A ARTE BARROCA
CARACTERÍSTICAS DA ARTE BARROCA <ul><ul><li>Destinava-se a fascinar pelos sentidos e a veicular uma mensagem ideológica at...
A ARQUITECTURA BARROCA elementos definidores: <ul><li>Ultilização de elementos construtivos do Renascimento: </li></ul><ul...
ARQUITECTURA RELIGIOSA - CARACTERÍSTICAS <ul><li>Houve uma necessidade de adaptar as igrejas às exigências dos princípios ...
<ul><li>Fachadas : </li></ul><ul><ul><li>seguiram primeiro o esquema renascentista e maneirista (o corpo central tem um gr...
<ul><li>Decoração interior  – tem por objectivo aumentar o movimento </li></ul><ul><ul><li>pinturas a fresco: </li></ul></...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Arte Barroca Arquitectura

37.689 visualizações

Publicada em

Trabalho elaborado por Pedro Borges

Publicada em: Educação
1 comentário
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Muito boa a apresentação. Com apenas 6 slides conseguiu explicar com êxito os princípios da arte barroca.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
37.689
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
269
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
597
Comentários
1
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Arte Barroca Arquitectura

  1. 1. A ARTE BARROCA
  2. 2. CARACTERÍSTICAS DA ARTE BARROCA <ul><ul><li>Destinava-se a fascinar pelos sentidos e a veicular uma mensagem ideológica através: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>do movimento curvilíneo, real ou aparente </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>da assimetria </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>do jogo da luz e da sombra </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>da busca do infinito, do teatral, do fantástico </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>do cenográfico. </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Na arte religiosa, procurou aprisionar o crente pelos sentidos – visual, auditivo, olfactivo – de forma a provocar emoção, afectividade e misticismo. </li></ul></ul><ul><ul><li>Definiu uma arte nova e original em termos de linguagem decorativa, mais fantasista, mais imaginativa, mais cénica, mais ao gosto pessoal dos seus criadores. </li></ul></ul><ul><ul><li>Foi uma arte que se aliou ao poder: dos reis e da Igreja. </li></ul></ul>
  3. 3. A ARQUITECTURA BARROCA elementos definidores: <ul><li>Ultilização de elementos construtivos do Renascimento: </li></ul><ul><ul><li>uso das ordens clássico-renascentistas (jónica, coríntia, compósita, colossal); </li></ul></ul><ul><ul><li>gramática formal (colunas, entablamentos, frontões); </li></ul></ul><ul><ul><li>proporções modulares (medida o Homem). </li></ul></ul><ul><li>Aliança com a pintura, escultura, jardinagem e jogos de água. </li></ul><ul><ul><li>criação de efeitos perspécticos e ilusórios, nas plantas, tectos, cúpulas, pela decoração; </li></ul></ul><ul><ul><li>criação de ilusão do movimento; </li></ul></ul><ul><ul><li>combinação e abundância de linhas opostas reforça efeito cénico; </li></ul></ul><ul><ul><li>uso de jogos de claro-escuro pela construção de massas salientes e reentrantes (sinuosas ou lisas). </li></ul></ul><ul><li>Elementos construtivos usados como elementos puramente decorativos: </li></ul><ul><ul><li>uso de colunas torsas, helicoidais, duplas ou triplas e escalonadas; </li></ul></ul><ul><ul><li>uso de frontões centrais para reforçar o movimento ascencional das fachadas; </li></ul></ul><ul><ul><li>uso de decorações naturalistas. </li></ul></ul>
  4. 4. ARQUITECTURA RELIGIOSA - CARACTERÍSTICAS <ul><li>Houve uma necessidade de adaptar as igrejas às exigências dos princípios religiosos saídos do Concílio de Trento. </li></ul><ul><ul><li>Plantas : </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>apresentam uma grande diversidade formal (formas geométricas curvas, elípticas e ovais, irregulares como as trapezoidais, e estreladas); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>plantas de nave única que se apresentam segundo duas tipologias: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>rectangulares, a nave central alonga-se, empurrando as naves laterais de modo a ficarem reduzidas a capelas abertas para o espaço central; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>elíptico-transversais e elíptico-longitudinais; </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Paredes : </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>exteriormente, para se adequarem aos desenhos sinuosos das plantas, alternaram entre côncavas e convexas, formando paredes ondulantes, criando surpresa e efeitos luminosos; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>interiormente, estão cobertas por estuques, pinturas, retábulos em talha dourada, criando a ilusão de um espaço maior, ligando tecto e parede; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Coberturas : </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>abóbadas, sustentadas por contrafortes exteriores, decorados com voluptas ou orelhões ; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>cúpula colossal (representava simbolicamente o Céu); prolonga as paredes; </li></ul></ul></ul>Planta da Igreja de S. Carlos das Quatro Fontes, Roma - Borromini Igreja de S. Agata
  5. 5. <ul><li>Fachadas : </li></ul><ul><ul><li>seguiram primeiro o esquema renascentista e maneirista (o corpo central tem um grande frontão que acentua a verticalidade); </li></ul></ul><ul><ul><li>mais tarde apareceram fachadas mais caprichosas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>divididas em andares; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>formas onduladas (côncavas e convexas) e irregularidades, contribuem para o jogo de luz e sombra; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>portal principal tem maior ênfase pela decoração vertical e pela acumulação de ornamentação - esculturas, frontões, colunas; </li></ul></ul><ul><ul><li>torres sineiras, nos lados da fachada, são elementos independentes que reforçam a verticalidade. </li></ul></ul>Igreja de S. Carlos das Quatro Fontes, Roma - Borromini
  6. 6. <ul><li>Decoração interior – tem por objectivo aumentar o movimento </li></ul><ul><ul><li>pinturas a fresco: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>com linhas ondulantes, serpentinadas, turbilhões de figuras voadoras, querubins e anjos, inseridos numa luz celestial, ascendendo ao infinito, na procura de Deus, através de invisíveis linhas de perspectiva; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>em trompe-l'oeil , valorizadas pela luz dos janelões, das janelas e da cúpula com lanternim; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>reescreviam a história da religião e a ordem divina com uma exuberante alegria; </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>mármores policromados </li></ul></ul><ul><ul><li>talha dourada </li></ul></ul><ul><ul><li>esculturas </li></ul></ul><ul><ul><li>retábulos </li></ul></ul><ul><ul><li>telas </li></ul></ul><ul><ul><li>órgãos </li></ul></ul><ul><li>Tudo isto contribui para a profusão da cor e para o prazer dos sentidos. </li></ul><ul><li>Houve outras igrejas que foram construídas de modo mais austero, respeitando o espírito da Contra-Reforma (Igreja de Santa Maria da Saúde, em Veneza). </li></ul>Igreja de S. Carlos das Quatro fontes – cúpula e vista interior

×