOS CAPACIDADES DESCRITORES Fronteiras e Identida- des Trabalho, Economia e Sociedade Natureza e Sociedade  Construir conceitos de identidade e grupo social, desenvolvendo noções de respeito às diferenças;  Reconhecer as formas e regras de convívio social nos diversos grupos que compõem a sociedade; Reconhecer os processos de formação das territorialidades de diferentes sociedades e  Identificar os limites e as fronteiras que separam os territórios nacionais;  Distinguir os variados povos e culturas existentes em diferentes espacialidades do Brasil e do mundo;  Concluir que alguns povos do mundo não possuem soberania sobre o território em que vivem;  Identificar e analisar a existência de movimentos nacionalistas e/ou totalitários e suas
  23. 23. Estados, analisando seus significados no processo histórico, de modo a compreender conflitos e tensões sociais, geopolíticas e culturais, da atualidade;  Compreender características demográficas do Brasil;  Perceber os espaços de memórias como identificadores de hábitos, costumes e tra- dições, pertencentes a grupos distintos, estimulando a preservação do patrimônio como museus, bibliotecas, sítios arqueológicos e outros.  Reconhecer a influência do meio ambiente na formação histórica do Brasil e do mundo;  Caracterizar as formas de apropriação dos territórios nos processos de produção, analisando as consequências políticas e culturais dos setores econômicos em relação à divisão internacional do trabalho no mundo glo- balizado;   Reconhecer os conflitos territoriais, problematizando seu passado, presente e futuro, analisando as vivências como suscetíveis de transformação.  Perceber o conhecimento como a reelaboração de muitos saberes, delineando o que conhecemos por sa- ber histórico.  Reconhecer que a participação dos sujeitos históricos, nos diferentes grupos so- consequências em diversos lugares do mundo;  Distinguir diferentes tipos de projeções cartográficas;  Comparar e analisar as fronteiras nacionais e a configuração territorial dos países do mundo, deduzindo que estes podem sofrer alterações;  Concluir que em diversos lugares do mundo existem conflitos em áreas de disputa por fronteiras;  Identificar as razões históricas dos conflitos existentes na África e na Ásia;  Debater sobre a importância da ONU na geopolítica mundial;  Identificar a contribuição dos vários grupos sociais na formação sociocultural do Brasil;  Reconhecer, nos relatos das pessoas, imagens, obras de arte e museus processos de transformação social que ocorrem em diferentes contextos da sociedade, utilizando-os como fonte de conhecimento;  Identificar as formas de organização das relações sociais em diversos âmbitos do Brasil reconhecendo o papel dos diferentes grupos;  Demonstrar respeito com manifestações e práticas culturais diferentes das suas, ob- servadas pelo professor em suas relações interpessoais com os colegas;  Identificar e compreender os principais problemas sociais brasileiros, analisando suas causas;  Reconhecer os processos de transição demográfica do Brasil e suas consequências socioeconômicas;  Localizar em mapas as principais concentrações demográficas do Brasil;  Construir formas variadas, criativas e convencionais (gráficos, tabelas e pirâmides etárias entre outras) de representações e localizações dos dados demográficos.  Debater e refletir sobre a
  24. 24. ciais, possibilita situações cotidianas de luta por transformações e/ou permanências.  Desenvolver noções de preservação e conservação ambiental;  Estabelecer a relação entre as manifestações culturais e a sociedade;  Desenvolver/construir noções de ética e cidadania;  Compreender e explicar os modelos de desenvolvimento adotados pelo sistema capitalista e seus impactos no meio ambiente.  Entender que cada lugar da superfície terrestre possui uma paisagem com características particulares, formada pela combinação dos di- ferentes elementos naturais e/ou culturais, estabelecendo relações entre o espaço urbano, rurbano e rural nas dimensões econômicas, sociais, culturais e políticas globalização como um processo de integração cada vez mais efetiva do espaço virtual mundial;  Refletir como o processo de globalização intensificou a desigualdade entre os países do mundo;  Entender que o trabalho está presente em todas as atividades humanas, percebendo as diversas formas de produção e organi- zação da vida social;  Compreender e analisar os fenômenos geográficos em suas diferentes escalas (local, regional, nacional e global);  Produzir textos analíticos e interpretativos sobre os processos históricos, compreen- dendo o trabalho como elemento primordial nas transformações históricas;  Analisar e julgar os apelos consumistas impostos pela sociedade moderna;  Identificar o processo de expansão das multinacionais em escala planetária como uma característica do processo de globalização;  Debater sobre as relações de dominação, subordinação e resistência que fazem parte das construções políticas, sociais e econômicas que permeiam o mundo do trabalho;  Deduzir que o surgimento das multinacionais alterou a participação de inúmeros países na atual Divisão internacional do Trabalho;  Refletir e analisar que o desenvolvimento das tecnologias de informação contribuiu para intensificar o fluxo de capitais e informações em escala planetária;  Perceber que o ritmo do trabalho e duração do tempo é resultante dos fenômenos sociais e construções culturais;  Identificar e reconhecer as principais características dos  Blocos Econômicos no mundo;  Reconhecer que o agravamento
  25. 25. dos problemas ambientais está relacionado à intensa exploração da natureza;  Materializar textualmente a importância da construção de relações de transformação, permanência, semelhança e diferença entre o presente, o passado e os espaços local, regional, nacional e mundial.  Estabelecer relação entre o aumento do consumo e o esgotamento dos recursos naturais do planeta;  Analisar os impactos ambientais decorrentes das atividades humanas;  Utilizar diferentes linguagens na interpretação de um fenômeno histórico e geográfico;  Debater acerca da vida social, do passado e do presente na dimensão individual, social e política, identificando a influência da mídia nesse processo;  Identificar e analisar as práticas sociais coletivas que apontem para a preservação ou conservação da natureza;  Identificar e compreender a dinâmica da natureza como um dos responsáveis pela configuração atual (criação e recriação) da superfície terrestre;  Materializar em práticas os conceitos trabalhados acerca da preservação e conservação, observando, principalmente, essas relações desenvolvidas no ambiente da escola;  Transpor o conceito de sustentabilidade aliada à reprodução do capital para uma concepção de corresponsabilidade entre todos os grupos sociais e a preservação planetária;  Identificar e compreender a dinâmica da natureza como um dos responsáveis pela configuração atual (criação e recriação) da superfície terrestre;  Compreender que as sociedades humanas transformam as paisagens naturais e culturais de acordo com as condições técnicas
  26. 26. de que dispõem;  Elencar os motivos que levam povos ou grupos à perda de sua identidade cultural a partir da incorporação de hábitos e cos- tumes que não fazem parte de seu tradicional modo de vida;  Identificar e analisar o patrimônio cultural e ambiental do território e sua dinâmica, aprimorando atitudes e valores individuais e sociais.  ÁREA DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E MATEMÁTICA 1º CICLO EIXOS ARTICULADOS CAPACIDADES DESCRITORES Representação e co- municação  Identificar, ler, interpretar e utilizar em forma oral e escrita: símbolos, códigos e no- menclaturas científicas.  Conhecer, escrever, representar e argumentar os co- nhecimentos científicos na sua construção como ser social.  Realizar diferentes agrupamentos e reagrupamentos na contagem e nas operações fundamentais.  Reconhecer e utilizar características do sistema de numeração decimal (agrupamentos, trocas na base 10 e o princípio do valor po- sicional).  Interpretar e produzir escritas numéricas de acordo com as regras e símbolos do Sistema de Numeração Decimal.  Comparar quantidades por meio de processos numéricos ou geométricos.  Calcular o resultado das operações de adição, subtração, multiplicação e divisão de números naturais.  Utilizar em cálculos a composição e decomposição de números naturais em parcelas, fatores ou em diversas ordens (unidade, de- zena, centena).  Comunicar, registrar e inter-
  27. 27. relacionar noções de natureza e sociedade, percebendo-se como ser humano interdependente do ambiente natural e modificado.  Contar e registrar quantidades de objetos de coleções utilizando-se de estratégias próprias.  Identificar e representar algumas unidades de medidas de tempo, comprimento, sistema monetário, massa, área e volume.  Identificar e representar algumas formas geométricas. Investigação e com- preensão  Investigar em dada situação- problema as informações relevantes construindo estratégias para resolvê-las.  Identificar e compreender os fenômenos naturais e grandezas matemáticas.  Selecionar e utilizar instrumentos de mediação e de cálculo, representar dados numéricos e algumas formas geométricas, utilizar escalas, levantar hipóteses e comparar resultados. Realizar experimentos simples com materiais e objetos no/do ambiente para investigar alguns fenômenos naturais e relatá-los.  Conhecer os diferentes significados da adição ou subtração, multiplicação e divisão nas situações-problemas com o uso de estratégias pessoais e de técnicas convencionais ou não- convencionais.  Reconhecer regularidades e padrões em diferentes situações- problemas.  Observar e Identificar no ambiente natural e modificado – alguns aspectos dos fenômenos e recursos naturais: água, ar, solo, calor e luz solar.  Comparar grandezas padronizadas e não- padronizadas utilizando algumas unidades de medidas.  Identificar operações adequadas para resolver uma dada situação- problema (adição, subtração e/ou multiplicação e divisão).  Resolver situações-problemas que envolvam a construção de algoritmo para o cálculo de resultados das operações fundamentais com números naturais.  Utilizar a tecnologia como meio de investigação de alguns
  28. 28. conhecimentos científicos e matemáticos.  Identificar, organizar, interpretar e elaborar listas, tabelas e gráficos simples, a partir de situações-problemas e/ou informações pessoais.  Distinguir e classificar figuras planas e sólidos geométricos (poliedros – prismas e pirâmides; corpos redondos – cones, cilindros e esferas) em coleções.  Identificar e relacionar medidas de tempo (hora, dia, semana, mês e ano), utilizando relógio e calendário, compreendendo alguns fenômenos naturais (dia/noite, estações do ano e ciclos de vida, entre outros). Reconhecer e utilizar em situações-problemas, as unidades usuais de medidas: tempo, sistema monetário, comprimento e massa. Contextualização sociocultural  Interagir e trabalhar de forma coletiva, possibilitando a per- cepção de forma crítica do mundo em constante transformação.  Compreender os conhecimentos científicos e tecnológicos como resultados de uma construção humana, inseridos em um processo histórico e social.  Conhecer e utilizar algumas tecnologias, suas relações com as ciências, seu papel na vida humana e seus im- pactos na vida social.  Relacionar-se socialmente, respeitando a diversidade cultural, social e sexual.  Conhecer os modos de produção artesanal e industrial evidenciando a necessidade ra- cional de bens de consumo e a sua relação com a qualidade de vida humana e sustentabilidade planetária.  Desenvolver noções de consumo racional adotando hábitos de conservação e preservação do meio ambiente e dos sistemas vi- vos.  Perceber a ciência e a tecnologia como meio de apropriação de alguns conhecimentos científicos e matemáticos para compreender as relações humanas, ambientais e sociais.  Compreender a saúde pessoal, social e ambiental como bens individuais e coletivos que devem ser promovidos pela ação de diferentes agentes.  Estabelecer pontos de referência
  29. 29.  Conhecer algumas noções de saúde corporal/ambiental. Construir noções e alguns conceitos interativos de Ciência e Tecnologia contex- tualizada nas relações entre ser humano, sociedade e natureza. para situar-se, posicionar-se e deslocar-se no espaço, bem como para identificar relações de posição entre objetos no espaço.  Reconhecer em diferentes contextos cotidianos e históricos os números naturais.  Reconhecer e valorizar a importância do relacionamento interpessoal, respeitando a di- versidade cultural, social e sexual.  Valorizar o próprio corpo e os cuidados necessários à manutenção da saúde corporal/ ambiental.  Compreender a tecnologia como meio para suprir necessidades humanas, distinguindo benefícios e riscos à vida e ao ambiente. Conhecer, perceber e identificar as consequências das ações humanas na natureza quando estas interferem no seu equilíbrio. ÁREA DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E MATEMÁTICA – 2º CICLO EIXOS ARTICULADOS CAPACIDADES DESCRITORES Representação e comu- nicação  Utilizar e Interpretar na forma oral e escrita: símbolos, códigos e nomenclaturas científicas.  Ler, identificar, interpretar e representar formas geométricas.  Ampliar e ressignificar as noções construídas dos conhecimentos científicos, associando-os à energia e matéria, às transformações, ao espaço e tempo, aos sistemas, ao equilíbrio e à vida.  Comunicar, registrar e inter- relacionar conhecimentos da natureza e sociedade, percebendo-se como ser humano interdependente do ambiente natural e modificado.  Reconhecer e representar formas geométricas e suas propriedades.  Comparar, representar e descrever quantidades por meio de processos numéricos ou geométricos.  Reconhecer, identificar e representar unidades de medidas de tempo, comprimento, sistema monetário, massa, perímetro, área e volume.
  30. 30.  Ler e interpretar em situações-problemas informações veiculadas em: imagens, tabelas, gráficos e mapas.  Identificar características de acontecimentos previsíveis ou aleatórios a partir de situações- problemas, utilizando recursos estatísticos e probabilísticos.  Interpretar e produzir escritas numéricas de acordo com as regras e símbolos do Sistema de Numeração Decimal.  Reconhecer e utilizar a composição e decomposição de números naturais nas suas diversas ordens.  Representar e identificar a localização/movimentação de objeto em mapas, croquis e outras re- presentações gráficas.  Ler, interpretar e utilizar informações e dados coletados por meio de fatos e fenômenos do cotidiano, bem como os apresentados em listas, diagramas, tabelas e gráficos na resolução de situações-problemas. Identificar a fração como representação que pode estar associada a diferentes significados. Investigação e com- preensão  Investigar e compreender situações-problemas, construindo estratégias para resolvê-las.  Caracterizar e compreender os fenômenos naturais e grandezas matemáticas.  Selecionar e utilizar instrumentos de medição e de cálculo, representar dados numéricos e formas geométricas, utilizar escalas, levantar hipóteses e comparar resultados.  Realizar experimentos com materiais e objetos no/do ambiente para investigar alguns fenôme- nos naturais e descrevê- los.  Integrar e sistematizar fenômenos e teorias científicas articulando os diferentes conheci- mentos e saberes.  Conhecer e perceber as características em acontecimentos previsíveis ou aleatórios a partir de situações- problemas, utilizando recursos estatísticos e probabilísticos.  Aprofundar os conceitos de ar, água, luz e calor, identificando processos e técnicas de medidas em quantificação.  Resolver situações-problemas que envolvam a construção de algoritmo para o cálculo de resultados das operações fundamentais com números racionais.  Conhecer, identificar e construir as representações equivalentes e localizar os números na reta numérica, comparando quantidades na forma decimal e fracionária.  Resolver situações-problemas, utilizando os diferentes agrupamentos e reagrupamentos, na contagem e nas operações fundamentais, ampliando o uso das características do sistema de numeração decimal.  Compreender e manusear adequadamente técnicas de medidas e tecnologias na construção do conhecimento.  Recolher dados sobre fatos e fenômenos do cotidiano, utilizando procedimentos de organização, e expressar o resultado utilizando tabelas e gráficos.  Reconhecer e utilizar os diferentes significados da adição ou subtração, multiplicação e divisão nas situações- problemas com o uso de estratégias
  31. 31.  Conhecer, localizar e perceber a Terra como parte de um sistema planetário.  Conhecer algumas noções de ecologia.  Conhecer e aplicar noções básicas de saúde. pessoais e de técnicas convencionais ou não-convencionais.  Reconhecer, utilizar e reestruturar em situações-problemas as unidades usuais de medidas tempo, sistema monetário, comprimento e massa, capacidade, volume e superfície estabelecendo relações entre as mesmas.  Estabelecer pontos de referência para situar-se, posicionar-se e deslocar-se no espaço, bem como para identificar relações de posição entre objetos.  Conhecer noções de matéria, substâncias e misturas e suas transformações físicas.  Reconhecer regularidades e padrões em experimentos e fenômenos em diferentes situações-problemas.  Identificar, distinguir, descrever e construir, a partir de propriedades comuns, diferentes figuras planas, e sólidos geométricos (poliedros – prismas e pirâmides; corpos redondos – cones, cilindros e esferas) relacionando figuras tridimensionais com suas planificações.  Observar e identificar simetrias.  Utilizar a tecnologia como meio de investigação de alguns conhecimentos científicos e matemáticos.  Identificar, organizar, interpretar e elaborar listas, tabelas e gráficos, a partir de situações-problema.  Perceber a Terra enquanto componente do sistema planetário, sua dimensionalidade frente ao Universo e sua localização espacial e temporal.  Perceber a Terra como sistema vivo, sujeito a transformações.  Conhecer e perceber a existência e as noções de organização dos sistemas vivos a partir das inter- relações, evidenciando as ações antrópicas.  Identificar ciclos e características de
  32. 32. agentes patológicos, compreendendo a importâncias das vacinas no processo de manutenção da saúde. Contextualização sociocultural  Interagir e trabalhar coletivamente, possibilitando a percep- ção de forma crítica do mundo em constante transformação, selecionando e organizando co- nhecimentos.  Compreender e explorar o conhecimento científico e tecnológico como resultado de uma construção humana, inserido em um processo histórico e social.  Perceber e respeitar diversidade cultural, social e sexual, saúde corporal/ambiental e di- reitos humanos reconhecendo-se como sujeito integrante do meio.  Ampliar os conceitos interativos de Ciência e Tecnologia Con- textualizada nas relações entre o ser humano, a sociedade e a natureza.  Compreender a presença do ser humano e sua relação com o universo despertando curiosidade e reflexão sobre nossas origens e a do universo.  Reconhecer em diferentes contextos cotidianos, históricos e culturais os conhecimentos ma- temáticos.  Compreender a saúde pessoal, social e ambiental, como bens individuais e coletivos que devem ser promovidos pela ação de diferentes agentes.  Reconhecer e identificar as conseqüências das ações humanas nas inter-relações entre os sistemas vivos como condição essencial ao equilíbrio e à manutenção da vida.  Compreender a ciência e a tecnologia como meio de apropriação de alguns conhecimentos científicos, nas relações humanas, ambientais e sociais.  Perceber-se como sujeito integrante de um meio e respeitar a diversidade cultural, social, sexual do mesmo.  Perceber que o Brasil é um estado laico e democrático não cabendo nenhum tipo de discriminação e preconceito.  Conhecer a morfologia e fisiologia do corpo e reconhecê-lo como um elemento que merece respeito e que precisa ter cuidados para manutenção da saúde física, social e mental.  Identificar, compreender, e comparar as diversas epidemias e endemias.  Reconhecer e diferenciar modos de produção artesanal e industrial evidenciando a necessidade solidária de bens de consumo e a sua relação com a qualidade de vida humana e sustentabilidade planetária.  Compreender a presença do ser humano e sua relação com o Universo, despertando a curiosidade e a reflexão sobre nossas origens.  Reconhecer que os conhecimentos matemáticos são frutos de uma construção histórica e cultural.
  33. 33. AREA DE CIENCIAS DA NATUREZA E MATEMÁTICA – 3º CICLO EIXOS ARTICULADOS CAPACIDADES DESCRITORES Representação e comunicação  Relatar e sistematizar eventos, fenômenos e experimentos, uti- lizando-se da comunicação oral e escrita de forma a interpretar e compreender o uso de símbolos, códigos e nomenclaturas científicas.  Representar, identificar e esboçar a localização/movimentação de objeto em mapas, croquis e outras representações gráficas.  Ler, interpretar e resolver situações- problemas a partir de informações veiculadas em imagens, tabelas, gráficas e mapas.  Comunicar, registrar e inter- relacionar conhecimentos da natureza e sociedade, percebendo-se como ser humano interdependente do ambiente natural e modificado.  Identificar, compreender, relacionar e utilizar as representa- ções geométricas e trigonométricas no cotidiano.  Comparar, representar e descrever quantidades por meio de processos numéricos, geométricos e trigo- nométricos.  Manusear, com destreza, os instrumentos de medição e desenho.  Reconhecer e construir formas geométricas a partir de simetria, pontos, segmentos ou planos que mudam de direção, gira ou refletem, percebendo as relações com os fenômenos naturais.  Construir formas geométricas a partir das propriedades dos ângulos de um polígono regular utilizando softwares.  Utilizar recursos estatísticos e probabilísticos, prevendo e identificando características de acontecimentos a partir de situações-problemas.  Ler, interpretar e utilizar informações e dados coletados por meio de fatos e fenômenos do cotidiano, bem como os apresentados em listas, diagramas, tabelas e gráficos na resolução de situações-problemas.  Recolher dados sobre fatos e fenômenos do cotidiano, utilizando procedimentos de organização, e ex- pressar o resultado utilizando tabelas e gráficos.  Ler, compreender e explorar a disposição dos números Reais na reta numérica.  Identificar a fração como representação que pode estar associada a diferentes significados.  Resolver e representar situações- problemas envolvendo números Reais e as operações de adição, subtração, multiplicação, divisão, potenciação, radiciação e suas propriedades.  Recursos Tecnológicos  Utilizar os recursos tecnológicos como instrumento de pesquisa, produção e comunicação do conheci- mento científico.  Construir os primeiros conceitos relacionados  Perceber a Terra enquanto componente do sistema planetário,
  34. 34. Investigação e compreensão às teorias da origem e da evolução do universo e da vida. sua dimensionalidade frente ao Universo e sua localização espacial e temporal.  Compreender a presença do ser humano e sua relação com o Universo, despertando curiosidade e reflexão sobre nossas origens.  Perceber a inter-relação entre ser humano e Universo  Conhecer, caracterizar e compreender a diversidade biológica e variabilidade genética existentes no planeta, enfatizando os ecossistemas  Conhecer noções básicas de genética  Perceber a influência da genética na biotecnologia e seus impactos  Conhecer e construir os primeiros conceitos relacionados à energia, ao movimento e à ma- téria e substância.  Identificar modelos atômicos e transformações no âmbito da matéria e energia.  Conhecer, construir e utilizar conceitos de pontos de referência, deslocamento, energia, matéria e substância.  Identificar no cotidiano a interface dos referenciais de deslocamento, energia, matéria e substância.  Identificar, compreender e resolver situações- problemas envolvendo os números Reais.  Utilizar os diferentes agrupamentos e reagrupamentos, na contagem e nas operações fundamentais, e ampliar os conhecimentos de potenciação e radiciação.  Investigar, Identificar, caracterizar e compreender os fenô- menos naturais e grandezas matemáticas, relacionando-os com as situações cotidianas, percebendo as noções fundamentais da matéria e energia e suas transformações.  Identificar e compreender conceitos de movimento, energia, matéria e substância em situações cotidianas, construindo estratégias para resolvê- las.  Identificar, compreender e caracterizar matéria, substâncias e misturas e suas transformações físico-químico-biológicas.  Construir os primeiros conceitos de investigação científica, utilizando o “método científico”.  Realizar pesquisa utilizando-se do “método científico”, levantando hipóteses e comparando resultados.  Compreender, utilizar e representar sistemas e instrumentos de medida e de cálculo, dados numéricos, formas geométricas escalas, levantando hipóteses e comparando resultados.  Selecionar e utilizar instrumentos de medida de tempo, comprimento, sistema monetário, massa, área, vo- lume e de cálculo, relacionando-os às escalas.  Representar dados numéricos e formas geométricas.  Compreender e utilizar adequadamente os instrumentos de medida e de cálculo.
  35. 35.  Identificar, distinguir, descrever e ampliar a construção das diferentes figuras planas e espaciais, rela- cionando figuras tridimensionais com suas planificações.  Compreender a dinâmica da ma- nutenção dos sistemas vivos e suas relações com os fenômenos naturais, evidenciando a interdependência destes, o todo dinâmico e suas suscetibilidades.  Compreender a organização dos sistemas vivos a partir das inter- relações, evidenciando as ações an- trópicas.  Conhecer e compreender o fun- cionamento dos sistemas aná- tomofisiológicos, relacionando-o com a qualidade de vida.  Compreender e identificar as consequências das ações humanas nas inter-relações entre os sistemas vivos como condição essencial ao equilíbrio e à manutenção da vida.  Conhecer e compreender o funcionamento dos sistemas vivos, principalmente do corpo humano.  - Compreender o funcionamento e os cuidados com o próprio corpo. Contextualização sociocultural  Relacionar, compreender e explorar o conhecimento científico e a tecnologia, como resultado de uma construção humana, inseridos em um processo histórico e social, elaborando juízo sobre riscos e benefícios sobre o ambiente.  Argumentar e posicionar-se criticamente, utilizando a tecnologia como meio de investigação em relação a temas científicos e matemáticos.  Identificar e utilizar, em diferentes contextos cotidianos, históricos e culturais os conhecimentos matemá- ticos.  Utilizar ciência e tecnologia para construção de conhecimentos científicos nas relações humanas, ambientais e sociais.  Compreender e respeitar a diversidade cultural, social e sexual, enquanto direito humano, reconhecendo-se como sujeito integrante do meio.  Compreender que os papéis de gênero são resultados de construções socioculturais.  Compreender que a orientação sexual é resultado de fatores psicológicos, genéticos, sociais e culturais sendo, portanto, imprescindível respeitá-la enquanto direito humano.  Compreender a origem histórico- geográfica das diversas culturas e etnias que compõem a sociedade e respeitá-las.  Reconhecer e diferenciar modos de produção artesanal e industrial, evidenciando a necessidade solidária de bens de consumo e sua relação com a qualidade de vida humana e sustentabilidade planetária.  Compreender e  Compreender que a qualidade de
  36. 36. identificar que a saúde corporal e ambiental influencia na qualidade de vida. vida é oriunda de um ambiente limpo e saudável e as alterações, que nele ocorram, causam impacto direto na vida das pessoas.  Compreender e identificar as ações de higiene pessoal, social e ambiental indispensáveis à promoção da saúde.  Compreender, identificar e comparar as diversas endemias presentes em cada região.  Identificar e compreender a influência dos hábitos e costumes culturais na saúde da sociedade.  Identificar, compreender e explorar os conhecimentos cien- tíficos e tecnológicos presentes no cotidiano.  Identificar os elementos matemáticos e científicos presentes nos instrumentos tecnológicos do dia-a-dia.  Utilizar conscientemente os instrumentos científicos e tecnológicos, compreendendo que foram construídos por meio de conhecimentos acumulados coleti- vamente pela sociedade.  Identificar na mudança dos hábitos e costumes os conhecimentos matemáticos, científicos e tecnológicos construídos no processo de aprendizagem. ENSINO MÉDIO REGULAR SERIADO Sendo o ensino Médio uma etapa final da educação básica, com duração mínima de três anos, terá como objetivos:  A consolidação e o aproveitamento dos conhecimentos adquiridos no ensino fundamental, possibilitando o prosseguimento dos estudos;  A preparação básica para o trabalho e a cidadania do educando para continuar aprendendo de modo a ser capaz de se adaptar com flexibilidade a novas condições de ocupação ou aperfeiçoamento posterior;
  37. 37.  O aprimoramento do educando como pessoa humana, incluindo a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico;  A compreensão dos fundamentos científico-tecnológicos dos processos produtivos, relacionando a teoria com a prática, no ensino de cada disciplina. Síntese dos Objetivos dos Conteúdos Programáticos do Ensino Médio O currículo do ensino Médio agora organizado em três áreas de conhecimento escolar fundamenta-se nos eixos de representação e comunicação, investigação e compreensão e na contextualização sociocultural. As disciplinas integrantes de cada área de conhecimento, levando em consideração os eixos apontados têm a finalidade de desenvolver as competências e habilidades específicas. Assim, para cada área teremos as disciplinas pertinentes, bem como a indicação dos conhecimentos e habilidades a serem desenvolvidas. a) Área de Linguagens, Códigos e suas Tecnologias:  Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes linguagens e suas manifestações específicas;  Utilizar-se das linguagens como meio de expressão, informação e comunicação, em situações intersubjetivas, que exijam graus de distanciamento e reação sobre os contextos e estatutos dos interlocutores; e colocar-se como protagonista no processo de produção/recepção;  Compreender e usar a Língua Portuguesa como língua materna, geradora de significação e integradora da organização de mundo e da própria identidade;  Aplicar as tecnologias da comunicação e da informação na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para a sua vida;
  38. 38.  Analisar, interpretar e aplicar os recursos expressivos das linguagens, relacionando textos com seus contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura das manifestações, de acordo com as condições de produção/recepção (intenção, época, local, interlocutores participantes da criação e propagação de ideias e escolhas, tecnologias disponíveis etc.);  Recuperar, pelo estudo, as formas instituídas de construção do imaginário coletivo, o patrimônio representativo da cultura e as classificações preservadas e divulgadas, no eixo temporal e espacial;  Articular as redes de diferenças e semelhanças entre as linguagens e seus códigos;  Conhecer e usar línguas estrangeiras modernas como instrumento de acesso a informações, a outras culturas e grupos sociais;  Entender os princípios das tecnologias da comunicação e da informação, associá-las aos conhecimentos científicos, às linguagens que lhes dão suporte e aos problemas que se propõem a solucionar;  Entender a natureza das tecnologias da informação como integração de diferentes meios de comunicação, linguagens e códigos, bem como a função integradora que elas exercem na sua relação com as demais tecnologias;  Considerar a linguagem e suas manifestações como fontes de legitimação de acordos e condutas sociais, e sua representação simbólica como forma de expressão de sentidos, emoções e experiências do ser humano na vida social;  Compreender e usar os sistemas simbólicos das diferentes linguagens como meios de organização cognitiva da realidade pela constituição de significados, expressão, comunicação e informação;
  39. 39.  Respeitar e preservar as manifestações da linguagem, utilizadas por diferentes grupos sociais, em suas esferas de socialização;  Usufruir do patrimônio nacional e internacional, com as suas diferentes visões de mundo;  Construir categorias de diferenciação, apreciação e criação;  Entender o impacto das tecnologias da comunicação na sua vida, nos processos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social. LÍNGUA PORTUGUESA  Confrontar opiniões e pontos de vista sobre as diferentes manifestações da linguagem verbal;  Compreender e usar a Língua Portuguesa como língua materna, geradora de significação e integradora da organização do mundo e da própria identidade;  Aplicar as tecnologias de comunicação e da informação na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes da vida;  Investigação e compreensão;  Analisar os recursos expressivos da linguagem verbal, relacionando textos/contextos, mediante a natureza, função, organização, estrutura, de acordo com as condições de produção, recepção (intenção, época, local, interlocutores participantes da criação e propagação das ideias e escolhas, tecnologias disponíveis);  Recuperar, pelo estudo do texto literário, as formas instituídas de construção do imaginário coletivo, o patrimônio representativo da cultura e as classificações preservadas e divulgadas, no eixo temporal e espacial;  Articular as redes de diferenças e semelhanças entre a língua oral e escrita e seus códigos sociais, contextuais e linguísticos;
  40. 40.  Considerar a Língua Portuguesa como fonte de legitimação de acordos e condutas sociais e como representação simbólica de experiências humanas manifestas nas formas de sentir, pensar e agir na vida social;  Entender os impactos das tecnologias da comunicação, em especial da língua escrita, na vida, nos processos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social. LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA  Escolher o registro adequado à situação na qual se processa a comunicação e o vocábulo que melhor reflita a ideia que pretende comunicar;  Utilizar os mecanismos de coerência e coesão na produção oral e/ou escrita;  Utilizar as estratégias verbais e não verbais para compensar as falhas, favorecer a efetiva comunicação e alcançar o efeito pretendido em situações de produção e leitura;  Conhecer e usar as línguas estrangeiras modernas como instrumento de acesso a informações a outras culturas e grupos sociais;  Compreender de que forma determinada expressão pode ser interpretada em razão de aspectos sociais e/ou culturais;  Analisar os recursos expressivos da linguagem verbal, relacionando textos/contextos mediante a natureza, função, organização, estrutura, de acordo com as condições de produção/recepção (intenção, época, local, interlocutores participantes da criação e propagação de ideias e escolhas, tecnologias disponíveis);  Saber distinguir as variantes linguísticas;  Compreender em que medida os enunciados refletem a forma de ser, pensar, agir e sentir de quem os produz.
  41. 41. EDUCAÇÃO FÍSICA A Educação Física, por ser parte do conhecimento historicamente produzido, deve reunir o que for de mais significativo ligado aos conceitos de movimento/corporeidade, ginástica, jogo, dança e esporte. Corporeidade é transcendermos a classificação e conceituação das ciências físicas e biológicas do corpo ou mera mensuração ou quantificação do movimento humano. É fazer-se presente via corpo, que sente, que pensa, que age. Corpo que, ao expressar-se na história, traz suas marcas, desvelando-as. Movimento como produção humana, e agente de transformação, pois as diferentes concepções de corporeidade vão sendo incorporadas ao comportamento dos homens, constituindo, assim, a cultura corporal, decorrente de necessidades e interesses histórico-sociais:  movimento - objeto de estudo da Educação Física - possui um significado histórico-social, e hoje é predominantemente apresentado através dos conceitos de ginástica, dança, jogo e esporte;  movimento é inerente a todos os seres vivos, porém o movimento humano distingue-se dos demais pela linguagem, historicidade, intencionalidade e pelo seu sentido e significado. Conteúdo pertinente a todos os anos do ensino médio O Esporte é uma construção social que institucionalizou temas lúdicos da cultura corporal e se projeta numa dimensão complexa de fenômeno que envolve códigos, sentidos e significados da sociedade que o constrói e o pratica. Fenômeno sociocultural, produção humana e agente sócio-educativo para a construção da subjetividade. A dança é uma produção social que representa os diversos aspectos da vida do homem. É uma linguagem que permite exteriorizar sentimentos, emoções da afetividade vivida nas esferas da religiosidade, do trabalho, dos costumes, dos hábitos, da saúde e da guerra. Representação estilizada e simbólica da história social dos homens.
  42. 42. O Jogo (brincar e jogar são sinônimos) é a Representação de um fenômeno social, cuja intencionalidade e curiosidade resultam num processo criativo para modificar, imaginariamente, a realidade e o presente. O jogo tem um papel fundamental para a humanização do indivíduo pela aquisição de hábitos, valores e atividades. É na relação interpessoal que se aprende colaborar, repartir, ceder, compartilhar experiências, expor e organizar ideias. Por essa característica, contribui significativamente no processo ensino-aprendizagem. Ginástica forma de exercício corporal, cujo agir (movimentos básicos) resulta da própria história dos homens, impregnada de sentido, significado, possibilitando concretas vivências corporais para a constituição da subjetividade. ARTE  Realizar produções artísticas, individuais e/ou coletivas, nas linguagens da arte (músicas, artes visuais, danças, teatros, artes audiovisuais);  Apreciar produtos de arte, em suas várias linguagens, desenvolvendo tanto a fruição quanto a análise estética;  Analisar, refletir e compreender os diferentes processos da Arte, com seus diferentes instrumentos de ordem material e ideal, como manifestações socioculturais e históricas;  Conhecer, analisar, refletir e compreender critérios culturalmente construídos e embasados em conhecimentos afins, de caráter filosófico, histórico, sociológico, antropológico, semiótico, científico e tecnológico, entre outros;  Analisar, refletir, respeitar e preservar as diversas manifestações de Arte – em suas múltiplas funções – utilizadas por diferentes grupos sociais e étnicos, interagindo com o patrimônio nacional e internacional, que se deve conhecer e compreender em sua dimensão sócio-histórica;
  43. 43. CIÊNCIAS HUMANAS E SUAS TECNOLOGIAS  Entender a importância das tecnologias contemporâneas de comunicação e informação para planejamento, gestão, organização e fortalecimento do trabalho de equipe;  Compreender os elementos cognitivos, afetivos, sociais e culturais que constituem a identidade própria e a dos outros;  Compreender a sociedade, sua gênese e transformação, e os múltiplos fatores que nela intervêm como produtos da ação humana, a si mesmo como agente social, e os processos sociais como orientadores da dinâmica dos diferentes grupos de indivíduos;  Entender os princípios das tecnologias associadas ao conhecimento do indivíduo, da sociedade e da cultura, entre as quais as de planejamento, organização, gestão, trabalho de equipe, e associá-las aos problemas que se propõem resolver;  Compreender o desenvolvimento da sociedade como processo de ocupação de espaços físicos e as relações da vida humana com a paisagem, em seus desdobramentos políticos, culturais, econômicos e humanos;  Compreender a produção e o papel histórico das instituições sociais, políticas e econômicas, associando-as às práticas dos diferentes grupos e atores sociais, aos princípios que regulam a convivência em sociedade, aos direitos e deveres da cidadania, a justiça e a distribuição dos benefícios econômicos;  Traduzir os conhecimentos sobre a pessoa, a sociedade, a economia, as práticas sociais e culturais em condutas de indagação, análise, problematização e protagonismo diante de situações novas, problemas ou questões da vida pessoal, social, política, econômica e cultural;
  44. 44.  Entender o impacto das tecnologias associadas às Ciências Humanas sobre sua vida pessoal, os processos de produção, o desenvolvimento do conhecimento e a vida social;  Aplicar as tecnologias das Ciências Humanas e Sociais na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida. HISTÓRIA  Criticar, analisar e interpretar fontes documentais de natureza diversa, reconhecendo o papel das diferentes linguagens, dos diferentes agentes sociais e dos diferentes contextos envolvidos em sua produção;  Produzir textos analíticos e interpretativos sobre os processos históricos, a partir das categorias e procedimentos próprios do discurso historiográfico;  Relativizar as diversas concepções de tempo e as diversas formas de periodização do tempo cronológico, reconhecendo-as como construções culturais e históricas;  Estabelecer relações entre continuidade/permanência e ruptura/transformação nos processos históricos;  Construir a identidade pessoal e social na dimensão histórica, a partir do reconhecimento do papel do indivíduo nos processos históricos simultaneamente como sujeito e como produto dos mesmos;  Atuar sobre os processos de construção da memória social, partindo da critica dos diversos “lugares de memória” socialmente instituídos;  Situar as diversas produções da cultura – as linguagens, as artes, a filosofia, a religião. as ciências, as tecnologias e outras manifestações sociais – nos contextos históricos de sua constituição e significação;  Situar os momentos históricos nos diversos ritmos da duração e nas relações de sucessão e/ou de simultaneidade;
  45. 45.  Comparar problemáticas atuais e de outros momentos históricos;  Posicionar-se diante de fatos presentes a partir da interpretação de suas relações com o passado. GEOGRAFIA  Ler, analisar e interpretar os códigos específicos da Geografia (mapas, gráficos, tabelas etc.), considerando-os como elementos de representação de fatos e fenômenos espaciais e/ou especializados;  Reconhecer e aplicar o uso das escalas cartográficas e geográficas, como formas de organizar e conhecer a localização, distribuição e frequência dos fenômenos naturais e humanos;  Reconhecer os fenômenos espaciais a partir da seleção, comparação e interpretação, identificando as singularidades ou generalidades de cada lugar, paisagem ou território;  Selecionar e elaborar esquemas de investigação que desenvolvam a observação dos processos de formação e transformação dos territórios, tendo em vista as relações de trabalho, a incorporação de técnicas e tecnologias e o estabelecimento de redes sociais.  Analisar e comparar, interdisciplinarmente, as relações entre preservação e degradação da vida no planeta, tendo em vista o conhecimento da sua dinâmica e a mundialização dos fenômenos culturais, econômicos, tecnológicos e políticos que incidem sobre a natureza, nas diferentes escalas – local, regional, nacional e global;  Reconhecer na aparência das formas visíveis e concretas do espaço geográfico atual a sua essência, ou seja, os processos históricos, construídos em diferentes tempos, e os processos contemporâneos, conjunto de práticas dos
  46. 46. diferentes agentes, que resultam em profundas mudanças na organização e no conteúdo do espaço;  Compreender e aplicar no cotidiano os conceitos básicos da Geografia;  Identificar, analisar e avaliar o impacto das transformações naturais, sociais, econômicas, culturais e políticas no seu lugar-mundo, comparando, analisando e sintetizando a densidade das relações e transformações que torna concreta e vivida a realidade. SOCIOLOGIA  Identificar, analisar e comparar os diferentes discursos sobre a realidade: as explicações das Ciências Sociais, amparadas nos vários paradigmas teóricos, e as do senso comum.  Produzir novos discursos sobre as diferentes realidades sociais, a partir das observações e reflexões realizadas;  Construir instrumentos para uma melhor compreensão da vida cotidiana, ampliando a “visão de mundo” e o “horizonte de expectativas”, nas relações interpessoais com os vários grupos sociais;  Construir uma visão mais crítica da indústria cultural e dos meios de comunicação de massa, avaliando o papel ideológico do “marketing” enquanto estratégia de persuasão do consumidor e do próprio eleitor;  Compreender e valorizar as diferentes manifestações culturais de etnias e segmentos sociais, agindo de modo a preservar o direito a diversidade, enquanto princípio estético, político e ético que supera conflitos e tensões do mundo atual;  Compreender as transformações no mundo do trabalho e o novo perfil de qualificação exigida, gerados por mudanças na ordem econômica;
  47. 47.  Construir a identidade social e política, de modo a viabilizar o exercício da cidadania plena, no contexto do Estado de Direito, atuando para que haja, efetivamente, uma reciprocidade de direitos e deveres entre o poder público e o cidadão e também entre os diferentes grupos. FILOSOFIA  Ler textos filosóficos de modo significativo;  Ler, de modo filosófico, textos de diferentes estruturas e registros;  Elaborar por escrito o que foi apropriado de modo reflexivo;  Debater, tomando uma posição, defendendo-a argumentativamente e mudando de posição face a argumentos mais consistentes;  Articular conhecimentos filosóficos e diferentes conteúdos e modos discursivos nas Ciências Naturais e Humanas, nas Artes e em outras produções culturais;  Contextualizar conhecimentos filosóficos, tanto no plano de sua origem específica, quanto em outros planos: o pessoal – biográfico, o entorno sociopolítico, histórico-cultural, o horizonte da sociedade científica – tecnológica. ÁREA DA MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS.  Identificar, representar e utilizar o conhecimento geométrico para aperfeiçoamento da leitura, da compreensão e da ação sobre a realidade;  Identificar, analisar e aplicar conhecimentos sobre valores de variáveis, representados em gráficos, diagramas ou expressões algébricas, realizando previsão de tendências, extrapolações e interpolações e interpretações;  Analisar qualitativamente dados quantitativos representados gráfica ou algebricamente relacionados a contextos socioeconômicos, científicos ou cotidianos;  Utilizar instrumentos de medição e de cálculo;
  48. 48.  Procurar e sistematizar informações relevantes para a compreensão da situação problema;  Formular hipóteses e prever resultados;  Elaborar estratégias de enfrentamento das questões;  Articular o conhecimento científico e tecnológico numa perspectiva interdisciplinar;  Compreender o caráter aleatório e não determinístico dos fenômenos naturais e sociais e utilizar instrumentos adequados para medidas, determinação de amostras e cálculo de probabilidades. MATEMÁTICA  Ler e interpretar textos de Matemática;  Ler, interpretar e utilizar representações matemáticas (tabelas, gráficos, expressões etc)  Transcrever mensagens matemáticas da linguagem corrente para linguagem simbólica (equações, gráficos, diagramas, fórmulas, tabelas etc.) e vice-versa;  Exprimir-se com correção e clareza, tanto na língua materna, como na linguagem matemática, usando a terminologia correta;  Produzir textos matemáticos adequados;  Utilizar adequadamente os recursos tecnológicos como instrumentos de produção e de comunicação;  Utilizar corretamente instrumentos de medição e de desenho;  Identificar o problema (compreender enunciados, formular questões etc.);  Procurar, selecionar e interpretar informações relativas ao problema;  Formular hipóteses e prever resultados;  Selecionar estratégias de resolução de problemas;  Interpretar e criticar resultados numa situação concreta;  Distinguir e utilizar raciocínios dedutivos e indutivos;
  49. 49.  Fazer e validar conjecturas, experimentando, recorrendo a modelos, esboços, atos conhecidos, relações e propriedades;  Discutir ideias e produzir argumentos convincentes;  Desenvolver a capacidade de utilizar a Matemática na interpretação e intervenção no real;  Aplicar conhecimentos e métodos matemáticos em situações reais, em especial em outras áreas do conhecimento;  Relacionar etapas da história da Matemática com a evolução da humanidade;  Utilizar adequadamente calculadoras e computador, reconhecendo suas limitações e potencialidade. Surge então a necessidade de propor situações que permitam o exercício cada vez mais aguçado da reflexão e da crítica. ÁREA DAS CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS  Ler e interpretar textos de interesse científico e tecnológico;  Interpretar e utilizar diferentes formas de representação (tabelas, gráficos, expressões, ícones... );  Exprimir-se oralmente com correção e clareza, usando a terminologia correta;  Produzir textos adequados para relatar experiências, formular dúvidas ou apresentar conclusões;  Utilizar as tecnologias básicas de redação e informação, como computadores;  Identificar variáveis relevantes e selecionar os procedimentos necessários para a produção, análise e interpretação de resultados de processos e experimentos científicos e tecnológicos;  Desenvolver a capacidade de questionar processos naturais e tecnológicos, identificando regularidades, apresentando interpretações e prevendo evoluções;  Desenvolver o raciocínio e a capacidade de aprender;
  50. 50.  Formular questões a partir de situações reais e compreender aquelas já enunciadas;  Desenvolver modelos explicativos para sistemas tecnológicos e naturais;  Formular hipóteses e prever resultados;  Elaborar estratégias de enfrentamento das questões;  Interpretar e criticar resultados a partir de experimentos e demonstrações;  Articular o conhecimento científico e tecnológico numa perspectiva interdisciplinar;  Entender e aplicar métodos e procedimentos próprios das Ciências Naturais;  Compreender o caráter aleatório e não determinístico dos fenômenos naturais e sociais e utilizar instrumentos adequados para medidas, determinação de amostras e cálculo de probabilidades;  Fazer uso dos conhecimentos da Física, da Química e da Biologia para explicar o mundo natural e para planejar, executar e avaliar intervenções práticas;  Aplicar as tecnologias associadas às Ciências Naturais na escola, no trabalho e em outros contextos relevantes para sua vida;  Compreender e utilizar a ciência, como elemento de interpretação e intervenção, e a tecnologia como conhecimento sistemático de sentido prático;  Utilizar elementos e conhecimentos científicos e tecnológicos para diagnosticar e equacionar questões sociais e ambientais;  Associar conhecimentos e métodos científicos com a tecnologia do sistema produtivo;  Reconhecer o sentido histórico da ciência e da tecnologia percebendo seu papel na vida humana em diferentes épocas e na capacidade humana de transformar o meio;
  51. 51.  Compreender as ciências como construções humanas, entendendo como elas se desenvolveram por acumulação, continuidade ou ruptura de paradigmas, relacionando o desenvolvimento científico com a transformação da sociedade;  Entender a relação entre o desenvolvimento de Ciências Naturais e o desenvolvimento tecnológico e associar as diferentes tecnologias aos problemas que se propuser e se propõe a solucionar;  Entender o impacto das tecnologias associadas às Ciências Naturais, na sua vida pessoal, nos processos de produção, no desenvolvimento do conhecimento e na vida social. BIOLOGIA  Descrever processos e características do ambiente ou de seres vivos, observados em microscópio ou a olho nu;  Perceber e utilizar os códigos intrínsecos da Biologia;  Apresentar suposições e hipóteses acerca dos fenômenos biológicos em estudo;  Apresentar, de forma organizada, o conhecimento biológico apreendido, através de textos, desenhos, esquemas, gráficos, tabelas, maquetes, etc.;  Conhecer diferentes formas de obter informações (observação, experimento, leitura de texto e imagem, entrevista), selecionando aquelas pertinentes ao tema biológico em estudo;  Expressar dúvidas, ideias e conclusões acerca dos fenômenos biológicos;  Relacionar fenômenos, fatos, processos e ideias em Biologia, elaborando conceitos, identificando regularidades e diferenças construindo generalizações;  Utilizar critérios científicos para realizar classificações de animais, vegetais etc.;
  52. 52.  Relacionar os diversos conteúdos conceituais de Biologia (lógica interna) na compreensão de fenômenos;  Estabelecer relações entre parte e todo de um fenômeno ou processo biológico;  Selecionar e utilizar metodologias científicas adequadas para a resolução de problemas, fazendo uso, quando for o caso, de tratamento estatístico na análise de dados coletados;  Formular questões, diagnósticos e propor soluções para problemas apresentados, utilizando elementos da Biologia;  Utilizar noções e conceitos da Biologia em novas situações de aprendizado (existencial ou escolar);  Relacionar o conhecimento das diversas disciplinas para o entendimento de fatos ou processos biológicos (lógica externa);  Reconhecer a Biologia como um fazer humano e, portanto, histórico, fruto da conjunção de fatores sociais, políticos, econômicos, culturais religiosos e tecnológicos;  - Identificar a interferência de aspectos místicos e culturais nos conhecimentos do senso comum relacionados a aspectos biológicos;  Reconhecer o ser humano como agente e paciente de transformações intencionais por ele produzidas no seu ambiente;  Julgar ações de intervenção, identificando aquelas que visam à preservação e a implementação da saúde individual, coletiva e do ambiente;  Identificar as relações entre o conhecimento científico e o desenvolvimento tecnológico, considerando a preservação da vida, as condições de vida e as concepções de desenvolvimento sustentável. FÍSICA
  53. 53.  Compreender enunciados que envolvam códigos e símbolos físicos. Compreender manuais de instalação e utilização de aparelhos;  Utilizar e compreender tabelas, gráficos e relações matemáticas gráficas para a expressão do saber físico;  Ser capaz de discriminar e traduzir as linguagens matemática e discursiva entre si;  Expressar-se corretamente utilizando a linguagem física adequada a elementos de sua representação simbólica;  Apresentar de forma clara e objetiva o conhecimento apreendido, através de tal linguagem;  Conhecer fontes de informações e formas de obter informações relevantes, sabendo interpretar notícias cientificas;  Elaborar sínteses ou esquemas estruturados dos temas físicos trabalhados;  Desenvolver a capacidade de investigação física;  Classificar, organizar, sistematizar. Identificar regularidades;  Observar, estimar ordens de grandeza, compreender o conceito de medir, fazer hipóteses, testar;  Conhecer e utilizar conceitos físicos;  Relacionar grandezas, quantificar, identificar parâmetros relevantes;  Compreender e utilizar leis e teorias físicas;  Compreender a Física presente no mundo vivencial e nos equipamentos e procedimentos tecnológicos;  Descobrir o “como funciona” de aparelhos;  Construir e investigar situações-problema, identificar a situação física, utilizar modeles físicos, generalizar de uma a outra situação, prever, avaliar, analisar previsões;  Articular o conhecimento físico com conhecimentos de outras áreas do saber científico;
  54. 54.  Reconhecer a Física enquanto construção humana, aspectos de sua história e relações com o contexto cultural, social, político e econômico;  Reconhecer o papel da Física no sistema produtivo, compreendendo a evolução dos meios tecnológicos e sua relação dinâmica com a evolução do conhecimento científico;  Dimensionar a capacidade crescente do homem propiciada pela tecnologia;  Estabelecer relações entre o conhecimento físico e outras formas de expressão da cultura humana;  Ser capaz de emitir juízos de valor em relação a situações sociais que envolvam aspectos físicos e/ou tecnológicos relevantes. QUÍMICA  Descrever as transformações químicas em linguagens discursivas;  Compreender os códigos e símbolos próprios da Química atual;  Traduzir a linguagem discursiva em linguagem simbólica da Química e vice-versa;  Utilizar a representação simbólica das transformações químicas e reconhecer suas modificações ao longo do tempo;  Traduzir a linguagem discursiva em outras linguagens usadas em Química: gráficos, tabelas e relações matemáticas;  Identificar fontes de informação e formas de obter informações relevantes para o conhecimento da Química (livro, computador, jornais, manuais etc.);  Compreender e utilizar conceitos químicos dentro de uma visão macroscópica (lógico-empírica);  Compreender os fatos químicos dentro de uma visão macroscópica (lógico-formal);  Compreender dados conotativos, estimativa e medidas, compreender relações proporcionais presentes na química (raciocínio proporcional);
  55. 55.  Reconhecer tendências e relações a partir de dados experimentais ou outros classificação. (Serração e correspondência em Química);  Selecionar e utilizar ideias e procedimentos científicos (leis, teorias, modelos) para a resolução e problemas qualitativos e quantitativos em Química, identificando, acompanhando as variáveis relevantes;  Reconhecer ou propor a Investigação de um problema relacionado a Química selecionando procedimentos experimentais pertinentes;  Desenvolver conexões hipotético-lógicas que possibilitem previsões acerca das transformações químicas;  Reconhecer aspectos químicos relevantes na interação individual e coletiva do ser humano com o ambiente;  Reconhecer o papel da Química no sistema produtivo, industrial e rural;  Reconhecer as relações entre o desenvolvimento científico e tecnológico da Química e aspectos sócio-político-culturais;  Reconhecer os limites éticos e morais que podem estar envolvidos no desenvolvimento da Química e da tecnologia. METODOLOGIA A metodologia de ensino e aprendizagem da Escola Estadual Adolfo Augusto de Moraes pauta-se pelas concepções filosóficas e pelos objetivos a que se propõe. Isso não significa que o educador não terá um modelo de ensino, pois cada um possui habilidades próprias e para cada realidade educacional existem práticas diversas, costumes e ideias produzidos socialmente. Entretanto, existe uma base metodológica comum que sustenta e promove a unicidade e identidade da instituição educacional.

×